Sei sulla pagina 1di 20

c 

  c

V 
Chamou acóa u ho   cuntao  ou

Em suas palavras de despedida a seus filhos, Jacó elevou -se à estatura incomum do profeta
que fala em linguagem poética de inspiração.

Ele convocou cada filho por sua vez, à beira de sua cama, para ouvir suas palavras de
bênção, de censura, ou de maldição.

Em cada caso ele destacou alguma característica notável do caráter, avaliando o homem e
o seu grupo familiar.

As palavras de Jacó constituíram uma predição dos futuros acontecimentos com base no
conhecimento que o pai tinha do caráter de cada filho.

Os homens compreenderam os pronunciamentos solenes de seu pai como predições


significativas e determinantes.

Todos os filhos de Jacó estavam vivos.

Seu chamado que os fez reunir-se foi um preceito para que eles se unissem em amor e não
se misturassem com os egípcios; e predisse que não iriam a separar-se como o fizeram os
filhos de Abraão e de Isaque, senão que todos deviam formar um só povo.

Não vamos considerar este discurso como expressão de sentimentos particulares de afeto,
ressentimento ou parcialidade, senão como linguagem do Espírito Santo que declara o
propósito de Deus a respeito do caráter, as circunstâncias e a situação das tribos que
descendiam dos filhos de Jacó, e que podem identificar -se em suas histórias.

Tribos de Israel. O arranjo tribal em Israel baseava -se na descendência dos 12 filhos de Jacó.
Estes ͞doze chefes de família produziram ͞as doze tribos de Israel͟.
c
  
Rúben, Simeão, Levi, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Benjamim, Manassés e
Efraim.
Símbolo da tribo de Rubem

o 
 auu a ou anaa
Co m ho ogo
 to!"#$$ hom n 
%nc&  u ho    u
 tanat  '()*an+goa
 tanat ',) ac  -om m

u n ou  u n Do hebraico, significando "veja Ͷ um filho!" Na Torá, Reuven foi o


primeiro filho de Yaacov e Leah. Sua mãe era a esposa menos favorecida de Jacó, Léia, que
chamou o menino de Rubem porque, segundo ela mesma disse, ͞Jeová tem olhado para a
minha miséria, sendo que agora meu esposo começará a amar -me͟.

Jacó falou diretamente a Rúben, seu filho mais vel ho, mas o que lhe disse não foi elogioso.

Um pecado muito antigo havia encontrado Rúben (Gn 35:22, Nm 32:23)

O primogênito de Lia destacava-se entre seus irmãos. Mas ele perdeu seus direitos
naturais. Seu lugar de primogênito favorecido foi dado a José.

Como filho mais primogênito de Jacó, Rúben deveria ter sido um homem forte e de grande
dignidade, que traria honra para o pai de família. Em vez disso, tornou -se um homem fraco,
que desgraçou sua família ao profanar o leito de seu pai. Seu indescritível pec ado com Bila
deu evidência de uma fraqueza moral que significa ruína.

Seus privilégios de sacerdote seriam passados a Levi. Seu direito de ser o chefe das tribos
de Israel, isto é, seus direitos reais, seriam de Judá.
Assim Rúben, dotado de dignidade, di reitos de primogenitura e superioridade natural,
perderia o direito a todo e qualquer lugar de poder e influência por causa da instabilidade
do seu caráter.

Suas paixões incontroladas (m& tuo o como a +gua) foram descritas na expressão
hebraica, "água sem repressão jorrando em torrente espumante" (v. 4).

O caráter de Rubem era instável como a água. A atitude arrogante de Rúben e seu modo de
vida temerário

Embora capaz de sonhos, planos e boas intenções, não se podia contar com ele para a
realização dos mesmos.

É difícil encontrar nas escrituras algum membro da tribo de Rúben que tenha se destacado
como um líder.

A população da tribo etrou em declínio entre o êxodo e a entrada na terra prometida (Nm
1:20-21, 2:11, 2:7), passando de sétimo para nono lugar em numero de membros.

Datã e Abirão eram da tribo de Rúben e lideraram a revolta de Corá (Nm 16:1), que levou a
morte de milhares de pessoas.

A revolta de Datã e Abirã, homens de Ruben, contra a autoridade de Moisés (Números


16:1) e possivelmente contra a posição especial de Levi pode ser significativa. Ruben pode
estar clamando por sua velha primazia, penalizada pelo pecado (Gênesis 49:3 -4). A
tentativa falhou e o julgamento de Deus foi uma lição importante (Números 16:33).

Ruben, Gade e metade da tribo de Manassés pediram para ficar nas terras ricas em madeira
e bem-irrigadas a leste do Jordão, conquistadas de Seom, o rei amorreu, e de Ogue, rei de
Basã.

Esse pedido egoísta ( porque envolveria não participar da dura luta através do Jo rdão) foi
diretamente denunciada por Moisés. Entretanto, com a promessa das duas tribos e meia de
sustentarem o maior peso da luta para seus irmãos no oeste, seu pedido foi atendido
(32:20-22).

Eles eram evidentemente bons soldados e Josué os mandou para casa no fim da campanha
(Josué 22:1-6).

Embora vivendo a leste do Jordão e separados de seus irmãos pelo que era na época um
obstáculo natural insuperável, eles não tinham desejo de formar um estado independente.
Mostraram isso construindo um grande altar memorial no ponto em que atravessaram o
Jordão em seu caminho para casa (22:10).

O e é c  de Rúbe  não atende  ao c amado de Debora e de Baraque para lutar contra os
cananeus (Jz 5 15-16
Ao que parece não tinham coragem e a ousadia necess rias para
entar na batalha, mas, anos depois, mandaram soldados para ajudar Davi em Hebrom (1 Cr
12 37

Esta tribo realizou um serviço agradável a Deus em seu zelo contra os adoradores do
bezerro de ouro (Êx 32
Tendo sido separados por Deus como sacerdotes, nesse caráter
foram espalhados pela nação de Israel.

S mbolo da tribo de Judá

Tribo: JUDÁ
Pedra:r Sardius ou Cornalina
Cor: Vermelho
Efetivo: 74.600 homens
Príncipe: Nason, filho de Aminadabe
Estandarte: Leão
Espada da justiça, escudo de Deus.

. / c c Cc Filho de Jac e de Lia  neto de Isaac  bisneto de Abrão trineto de Taré e
tetraneto de Nacor  Judá foi o patriarca da tribo de Israel que se tornou a mais importante
dentre todas  De sua linhagem descendeu o rei Davi e o Messias 

u , o quarto filho de Jac  com Lia, recebeu o primeiro inqualificável louvor do velho
patriarca. Levava sobre si a esperança de Israel.

Não tendo o direito da primogenitura, nem dignidade excepcional, ou poderes espirituais,


sobressairia como o poderoso líder de um povo, que entusiasticamente haveria de admirá-
lo e louvá-lo.
u+ ou uah Judah está entre os nomes bíblicos mais usados no Talmud. O nome
aparece pela primeira vez no Livro de Bereshit, onde Judah é o quarto filho de Jacob. É
derivado do hebraico, e significa "louvor ͞dar graças͟ ͞elogiar͛͛ Segundo teólogos e alguns
historiadores, por volta do século XV a.C. ocorreu o êxodo dos hebreus do Egito para a terra
de Canaã. A narração do livro do Êxodo descreve esta época, e posiciona a to  
u+ como a mais numerosa de todas as tribos de Israel (desconsiderando-se a tribo de
José, tradicionalmente dividida entre as meia -tribos de Efraim e Manassés).

Judá fez jus a seu nome. Ele fundou a tribo de Israel que deu a Israel seus reis ʹ sendo que
alguns deles foram líderes tementes a Deus ʹ e que, por fim, trouxe ao mundo Jesus Cristo
(Hb 7:14).
Judá era uma tribo de conquistas e de liderança e permaneceu fiel a linhagem de Davi
quando a naçao se dividiu. Uma vez que Deus escolheu Judá para ser a tribo de dos reis, era
lógico associar essa tribo com um leão, o rei das feras (Nm 24:9, Ez 19:1 -7, Mq 5:8, Ap 5:5).
Judá era temido pelos seus inimigos, pois como um leão os perseguia sem descanso até que
a vitória fosse sua. Então, tendo completado sua missão, ele retornava à su a fortaleza de
suas montanhas para descansar na segurança de uma fortaleza que ninguém podia invadir.
Apoderar-se-ia do cetro ou bastão que simbolizaria seu inteiro domínio no papel de
guerreiro, rei e juiz. Qualquer nação seria feliz, segura e honrada com Judá como chefe e
protetor.
A bênção de Jacó prometeu a Judá: liderança, vitória e reinado.
(Gn 49:8-12) ͞Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de teus
inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho
meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará? O
cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele
se congregarão os povos. Ele amarrará o seu jumentinh o à vide, e o filho da sua jumenta à
cepa mais excelente; ele lavará a sua roupa no vinho, e a sua capa em sangue de uvas. Os
olhos serão vermelhos de vinho, e os dentes brancos de leite.͟
Paz, abundância e prosperidade prevaleciam na terra de Judá. As vin has eram tão viçosas e
as uvas tão abundantes que o cavaleiro conquistador podia amarrar as rédeas do seu cavalo
nos grandes ramos e desfrutar de seus frutos suculentos. O vinho era tão abundante que os
homens podiam lavar suas roupas nele, se assim o quis essem. Uvas excelentes forneciam o
mais fino sustento. Os olhos de Judá não ficariam vermelhos com excesso de bebida
(cntant  nho, v. 12), mas "brilhantes de prosperidade" (NBC) e seus dentes seriam
"mais brancos do que o leite" (anco   t ). Isto é, a terra de Judá seria divinamente
abençoada (Gn 49:11-12).
Com o exílio babilônico, Judá não perde sua identidade básica, embora fosse um povo que
não estava em sua própria terra.
Uma pequena porcentagem retornou para sua pátria durante o período persa, embora os
dois grupos tenham em última instância, participado da atuação providencial de Elohim.
O remanescente que voltou à terra tornou-se o canal pelo qual veio o Messias prometid o.
O nome aparece em registos cuneiformes como Yaudu, Yahudu e Yakudu e também, na sua
forma aramaica, no Papiro Aramaico de Elefantina, do século V AC, assim como em antigas
moedas hebraicas e asas de cântaros encontradas na Palestina. Era o nome oficial da
província persa estabelecida por Ciro (Ed 5:8). O termo ͞Judá͟ na Bíblia - para além de ser
um nome próprio - pertence a três estádios da história hebraica: primeiro a tribo
descendente de um dos doze filhos de Jacó, mais tarde o reino composto principalmente
por esta tribo e finalmente o povo judeu repatriado após o exílio. Historicamente, esta
terceira situação era uma continuação do reino de Judá, composto pelo remanescente do
povo hebreu - agora chamados judeus - e que passaram a viver na Palestina. Deixaram,
contudo, de ser uma nação independente e passaram a estar sob domínio persa.

1 - A tribo de Judá - Os descendentes de Judá, o quarto filho de Jacó (Gn 29:32 -35).
Encontrava-se dividida em cinco famílias principais, três das quais descendiam dos f ilhos de
Judá e duas dos seus netos (Nm 26:19-21; 1Cr 2:3-6). Naassom é mencionado como um
príncipe da tribo de Judá, sob o comando de Moisés no deserto (Nm 1:7; Nm 2:3; Nm 7:12 -
17; Nm 10:14). Outro proeminente líder durante as vagueações pelo deserto foi Calebe,
filho de Jefoné, que foi também o espia representando a sua tribo (Nm 13:6; Nm 34:19).
Judá foi a primeira tribo a tomar posse do seu território após a morte de Josué. Com a
ajuda da tribo de Simeão, os homens de Judá dirigiram-se para a região montanhosa da
zona sul da Palestina Oeste, fizeram com que os cananeus deixassem muitas das suas
cidades e ocuparam essas cidades e redondezas (Jz 1:1 -20).

O território atribuído a Judá situava-se na zona sul de Canaan. Js 15:1-12 descreve as suas
fronteiras, declarando que a fronteira sul começava na extremidade mais a sul do Mar
Morto, passava pelo Deserto de Zim, ladeava Cades-Barneia, no sul e chegava ao ͞rio do
Egipto͟, o Wâdi el-͚Arîsh, seguindo até à sua nascente no Mar Mediterrâneo. A fronteira
este era formada pelo Mar Morto. A fronteira norte começava na extremidade norte do
Mar Morto, dirigindo-se primeiro para norte mas virando para oeste a sul de Jericó. Seguia
depois para a Subida de Adunim, provavelmente o Wâdi Qelt e terminava em En -Rogel e no
Vale de Hinom, a sul de Jerusalém. A partir daí, virava para noroeste, na direcção de
Quiriate-Jearim, depois para sudoeste, na direcção de Bete-Semes e finalmente via Jabné
(mais tarde Jamnia) para o Mar Mediterrâneo, que formava a fronteira oeste. Judá,
contudo, nunca tomou posse da planície junto à costa que era, na sua maioria, ocupada
pelos filisteus. O território de Judá encontrava-se geograficamente dividido em: ( região
montanhosa (Js 15:48), densamente povoada na sua zona ocidental mas praticamente
desabitada na secção oriental, onde pouco chovia e que formava o Deserto de Judá (vers. Js
15:61); ( as terras baixas e férteis (Shephelah) que se situavam entre a região montanhosa e
a planície junto à costa (vers. Js 15:33; cf. 1Rs 10:21) e onde se encon travam as mais fortes
cidades do país e (o Neguebe (Js 10:40), um estéril e quase árido deserto entre Berseba e
Cades-Barneia. Embora a maior parte do território de Judá fosse montanhoso, adaptava -se
perfeitamente à cultura de vinhas (cf. Gn 49:10 -12), incluindo-se no seu território o Vale de
Escol, a norte de Hebrom (Nm 13:23,24), que actualmente produz um excelente tipo de
uvas. O Shephelah, por outro lado, era o celeiro de Judá e uma vez que a sua posse era de
grande importância para o Estado de Judá, as suas cidades foram fortemente fortificadas.
Judá foi a tribo do segundo juiz (Otniel) que livrou a nação da opressão de Cusã -Risataim,
rei da Mesopotâmea, no início do período dos juizes (Jz 3:8 -11>>). Judá juntou-se às outras
tribos contra Benjamim (cap. Jz 20:1,18), aparentemente no início do período (ver Jz 20:28).
No sentido geográfico, Judá, Simeão e Dã formavam uma unidade e estas tribos foram as
que mais sofreram com a opressão dos filisteus, depois que esta nação passou a dominar
no século XII a.C. (Jz 10:7; Jz 13:1). Mas Judá parece não ter tido uma grande participação
nas guerras das outras tribos contra os vários opressores que ocuparam Israel no período
dos juizes.

Quando Samuel estabeleceu o primeiro reino, Judá apoiou Saúl. Contudo, o facto de as suas
forças serem mencionadas separadamente das outras tribos (1Sm 11:8; 1Sm 15:4; 1Sm
17:52), parece querer significar que, possivelmente como resultado de eventos históricos
que desconhecemos, ou devido ao seu isolamento geográfico, Judá era consider ada de
forma diferente em relação às outras tribos, que parecem ter formado uma unidade. Após
a morte de Saúl, David, um herói da tribo de Judá, foi feito rei em Hebrom, enquanto que as
outras tribos seguiram Isbosete, o filho de Saúl. Esta divisão durou a té à morte de Isbosete,
sete anos mais tarde, quando os seguidores da casa de Saúl se viraram para David (2Sm 2:4;
2Sm 5:1-3), fazendo dele o rei de todas as doze tribos. Durante mais de sete décadas, o
reino permaneceu sob o domínio da casa real. David mo strou-se prudente ao transferir a
sua capital de Hebrom para Jerusalém (cap. 2Sm 5:5), uma cidade que não pertencera a
ninguém até essa altura, situando-se, portanto, em território neutro, uma vez que a inveja
tribal se encontrava sempre presente (ver cap. 2Sm 19:41-43).
Símbolo da tribo de Zebulom

p o ZEBULOM

   Esmeralda
Co  Verde
 
 t o 57.400 homens
 
 %n &  Eliabe, filho de Helon
 tn te Ancoradouro de Navios

uonou ou Zeuo  Do hebraico, significando "exaltar, honrar", ou "uma casa
elevada". Na Torá, Zebulun era o sexto filho de Yaacov e Leah. Nada é conhecido, em
particular, a respeito de Zebulom, exceto que Serede, Elom e Jaleel foram seus filhos e
chefes de três famílias tribais. A Tribo de Zebulom desempenhou um importante papel na
história antiga de Israel. No censo das tribos no Deserto do Sinai durante o segundo ano do
êxodo, a tribo de Zebulom contava com 57.400 homens capazes de pegar em armas. Este
exército, sob o comando de Eliabe, filho de Helom, acamparam com os de Judá e de Issacar
a leste do Tabernáculo e com eles formaram a linha de frente da marcha. Dentre os espiões
enviados por Moisés para avistarem a terra de Canaã, Gadiel, filho de Sodi representou
Zebulom.
Zeuo , o sexto filho de Jacó com Lia, foi colocado em um lugar onde foi possível a
atividade comercial e a prosperidade.
Apesar de não se encontrar diretamente na costa do mar mediterrâneo, a tribo de zebulom
recebeu uma parte da terra que ficava próxima o suficiente do mar para o transporte de
bens fosse lucrativo para o seu povo.
Zebulom ficava numa rota importante que levava mercadorias da costa para o mar da
Galileia e para Damasco. Na sua maioria, o povo judeu não era ligado ao mar, porém a tribo
de Zebulom negociava com os fenícios que ficavam a leste e forneciam produtos
importados para os povos a oeste. No entanto, também eram um povo valente, cujos
guerreiros tinham excelente reputação (1 Cr 12:33. Débora e Baraque louvaram os homens
de Zebulom por juntarem-se à sua causa e lutarem contra Sisera (Jz 5:14-18 Elom, um dos
juízes, era dessa tribo (Jz 12:11-12.
Dentre os espiões enviados por Moisés para avistarem a terra de Canaã, Gadiel, filho de
Sodi representou Zebulom (Números 13:10.
O lugar de Zebulom estava no lado oriental do Tabernáculo, com seus irmãos Judá e Issacar
(Nm 2:3-8).
Viajando.

Tribo descendente de Zebulom. Estava dividida em 3 famílias, cujos ancestrais eram os 3


filhos de Zebulom (Nm 26:26-27. Durante o início da jornada pelo deserto, a tribo foi
liderada por Eliabe, filho de Helon, e mais tarde por Elizafan, filho de Parnach. Gadiel, filho
de Sodi, foi o representante de Zebu lom entre os 12 espias.

Quando o teritório foi dividido pelas 12 tribos, Zebulom recebeu uma porção ao centro da
Galileia do Sul. O território fazia fronteira a Este e Norte com a tribo de Naftali, a Sul com
Issacar e Manassés e a Oeste com Aser (Js 19:10-16). Não foram encontradas cidades
importantes nesta região, mas estava estrategicamente localizada controlando a via Este -
Oeste que se estendia pelo vale de Jizreel e possuia um solo muito fértil.

A tribo de Zebulom desempenhou um papel importante na guer ra de libertação liderada


por Baraque e Débora contra os opressores Jabin e Hazor (Jz 4:6 -10; Jz 5:14-18). Foi
também importante na guerra liderada por Gideão contra os midianitas (Jz 6:35). Elom, um
dos juízes menos importantes era zebulonita (Jz 12:11,12 ). Quando as tribos do norte
foram até Hebrom e convidaram David a reinar sobre todo o reino, Zebulom fez -se
representar por um impressionante número de 50.000 guerreiros (1Cr 12:33,40). O
governador de David para o território de Zebulom foi Ismaias, filho de Obadias (1Cr 27:19).
Juntamente com as outras tribos do norte, Zebulom afastou-se de Judá e caiu na idolatria.
Sofreu muito nas guerras com a Síria e Assíria, mas Isaías previu uma compensação
gloriosa através da luz messianica que brilharia no seu ter ritório (Is 9:1,2). Esta profecia foi
cumprida quando Jesus Cristo cresceu no seu território e boa parte do seu ministério teve
lugar ali (Mt 4:12-16). Um grupo de zebulonitas aceitou o convite do rei Ezequias e
celebrou a páscoa em Jerusalém (2Cr 30:10,11,18). Não há mais referências históricas à
tribo. O profeta Ezequiel inclui a tribo de Zebulom entre as 12 tribos do Israel ideal (Ez
48:33), e a tribo é mencionada em ligação com a cena do selamento dos 144.000 (Ap 7:8).
*ana  Do hebraico, significando "faz esquecer". Na Torá, Menasse, ou Manasse, foi o
filho mais velho de Yossef. Seu irmão era Efraim. Manassés formou também a casa de José.
No seu apogeu, seu território se espalhava ao longo do rio Jordão, formando • •,
uma em cada lado do rio. A •  •
 da tribo ocupou as terras imediatamente a
norte de Efraim, no centro-oeste de Canaã, entre o rio Jordão e a costa do Mar
Mediterrâneo, fazendo limite ao norte com a tribo de Issacar, a noroeste com o Monte
Carmelo; a • 
 da tribo constituía a parte mais ao norte da tribo, a leste do rio
Jordão, ocupando as terras ao norte da Tribo de Gade, estendendo-se desde Maanaim ao
sul até o Monte Hermom, ao norte, e incluindo todo o do planalto de Bas ã. Esses territórios
eram abundantes em água, uma preciosidade em Canaã, e por isso, constituía uma das
mais valiosas partes do país; apesar disso, a posição geográfica de Manassés
impossibilitava-a de defender duas importantes passagens nas montanhas - Esdraelom,
localizada a oeste do rio Jordão e Hauran, a leste.
namm Do hebraico, significando "filho de minha mão direita", com a conotação de
força. Recebeu o nome do filho mais novo de Jacó e Raquel. As pessoas desta tribo eram
chamados benjamitas. Na altura da divisão de Canaã, ficou com o território entre Efraim a
Norte e Judá a Sul. Embora fosse um território pequeno e montanhoso, era fértil e incluía
cidades importantes como Jerusalém, Jericó, Betel, Gibeon e Mispá entre outras.
Um benjamita importante foi Eúd, o segundo juiz referenciado no Livro de Juízes. Saul, o
primeiro rei de Israel oficialmente reconhecido como tal, era benjamita, filho de Quis. A
partir daí, a linhagem real passou a ser da Tribo de Judá.
Quase que a tribo foi aniquilada pelas restantes tribos por ter protegido os habitantes de
Gibea. A história encontra-se no Livro de Juízes nos capítulos 19, 20 e 21.
Quando se deu a divisão do reino, Benjamim permaneceu fiel à casa de David e, portanto,
formou um reino com a Tribo de Judá, a o passo que as restantes dez tribos (também
chamadas de Tribos do Norte) formavam um outro reino Israel. Juntamente com Israel, os
benjamitas foram dos que mais engrossaram o número dos que regressaram.
an Dan foi um dos doze filhos de Jacó com sua concubina Bila, e o nome de uma das
tribos de Israel. Dan é derivado do hebraico, significa "ele julgou". Dizem que seu símbolo
era uma serpente, o que a diferencia das outras tribos de Israel. Visto que este animal é
considerado um símbolo do mal na tipologia bíblica, é aparentemente estranho que esteja
como estandarte em uma tribo hebraica. Diz antigo adágio popular: A pior cunha é aquela
que sai da mesma madeira. Evidentemente a expressão "da mesma madeira" indica uma
boa madeira, utilizada para boa construçã o, e dela é que sai a "pior cunha".
c  ou c h  Do inglês antigo, significando "abençoado, afortunado ou feliz". Asher, o
filho de Zilpah, foi um dos doze filhos de Yaacov e líder de uma das tribos resultado de sua
união com Léia. Aser também é o ancestral de uma das 12 tribos de Israel, de mesmo
nome. O personagem de Aser não possui grande destaque no livro de Gênesis, exceto por
ter tomado parte na conspiração junto a seus irmãos que levou José a ser vendido como
escravo para uma caravana em direção ao Egito, e também ter estado junto com seus
irmãos no momento da reconciliação. Em I Crônicas 7:30-40 é traçada a descendência de
Aser e seus filhos Imna, Isvá, Isvi, Berias e Sera.
 ta ou  &hta Do hebraico, significando "lutar". Na Torá, Naftali foi o sexto filho de
Yaacov, o segundo com sua esposa Bilhah. Na Cabala, o nome Naftali é lido como duas
palavras: nofet li, "doçura é para mim". A mitsvá em Purim, de atingir o nível da "cabeça
desconhecida" ao beber vinho, etc., é expresso, nas palavras do s sábios como: c 
  • 
 • 
 ••  
  
  • 


• • . Naftali ocupava o lado oriental da Galiléia (logo ao
lado ocidental do Mar da Galiléia), nas áreas hoje conhecidas como baixa Galiléia, e alta
Galiléia, e fazia fronteira a oeste com a Tribo de Aser, ao norte a Tribo de Dã, no sul Zebulão
e o rio Jordão no leste. Sua cidade principal era Hazor.
am Um dos filhos de Yossef na narrativa bíblica. Nome he braico significando "frutífero".
Juntamente com a Tribo de Manassés, formou a Casa de José. Em seu auge, o território
ocupado pela tribo estava no centro de Canaã, a oeste da atual Jordânia, a sul do território
de Manassés, e a norte da tribo de Benjamim; a região que foi chamada posteriormente de
Samária (para distingui-la da Judéia e da Galiléia) consistia em sua maior parte do território
da Tribo de Efraim. A área era montanhosa, o que lhe dava proteção, porém também era
extremamente fértil, o que lhe trouxe prosperidade, e continha os centros mais antigos da
religião Israelita ʹ Shechem e Shiloh. Estes fatores contribuíram para fazer de Efraim a mais
dominante das tribos do Reino de Israel, e levou o nome Y   a se tornar um sinônimo de
todo o reino.
Havia uma evidente diferença linguística entre a Tribo de Efraim e os outros israelitas, já
que quando os israelitas de Gileade, sob a liderança de Jefté, lutaram contra a Tribo de
Efraim, a pronúncia da palavra ho th. Como    era considerada uma prova
suficiente para identificar indivíduos pertencentes à tribo, para que fossem condenados
instantaneamente à morte.
a Do hebraico e árabe, significando "feliz, afortunado" ou "um soldado, um guerreiro".
O sétimo filho que Jacó teve de Zilpa, a ser va de Leia e irmão de Aser. Em algumas versões,
as palavras: "Vem uma turba e chamou o seu nome Gade" deveriam ser traduzidas por:
"Com sorte ("afortunado") e chamou o seu nome Gade", ou "Vem a sorte e chamou o seu
nome Gade." A tribo de Gade, durante a marcha pelo deserto, situava-se, juntamente com
Simeão e Ruben, a sul do tabernáculo. As tribos de Rúben e Gade, no seguimento da sua
história, prosseguiram a actividade dos patriarcas.
m 0o Do hebraico, significando "ouvir" ou :ser ouvido". Na Torá, Simeon foi o segundo
filho de Yaacov e Leah. Alguns historiadores, dizem que o problema da tribo de Simeão tem
inicio com a querela (queixa a cerca de direitos, questão, pendência) que Simeão, e Levi se
envolvem no que diz respeito à injúria feita a sua irmã D iná e por isso, no livro de
Deuteronômio, cap. 33, vs 6 a 29, Moisés abençoou todas as 11 tribos militarizadas, mais a
tribo de Levi, que era do sacerdócio, e não fez alusão a tribo de Simeão
 aca Na Torá, Issachar foi o filho de Yaacov e Leah. Foi o l íder de uma das doze tribos de
Israel. Derivado do hebraico, significa "há uma recompensa". O nono filho de Jacó e o
quinto de Leia: Gen 30:17-18 "E ouviu Deus a Leia, e concebeu, e deu à luz um quinto filho.
Então disse Leia: Deus me tem dado o meu galard ão, pois tenho dado minha serva ao meu
marido. E chamou-lhe Issacar." Ele nasceu em Padã-Arã, e nada é registrado da vida dele.
Na época da migração para o Egito, enquanto José ainda estava regendo o Egito, são
relacionados quatro filhos de Issacr; estes filhos fundaram as quatro principais famílias da
tribo. O número de homens de guerra, quando o censo foi levantado no Sinai, era de
54.400, e pela ordem era a quinto tribo, no segundo censo o número tinha aumentado para
64.300 o que a colocou em terceiro. No tempo de Davi foram contados 87.000. Issacar
estava no lado oriental do Tabernáculo, com os seus irmãos Judá e Zebulom
   A 13ª Sacerdotal que não tinha direito a terra, que eram os Levitas, responsáveis pelos
serviços do Tabernáculo e depois do Templo, mas não eram contados como Tribo, por isso
se diz que "NÃO ERAM 13 TRIBOS"!!!!
Aos que crêem nas Escrituras, é inegável que Levi tenha sido uma tribo como as outras,
separada porém por Deus para exercer o sacerdócio. Entretanto, a situação da tribo no
momento em que o Pentateuco teria sido escrito, bem como sua posição na sociedade
judaica após o exílio na Babilônia geram discussão entre estudiosos.
Alguns acreditam que Levi tenha sido uma das tribos que teria fugido do Egito, e ao chegar
a Canaã teriam se aliado a outras tribos hebraicas autóctones, e, após a organização destas
tribos e sua fusão em uma só nação, os levitas teriam sido designados ao sacerdócio.

---------------

Simeão ****
Tribo: SIMEÃO
Pedra: Safira
Cor: Azul
Efetivo: 59.300 homens
Príncipe: Selumiel, filho de Zurisadai
Estandarte: Espada
------------

Levi ****
Sacerdote
Fúria incontrolável, cegeira.
Moisés e Arão são membros desta tribo
Teimosia, fúria incontrolável, instabilidade emocional corruptível pela fúria e pela teimosia.
Quer uma lei povo teimoso então tente segui-las se conseguir (apenas para tribo de Levi)
punidos por deus aqueles que seguiram teus costumes
Sacerdotes seguidores de Deus criadores da igreja cega difamadores de cristo
NOTA: O livro de Juízes conta como a esposa de um levita fora violentada por homens da
tribo de Benjamim. Em face da complacência dos benjamitas, as outras tribos se revoltaram
e, após uma guerra civil, quase dizimaram a tribo de Benjamim. ͞mostra como os levitas
eram encrenqueiros e sanguíneos - quase dizimaram a tribo dos lobos por isso!".
Pouco depois, apoiado pelo sacerdote levita e profeta Samuel da tribo de Efraim, Saul Filho
de Quis, da tribo de Benjamin ascendeu ao poder como primeiro rei de Israel.
Guerras contínuas e derrotas enfraqueceram Saul.
Quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, conquistou Judá, os levitas praticamente
desaparecem do relato bíblico.
Templo foi reconstruído, sob o comando de Neemias talvez levita, ou provavelmente
pertencia à Tribo de Judá.

Issacar
Sabio
Servo com estrutura forte, sabio caçador de recompensas gosta de conforto e
tramquilidade
Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos.
E viu ele que o descanso era bom, e que a terra era deliciosa e abaixou seu ombro para
acarretar, e serviu debaixo de tributo.(genesis 49:14)
eram todos desta tribo. Conforme Jacó abençoou, a tribo de Issacar mostrou uma
perspicácia incomum em situações políticas. A tribo trocou a submissão a Saul por Davi (1
Cr 12:32)
Moisés profetizou uma vida quieta e feliz para Issacar (Dt. 33:18)
Tribo: ISSACAR
Pedra: Topázio
Cor: Amarelo
Efetivo: 54.400 homens
Príncipe: Netanel, filho de Zuar
Estandarte: Jumento entre fardos
------------


serpente
Juiz

Tribo: DÃ
Pedra: Crisólita
Cor: Dourado
Efetivo: 62.700 homens
Príncipe: Aizer, filho de Amisadai
Estandarte: Serpente
------------

Gade
Contra Ataque
Sorte e afortunados,
Quanto a Gade, uma tropa o acometerá; mas ele a acometerá por fim.(genesis 49:19)
Esta tribo era cruel e dada à guerra; eram "varões valentes, homens de guerra para pelejar,
armados com rodela e lança; e seus rostos eram como rostos de leões e ligeiros como
corças sobre os montes" (1Cr 12:8 e 1Cr 5:19-22)

Tribo: GADE
Pedra: Diamante ou Ônix
Cor: Branco
Efetivo: 45.650 homens
Príncipe: Eliasafe, filho de Deuel
Estandarte: Tropa a cavalo
------------

Aser
Arvore frutifera
Cozinheiro real alimenta bem
De Aser, o seu pão será gordo, e ele dará delícias reais.(genesis 49:20)

Tribo: ASER
Pedra: Berilo
Cor: Verde Oceano
Efetivo: 41.500 homens
Príncipe: Pagiel, filho de Ocrã
Estandarte: Pão
------------

Naftali
Gazela
alegria e risos, carisma.
Naftali é uma gazela solta; ele dá palavras formosas.(genesis 49:21)
Na Cabala, o nome Naftali é lido como duas palavras: nofet li, "doçura é para mim".
Naftali reflete sua sabedoria para permutar palavras em geral
NOTA: Naftali é um cervo enviado [mensageiro], que dá [expressa] palavras eloqüentes. As
"palavras eloqüentes" de Naftali provocam júbilo e riso aos ouvidos de todos que escutam.
Ao final da Torá, Moisés abençoou Naftali: A vontade de Naftali está satisfeita. Na Chassidut
é explicado que vontade satisfeita (seva ratzon) refere-se ao nível da vontade na dimensão
interior de keter, onde toda experiência é puro deleite, o estado de ser no qual a pessoa
não deseja nada além de si mesma.]

Tribo: NAFTALI
Pedra: Jaspe
Cor: Vinho
Efetivo: 53.400 homens
Príncipe: Airá, filho de Enã
Estandarte: Gazela
-------------

José
Hospedeiro
José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro.
Os flecheiros lhe deram amargura, e o flecharam e odiaram.
O seu arco, porém, susteve-se no forte, e os braços de suas mãos foram fortalecidos pelas
mãos do Valente de Jacó (de onde é o pastor e a pedra de Israel).(genesis 49:22)
------------
Benjamim
Lobo
Samuel. O profeta Samuel, por volta de 1050 a.C., teria ungido Saul, da tribo de Benjamim,
como rei de todo Israel. Surpreendentemente, a soberania de Saul se afirmou em todas as
tribos de maneira geral

Tribo: BENJAMIM
Pedra: Ametista
Cor: Violeta
Efetivo: 35.400 homens
Príncipe: Abidã, filho de Gideõni
Estandarte: Lobo
-----------

Manassés
Feito para esquecer
Boi

Tribo: MANASS S
Pedra: Ágata
Cor: Multi-cores
Efetivo: 32.200 homens
Príncipe: Gamaliel, filho de Pedazur
Estandarte: Tamareira
------------

Efraim
dupla fecundida
Prosperidade
Tribo: EFRAIM
Pedra: Jacinto
Cor: Amarelo
Efetivo: 40.500 homens
Príncipe: Elisama, filho de Amiúde
Estandarte: Ramo frutífero
------------

Algumas dessas tribos desapareceram do registro biblico mais devido sua importancia
biblica e profetica, estão espalhadas divididas, e seus integrantes vivem espalhados pelo
mundo sem ter uma identidade, mas retornaram a jerusalem para desempenhar seu papel
original para governar com cristo a terra.
http://www.jesusvoltara.com.br

http://www.formadoresdeopiniao.com.br

http://conhecendooevangelio.spaceblog.com.br

COMENTARIO BIBLICO MOODY

http://www.restaurandoisrael.com.br

DICONARIO DE PERSONAGENS BIBLICOS