Sei sulla pagina 1di 8

Estudo do texto narrativo 1

José Manuel Martins Cobrado


O TEXTO NARRATIVO
O texto narrativo é o relato de uma história, real ou imaginária, contada
(narrada) por um narrador, cujas personagens se envolvem numa acção que
decorre num determinado espaço, durante certo período de tempo.
Neste tipo de texto, pode surgir a narração, a descrição, o diálogo e mesmo
algumas reflexões ( são os chamados modos de expressão).

É uma forma de comunicação, literária ou não literária, que tem por finalidade
relatar um ou mais acontecimentos.

Segundo Harry Shaw, a narração ou narrativa é uma forma de discurso o qual


se exemplifica em história, notícias de jornais, biografias, autobiografias,
anedotas, contos, fábulas, lendas, novelas, romances, epopeias. É dinâmica,
com predomínio do verbo no pretérito perfeito, na 3ª pessoa.

No processo narrativo, distinguimos: o narrador, o narratário (destinatário ou


leitor) e o sujeito de quem se fala.

O NARRADOR é alguém que o criador da obra literária põe a contar a história:

- Conhecimento omnisciente – o
narrador sabe tudo o que diz
respeito às acções.
- Conhecimento interno – o
CIÊNCIA narrador, na sua ciência, está com
DO e como a personagem. Pode tomar
NARRADOR posição – é subjectivo.
- Conhecimento externo - o
narrador informa, apenas, os
aspectos exteriores e não toma
posição – é objectivo.

- Como protagonista (personagem


PARTICIPANTE principal) – narração na 1ª pessoa
Dentro – autodiegético.
- Como personagem secundária –
homodiegético.
PRESENÇA
DO É observador.
NARRADOR NÃO PARTICIPANTE
Fora Narração na 3ª pessoa –
heterodiegético.
Objectivo – limita-se a
POSIÇÃO narrar friamente os
acontecimentos.
DO Subjectivo – narra os
NARRADOR acontecimentos
declarando ou sugerindo
a sua posição.

Estudo do texto narrativo 2


José Manuel Martins Cobrado
AS CATEGORIAS DA NARRATIVA

A ACÇÃO
(intriga, diegese,
história):
- Central ou principal – é o
Relevo acontecimento principal.
- Secundária – são acontecimentos
de menor importância.

- Fechada – acção solucionada até


Delimitação ao pormenor.
- Aberta – acção não solucionada

- Encadeamento – ordenação
Organização cronológica das acções.
das - Alternância – entrelaçamento das
sequências acções.
narrativas - Encaixe – introdução de uma acção
noutra.

PERSONAGENS: - Central ou principal – personagem à


volta da qual a acção se desenrola,
individual ou colectiva.
- Secundária – personagem de menor
Relevo importância para a acção, adjuvantes
ou oponentes.
- Figurante – não participa, apenas é
referida.

- Directa – através de palavras da


personagem acerca de si própria, de
Processo palavras de outras personagens, de
de afirmações do narrador.
caracterização - Indirecta – deduções do leitor acerca
da personagem, a partir de atitudes ou
acções da mesma.

- Físico – características físicas, idade,


Retrato vestuário.
- Psicológico – carácter,
personalidade.

Densidade - Tipos ou planas (por vezes


psicológica caricaturas) – não têm individualidade
própria; representam grupos sociais…
- Redondas – são individualizadas.

Estudo do texto narrativo 3


José Manuel Martins Cobrado
ESPAÇO: - Físico – lugar onde a acção se realiza
- Psicológico – o lugar do pensamento e
(onde?) emoção das personagens
Lugar ou - Social – o meio social a que pertencem e onde
lugares onde se deslocam as personagens.
decorre a acção

TEMPO: - Cronológico – marcas da Analepse – recuo no


passagem do tempo (dia, tempo.
(quando?) mês, ano, século, etc. Prolepse – avanço
no tempo.
- Psicológico – o tempo
sentido pelas personagens.

Tempo ou - Histórico – enquadra-


tempos em que dramento histórico das
decorre a acção acções.

MODOS DE EXPRESSÃO: - Narração – é o relato de


acontecimentos, é um momento de
avanço da acção (núcleos ou
cardinais). Predominam os verbos.
- Descrição – é o descrever de
personagens, lugares, objectos, etc.
São momentos de pausa (catálises)
Predominam os adjectivos e os
nomes.
- Diálogo – é a fala entre duas ou
mais personagens.

Estudo do texto narrativo 4


José Manuel Martins Cobrado
ORGANIZAÇÃO DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS:

1- Encadeamento: As sequências entrelaçam-se sucessivamente.

A B C D E F G
A não contém B
B não contém A

2- Encaixe: quando numa narrativa principal está ou estão contidas outras


secundárias.

A
A contém B
B B contém A

3- Alternância: quando o narrador deixa um assunto para introduzir outro, sem


pôr de parte o anterior, de forma que, no fim, todos se juntam.

A B C
A contém BC
C contém B

Estudo do texto narrativo 5


José Manuel Martins Cobrado
A CARTA
Quando queremos comunicar com amigos, familiares, que estão longe,
podemos fazê-lo de vários modos, um deles é através da carta. Se quisermos
oferecer um produto, pedir uma informação, utilizaremos o mesmo meio, mas
com características diferentes. Há, pois, diversos tipos de cartas e têm regras
específicas.

Carta pessoal Carta comercial

Livraria CVG
Meleças, 20 de Setembro de 2007 Av. Dr. João António Nabais, 71/73
Meleças
2605-045 Belas
Olá Margarida,
Exmos. Srs.
Então como tens passado? Essas férias António & Joel Lda.
Avenida Roma, 15
passaram-se numa boa? As minhas foram óptimas, 1100 Lisboa
mas agora regressei ao Colégio.
Hoje foi um dia especial, pois reencontrei os S/ref. S/comum. N/ref. Meleças
meus antigos colegas. Foi só matar saudades, mas 2/1 1./09/ 07 11/1 20/09/07
o horário é que não é para brincadeira e os livros,
nem imaginas, pesam toneladas! Assunto: Encomenda de livros
Olha, parece que tenho uns profs porreiros, mas Exmos. Srs.
é só o princípio!
E a tua nova escola? Já arranjaste amigos? Acusamos a recepção da carta de V.
Conta-me depressa as novidades, pois daqui a uns Exas., donde retirámos a encomenda de
livros que nesta data lhe enviamos.
tempos começam os testes e não é fácil arranjar Incluso encontrarão V. Exas. a
tempo para tanta conversa. respectiva factura no montante de 100
Dá cumprimentos aos teus pais e irmão. Para euros.
ti, carradas de beijocas. Com a melhor consideração
D. V. Exas.
A sempre amiga Atentamente
Clara O Responsável

- A data aparece à direita da folha, na ___________


(assinatura)
parte superior.
- No canto superior esquerdo, deve
- Depois, escreve-se a saudação,
indicar-se o nome do remetente e no
segundo a relação que se mantém
superior direito, mais abaixo, o do
com o destinatário.
destinatário.
- Usa-se uma linguagem simples,
- No corpo da carta, deve usar-se
clara e coloquial.
uma linguagem elaborada de acordo
- A despedida está de acordo com a
com o nível do destinatário.
saudação.
- A fórmula de despedida é seguida
- Assina-se à direita.
pela assinatura do remetente e cargo
que exerce.

Estudo do texto narrativo 6


José Manuel Martins Cobrado
COLÉGIO VASCO DA GAMA
Língua Portuguesa
TRABALHO DE GRUPO E INDIVIDUAL SOBRE A NARRATIVA
PLANO
NOME: __________________ TURMA: __Nº: _ 7º ANO

I - CONTEXTUALIZAÇÃO
"Para atender às diferentes características dos alunos e das tarefas em que se
ocupam, o professor deve prever modos flexíveis de organização que permitam
formas distintas de interacção na turma: professor/turma, professor/pequeno grupo,
professor/aluno, aluno(s)/turma, aluno/pequeno grupo, aluno/aluno."
In Programa de Língua Portuguesa do Ministério da Educação

É, pois, neste clima de aula em que se aceitam e integram diferenças pessoais


e culturais e em que desejo que prevaleça a confiança e respeito mútuos, em ordem
ao desenvolvimento de condutas autónomas e de cooperação, que proponho a
execução das seguintes actividades no âmbito do estudo da narrativa, tendo como
ponto de partida "O Cavaleiro da Dinamarca".

Antes do trabalho de grupo e individual, procura ler o livro e assinalar os


seguintes pontos:

1- VIAJAR COM AS PERSONAGENS


Identifica a (s) personagem (s) principal (s) e secundárias do conto.
Caracteriza a (s) personagem (s) principal (s).

2- VIAJAR COM A ACÇÃO


Delimita e resume a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.
Procura ver se é uma narrativa aberta ou fechada, justificando a tua resposta.
Identifica núcleos e catálises, estabelecendo as respectivas diferenças
linguísticas.

3- VIAJAR COM O ESPAÇO E COM O TEMPO


Identifica os espaços principais e o tempo com expressões do conto.
Descobre a importância do tempo na acção.

4- VIAJAR COM O NARRADOR


Identifica os diferentes narradores e caracteriza os mesmos quanto à ciência e
quanto à presença.
Faz o levantamento de diferentes sensações (auditivas, tácteis, visuais,
olfactivas e cinéticas).

5- VIAJAR COM AS PALAVRAS (Trabalhos para entregar ao professor)

Trabalho individual:
Escreve uma carta em que o Cavaleiro conta à esposa, aos filhos e aos amigos
as impressões da sua longa viagem.
Trabalho de grupo: V. S. F. F.
Numa cartolina,
escrevam a biografia da autora e desenhem o percurso do Cavaleiro,
mencionando os locais, ilustrados com imagens e transcrições do conto.

Estudo do texto narrativo 7


José Manuel Martins Cobrado
II- CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

a) 60% do trabalho será avaliado progressivamente ao longo de 6 aulas


orientadas pelo professor, tendo em conta os seguintes critérios:
· cooperação na definição inicial do projecto
· partilha dos conhecimentos com os colegas
· respeito pela opinião dos colegas
· cumprimento das tarefas definidas pelo professor e pelo grupo
· informação recolhida
· material apresentado
· concretização e redacção dos textos
· a originalidade / criatividade
· a correcção linguística
· a organização e a apresentação.

b) Os restantes 40% terão em conta o trabalho individual.

c) O trabalho iniciar-se-á na última semana de Outubro e deverá ser entregue


ao professor no final da 1ª semana de Dezembro do ano 2007.

d) Material: o livro "O Cavaleiro da Dinamarca”, folhas A4 , cola, cartolina,


tesoura e USB.

e) O último teste do 1º período terá algumas questões sobre “O Cavaleiro da


Dinamarca”.

f) Elementos do grupo:

1 _____________ 2 ______________ 3 ______________ 4 _______________

Professor: _________________ Enc. de Educação: ___________________

Meleças, 20 de Outubro de 2007

Estudo do texto narrativo 8


José Manuel Martins Cobrado