Sei sulla pagina 1di 76

Sexologia Forense

Norma Bonaccorso, M.Sc.


Crimes Sexuais
 Em Direito, crimes sexuais são denominados
crimes contra a liberdade sexual
• Estupro
• Atentado violento ao pudor

 Segundo o Código Penal, são atos sexuais:


• Conjunção carnal
• Ato libidinoso
Conjunção carnal

 Também chamada de:


• Cópula
• Coito
• ”Imissio penis”
 É a relação entre homem e mulher,
caracterizada pela penetração do
pênis na vagina, com ou sem
ejaculação (“imissio seminis”).
Atos Libidinosos

 conjunção carnal: (ato libidinoso por


excelência)
 atos libidinosos diversos da

conjunção carnal:
• Cópulas ectópicas
• Atos orais
• Atos manuais
Atos Libidinosos
a) Cópulas ectópica: cópulas fora da vagina:
 cópula anal
 Cópula retal
 Cópula vulvar (cópula vestibular ou “ad introitum”)
 Cópula oral ou felação
 Cópula entre as coxas
a) Atos orais:
 felação
 cunilíngua (sexo oral na genitália feminina)
 beijos e sucções nas mamas, coxas ou outras regiões
de conotação sexual
a) Atos manuais:
• masturbação e
• manipulações eróticas de todos os tipos
Estupro
“Art. 213. Constranger mulher à conjunção
carnal, mediante violência ou grave
ameaça”
 Conjunção carnal é o ato sexual

convencional: cópula vaginal (coito


pênis/vagina)
 Somente mulher pode ser vítima desta

espécie delituosa, podendo, no entanto, ser


indiciada como co-autora
Estupro
Violência
 Concurso de força física e de
emprego de meios capazes de
privar ou perturbar o entendimento
da vítima impossibilitando-a de
reagir ou de se defender

 Tipos de violência:
• Efetiva
• Presumida
Estupro
Violência Efetiva
 Física: a lei exige que o agressor tenha agido de
forma violenta, anulando ou enfraquecendo a
oposição (resistência física) da vítima

 Psíquica:
• o agente conduz a vítima a uma forma de não
resistência por inibição ou enfraquecimento das
faculdades mentais
 embriaguez completa
 anestesia
 estados hipnóticos
 drogas alucinógenas (“Boa noite Cinderela”)
Estupro
Violência Presumida
3 situações:
a) Menor de 14 anos
b) Vítima alienada ou débil mental e o
agente conhecia esta circunstância
c) Qualquer causa que impeça a vítima
de resistir
Estupro
Grave Ameaça

 Promessa de um mal maior


 Forma de violência moral

 Vítima impossibilitada pelo medo,

angústia ou pavor de esboçar uma


resistência
Perícia no Estupro

Objetivos Periciais

 Comprovar a cópula vaginal


 2 situações:
• Mulher virgem
• Mulher com vida sexual pregressa
Perícia no Estupro
Exame do Hímen
Exame do Hímen
 No exame, o hímen pode
estar:
1. Íntegro
2. Com rotura completa
3. Com rotura incompleta
4. Com agenesia (ausência congênita)
5. Complacente
6. Reduzido a carúnculas mitriformes
(ocorre em mulheres que pariram)
Exame do Hímen
Hímens rotos quanto à cicatrização:

1. Rotura de data recente: (até cerca


de 20 dias)
2. Rotura antiga ou cicatrizada
 Quando se afirma que a rotura é
antiga significa que ocorreu há mais
de 20 dias
Hímen complacente

 permite a conjunção carnal sem se


romper
 10% dos hímens são complacentes

 conceito relativo pois depende da

relação espessura do pênis e largura


da vagina
Considerações periciais sobre o hímen

 Geralmente se rompe na primeira


conjunção carnal
 Pode ocorrer rompimento na
• masturbação
• colocação de corpo estranho
• Colocação de absorvente íntimo
 O seu exame não constitui tarefa pericial
fácil, podendo levar o perito a equívocos
 O exame macroscópico, sem colposcópio,
falha em 10% dos casos
Considerações periciais sobre o hímen
Dificuldades periciais:

1. Hímens de difícil exame:


 Infantis
 Franjados
 Complacentes
1. Diagnóstico diferencial entre:
 roturas completas, incompletas e entalhes
congênitos
 roturas recentes e cicatrizadas
1. Reconhecimento de vestígios indicativos
de
 cópula vulvar
 toque digital
Mulher com vida sexual pregressa
 A Perícia deve buscar provas de
ejaculação (sêmen)

1. Presença de espermatozóides no
líquido seminal
2. Fosfatase ácida (indício)
3. Proteína P30 (PSA)
Fosfatase Ácida
 É uma enzima normalmente presente em
alguns órgãos, tecidos e secreções em
teor normal

 O líquido seminal contém grandes teores


de fosfatase ácida

 O achado de altos teores de fosfatase


ácida na vagina é indicativo de sêmen
(ejaculação) e, por conseguinte, de
conjunção carnal (penetração vaginal)
Teste Proteína P30 (PSA)
 A P30 é uma glucoproteína produzida pela
próstata e idêntica ao PSA - Antígeno Prostático
Específico (marcador do câncer da próstata), cuja
presença no sêmen independe de haver ou não
espermatozóides

 Sua verificação no fluído vaginal é teste de


certeza quanto à presença de sêmen na amostra
estudada (ejaculação)

Obs.: Pode ocorrer estupro sem que tenha havido


ejaculação (sem sêmen) ou o sêmen encontrado
na vítima pode ser oriundo de penetração
consensual anterior
Lesões genitais
 Lesões genitais (contusões,
lacerações), decorrentes da
• violência da penetração
• desproporção de tamanho entre pênis e
vulva e vagina (no caso de crianças)
 podem fundamentar o diagnóstico
de
• conjunção carnal
• ato libidinoso
Pêlos genitais
•Pêlos pubianos soltos encontrados
na região pubiana
na região vulvar
sobre o corpo da vítima
na roupa íntima ou de cama

desde que comprovada sua origem


como sendo de outra pessoa, é
indicativo de relação sexual

Manchas de sêmen
•Quando presente nas vestes, em roupas íntimas ou
de cama, constituem achado comum e importante da
ocorrência de crimes de natureza sexual
Mulher com vida sexual pregressa
 O diagnóstico de maior certeza consiste na
confirmação da presença do elemento
figurado do esperma (espermatozóide)

 A constatação da presença de um único


espermatozóide em cavidade vaginal é
prova de conjunção carnal

 A confirmação da presença do esperma


(sêmen) na cavidade vaginal é importante
no diagnóstico da conjunção carnal nos
casos de hímen complacente ou de
desvirginadas
Testes para identificar esperma

 Reação de Florence
 Métodos de Barbério e de Bacchi

 Presença de Fosfatase Ácida

(orientação)
 Glicoproteína P30/PSA (certeza)
Espermatozóides
 A presença de sêmen na vagina é
confirmada em amostras de fluído vaginal
pelo achado de espermatozóides
• bastando apenas um ou poucos deles
• móveis ou não
• com ou sem cauda

 A coleta deve ser cuidadosa (swab =


cotonete) com exames a fresco e com
coloração pela Técnica Christmas Tree ou
hematoxilina-eosina
Gravidez

 A conjunção carnal poderá também


ser comprovada com base na
constatação de gravidez

 O prazo máximo legal da gravidez é


de 300 dias
ABORTO

 Considera-se aborto, em Medicina


Legal, a interrupção da gravidez,
por morte do concepto em qualquer
época da gestação, antes do parto

 Para se caracterizar o aborto é


necessário e suficiente que se
comprove a morte do concepto
ainda dentro do corpo da gestante
INFANTICÍDIO
 É a morte do recém-nascido provocada pela própria mãe,
sob estado de transtorno mental, decorrente do trabalho
de parto ou puerpério (estado puerperal)

 Para se admitir o infanticídio, é indispensável que o


recém-nascido seja morto pela própria mãe

 Para se tipificar o infanticídio é indispensável, em tese, a


comprovação do nascimento com vida

 A docimásia hidrostática de Galeno é utilizada para


comprovar o nascimento com vida (pulmão colocado
em vasilha com água, se flutuar existiu respiração =
vida)

 A positividade das docimásias de Galeno depende,


essencialmente da respiração do feto, ao nascer
Objetivos periciais no estupro

1. Demonstrar a conjunção carnal ou


penetração vaginal

2. A ausência de consentimento, pelos


sinais de violência efetiva ou
presumida

3. Se possível, obter uma relação de


provas biológicas que permitam
identificar o estuprador
Atentado violento ao pudor

Art. 214. “Constranger alguém,


mediante violência ou grave ameaça,
a praticar ou permitir que com ele se
pratique ato libidinoso diverso da
conjunção carnal”.
Atentado violento ao pudor

 formas mais freqüentes:


• retal (sodomia)
• bucal (felação)
• comumente associadas ao estupro
• às vezes com participação de mais de
um agente
• não raro seguindo-se homicídio
Atentado violento ao pudor
Objetivos Periciais:

1. Caracterizar o ato libidinoso


2. Comprovar a violência efetiva ou
presumida
3. Se possível obter uma relação de
provas biológicas que permitam
identificar o agente
Transtornos da sexualidade

 distúrbios qualitativos ou
quantitativos do instinto sexual
 chamados de parafilias

 pode ser sintoma de:

• perturbação psíquica
• fatores orgânicos glandulares ou
• simplesmente questão de preferência
sexual
Transtornos da sexualidade

1. Anafrodisia. É a diminuição ou
deterioração do instinto sexual no
homem devido, geralmente, a uma
doença nervosa ou glandular

2. Frigidez. Distúrbio do instinto sexual que


se caracteriza pela diminuição do apetite
sexual na mulher

3. Anorgasmia. Disfunção sexual rara


caracterizando-se pela condição de o
homem não alcançar o orgasmo
Transtornos da sexualidade
4. Erotismo. Tendência abusiva dos atos
sexuais. (satirismo nos homens e
ninfomania nas mulheres)

5. Auto-erotismo. Coito sem parceiro, apenas


na contemplação ou na presença da pessoa
amada (coito Psíquico de Hammond)

6. Erotomania. Forma mórbida de erotismo no


qual o indivíduo é levado por uma idéia fixa
de amor e tudo nele gira em torno dessa
paixão, que domina e avassala todos os seus
instantes
Transtornos da sexualidade
7. Frotteurismo. É um desvio da sexualidade em
que os indivíduos se aproveitam de
aglomerações em transportes públicos ou em
outros locais de aglomeração com o objetivo de
esfregar ou encostar seus órgãos genitais,
principalmente em mulheres, sem que a outra
pessoa ou identifique suas intenções

8. Exibicionismo. São indivíduos levados pela


obsessão impulsiva de mostrar seus órgãos
genitais, sem convite para a cópula, apenas por
um estranho prazer incontrolável

9. Narcisismo. É a admiração pelo próprio corpo ou


o culto exagerado da própria personalidade e
cuja excitação sexual tem como referência o
próprio corpo
Transtornos da sexualidade
10. Mixoxcopia. É um transtorno da preferência
sexual que se caracteriza pelo prazer erótico
despertado em certos indivíduos em presenciar o
coito de terceiros. Na França são chamados de
Voyeurs

11. Fetichismo. Amor por uma determinada parte do


corpo ou por objetos pertencentes à pessoa
amada

12. Lubricidade senil. Manifestação sexual


exagerada, em determinadas idades, sendo
sempre sinal de perturbações patológicas, como
demência senil ou paralisia geral progressiva.
Costuma surgir em pessoas cuja longa existência
foi honesta e correta
Transtornos da sexualidade
13. Pluralismo. Também chamado de
troilismo ou “ménage à trois”. Consiste
na prática sexual em que participam três
ou mais pessoas. No Brasil é chamado de
suruba

14. Swapping. Prática heterossexual que se


realiza entre integrantes de dois ou mais
casais. Conhecido como troca de casais

15. Gerontofilia. Também chamada crono-


inversão. Consiste na atração de
indivíduos jovens por pessoas de
excessiva idade
Transtornos da sexualidade
16. Cromo-inversão. Seria a propensão
erótica de certos indivíduos por outros de
cor diferente. Torna-se grave quando se
torna obsessivo e compulsivo

17. Etno-inversão. É uma variante da


anterior sendo a manifestação erótica por
pessoas de raças diferentes

18. Riparofilia. Manifesta-se pela atração de


certos indivíduos por pessoas
desasseadas, sujas, de baixa condição
social e higiênica. Mais comum no
homem
Transtornos da sexualidade
19. Dolismo. Termo vem de “doll” (boneca). É a
atração que o indivíduo tem por bonecas e
manequins, olhando ou exibindo-as, chegando a
ter relações com ela

20. Donjuanismo. Personalidade que se manifesta


compulsivamente às conquista amorosas,
sempre de maneira ruidosa e exibicionista

21. Travestismo. Ocorre em indivíduos


heterossexuais que se sentem impelidos a
vestir-se com roupas do sexo oposto, fato este
que lhe rende gratificação sexual.
Transtornos da sexualidade
22. Urolagnia. Consiste na excitação de ver alguém
no ato da micção ou apenas em ouvir o ruído da
urina ou ainda urinando sobre a parceira ou esta
sobre o parceiro

23. Coprofilia. É a perversão em que o ato sexual se


prende ao ato da defecação ou ao contato das
próprias fezes. Observar o ato de defecar causa
excitação à estas pessoas

24. Clismafilia. Preferência sexual pelo prazer obtido


pelo indivíduo que e introduz ou faz introduzir
grande quantidade de água ou líquidos no reto,
sob a forma de enema ou lavagem
Transtornos da sexualidade
25. Coprolalia. Consiste na necessidade de
alguns indivíduos em proferir ou ouvir de
alguém palavras obscenas a fim de
excitá-los. Podem ser ditas antes ou
depois do coito no intuito de alcançarem
o orgasmo

26. Edipismo. É a tendência ao incesto, isto


é, o impulso do ato sexual com parentes
próximos

27. Bestialismo. Chamado também de


zoofilismo, é a satisfação sexual com
animais domésticos
Transtornos da sexualidade
28. Onanismo. É o impulso obsessivo à
excitação dos órgãos sexuais, comum na
puberdade. É a masturbação, atribuindo
o nome de Onan, personagem bíblico que
nada tinha a ver com a masturbação

29. Vampirismo. Satisfação erótica quando


na presença de certa quantidade de
sangue, ou, em algumas vezes, obtida
através de mordeduras na região lateral
do pescoço

30. Necrofilia. Manifesta-se pela obsessão e


impulso de praticar atos sexuais com
cadáveres
Transtornos da sexualidade
31. Sadismo. Desejo e dor com o sofrimento
da pessoa amada, exercido pela
crueldade do pervertido, podendo chegar
à morte. Também chamado de algolagnia
ativa

32. Masoquismo. É a busca de prazer sexual


pelo sofrimento físico ou moral. Também
chamado de algolagnia passiva

33. Pigmalionismo. É o amor desvairado


pelas estátuas. Difere muito pouco do
dolismo
Transtornos da sexualidade
34. Pedofilia. Perversão sexual que se manifesta pela
predileção erótica por crianças, indo desde os
atos obscenos até a prática de atos libidinosos,
denotando comprometimento psíquico

35. Homossexualismo masculino. Também chamado


de uranismo ou pederastia

36. Homossexualismo feminino. Também chamado


safismo, lesbianismo ou tribadismo

37. Transexualismo. É um transtorno da identidade


sexual, também chamado de síndrome disforia
sexual
IMPOTÊNCIA SEXUAL
 É a incapacidade da realização do ato
sexual necessário à procriação e à
preservação da espécie
 COEUNDI: normalmente aplicada a ambos
os sexos por defeitos genéricos
 GENERANDI: típica masculina
-incapacidade de fertilização (gerar
descendência)
 CONCIPIENDI: típica feminina
-incapacidade de concepção (conceber)
IMPOTÊNCIAS MASCULINAS
 COEUNDI: compromete a capacidade
de conjugação. Tem como causas:
• INSTRUMENTAL: defeitos do órgão em
si, relativos ao volume, tamanho ou
ausência do órgão ou presença de
tumores
• FUNCIONAL: defeitos no funcionamento
do órgão (disfunção erétil):
 ORGANOFUNCIONAL:
• Fisiológica: idade
• Fisiopática: disfunções endócrinas
• Orgânica: doenças físicas (lesões nervosas)
 PSICOFUNCIONAL: alterações psíquicas –
inibição sexual inconsciente
IMPOTÊNCIAS MASCULINAS

 CONCIPIENDI ou GENERANDI =
ESTERILIDADE: impossibilidade de
procriação

 PSEUDO-IMPOTÊNCIA: (impotência
emocional): são fracassos sexuais
passageiros motivados pelo
nervosismo, desejos prolongados ou
timidez excessiva
IMPOTÊNCIAS FEMININAS
 COEUNDI: compromete a capacidade
de copulação. Tem como causas:
• INSTRUMENTAL: defeitos da genitália
externa: malformações,
hermafroditismo, infantilismo ou
presença de tumores
• FUNCIONAL: pela configuração da
genitália, torna-se difícil a separação
entre as causas físicas e as psíquicas
pois ambas se manifestam como parte
do desenvolvimento sexual feminino
IMPOTÊNCIAS FEMININAS
 ALTERAÇÕES DO COMPORTAMENTO SEXUAL:

• ACOPULIA: inaptidão para conjunção carnal pela


associação de defeito instrumental, associado ao
temor da própria relação
• COITOFOBIA: repugnância sistemática e
intransponível ao ato sexual (possíveis causas:
cultural, religiosa, educacional, traumas familiares,
“Electra”)
• FRIGIDEZ: incapacidade absoluta de responder aos
estímulos erógenos ou sexuais para a realização
do ato sexual ou incapacidade para o orgasmo
• VAGINISMO: contratura espástica, involuntária,
dolorosa, intensa e duradoura impedindo a
penetração ou mesmo aprisionando o pênis em seu
interior
• DISPAURENIA: sensação dolorosa durante o ato ou
na conjunção carnal
IMPOTÊNCIAS FEMININAS

 CONCIPIENDI: é a esterilidade feminina por


incapacidade de conceber ou desenvolver o feto
• CONGÊNITA: agenesia de órgãos do aparelho
reprodutor ou infantilismo
• PATOLÓGICAS: doenças infecciosas, venéreas,
metabólicas, hormonais, obstrutivas, tumorais,
inflamações agudas ou crônicas do trato
genital ou urinário
• FISIOLÓGICAS: impurbedade, menopausa
retroversão do útero e dismenorréias
Questões de sexologia

1. Em casos de estupro a violência é


presumida quando a vítima:
a) Tem menos de 18 anos.

b) Tem rotura recente do hímen.

c) Tem ferimentos variados no


pescoço, tórax, abdome e coxa.
d) Tem alienação mental.
Questões de sexologia
2. A ruptura do hímen é produzida:
a) Exclusivamente pela conjunção

carnal.
b) Nunca por masturbação manual.

c) Nunca por problemas patológicos.


d) Às vezes por traumatismos
perineais.
Questões de sexologia
3. Os cristais de Florence são
encontrados nas perícias médico-
legais de:
a) Leite.

b) Sangue.

c) Urina.
d) Esperma.
Questões de sexologia
4. Não se pode afirmar que:
a) A ruptura himenal recente é aceita como
prova de conjunção carnal.
b) Constatada a gravidez houve conjunção
carnal.
c) Verificada a presença de esperma no
interior da vagina, pode-se admitir a
ocorrência de conjunção carnal.
d) A integridade do hímen afasta
definitivamente a possibilidade de ter
ocorrido conjunção carnal.
Questões de sexologia
5. Cristais de Barbério são observados
na identificação de manchas de:
a) Sangue.

b) Saliva.

c) Secreção vaginal.
d) Esperma.
Questões de sexologia
6. É falsa a seguinte afirmação:
a) A presença de esperma dentro da vagina
é considerada prova de certeza de
conjunção carnal.
b) Escoriações e equimoses nas raízes das
coxas e na vulva são sugestivas de
violência sexual.
c) Para caracterizar-se o estupro é
necessário comprovar-se a ocorrência de
conjunção carnal.
d) A integridade do hímen é prova de que
não houve conjunção carnal.
Questões de sexologia
7. Em Medicina legal a dosagem de
fosfatase ácida é indicada na
pesquisa de:
a) Sangue.

b) Saliva.

c) Leite.
d) Esperma.
Questões de sexologia
8. À simples constatação de que o hímen
está íntegro, o médico legista não pode
afirmar que:
a) Pode ter ocorrido conjunção sexual.

b) Pode não ter ocorrido conjunção sexual

c) A mulher pode ser virgem.


d) Certamente não houve conjunção
carnal.
Questões de sexologia
9. Assinale a proposição incorreta:
a) A conjunção carnal implica a introdução
do pênis na vagina.
b) Constatada a presença de esperma no
fundo da vagina, firma-se a convicção de
que houve conjunção carnal.
c) Indivíduos do sexo masculino podem,
também ser vítima de ato libidinoso com
violência.
d) A integridade do hímen é prova definitiva
de virgindade.
Questões de sexologia
10. Alta concentração de fosfatase
ácida no interior da vagina revela:
a) Gravidez.

b) Aborto recente.

c) Parto recente.
d) Presença de líquido espermático.
Questões de sexologia
11. Hímen verdadeiramente complacente é
aquele que:
a) Não se contrai durante a penetração do
pênis.
b) Se refaz espontaneamente após a
conjunção carnal.
c) Não se rompe durante o parto normal.
d) Não se rompe durante a conjunção
carnal.
Questões de sexologia
 Os cristais de Florence são encontrados nas perícias médico-legais
de material retirado (material examinado) de manchas de:
(questão parecida foi também formulada no DP 1/94).
R. Esperma.

 Os cristais de Florence indicam que o material examinado é:


R. Provavelmente esperma.

 Para diagnóstico de certeza, na pesquisa de espermatozóide,


emprega-se:
R. A reação de Florence.

 As reações de Florence e Barbério são as mais correntes para a


pesquisa de:
R. Esperma.

 Cristais de Barbério são observados na identificação de manchas


de:
R. Esperma. Os cristais de Florence indicam que o material
examinado é provavelmente esperma.
Questões de sexologia
 Ao examinar manchas nas roupas de um cadáver
encontrado em terreno baldio, o perito pesquisou,
preliminarmente, a formação de Cristais de Barbério.
Ora, partiu-se da suposição de que a mancha era de:
R. Esperma.

 Nos casos em que não é encontrado espermatozóide na


secreção colhida da vagina de uma mulher vítima de
estupro, será necessária para a caracterização de
esperma no material enviado para exame a reação de:
R. Florence e Barbério.

 Alta concentração de fosfatase ácida no interior da vagina


revela:
R. Presença de líquido espermático.

 A dosagem de fosfatase ácida na identificação de


esperma constitui uma prova de:
R. Probabilidade.
Questões de sexologia
 A dosagem de fosfatase ácida em material colhido na
vagina é realizado com o objetivo de se comprovar:
R. A presença de esperma.

 A dosagem de fosfatase ácida, na vagina, tem como


objetivo, em Sexologia Forense, verificar:
R. A presença de esperma.

 Em Medicina Legal, a dosagem de fosfatase ácida é


indicada na pesquisa de: (questão formulada também no
DP 3/89 e no 1/94 que foi anulado).
R. Esperma.

 Uma pessoa de sexo genético, feminino, com


configuração somática feminina, que psicologicamente se
sente homem e como tal se considera e não mulher sofre
de:
R. Transexualismo.
Questões de sexologia
 Está mais intimamente vinculado ao ultraje público ao
pudor o desvio de conduta sexual denominado:
R. Exibicionismo.

 O prazo máximo legal da gravidez é de:


R. 300 dias.

 Aquela pessoa envolvida na morte do famoso joalheiro


era, na verdade, hermafrodita, pois possuía:
R. Simultaneamente testículos e ovários.

 De acordo com o critério usual para classificação da


impotência feminina, a incapacidade procriadora feminina
denomina-se:
R. Concipiendi.

 De acordo com o critério usual para classificação da


impotência masculina a incapacidade procriadora
masculina denomina-se:
R. Generandi.
Questões de sexologia
 A impotência coeundi masculina:
R. Instrumental ou funcional, dependendo do caso
específico.

 A impotência coeundi masculina resulta:


R. Na incapacidade de realizar a conjunção carnal.

 A anulação do vínculo matrimonial pode ser feita


pela constatação de:
R. Impotência coeundi.

 Um indivíduo com impotência coeundi:


R. Não é estéril, mas não é capaz de realizar a
conjunção carnal.

 A impotência coeundi:
R. Não é exclusiva de nenhum dos sexos, ou seja,
homem e mulher podem ser portadores.
Questões de sexologia
 Constitui conjunção carnal, em Medicina Legal:
R. A introdução total ou mesmo parcial do pênis na vagina.

 É etiologia mais freqüente nas rupturas himenais:


R. A conjunção carnal.

 De acordo com diversos autores, a cicatrização completa


de uma ruptura himenal, decorrente de conjunção carnal
demora, no máximo, ao redor de:
R. 20 dias.

 Entre os sinais de convicção, ditos também de certeza,


de conjunção carnal, não incluímos:
R. Escoriações na vulva.

 A ruptura do hímen é produzida:


R. Às vezes por traumatismos perineais.
Questões de sexologia
 A presença de esperma dentro da vagina é considerada
prova de certeza de conjunção carnal. (verdadeira)

 Escoriações e equimoses nas raízes das coxas e na vulva


são sugestivas de violência sexual. (verdadeira)

 A integridade do hímen é prova de que não houve


conjunção carnal. (falsa)

 Para caracterizar-se o estupro é necessário comprovar-se


a ocorrência de conjunção carnal. (verdadeira)

 A constatação de ruptura recente do hímen em perícia


médico-legal no caso de queixa de sedução:
R. Constitui fundamento para uma presunção, iuris tantum,
de conjunção carnal.

 O nome clássico de carúncula mirtiforme é dado:


R. Ao hímen que fica reduzido a pequenos brotos cicatriciais.
Questões de sexologia
 Hímen verdadeiramente complacente é aquele que:
R. Não se rompe durante a conjunção carnal.

 Hímen verdadeiramente complacente é aquele que:


(questão parecida foi formulada no DP 4/93).
R. Mantém sua integridade à conjunção carnal, ou seja,
permite a penetração do pênis sem se romper.

 Puerpério é:
R. Um período normal, durante o qual a mulher se refaz das
alterações ocorridas em seu organismo devido à gravidez e
ao parto.

 A menarca é prenúncio do amadurecimento sexual:


R. Da mulher.

 Safismo é: (questão formulada também no DP 2/92).


R. Uma modalidade de homossexualismo.
Questões de sexologia
 Mixoscopia é um desvio de conduta sexual, que
consiste na obtenção do orgasmo por: (questão
parecida foi formulada no DP 5/93 e 1/94 que foi
anulado).
R. Observação de ato sexual alheio.

 Fetichismo, desvio de conduta sexual que pode


levar ao crime, consiste na obtenção de prazer
pela:
R. Posse de certos objetos da pessoa amada ou
desejada.

 Necrofilia ou vampirismo é um distúrbio do


instinto sexual que leva ao delito de:
R. Vilipêndio a cadáver.
Questões de sexologia
 Entende-se por pedofilia a: (questão formulada
também no DP 2/91 e 1/94
R. Atração sexual por crianças.

 Um indivíduo que sofre de pedofilia sente-se


atraído, sexualmente, em particular:
R. Crianças.

 Constitui sodomia:
R. O coito anal.

 Riparofilia é um distúrbio da sexualidade,


manifestada pela:
R. Atração sexual por mulheres desasseadas,
sujas, de baixa condição social e higiene.
Questões de sexologia
 A perversão sexual, em que o indivíduo encontra
satisfação sexual fazendo sofrer a outrem, é
denominada:
R. Sadismo.

 Alega-se o estado puerperal:


R. No infanticídio.

 O infanticídio, delito que merece um tratamento


particular no Código Penal Brasileiro é:
R. A morte do recém-nascido provocada pela própria mãe,
sob estado de transtorno mental, decorrente do trabalho
de parto ou puerpério.

 Para se admitir o infanticídio, é indispensável que o:


R. Recém-nascido seja morto pela própria mãe.

 Para se tipificar o infanticídio é dispensável, em tese, a:


R. Comprovação do nascimento com vida.
Questões de sexologia
 Utilizam-se as docimásias de Galeno nos casos de:
questão formulada também no DP 2/92).
R. Infanticídio.

 A positividade das docimásias de Galeno depende,


essencialmente: (questão formulada também no DP
7/93).
R. Da respiração do feto, ao nascer.

 Por meio das docimásias hidrostáticas de Galeno, o


médico-legista:
R. Comprova o nascimento com vida.

 A docimásia hidrostática de Galeno é utilizada para


comprovar:
R. O nascimento com vida.
Questões de sexologia
 Por abortamento entende-se:
R. A morte do concepto no útero materno,
independentemente da idade gestacional do mesmo.

 O aborto provocado:
R. Pode ser acidental.

 Em medicina Legal, para se caracterizar o aborto:


R. É necessário e suficiente que se comprove a morte do
concepto ainda dentro do corpo da gestante.

 Em Medicina Legal, conceitua-se o aborto como a


interrupção da gravidez, por morte do concepto:
R. Em qualquer fase da gestação.
Questões de sexologia
 Considera-se aborto, em Medicina Legal, a interrupção da
gravidez, por morte do concepto: (questão formulada
também no DP 2/92).
R. Em qualquer época da gestação, antes do parto.

 A docimásia hidrostática de Galeno é utilizada para


comprovar:
R. O nascimento com vida.

 Em casos de estupro, a violência é presumida quando a


vítima:
R. Tem alienação mental.

 Há uma presunção “iuris et de iure” de violência quando


se pratica a conjunção carnal com mulher:
R. Alienada mental, qualquer que seja sua idade.