Sei sulla pagina 1di 1

RAZÃO E SOCIEDADE

“Já trazes ao nascer a tua filosofia. As razões? Essas vêm posteriormente. Tal como
escolhe na chapelaria, a forma que mais te assente.” Mário Quintana.
A filosofia Hegeliana afirma que a história é formada pela razão. Nela, a razão determina
a política, condição social e econômica. Para Hegel, a razão é disjunta, seja qual for sua
época. Ainda nessa linha, a razão gera conflitos que são suscitados por desiguais formas
de razão. Os filósofos com concepção marxista discrepam dessa acepção, para eles a razão
é edificada, desenvolvida e mutável pela sociedade no decorrer de sua história. Ou seja, ela
é variável de várias variáveis que variam conforme as ideologias de uma sociedade ao longo
de seu progresso. Como exemplo, se após muitas intrigas, fosse possível agradar a gregos
e troianos, brotariam novas idéias que em seguida iriam conflitar americanos e soviéticos.
Então a razão é fruto das ideologias de sociedades, do conjunto de idéias,
pensamentos, que para Marx, se dá pela preponderância alcançada através da persuasão.
Partindo desse ponto, as sociedades são formadas por idéias iguais que formam sociedades
diferentes, conflitando-se e alterando a razão.
A teoria critica, divide a razão em duas modalidades: razão instrumental e ação
comunicativa, também citada como razão critica. A razão instrumental é a do mainstraim, o
underground. Ela trabalha com a dominação de massa instituindo o que é razão e deixando
de ser filosófica, é fundamentada por quem tem o poder, não permite o questionamento, a
contribuição e a liberdade. É o “agir estratégico” fazendo com que a sociedade acredite que
essa razão é criada pela própria coletividade. A ação comunicativa ou razão critica, propõe a
articulação de valores, elaborações de normas e questionamentos do mesmo, é diferente da
instrumental, pois não é técnico - cientifica, ela é filosófica, não prende o indivíduo ou
sociedade, ela liberta.
Compendiando, os conflitos sociais, condições econômicas, políticas e materiais alteram
a história, que quando superadas modificam a razão.

Fevereiro de 2009

¨*Autor: Maicon Bruno Maia Bentes.


Estudante de Direito e Psicologia.
Resumo de apresentação oral na matéria de Filosofia e Ética para a Psicologia.
Permitida reprodução desde que citada *fonte/autor.
“razão, sociedade, razão e sociedade, hegel, marx, filosofia, ideologia, razão
instrumental, razão comunicativa, razão técnica”