Sei sulla pagina 1di 7

Matemática

Prof: Pedro Paulo (Bay)


PARTE 10 – PARÁBOLA

ERRATA A parábola já foi estudada no 1º semestre, como sendo


o gráfico de uma função do 2º grau .
No entanto, desta vez vamos estudar a parábola
No material de elipse, as figuras 5 e 7 saíram erradas.
através da Geometria Analítica, que tem um enfoque
As figuras corretas estão abaixo:
mais geral para a parábola do que as funções do 2º
grau.

ELEMENTOS DA PARÁBOLA

Figura 5 – elipse com eixo maior vertical

Figura 1 – elementos da parábola

Na figura acima, estão representados os principais


elementos da parábola. São eles:

V: vértice da parábola;
F: foco da parábola:
d: reta diretriz da parábola;
d(F,d)=p: parâmetro da parábola;

A parábola também apresenta um eixo de simetria, que


é a reta que divide ela em duas partes iguais. O eixo de
simetria da parábola da Figura 1 é o eixo .

Obs:. Note que p representa uma medida de distância,


Figura 7 – elipse com centro fora da origem e eixo maior vertical logo p deve sempre ser um número positivo.

O erro é que nas figuras originais, os focos estavam A definição da hipérbole é a seguinte: ela é o conjunto
sobre o eixo menor, que era horizontal. dos pontos P tais que . Isso é verdade para

Na verdade, os focos SEMPRE estão sobre o eixo qualquer ponto sobre a parábola, em particular para o
maior! vértice V.

RECORDANDO Exemplo 1: Calcule a distância entre o vértice V e o


foco F da parábola.
Nas duas últimas aulas, nós estudamos a elipse e a
Solução: V está sobre a parábola .
hipérbole, que são duas curvas cônicas relativamente
parecidas. Por exemplo, ambas têm a mesma
No entanto,
expressão para a excentricidade, têm expressões
parecidas para a relação fundamental e têm equações
parecidas também.

No entanto, a parábola é uma curva cônica mais Resposta:


peculiar, sendo bem diferente da elipse e da hipérbole.

CASD Vestibulares Geometria Analítica 1


EQUAÇÃO DA PARÁBOLA Logo x não pode ser positivo! Isso é coerente com a
figura 3.

Exemplo 2: Qual é o parâmetro da parábola


?

Solução:

é uma parábola voltada para a esquerda. Então:

Resposta: o parâmetro de vale 4.

Exemplo 3: Se é uma parábola, ache:


a) o valor do parâmetro p
b) a equação da reta diretriz d
c) as coordenadas do foco F
Figura 2 – parábola com vértice na origem e eixo de simetria
horizontal, voltada para a direita Solução: a)

Agora que já vimos os elementos da parábola, vamos é uma parábola voltada para a direita. Então:
estudar a sua equação, que é a seguinte:

(parábola voltada para a direita)


Resposta: o parâmetro de vale 2.

b) A parábola é voltada para a direita, assim a reta


diretriz está à esquerda do vértice (que é a origem).
Logo a equação de d é:

Resposta: a equação da reta diretriz é

c) A parábola é voltada para a direita, assim o foco está


à direita do vértice (que é a origem). Logo as
coordenadas de F são:

Figura 3 – parábola com vértice na origem e eixo de simetria Resposta: as coordenadas do foco são
horizontal, voltada para a direita

(parábola voltada para a esquerda) EXCENTRICIDADE DA PARÁBOLA

As parábolas acima são parábolas com o vértice na Você se lembra de quando nós definimos a
origem e estão voltadas para a esquerda e para a excentricidade da elipse e da hipérbole?
direita (diferentemente das parábolas do Filipe, que são
voltadas para cima e para baixo). Essas parábolas Na elipse, nós concluímos que .
NÃO SÃO gráficos de função do 2º grau, pois a Na hipérbole, nós concluímos que .
equação delas tem em vez de .
Ficou a seguinte pergunta: quando vale 1?
Além disso, observe que há condição de existência
para o x em cada uma das parábolas acima. A única cônica que sobrou é a parábola. Assim, em
qualquer parábola, temos
 Se a equação da parábola é :
Assim, pode-se concluir que é possível identificar uma
cônica apenas sabendo a sua excentricidade!

Logo x não pode ser negativo! Isso é coerente com a Exemplo 4: Qual é a cônica cuja excentricidade é ?
figura 2.
Resposta: como , a cônica é uma elipse.
 Se a equação da parábola é :

2 Geometria Analítica CASD Vestibulares


Exemplo 5: Qual é a cônica cuja excentricidade é ?

Resposta: como , a cônica é uma hipérbole.

Exemplo 6: Qual é a cônica cuja excentricidade é ?

Resposta: como , a cônica é uma parábola.

INTERSEÇÃO DE CIRCUNFERÊNCIA COM


PARÁBOLA

A idéia básica para calcular a interseção entre duas


curvas é a mesma: se um ponto pertence à interseção
de uma circunferência com uma parábola, então ele
pertence à circunferência e pertence à parábola, logo
as suas coordenadas obedecem à equação da Figura 4 – parábola com eixo de simetria vertical e voltada para cima
circunferência e à equação da parábola. Assim, é
possível igualar o ‘x’ ou o ‘y’ nas duas equações e Comparando com as parábolas com eixo se simetria
resolver o problema. horizontal, é como se tivéssemos trocado o eixo x com
o eixo y. Assim, para obter a equação da parábola com
Exemplo 7: Ache a interseção entre a circunferência eixo de simetria vertical, basta trocar o ‘x’ com o ‘y’ na
e a parábola equação da parábola com eixo de simetria horizontal.

Solução: seja P um ponto de . Então: (parábola voltada para cima)

A princípio, encontramos dois valores para . No


entanto, como é uma parábola voltada para a direita,
tem-se que , logo . Assim:

Resposta: os pontos de são e . Figura 5 – parábola com eixo de simetria vertical e voltada para baixo

PARÁBOLA COM EIXO DE SIMETRIA (parábola voltada para baixo)


VERTICAL Além disso, observe que há condição de existência
para o y em cada uma das parábolas acima.
Na maioria dos casos, o eixo de simetria da parábola é
vertical. Isso quer dizer que a parábola está voltada  Se a equação da parábola é :
para cima ou para baixo, como as parábolas do
professor Filipe. Nesse caso, as parábolas são gráficos
de funções do 2º grau.
Logo y não pode ser negativo! Isso é coerente com a
figura 4.

 Se a equação da parábola é :

Logo y não pode ser positivo! Isso é coerente com a


figura 5.

CASD Vestibulares Geometria Analítica 3


É interessante notar que todas as parábolas têm um
foco e uma reta diretriz, mesmo que estejam voltadas
para cima ou para baixo.

Exemplo 8: Qual é o parâmetro da parábola


?

Solução:

é uma parábola voltada para baixo. Então:

Resposta: o parâmetro de vale 5.


Figura 6 – parábola com vértice fora origem e eixo de simetria
Exemplo 9: Se é uma parábola, ache: horizontal, voltada para a direita
a) o valor do parâmetro p
b) a equação da reta diretriz d
c) as coordenadas do foco F

Solução: a)

é uma parábola voltada para cima. Então:

Resposta: o parâmetro de vale

b) A parábola é voltada para cima, assim a reta diretriz Figura 7 – parábola com vértice fora origem e eixo de simetria
horizontal, voltada para a esquerda
está abaixo do vértice (que é a origem). Logo a
equação de d é:

Resposta: a equação da reta diretriz é

c) A parábola é voltada para cima, assim o foco está


acima do vértice (que é a origem). Logo as
coordenadas de F são:

Figura 8 – parábola com vértice fora origem e eixo de simetria


Resposta: as coordenadas do foco são vertical, voltada para cima

VÉRTICE FORA DA ORIGEM

Ao contrário da elipse e da hipérbole, em muitos casos


o vértice da parábola está fora da origem. É por isso
que a equação de muitas parábolas é
(em vez de simplesmente ),pois a equação de
uma parábola com o vértice fora da origem é um pouco
mais complicada.

Figura 9 – parábola com vértice fora origem e eixo de simetria


vertical, voltada para baixo

4 Geometria Analítica CASD Vestibulares


Seja o vértice da parábola. Então, a Quando o vértice da parábola é a origem, a sua
equação geral da parábola é: equação fica mais simples e se reduz a:

(parábola voltada para a (parábola voltada para a direita);


direita); (parábola voltada para a esquerda);
(parábola voltada para a (parábola voltada para cima);
esquerda); (parábola voltada para baixo);
(parábola voltada para cima);
(parábola voltada para Além disso, vimos que para qualquer parábola,
baixo);
Finalmente, vimos o método para determinar a
Exemplo 10: Seja . Encontre: interseção entre uma circunferência e uma parábola,
que é basicamente o mesmo que o método para
a) o vértice V da parábola; determinar a interseção entre duas curvas quaisquer.
b) o valor de p;
c) a equação da reta diretriz d; EXERCÍCIOS
d) o foco F;

Solução: 1) (UFF 2002) Na parede retangular de um palácio


renascentista, há um vitral circular e, acima dele, na
mesma parede, uma estreita faixa reta, conforme a
Comparando a equação de com a equação geral da figura:
parábola, tem-se que a parábola é voltada para baixo.
Além disso, através dessa comparação tem-se que:

Resposta: o vértice V da parábola é

b) Comparando a equação de com a equação geral


da parábola, tem-se que

Resposta: o valor de p é

c) A parábola é voltada para baixo, assim a reta diretriz


está acima do vértice. Logo a equação de d é:
Essa parede foi ornamentada com um elemento
decorativo em forma de uma curva que tem a seguinte
característica: cada ponto da curva está situado a igual
distância do centro do vitral e da faixa.
Pode-se afirmar que o elemento decorativo tem a forma
Resposta: a equação da reta diretriz é
de um arco:
c) A parábola é voltada para baixo, assim o foco está a) de elipse
abaixo do vértice. Logo as coordenadas de F são: b) de hipérbole
c) de parábola
d) de circunferência
e) de senoide

2) (UEL 2007) O vértice, o foco e a reta diretriz da


Resposta: as coordenadas do foco são 2
parábola de equação y = x são dados por:
a) Vértice: (0, 0); Foco: (0, 1/4); Reta diretriz y = -1/4
RESUMO b) Vértice: (0, 0); Foco: (0, 1/2); Reta diretriz y = -1/2
c) Vértice: (0, 0); Foco: (0, 1); Reta diretriz y = -1
Na aula de hoje, nós vimos os elementos da parábola e d) Vértice: (0, 0); Foco: (0, -1); Reta diretriz y = 1
as suas diferentes equações. A sua equação geral é: e) Vértice: (0, 0); Foco: (0, 2); Reta diretriz y = -2

(parábola voltada para a 2 2


3) (UFF 1997) As equações y - 2x = 0, y + x = 0 e y -
direita); 2
x + 1 = 0 representam no plano, respectivamente:
(parábola voltada para a
esquerda); a) uma reta, uma hipérbole e uma parábola
(parábola voltada para cima); b) uma parábola, uma hipérbole e uma reta
(parábola voltada para c) uma reta, uma parábola e uma elipse
baixo); d) uma elipse, uma parábola e uma hipérbole
e) uma reta, uma parábola e uma hipérbole
CASD Vestibulares Geometria Analítica 5
2
4) (PUC-MG 2006) A figura a seguir representa o corte 8) (UNIFESP 2006) A parábola y = x - nx + 2 tem
2
plano de uma pista de skate, cuja equação é y = ax . vértice no ponto (xn, yn).
O lugar geométrico dos vértices da parábola, quando n
varia no conjunto dos números reais, é
a) uma parábola.
b) uma elipse.
c) um ramo de uma hipérbole.
d) uma reta.
e) duas retas concorrentes.

9) (UFMG 1995) A reta s é paralela à reta de equação y


2
= 3x - 4 e intercepta a parábola de equação y = 2x - 3x
+ 5 no ponto de abscissa 1. A equação de s é
a) x + y - 5 = 0
b) x - y + 3 = 0
Considerando-se AO = OD = 5 m e AB = DC = 4 m, c) 3x - y + 1 = 0
pode-se afirmar que o valor do parâmetro a é: d) x + 3y - 11 = 0
a) 0,12 e) 3x + y - 7 = 0
b) 0,16
c) 0,20 10) (UFRJ 2004) Determine o comprimento do
d) 0,24 segmento cujas extremidades são os pontos de
2
interseção da reta y=x+1 com a parábola y=x .
5) (CESGRANRIO 1998) O gráfico que melhor
2 2
representa a curva de equação x + 16y = 16 é: 11) (UNIFESP 2004) Na figura, estão representados, no
plano cartesiano xOy, a reta de equação y = 2kx, 0 ≤ k
3 2
≤ , a parábola de equação y = - x + 3x e os pontos
2
O, P e Q de intersecções da parábola com o eixo Ox e
da reta com a parábola.

6) (PUC-MG 2003) O gráfico da curva de equação


2 2
(x /4) - (y /9) = 1 é uma:
a) circunferência.
b) elipse. Nestas condições, o valor de k para que a área do
c) hipérbole. triângulo OPQ seja a maior possível é:
d) parábola.
1
a) .
7) (UNESP 2004) O conjunto de todos os pontos P(x, y) 2
do plano, com y ≠ 0, para os quais x e y satisfazem a 3
2 b) .
equação sen [y/(x + 1)] = 0 é uma 4
a) família de parábolas. 9
b) família de circunferências centradas na origem. c) .
8
c) família de retas.
d) parábola passando pelo ponto Q(0,1). 11
d) .
e) circunferência centrada na origem. 8
3
e) .
2

6 Geometria Analítica CASD Vestibulares


12) (PUC-RJ 1999) O número de pontos de intersecção GABARITO
2 2
das duas parábolas y=x e y=2x -1 é:
a) 0.
b) 1. 1) C 2) A 3) E 4) B 5) C 6) C 7) A 8) A 9) C
c) 2.
d) 3. 10) 11) B 12) C 13) B 14) C 15) C
e) 4.
16) a) e b) ou 17) D
13) (UFF 1999) Uma reta r é paralela ao eixo x e
2 2
contém a interseção das parábolas y=(x-1) e y=(x-5) .
A equação de r é: ENTREGAR PARA O BAY
a) x = 3
b) y = 4 1) Seja . Encontre:
c) y = 3x
d) x = 4y a) o vértice V da parábola;
e) y = x/3 b) o valor de p;
c) a equação da reta diretriz d;
2 2
14) (PUC-MG 1997) Os gráficos das curvas x + y = 2 e
d) o foco F;
2 e) a circunferência de centro F e raio p;
y = x se interceptam nos pontos A e B. Os valores das
f) a interseção de com ;
abscissas de A e B são:
a) -1 e 0 2) Sejam e o foco e a reta diretriz da
b) 0 e 1 parábola . Nesse caso, determine:
c) -1 e 1
d) 1 e 2 a) o valor de p;
e) -1 e -2 b) o vértice V;
2
c) a equação de ;
15) (PUC-MG 2004) A parábola de equação y = x corta d) a circunferência de centro V e raio p;
a circunferência de centro (0, 0) e raio 2 nos pontos A e) a interseção de com ;
e B. O ponto médio do segmento AB é:
a) (2,0) BIBLIOGRAFIA
b) (1,1)
c) (0,1) Não há referências bibliográficas
d) (0,2)

16) (UNICAMP 2000) Sejam A e B os pontos de


2
intersecção da parábola y = x com a circunferência de
centro na origem e raio 2 .

a) Quais as coordenadas dos pontos A e B?


b) Se C é um ponto da circunferência diferente de A e
de B, calcule as medidas possíveis para os ângulos
A C B.

17) (FATEC 2007) As intersecções das curvas de


2 2 2
equações x + y - 7x - 9 = 0 e y = x + 2 são vértices de
um polígono. A equação da reta traçada pela
intersecção das diagonais desse polígono, e paralela à
reta de equação 2x - y + 3 = 0, é
a) x + 2y - 2 = 0
b) x + 2y + 2 = 0
c) 2x - y + 4 = 0
d) 2x - y - 2 = 0
e) 2x - y + 2 = 0

CASD Vestibulares Geometria Analítica 7