Sei sulla pagina 1di 7
A P { T U L O 1 Organizacaéo Funcional do Corpo Humano e Controle do “Meio Interno” O objetivo da fisiologia é explicar os fatores fisicos © quimicos que sio responsdveis pela origem, desenvol- vimento ¢ progressdo da vida. Cada tipo de vida, desde tum simples virus até a maior arvore ou o complicado ser humano, possui suas proprias caracteristicas fun- cionais. Portanto, 0 vasto campo da fisiologia pode ser dividido em fisiologia viral, fisiologia bacteriana, fsio- logia celular, fisiologia vegetal, fisiologia humana & diversas outras subdivisbes. Fisiologia Humana. Na fisiologia humana, buscamos explicar as caracteristicas € os mecanismos especificos do corpo humano que fazem dele um ser vivo. O proprio fato de nos mantermos vivos esté quase alm de nosso controle, porque a fome nos faz procurar por alimento e porque o medo nos faz buscar reftigio. Sensagdes de frio nos fazem procurar calor. Outras forgas nos levam a buscar companheirismo ea reprodugao, Assim, oser humano € realmente um automato,e 0 fato de sermosseres, com sensagies, sentimentos e culturas € parte desta seqiiéncia automatica de vida; estes atributos especiais nos permitem existir sob condigdes amplamente varidveis. As Células como Unidades Vivas do Corpo Auunidade viva basica do organismo ¢ a célula, Cada érgio é um agregado de muitas, células diferentes, mantidas juntas por estruturas de suporte intercelular Cada tipo de célula esté especialmente adaptado para realizar uma ou algumas fungdesdeterminadas, Por exemplo, as hemécias,que totalizam 25 trilhdesem cada ser humano, transportam oxigénio dos pulm@es para os tecidos, Embora as hemé- cias sejam as células mais abundantes do que qualquer outro tipo de célula no corpo, hi cerca de 75 trilhdes de células de outros tipos que realizam fungdes dife- entes das hemécias. O corpo inteiro, portanto, contém cerca de 100 trilhdes de células, Embora as diversas células do corpo sejam acentuadamente diferentes umas das outras, todas elas possuem certas caracteristicas bésicas comuns. Por exemplo, em todas as células, o oxigénio reage com carboidratos, gorduras e protefnas para libe- Tara energia necesséria para a funcdo da célula. Os mecanismos quimicos gerais de transformacao de nutrientes em energia so basicamente os mesmos em todas as células, todas as células liberam produtos finais de suas reagdes quimicas nos flui- dos circundantes. Quase todas as células também tém a capacidade de reproduzir células adicionais de seu proprio tipo. Felizmente, quando células de um determinado tipo sao destrui das por uma ou outra causa, as células restantes do mesmo tipo normalmente geram novas células para a reposigio. Fluido Extracelular — O “Meio Interno” Cerca de 60% do corpo humano adulto é fluido, principalmente de uma solugio aquosa de fons ¢ outrassubstancias Embora a maior parte deste fluido esteja dentro das células e seja chamado de fluido intracelular,cerca de um tergo se encontra nos 3 4 Unidege | espagos fora das células e € chamado de fluido extracelu- lar. Este fluido extracelular esté em movimentoconstante por todo o corpo. Ele € rapidamente transportado no san- gue circulante, e trocas por difusio, através das paredes, dos capilares, se dao entre osangue € 0s fluidos teciduais. No fluido extracelular estao 0s fons e nutrientesneces- sdtios para que as células se mantenham vivas. Dessa forma, todas as células vivem essencialmente no mesmo, ambiente — 0 fluido extracelular. Por este motivo, 0 ‘luido extracelular é também chamadode meio internodo corpo, ovo miliew intériewr,um termointroduzido hé mais, de 100 anos pelo grande fisiologista francés do século XIX,Claude Bernard, Ascélulas podem viver,crescer e realizar suas fungbes especiais enquantoasconcentragées adequadas de oxigé- nio, glicose.fons,aminodcidos lipidiose outrosconstituin- tes estiverem disponiveis neste ambiente interno. Diferengas entre os Fluidos Extracelular e Intracelular. © fluido extracelular contém grandes quantidades de sddio, cloreto e ‘ons bicarbonato mais os nutrientes para as célu- las, como oxigénio, glicose, dcidos graxos € aminodcidos.. ‘Também contém didxido de carbono, que é transportado das eélulas para os pulmdes para ser excretado, além de ‘outros produtos de excregao celulares, que sao transpor- tados para os rins para eliminagao. © fluido intracetular difere significativamente do fluido extracelular; especificamente, ele contém grandes quantidades de pordssio, magnésio e fons fosfato, em vez, do sédio ¢ fons cloreto que sio encontrados no fluido extracelular. Mecanismos especiais para o transporte de. ions através das membranas celulares mantém as diferen- ‘cas de concentracao idnicas entre os fluidos extracelula- res e intracelulares. Estes processos de transporte serao, discutidos no Capitulo 4. Mecanismos “Homeostaticos' dos Principais Sistemas Funcionais Homeostasia Otermo homeostasia é usado pelos fisiologistas para defi- nit a manutencao de condicoes quase constantes no meio interno. Todos 08 6rgios ¢ tecidos do corpo humano reali zam fungdes que contribuem para manter estas condigoes, constantes. Porexemplo, os pulmdes provéem oxigénio 20, {luido extracclular para repor 0 oxigenio utilizado pelas células, os rins mantém as concentragdes de fons constan- tes,¢ osistema gastrointestinal fornece nutrientes. ‘Uma grande parte deste texto trata da maneira pela qual cada 6rgao ou tecido contribui para a homeostasia. Para comecar esta discussao, os diferentes sistemas fun- cionais do corpo e suas contribuigdes para a homeostasia, so esbocados neste capitulo; depois, delinearemos bre- vemente a teoria basica dos sistemas de controle do orga- nismo que permitem que os sistemas funcionais operem em suporte um do outro. Introducito 4 Fisiologia: A Célula e Fisiologia Geral Sistema de Transporte e Mistura de Fiuido Extracelular — Sistema Circulat6rio do Sangue O fluido extracelular € transportado através de todas as, partes do corpo em dois estagios. O primeiro estagio é a movimentago de sangue pelo corpo nos vasos sangiif- neos,€ 0 segundo € a movimentagao de Mluido entre os capilares sangiiineos e 05 espacos intercelulares entre as células dos tecidos. ‘A Figura 1-1 mostra a circulagdo sangiiinea esquema- ticamente. Todo o sangue na circulagao atravessa o cit- cuito circulat6rio inteiroemmédia uma vezacada minuto quando 0 corpo esté em repouso e até seis vezes por minuto quando a pessoa esta extremamente ativa, ‘Quando © sangue passa pelos capilares sanguineos, também ocorre troca continua de fluido extracelular en- ‘re a parte plasmatica dosangue ¢ o fluido intersticial que Pulmoes Nutrgdo excregao Organizagao geral do sistema circulatorio. caput Aneriola Figura t2 Difussio de fuido e de constituntes dissolvidos através das paredes dos capilares ¢ alaves dos espagos intersticais, preenche os espacos intercelulares. Este processo é mos trado na Figura 1-2. As paredes dos capilares sao permed- veis & maioria das moléculas no plasma do sangue, com, excegio das grandes moléculas de proteina plasmética. Portanto, grandes quantidades de fluido e de seus const tuintes dissolvidos difundem-se em ambas as diregdes entre o sangue € 08 espacos dos tecidos, como mostrado, pelas setas Este processo de difusdioé causado pelomovi- mento cinético das moléculas no plasma e no fiuido intersticial Istoé,0 fluidoe as moléculas dissolvidas esto em movimento continuo em todas as diregdes dentro do plasma e do fluido nos espacos intercelulares, e também através dos poros dos capilares. Poucas células esto loca- lizadas a mais de 50 micrémetros de um capilar, 0 que assegura a difusdo de qualquer substancia dos capilares para as célulasem poucos segundos. Assim, ofluidoextra- celular em toda parte do corpo — tantono plasma quanto no fluido intersticial ~ est continuamente sendo mistu- rado, mantendo quase completa homogeneidade do fluido extracelular no corpo. Origem dos Nutrientes no Fluido Extracelular Sistema Respiratério. A Figura 1-1 mostra que a cada vez, que 0 sangue passa pelo corpo, ele também flui através dos pulmées. O sangue captura nos alvéolos 0 oxigénio necessério para as células. A membrana entre os alvéolos © 0 limen dos capilares pulmonares,a membrana alveo- Tar,temapenas0,4.a2,0micrOmettos de espessura,e 0oxi- génio se difunde por movimento molecular através dos ‘poros desta membrana para o sangue da mesma maneira ‘que a Agua e os fons se difundem através das paredes dos, capilares dos tecidos. Trato Gastrointestinal. Uma grande parte do sangue bom- beado pelo coragio também flui através das paredes do, Organizagdo Funcional do Corpo Hamano e Controle do*Meio Inter” 5 traio gastrointestinal. Aqui, diferentes nutrientes dissol- vidos, incluindo carboidratos, dcidos graxos e aminodci- dos, S40 absorvidos do alimento ingerido para o fluido, extracelular no sangue. Figado e Outros Grgdos que Realizam FungGes Primordial- mente Metabilicas. Nem todas as substdncias absorvidas pelo trato gastrointestinal podem ser usadas na forma absorvida pelas células. O figado altera quimicamente ‘muitas dessas substncias para formas mais utilizaveis, ‘outros tecidos do corpo — células adiposas, mucosa gas- trointestinal, rins e glandulas endécrinas — contribuem para modificar as substéncias absorvidas ou as armaze- nam até que sejam necessdrias. Sistema Misculo-esquelética. As vezes,nos perguntamos: Como o sistema miisculo-esquelético se enquadra nas fungdes homeostaticas do corpo? A resposta € dbvia € simples: Se nao existissem os mtisculos,o corpo nao pode- riase mover para o local adequado no devido tempo para obter os alimentos necessarios para a nutricdo. O sistema, misculo-esquelético também proporciona mobilidade para protecdocontraambientes adversos,sem aqual todo, organismo, com seus mecanismos homeostiticos, pode- ria ser destruido instantaneamente. Remogao dos Produtos Finais do Metabolismo Remogao do Diéxido de Carbono pelos Pulmées. Ao mesmo ‘tempo em que o sangue capta o oxigénio nos pulmoes, 0 diéxido de carbono ¢ liberado do sangue para 0s alvéolos, pulmonares;o movimento respiratorio doar para dentroe para fora dos pulmdes carrega o didxido de carbono para a.atmosfera. O didxido de carbono é 0 mais abundante de, todos os produtos finais do metabolismo, Rins. A passagem do sangue pelos rins remove do plasma a maior parte das outras substncias, além do didxido de carbono, que ndo sdo necessérias para as células. Estas, substnciasincluem diferentes produtos finais dometabo- lismo celular, tais como a uréia ¢ 0 dcido trico; também ncluem excessos de fons e égua dos alimentos que podem, ter se acumulado no fluido extracelular. Os rins realizam sua fungao primeiramente por filtrar grandes quantidades de plasma através dos glomérulos para os tdbulos e depois reabsorve para osangue aquelas, substiincias necessérias ao corpo, tais como glicose, ami- nodcidos, quantidades adequadas de égua © muitos dos fons. A maioria das outras substincias que ndo so neces- sdrias para 0 organismo, principalmente os produtos metab6licos finais como a uréia, € pouco reabsorvida © passa pelos tibulos renais para a urina, Regulagaéo das Fungdes Corporais Sistema Nervoso. O sistema nervoso & composto de trés, partes principais: a parte de aferéncia sensorial, o sistema nervoso central (ouparte integrativa) ea parte de eferéncia ‘motora. Os receptores sensoriais detectam 0 estado do corpo ou 0 estado do meio ambiente. Por exemplo, os