Sei sulla pagina 1di 46

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIEURO

JULIANA CATHARINE DE SOUSA CUNHA

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇO:


VANTAGENS E DESVANTAGENS DO SISTEMA PARA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA – ESTUDO DE CASO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

BRASÍLIA/DF
JUNHO / 2010
JULIANA CATHARINE DE SOUSA CUNHA

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇO:


VANTAGENS E DESVANTAGENS DO SISTEMA PARA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA – ESTUDO DE CASO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Projeto de Graduação UNIEURO –


Trabalho de conclusão de curso
apresentado como exigência para a
obtenção do título de Bacharel em
ADMINISTRAÇÃO do Centro
Universitário Unieuro. Professor
Orientador: EDMILSON DE JESUS
COSTA FILHO.

BRASÍLIA/DF
JUNHO / 2010
JULIANA CATHARINE DE SOUSA CUNHA

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇO:


VANTAGENS E DESVANTAGENS DO SISTEMA PARA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA – ESTUDO DE CASO DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Projeto de Graduação UNIEURO –


Trabalho de conclusão de curso
apresentado como exigência parcial
para a obtenção do título de Bacharel
em ADMINISTRAÇÃO do Centro
Universitário Unieuro. Professor
Orientador: EDMILSON DE JESUS
COSTA FILHO.

Data da aprovação:

Brasília, 15 de Junho de 2010.

Banca Examinadora:

_______________________/__/___
Prof. Orientador: Edmilson de Jesus da Costa
Filho
Centro Universitário Unieuro

_______________________/__/___
Prof.
Centro Universitário Unieuro

BRASÍLIA/DF
JUNHO / 2010
AGRADECIMENTOS

Agradeço em primeiro lugar à DEUS por ser a base de tudo e por

não me deixar desanimar ou desistir nesta longa caminhada;

À minha mãezinha Lourdes, pelo apoio, amor, confiança, por

sempre acreditar e me fazer acreditar na minha capacidade;

Aos meus amigos pelos comentários valiosos e pelo apoio que

recebi em diversos momentos;

Ao professor Dr. Edmilson Jesus da Costa Filho, pela dedicação

em suas orientações prestadas na elaboração deste trabalho, me incentivando

e colaborando no desenvolvimento de minhas idéias.


EPÍGRÁFE

Determinação, coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso.


Se estamos possuídos por uma inabalável determinação conseguiremos
superá-los.
Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes,
recatados e despidos de orgulho.

(Dalai Lama)
RESUMO

Este trabalho tem por objetivo discutir o sistema de atas de registro de preços,
com foco nas suas vantagens e desvantagens. A Administração Pública deve,
sempre que possível, realizar suas comprar através do Sistema de Registro de
Preço, para tanto a Lei 8.666/1993 e o Decreto n. 3.931/2001 vieram
regulamentar esse tipo de contratação.
Será abordado todos os tópicos relevantes para a Administração Pública e
como esse tipo de licitação pode vir a melhorar todo o sistema público. O
Sistema de Registro de Preço veio para agilizar todo o processo de compra,
mas será observado que o modelo ainda é pouco seguido e utilizado, o que
acaba fugindo do seu próprio conceito, que é de agilizar a aquisição de bens e
serviços de todo o sistema publico e economizar a destinação orçamentária
para um melhor aproveitamento do recurso financeiro.

PALAVRAS-CHAVE: Administração Pública, Sistema de Registro de Preço,


Licitação
LISTA DE TABELAS

Tabela 1: Relação de licitações com registro de preço – 2008................. 32


Tabela 2: Relação de adesões de atas – 2008......................................... 34
Tabela 3: Relação de licitações com registro de preço – 2009................. 34
Tabela 4: Relação de adesões de atas – 2009......................................... 36
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Gráfico 1: Licitações com e sem registro de preço – 2008........................ 38


Gráfico 2: Licitações com e sem registro de preço – 2009........................ 39
Gráfico 3: Comparação entre 2008 e 2009............................................... 41

SUMÁRIO

1 – INTRODUÇÃO....................................................................................... 10
2 – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA................................................................. 15
2.1 – Conceito......................................................................................... 15

3 – SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇO.................................................. 16


3.1 – Conceito......................................................................................... 16

4 – ATA DE REGISTRO DE PREÇO.......................................................... 17


4.1 – Considerações Iniciais................................................................... 17
4.2 – Órgão Gerenciador........................................................................ 18
4.3 – Órgão Participante......................................................................... 19
4.4 – Órgão Extraordinário (caroneiro)................................................... 19

5 – FORNECEDORES ................................................................................ 21
5.1 – Fornecedores da Ata de Registro de Preço.................................. 21
5.2 – Vantagens para o Fornecedor....................................................... 21

6 – PEDIDOS DE COMPRA E VIGÊNCIA.................................................. 23


6.1 – Pedidos de Compra....................................................................... 23
6.2 – Vigência da Ata de Registro de Preço........................................... 24

7 – VANTAGENS E DESVANTAGENS....................................................... 25
7.1 – Vantagens da Ata de Registro de Preço....................................... 25
7.1.1 – Vantagens para o Órgão Gestor e Participante..................... 26
7.1.2 – Vantagens para o Órgão Extraordinário (caroneiro).............. 27
7.2 – Desvantagens da Ata de Registro de Preço.................................. 27
7.2.1 – Desvantagens para o Órgão Extraordinário (caroneiro)........ 28

8 – CENÁRIOS FUTUTOS.......................................................................... 30
8.1 – O que se Esperar........................................................................... 30

9 – SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA................................................... 31


9.1 – Missão, Visão e Valores................................................................ 31
9.2 – Secretaria de Administração e Finanças....................................... 31

10 – APLICAÇÃO DE PESQUISA............................................................... 33
10.1 – Dados Relativos ao STJ.............................................................. 33
10.2 – Ano Base 2008............................................................................ 33
10.3 – Ano Base 2009............................................................................ 35

11 – RESULTADOS..................................................................................... 39
11.1 – Análise dos Dados....................................................................... 39

12 – DISPOSIÇÕES FINAIS........................................................................ 43

BIBLIOGRAFIA ........................................................................................... 45
10

1 – INTRODUÇÃO

Tema

- Administração Pública;

- Sistema de Registro de Preço;

- Licitações;

Título

Ata de Registro de Preço: Vantagens e Desvantagens do Sistema para

Administração Pública – Estudo de Caso do Superior Tribunal de Justiça.

Contextualização

No inciso II, do art. 15, da Lei n. 8.666/1993 diz que sempre que

possível, as compras da Administração Pública deverão ser processadas

através do Sistema de Registro de Preço. Para tanto o Decreto n. 3.931/2001

disserta sobre as regras e conceitos do Sistema de Registro de Preço - SRP.

Pode-se observar que essa modalidade de compra é relativamente nova na

Administração Pública, e seu principal objetivo é reduzir todos os custos da

administração, incluindo tempo, mão de oba e capital financeiro.

No SRP a proposta vai mais vantajosa da licitação assina a Ata de

Registro de Preço, se comprometendo a fornecer determinado bem ou serviço


11

nas quantidades e nos preços pré-fixados em edital. Posteriormente qualquer

órgão público pode aproveitar essa Ata de Registro de Preço, mediante

consulta prévia com o órgão detentor da Ata e com o fornecedor, desde que

seja comprovada que a aquisição pela Ata de Registro de Preço é vantajosa

para a Administração Publica e os preços praticados são compatíveis com os

do mercado. Esse procedimento vulgarizou-se sob a denominação popular de

carona, logo a entidade ou órgão pode fazer aquisição de um bem ou serviço

sem custos com licitações.

A Administração Pública pode cadastrar uma Ata de Registro de Preço

com quantidades elevadas de determinado produto, com vistas a diminuir o

valor unitário do mesmo, e assim ao decorrer dos doze meses de vigência da

referida Ata o Órgão pode fazer um parcelamento da aquisição desse bem para

um melhor aproveitamento do produto adquirido. Essa técnica de parcelamento

é muito eficaz na aquisição de bens que possuem a data de validade pequena

ou de produtos onde a administração não pode fazer uma demanda exata.

Problema de pesquisa

Quais são as vantagens e desvantagens do Sistema de Registro de

Preço para Administração Pública?


12

Hipóteses

H1: O Superior Tribunal de Justiça utiliza o Sistema de Registro de

Preço em sua administração, obtendo vantagens consideráveis, como redução

de custos na aquisição de materiais e bens, redução de tempo e mão de obra

na elaboração de editais de licitação e maior agilidade no processo de compra.

Objetivo geral

Este trabalho tem por objetivo geral analisar o Sistema de Registro de

Preços, com ênfase na administração do Superior Tribunal de Justiça.

Objetivos específicos

- Analisar as vantagens e desvantagens do sistema como:

- A agilidade do sistema;

- Redução de custos;

- Redução do número de licitações;

- Verificar junto ao Superior Tribunal de Justiça quantas adesões de Atas

de Registro de Preços foram feitas nos últimos 2 anos e quantas Atas de

Registro de Preço o órgão foi gestor durante o mesmo período.


13

Justificativa

O presente trabalho faz parte das preocupações da ciência

administrativa, pois é de suma importância conhecer qual o impacto que será

gerado na administração do Superior Tribunal de Justiça quando se faz uma

aquisição de bens ou serviços pelo método do Sistema de Registro de Preço.

O tema do trabalho pode ser considerado como inédito, pois não existem

estudos referentes com o Superior Tribunal de Justiça sendo o objeto

analisado.

Como colaborada do Superior Tribunal de Justiça (STJ) tenho acesso

aos dados necessários para que se possa realizar a pesquisa. Sendo que

posteriormente a referida pesquisa irá agregar conceitos diferenciados ao

trabalho realizado junto ao órgão.

Procedimentos metodológicos

De acordo com o objetivo geral e a finalidade deste trabalho, esta

pesquisa se caracteriza como um estudo de caso de ordem qualitativa, pois

tem como fonte direta de dados o ambiente natural do estudo de caso. Serão

utilizados dados colhidos direto do próprio sistema do Superior Tribunal de

Justiça e os mesmos podem ser confirmados com consulta ao Diário Oficial da

União, pois toda aquisição ou contratação pública deve ser publicada. Quanto

aos meios para atingir ao objetivo geral, utiliza-se nesse trabalho a revisão
14

bibliográfica, com o objetivo de conhecer as características do Sistema de

Registro de Preço.
15

2 – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

2.1 – Conceito

O Estado constitui-se de três elementos: o povo, o território e o governo,

para organizar toda essa relação vem a Administração Pública, por meio de

uma estrutura que envolve entidades, órgãos e agentes, para a realização de

funções públicas.

Segundo (MEIRELLES, 1999) a Administração Pública é um conjunto de

órgãos instituídos para consecução dos objetivos do Governo; em sentido

material, é o conjunto das funções necessárias aos serviços públicos em geral;

em acepção operacional, é o desempenho perene e sistemático, legal e

técnico, dos serviços do próprio do Estado ou por ele assumidos em benefício

da coletividade. Numa visão global, a Administração Pública é todo o

aparelhamento do Estado preordenado à realização de seus serviços, visando

à satisfação das necessidades coletivas.

Segundo (FARIA, 2006) a Administração Pública, em sentido amplo,

compreende os três órgãos do Estado: Poder Legislativo, Poder Executivo e

Poder Judiciário. Nessa macrovisão, pode-se dizer que o Estado é

administrado pelos aludidos Poderes, sendo que o Executivo detém a primazia

dessa atividade.
16
17

3 – SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇO

3.1 – Conceito

Segundo (JUSTEN FILHO, 2005) Quando a Administração necessita

realizar aquisições reiteradas e contínuas de produtos semelhantes, depara-se

com o problema de promover, a cada aquisição, uma nova licitação. Com o

registro de preços, basta uma única licitação. Os preços ficam à disposição da

Administração, que formalizará as aquisições quando lhe for conveniente. A

Administração elimina a burocracia, os custos e os desgastes referentes a uma

grande quantidade de licitações. O registro de preços é um contrato normativo,

constituído como um cadastro de produtos e fornecedores, selecionados

mediante licitação, para contratações sucessivas de bens e serviços,

respeitados os lotes mínimos e outros itens do edital.

Alguns autores consideram o Sistema de Registro de Preços apenas um

ato administrativo, enquanto outros o conceituam como uma modalidade

especial de licitação.
18

4 – ATA DE REGISTRO DE PREÇO

4.1 – Considerações Iniciais

A Ata de Registro de Preço é um documento, com características de

compromisso para futura contratação, onde se registram os preços,

fornecedores, órgãos participantes e condições a serem praticadas, conforme

as disposições contidas no instrumento convocatório (edital) e propostas

apresentadas pelas empresas vencedoras.

Neste modelo de licitação ganha o fornecedor que apresentar o menor

preço, tiver o produto ofertado de acordo com as especificações citadas em

edital e estiver de acordo com todos os requisitos para a habilitação.

Após o momento licitatório o fornecedor detentor do menor preço assina

o referido documento da Ata de Registro de Preço e o mesmo é incluído no

Sistema de Registro de Preço.

O Sistema de Registro de Preço funciona como um banco de dados

onde estão agrupados as Atas de Registro de Preço, com seus respectivos

valores de bens e/ou serviços de cada Ata, o órgão gerenciador da Ata, o

fornecedor e as condições para a aquisição.

Para que uma Ata de Registro de Preço seja incluída no banco de dados

do Sistema de Registro de Preço seu certame licitatório deverá ser,


19

obrigatoriamente, Concorrência ou na Forma de Pregão, sendo ele Eletrônico

ou Presencial.

É importante ressaltar que a Ata de Registro de Preço não é um

contrato, o órgão não tem obrigação de adquirir todas as unidades que estão

registradas, ele pode escolher também pelo fornecimento parcelado ou

simplesmente optar por uma aquisição mais vantajosa para a administração

pública naquele momento.

Segundo (FERNANDES, 2006) essa ferramenta de trabalho, por tratar-

se de uma quebra de parâmetros, permitindo vários órgãos aderirem ao

resultado da licitação promovida por outra entidade, enfrentou o

conservadorismo daqueles que se amoldaram ao paradigma das licitações

convencionais, sempre demoradas e com frequentes desfechos a cargo do

Tribunal de Contas ou do Poder Judiciário.

4.2 – Órgão Gerenciador

É o órgão ou entidade da administração pública responsável pela

condução do conjunto de procedimentos do certame licitatório, seja ele

Concorrência, Pregão Eletrônico ou Pregão Presencial para registro de preços

e gerenciamento da Ata de Registro de Preços após a finalização do certame.

Ele tem o poder de estipular as condições para contratação, bem como

valores pretendidos para uma aquisição futura.


20

4.3 – Órgão Participante

No procedimento licitatórios outros órgãos podem mostrar interesse em

integrar a Ata de Registro de Preço, para tanto ele se junta ao órgão

gerenciador da ata e participa dos procedimentos iniciais do Sistema de

Registro de Preço e integra a Ata de Registro de Preços.

Para a administração publica essa parceria é benéfica, visto que é mais

vantajoso comprar em maiores quantidades, pois os preços tendem a diminuir.

4.4 – Órgão Extraordinário ( caroneiro)

Posteriormente qualquer órgão ou entidade pública pode aproveitar da

Ata de Registro de Preço previamente cadastrada no Sistema de Registro de

Preço e que se encontre vigente, mediante consulta prévia com o órgão

gerenciador da Ata e com o fornecedor, desde que seja comprovada que a

aquisição pela Ata de Registro de Preço é vantajosa para a Administração

Pública, logo a entidade ou órgão pode fazer aquisição de um bem ou serviço

sem custos adicionais com licitações e em tempo reduzido.

Segundo (FERNANDES, 2006) o fornecedor do carona é uma empresa

que assegurando ao órgão gerenciador a certeza da disponibilidade do objeto,

ainda pode, se for da sua conveniência, suportar a demanda de outros órgãos,

pelo mesmo preço declarado na licitação como proposta mais vantajosa


21

O caroneiro sofre algumas restrições ao aderir a uma Ata de Registro de

Preço, ele só pode comprar até o limite de quantidades registradas, a Ata

deverá ter licitado quantidade superior à estimativa de sua própria demanda,

deve obedecer às regras de pagamento que o órgão gerenciador colocou em

edital, é de seu dever comprovar no processo que o preço de aquisição é

compatível com os praticados no marcado e que também será mais vantajoso

para a Administração realizar a aquisição pelo Sistema de Registro de Preço.


22

5 – FORNECEDORES

5.1 – Fornecedores da Ata de Registro de Preço

Na Administração Pública é comum mais de um fornecedor ganhar em

determinado procedimento licitatório. Isso é possível e legal, pois um dos

princípios da administração pública é a vantajosidade, logo se o produto

ofertado pelo fornecedor A esta de acordo com as condições do edital e é mais

barato que o produto ofertado pelo fornecedor B, a administração pública irá

optar pelo fornecedor A.

Quanto mais itens tiverem o certame licitatório maiores serão as

probabilidades de mais de um fornecedor ganhar eles.

Sendo assim uma Ata de Registro de Preço com 100 itens pode ter, por

exemplo, 4 fornecedores diferentes. Todos eles serão cadastrados no Sistema

de Registro de Preço junto com a Ata, seus valores e suas condições para

aquisição.

5.2 – Vantagens para o Fornecedor

Cumprindo de forma eximia sua obrigação com o órgão gerenciador, o

fornecedor só tem a ganhar com esse modelo de aquisição. Ele pode ficar até

um ano com sua Ata vigente no Sistema de Registro de Preço e se seu registro
23

for bem elaborado, pode atender a inúmeros caroneiros, pois não há limite para

o número de caronas.

Outra vantagem é que pelo período de um ano o fornecedor poderá

oferecer seu produto sem ter que participar de novos certames licitatórios, e

como a quantidade dos lotes mínimos são variáveis, pequenas e médias

empresas tem a oportunidade de participar.


24

6 – PEDIDOS DE COMPRA E VIGÊNCIA

6.1 – Pedidos de Compra

Ao final do processo do registro de preços é assinada a Ata de Registro

de Preço, mas não é feito nenhum tipo de contrato inicial. Os pedidos de

aquisição podem ser feitos de forma fracionada ao longo da vigência da Ata e

nesses pedidos é que são feitos contratos ou é emitida uma Nota de

Emprenho. Portanto a administração pública não fica obrigada a comprar a

quantidade estimada para o registro de preços.

A Administração Pública também pode optar por comprar todo o

quantitativo que foi registrado na Ata de Registro de Preço, tudo vai depender

da necessidade de cada órgão em relação ao objeto de compra. Vale ressaltar

que uma vez que o órgão atinge o quantitativo máximo permitido pela Ata, não

poderá mais usufruir da mesma

A Ata de Registro de Preço é um documento maleável para a

Administração Pública, pois no caso de bens perecíveis é possível aderir a uma

única Ata e ir realizando pedidos de compra enquanto durar a vigência da Ata.

Já em casos de bens não perecíveis pode-se fazer um único pedido.

O Sistema de Registro de Preço é utilizado pela Administração Pública

justamente em situações nas quais não se tem certeza da demanda que será

utilizada pelo órgão. Em contrapartida, o fornecedor obtém a preferência do


25

fornecimento. Ou seja, o fornecedor não sabe ao certo nem quando nem

quanto vai ser feto um pedido do material ou serviço, mas tem a segurança de

que ele será o primeiro fornecedor a ser contatado com a solicitação.

6.2 – Vigência da Ata de Registro de Preço

A vigência da Ata de Registro de Preço não pode ultrapassar doze

meses e nesse período esta incluída possíveis prorrogações. Determinados

órgãos da Administração Pública já elaboram a Ata com sua vigência máxima,

de doze meses enquanto outros o fazem com vigências menores, por

exemplo, de seis messes e então nesse caso é possível uma prorrogação da

Ata de Registro de Preço, porém tal prorrogação só é aceita quando a proposta

continuar se mostrando mais vantajosa do que uma nova forma de licitação.

No caso do Superior Tribunal de Justiça foi observado que todas as Atas

geradas pelo órgão a vigência é de doze meses, sendo assim, o órgão não faz

prorrogações de Ata, pois doze meses é o prazo máximo definido por Lei para

a validade de uma Ata.


26

7 – VANTAGENS E DESVANTAGENS

7.1 – Vantagens da Ata de Registro de Preço

Todo procedimento licitatório oferece determinadas vantagens e

desvantagens ao seu usuário, e com o Sistema de Registro de Preço não seria

diferente. Porém pela analise realizada observa-se muito mais vantagens do

que desvantagens no sistema adotado. A primeira grande vantagem do

sistema de registro de preços está na redução da quantidade de licitação

contínua para a aquisição de um mesmo objeto ou de objetos semelhantes.

A Administração Pública pode aproveitar o Sistema de Registro de preço

para fazer aquisições com preço por atacado, evitando os preços de varejo.

Para isso deve estabelecer lotes mínimos que permitam os fornecedores a

formular uma proposta mais vantajosa.

Segundo (CARVALHO, 2008) Grandes estoques significam grandes

volumes de capital imobilizado, custos com armazenagem e vigilância e

aumento do índice de perda por prazo de validade. Com a adoção do Sistema

de Registro de Preço, a Administração Pública pode fazer diversos pedidos, em

curto espaço de tempo e com rapidez, de um mesmo item, em procedimento

semelhante à aquisição de bens e serviços pela iniciativa privada


27

7.1.1 – Vantagens para o Órgão Gestor e Participante

Os órgãos participantes tem suas expectativas de consumo previstas no

ato convocatório, determinando assim os quantitativos médios de aquisição e

máximo, dando total liberdade à Administração quanto à aquisição desses bens

e facilitando o controle do consumo.

Para tanto o órgão gerenciador e participante tem o direito de requisitar

todos os objetos nos seus quantitativos máximos previstos no Sistema de

registro de Preço e obter do fornecedor o compromisso do fornecimento em

sua totalidade.

Outra vantagem é com relação ao prazo de vigência das propostas, para

as licitações comuns o prazo fixado em Lei é de sessenta dias, já no Sistema

de Registro de Preço a proposta está valida enquanto durar a vigência da Ata,

ou seja, até doze meses.

Nas licitações comuns as aquisições se vinculam ao exercício financeiro

em que foram realizadas, já a vigência de uma Ata de Registro de Preço pode

ultrapassar um determinado exercício financeiro, esta peculiaridade também

pode ser considerada uma vantagem.


28

7.1.2 – Vantagens para o Órgão Extraordinário (caroneiro)

Para o caroneiro seu maior beneficio em aderir a uma Ata de Registro

de Preço, é a agilidade com que se pode fazer uma aquisição, visto que não

será necessário recorrer ao certame licitatório, economizando o tempo na

preparação de edital convocatório e na realização do pregão.

Com o aprimoramento do Sistema de Registro de Preço e a

intensificação do uso do carona ficará extinto os preços abusivos, pois a

publicidade de ofertas disponíveis será cada vez mais ampliada e divulgada.

Assim quanto mais Atas forem publicadas, mais os preços estarão sujeitos à

comparação.

7.2 – Desvantagens da Ata de Registro de Preço

Apesar do Sistema de Registro conseguir suprir boa parte das

necessidades da Administração Pública, abrangendo aquisição de bens e

serviços, pelo sistema não é possível registrar o preço de obras. Porém é uma

desvantagem totalmente compreensível, visto que cada obra constitui um

evento singular e ímpar, tendo, tanto o órgão quanto o prestador de serviço da

obra analisar áreas e medidas que são particulares aquele órgão em questão

Um problema decorrente do Sistema de Registro de Preço é a

defasagem entre os dados do registro e o dinamismo do mercado,

principalmente por que novos produtos são lançados a todo momento. Outra
29

defasagem pode ocorrer com os preços que variam de acordo com a demanda

ou escassez e com produtos em que seu preço final dependa da cotação do

dólar. E como não há garantia do órgão adquirir os produtos que foram

licitados, muitas empresas ficam receosas de cotarem e assumirem o

compromisso, pois precisam garantir os preços durante toda a vigência da Ata

de Registro de Preço.

7.2.1 – Desvantagens para o Órgão Extraordinário (caroneiro)

Para o atendimento dos pedidos dos órgãos meramente usuários,

conhecidos como caroneiros, a adesão à Ata de Registro de Preço fica na

dependência de vários fatores de ordem interna ou externa, podendo ou não

ter sua adesão liberada.

É necessário fazer uma prévia consulta ao órgão gerenciador da Ata de

registro de Preço e observar se o objeto está de acordo com as necessidades

do órgão e se os quantitativos serão suficientes para atender a demanda. Após

essa verificação o órgão gerenciador indica ao caroneiro o fornecedor ou o

prestador de serviço, variando de acordo com o objeto da Ata. Já a aceitação

do fornecedor, por sua vez, fica condicionada à não gerar prejuízo aos

compromissos assumidos na Ata de Registro de Preço e por fim deverão ser

respeitadas e mantidas todas as condições de aquisição do registro original,

ressalvadas apenas as renegociações promovidas pelo órgão gerenciados, que

se fizerem necessárias. Existem ainda a possibilidade de haver o

cancelamento da Ata de Registro de Preço, a qualquer momento, por petição


30

ou requerimento, sendo comprovada irregularidades ou por não cumprimento

das condições fixadas no contrato.

Apesar do Sistema de Registro conseguir suprir boa parte das

necessidades da Administração Pública, abrangendo aquisição de bens e

serviços, pelo sistema não é possível registrar o preço de obras. Porém é uma

desvantagem totalmente compreensível, visto que cada obra constitui um

evento singular e ímpar, tendo, tanto o órgão quanto o prestador de serviço da

obra analisar áreas e medidas que são particulares aquele órgão em questão.
31

8 – CENÁRIOS FUTUROS

8.1 – O que se Esperar

Segundo (FERNANDES, 2006) com o uso do Sistema de Registro de

Preços e consulta aos órgãos gerenciadores, daqui a algum tempo, cada órgão

vai proceder apenas licitações específicas, objetos não comuns, como obras,

veículo de representação, serviços de informática. A racionalização dos

procedimentos e o nível de especialização das comissões poderão ser

bastante aprimorados.

Desde o momento da sua implantação até os dias atuais, observou-se

um crescimento significativo nas Atas de Registro de Preço, pode-se afirmar

que houve uma quebra de paradigmas e que vários órgãos da Administração

Pública vem adquirindo seus bens e serviços através do Sistema de Registro

de Preço, o que futuramente irá ocasionar uma grande redução no número de

licitações para aquisição de bens e serviços comuns a vários órgãos.


32

9 – SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

9.1 – Missão, Visão e Valores

O Superior Tribunal de Justiça tem por missão processar e julgar as

matérias de sua competência originária e recursal, assegurando a uniformidade

na interpretação das normas infraconstitucionais e oferecendo ao

jurisdicionando uma prestação acessível, rápida e efetiva.

Sua principal visão é ser reconhecido pela sociedade como um modelo

na garantia de uma justiça acessível, rápida e efetiva.

São valores do Superior Tribunal de Justiça: autodesenvolvimento,

comprometimento com a sociedade, cooperação mutua, ética e transparência,

inovação, orgulho institucional e presteza.

9.2 – Secretaria de Administração e Finanças

É composta por várias seções, que se empenham no objetivo comum de

proporcionar a todo âmbito do trabalho uma perfeita administração. Sua

principal função é prover todo tipo de insumo que é necessário ao bom

funcionamento do Tribunal como um todo. São duas as Seções responsáveis

pelo Sistema de Registro de Preço no órgão, são elas: Seção de Registro de

preço, responsável pela adesão e pelo registro das Atas no sistema e Seção de

Elaboração de Contratos, responsável pela elaboração das atas, bem como


33

seu preenchimento e possíveis contratos gerados a partir da contratação de

Atas.

Todas as Atas e contratos oriundos delas nos quais o Superior Tribunal

de Justiça tome parte devem ser escritos de forma clara, com informações

precisas, sem que haja a possibilidade de interpretações ambíguas por

qualquer das partes interessadas.


34

10 – APLICAÇÃO DE PESQUISA

10.1 – Dados Relativos ao STJ

Visando a redução de recursos financeiros e a agilidade na aquisição de

bens e serviços, o STJ vem utilizando em sua Administração o Sistema de

Registro de Preço, abaixo segue dados comparativos de aquisições com e sem

registro de preço, no ano de 2008, 2009 e 2010.

10.2 – Ano Base 2008

No ano de 2008 o Superior Tribunal de Justiça realizou 267

procedimentos licitatórios, nas modalidades Pregão Eletrônico e Pregão

Presencial, com o objetivo de atender à todas necessidades básicas do

Tribunal. Desse total de licitações, 25 foram com registro de preço.

Número Número do
Objeto a ser licitado
do Pregão Processo
Registro de Preços – Aquisição de material para
PE 017/08 8705/2007
pintura.
Registro de Preços – Aquisição de equipamento
PE 026/08 6182/2007
de inspeção por raios X.
Registro de preços – Aquisição de máquinas e
PE 028/08 7780/2007
eletrodomésticos.
Registro de Preços para aquisição de cartuchos
PE 030/08 8204/2007
de tinta originais do fabricante Epson.
Registro de Preços para aquisição de cartuchos
PE 033/08 8456/2007
tonalizadores.
Registro de Preços para aquisição de material
PE 049/08 22/2008
para armazenamento de dados.
35

Número Número do
Objeto a ser licitado
do Pregão Processo
Registro de preços para aquisição de material
PE 055/08 577/2008
de expediente eventual com amostra.
Registro de preços para aquisição de baterias
PE 090/08 850/2008
para ônibus da frota do STJ.

PE 111/08 1655/2008 Registro de preços – cartuchos tonalizadores.

Registro de preços - máquinas fragmentadoras


PE 117/08 1265/2008
de papéis.
Registro de Preços para aquisição de cartuchos
PE 119/08 2589/08
de tinta.
Registro de Preços – fornecimento e instalação
PE 121/08 3165/2008
de persianas.
Registro de preços – aquisição de carimbador
PE 126/08 4752/2007
numerador.
Registro de Preços – papel para uso em
PE 131/08 2382/2008
escritório.
Registro de Preços para aquisição papel
PE 151/08 4070/08
higiênico.
Registro de Preços para aquisição de
PE 155/08 4389/2008
computadores portáteis e de mesa
Registro de preços – becas de gala, capas para
PP 174/08 4782/2008
ministros e vestimentas afins.
Registro de Preços – Cartucho para impressora
PE 187/08 4778/2008
HP e fusor Tally Genicom.
Registro de Preços para aquisição de tintas para
PE 188/08 5289/2008
pintura de faixas.
Registro de Preços – Toner para impressora
PE 189/08 5399/2008
Lexmark.
Registro de Preços – contratação – subscrições
PE 196/08 4901/2008 do software Red Hat e servidor de aplicação J
Boss.
Registro de Preços - Aquisição de material de
PP 201/08 5171/2008
expediente.
Registro de Preços – Aquisição de cartuchos
PP 208/08 6207/2008
tonalizadores.
Registro de preços para aquisição de veículos
PE 261/08 8682/2008
de representação, especiais e de serviço.
Registro de preços – Aquisição de de fitas LTO
PE 266/08 9166/2008
III e etiquetas de polietileno.
Tabela 1: Relação de licitações com registro de preço - 2008
36

Ainda no mesmo ano o STJ solicitou adesão à cinco Atas de Registro de

Preço.

Órgão Gestor Número da Objeto


Ata
Tribunal Superior Eleitoral 026/2007 Material de Expediente
Tribunal Superior Eleitoral 027/2007 Materiais de Expediente
Ministério da Justiça 029/2008 Materiais de consumo
(expediente)
Tribunal Superior Eleitoral 030/2007 Materiais de Expediente
Tribunal Superior Eleitoral 034/2007 Materiais de Expediente
Tabela 2: Relação de adesões de atas - 2008

10.3 – Ano Base 2009

Já no ano de 2009 foram realizadas 361 licitações, para atender a

demanda do Tribunal, desse total 47 foram com registro de preço.

Número Número do
do Process Objeto a ser licitado
Pregão o
Registro de preços – Cartuchos de fitas LTO III e
PE 17/09 9166/2008
etiquetas de polietileno.
Registro de preços para aquisição de apóia-
PE 47/09 6805/2008
braços para poltronas.
Registro de Preços – Aquisição de caixas para
PP 55/09 132/2009
acondicionamento de processos judiciais.
Registro de preços para aquisição de copos
PP 64/09 38/2009
descartáveis e guardanapos de papel.
Registro de preços para aquisição de cartuchos
PP 70/09 4778/2008 de tinta para impressora HP e fusores para
impressora Tally Genicom e Lexmark.
Registro de Preços para fornecimento e aplicação
PP 83/09 1081/2009
de sinteco.
Registro de preços para aquisição de cartucho
PE 86/09 493/2009
tonalizador.
PP 87/09 1207/2009 Registro de preços de material para marcenaria.
Registro de preços para Digitalização eletrônica
PP 98/09 1168/2009
de documentos de processos judiciais.
PP 105/09 957/2009 Registro de preços – cartuchos HP.
37

Número Número do
do Process Objeto a ser licitado
Pregão o
Registro de preços para aquisição de estantes
PE 112/09 1696/2008
metálicas.
PE 124/09 1047/2009 Registro de preços de capas de processos.
Registro de preços para locação de instalações
PE 132/09 9457/2008
para realização de eventos.
Registro de preços para fornecimento e
PE 136/09 3460/2009
instalação de persianas.
Registro de preços para fornecimento de blocos e
PE 137/09 2555/2009
impressos.
Registro de preços para aquisição de apóia-
PE 142/09 6805/2008
braços para poltronas.
Registro de preços para fornecimento de placa
PE 143/09 3630/2009
controladora de vídeo.
Registro de preços para aquisição de dispositivos
PP 182/09 9158/2008
de rede - switch e router .
Registro de preços para a contratação de
serviços de suporte tecnológico a ambiente
PE 197/09 2407/2009 computacional de infraestrutura de redes, seus
meios de comunicação, sistemas funcionais e
processos de execução do STJ.
Registro de preços para aquisição de concreto e
PE 203/09 4533/2009
tela soldada.
Registro de preços para aquisição de cartuchos
PE 206/09 3684/2009
tonalizadores.
Registro de preços para aquisição de braçadeira
PE
5265/2009 de nylon, fita para arquear volumes e selo de
214/09
segurança para malote.
Registro de preços para eventual aquisição de
PE 230/09 4989/2009
madeiras, ferragens e bucha de nylon.
Registro de preços para aquisição de base
PE 246/09 7277/2009
articulável para monitor.
Registro de preços para a contratação de
serviços de rede de distribuição de aplicações e
PE 247/09 6583/2009
de conteúdo na internet (Application and Content
Distribution Network – ADN).
Registro de preços para aquisição de papel
PE 250/09 4994/2009
higiênico.
Registro de preços para aquisição de cartuchos
PE 252/09 3684/2009
tonalizadores.
Registro de preços para aquisição de sistema de
PE 260/09 4639/2009
armazenamento por endereçamento CAS.
Registro de preços para aquisição de becas,
PP 274/09 6444/2009
capas e vestimentas afins.
Registro de preço para aquisição de caixa
PE 278/09 6932/2009
arquivo.
38

Número Número do
do Process Objeto a ser licitado
Pregão o
Registro de preços para aquisição de copos
PE 283/09 7421/2009
descartáveis de papel.
Registro de preços, com contrato, para aquisição
PE 289/09 7278/2009
de monitores de LCD.
Registro de Preços, com contrato, para a
PE 291/09 8755/2009
aquisição de Segurança para endpoints.
Registro de preços para aquisição de cartuchos
PE 293/09 8532/2009
tonalizadores.
Registro de preços para aquisição de brocas para
PE 295/09 8424/2009
perfuração de papéis.
Registro de preço para aquisição de material de
PE 306/09 8467/2009
expediente.
PE 307/09 8221/2009 Registro de preço para aquisição de etiquetas.
Registro de preço para aquisição de solução de
PE 312/09 8880/2009 monitoramento, auditoria e análise forense do
tráfego de rede.
Registro de preços para aquisição e instalação de
PE 316/09 8950/2009 servidores tipo rack, racks, placas, softwares e
suporte presencial.
Registro de Preço para aquisição de broca para
PE 324/09 9434/2009
papéis.
Registro de preços, com contrato, para aquisição
PE 338/09 7822/2008
de microcomputadores – mini PCs.
PE 348/09 9041/2009 Registro de preços para aquisição de impressos.
Registro de preços para aquisição de material de
PE 351/09 9431/2009
expediente.
Registro de preço para aquisição de etiquetas
PE 352/09 9433/2009
personalizadas.
Registro de preços para a contratação de
serviços de suporte tecnológico a ambiente
PE 357/09 9302/2009 computacional de infraestrutura de redes, seus
meios de comunicação, sistemas funcionais e
processos de execução do STJ.
Registro de preços para aquisição de copos
PE 359/09 7421/2009
descartáveis de papel.
PE 360/09 9750/2009 Registro de preço para aquisição de cartuchos.
Tabela 3: Relação de licitações com registro de preço - 2009

Ainda no mesmo ano o STJ solicitou adesão à cinco Atas de Registro de

Preço.

Órgão Gestor Número da Objeto


Ata
Ministério da Defesa 001/2008 Execução de serviço de
39

instalação e desinstalação de
rede lógica estruturada.
Universidade Federal de 324/2008 Aquisição de cartuchos e
São Paulo toners originais.
Tribunal de Justiça do 036/2008 Fornecimento e
Estado de Roraima desenvolvimento de Software.
Tribunal Regional Federal 048/2008 Aquisição de placas de vídeo
da 1ª Região
Tribunal Regional do 008/2008A Aquisição de scanner.
Trabalho da 12ª Região
Ministério da Previdência 006/2009 Materiais de consumo
Social

Instituto do Patrimônio 009/2008 Aquisição de materiais de


Histórico e Artístico expediente
Nacional
Tabela 4: Relação de adesões de atas - 2009
40

11 – RESULTADOS

11.1 – Análise dos Dados

Com base nos dados analisados observa-se que houve um aumento

significativo de licitações com registro de preço e adesões a Atas de outros

órgãos, de 2008 para 2009.

Mais precisamente no ano de 2008, 9% das licitações realizadas foram

com registro de preço, com vistas ao numero total de licitações pode-se

considerar esse número pequeno, ainda mais levando em conta que o sistema

existe desde 2001.

Ano Base 2008

25; 9%

Licitações com registro de preço


Licitações sem registro de preço

267; 91%

Gráfico 1: Licitações com e sem registro de preço – 2008


41

Já em 2009, esse percentual subiu para 12%, mostrando um pequeno,

mas significativo aumento dessa modalidade de licitação. Porém essa

porcentagem ainda não é a esperada, pois observa-se que o mesmo órgão

realiza mais de uma aquisição ao ano de mesmos objetos. Sendo que seria

mais econômico para a Administração Pública realizar essa licitação com

registro de preço e em quantitativos aumentados, com base a atender todo o

ano, não se fazendo mais necessários gastos extras como foi observado.

Ano Base 2009

47; 12%

Licitações sem registro de preço


Licitações com registro de preço

361; 88%

Gráfico 2: Licitações com e sem registro de preço - 2009

Um exemplo claro e preciso é que no ano de 2010 o STJ realizou duas

licitações para aquisição de material de limpeza, Pregão Eletrônico 064/2010 e

139/2010. Sendo que se o primeiro pregão fosse com registro de preço não

seria necessário realizar outro certame licitatório. O mesmo aconteceu no ano

de 2009, onde doze licitações foram realizadas para a compra de diversos tipos

de material para limpeza, um número extremamente exagerado e que deixa


42

claro a não utilização de forma correta dos recursos, tanto financeiros como

profissional.

Seguindo as investigações e ainda no ano de 2009 foram realizadas 8

certames licitatórios para a compra de materiais de expediente, dentre desses

somente uma foi com registro de preço, e a mesma só foi realizada no final do

ano, isso evidencia o despreparo na hora de realizar o estudo quantitativo de

materiais a ser utilizado pelo órgão ao longo do ano.

Agora comparando o ano de 2008 com o de 2009 observa-se um

aumento de 88% de licitações com registro de preço.

Com paraç ão entre 2008 e 2009

50 47
45
40

35
30
25
25
20

15
10

5
0
Lic itaç ões c om regis tro de preço 2008 Lic itaç ões c om regis tro de preç o 2009

Gráfico 3: Comparação entre 2008 e 2009

Com relação às adesões de Atas de Registro de Preço verifica-se que o

numero é extremamente pequeno com o total de licitações do órgão, o motivo

encontrado para o fato é que determinado órgãos demoram para liberar a

adesão à Ata e a burocracia enfrentada acaba atrasando mais ainda. Tanto


43

que em 2008 só foram solicitadas 5 adesões e em 2009 7 adesões, um

aumento de 40%, pode-se considera-lo pequeno.

Observou-se que muitos objetos de aquisição que poderiam ser

adquiridos pelo Sistema de Registro de Preço o órgão escolheu por realizar

licitação comum, na modalidade Pregão Eletrônico, e firmou contrato com a

empresa vencedora. Um exemplo é o Pregão Eletrônico 20/2009, cujo objeto é

contratação de empresa para fornecimento de gêneros alimentícios.

Outro ponto observado são os objetos de licitação, na modalidade de

registro de preço, em sua maioria são produtos e serviços de informática como

scanner, monitores e cartuchos e materiais de expediente como papel A4,

canetas e afins.

Nota-se que os serviços são pouco licitados na modalidade de registro

de preço, a explicação pode ser a especificação do serviços. Por exemplo, se

fazem uma licitação para serviços de limpeza, cada órgão tem um tamanho e

suas particularidades, então isso poderia influenciar o preço e o mesmo não

caberia a outro órgão, por ser maior ou possuir mais particularidades de

limpeza.

Logo, na sua grande maioria os registro de preço são para aquisição de

materiais, por possuírem uma cotação mais simples e que poderá ser usufruída

por demais órgãos da Administração Pública.


44

12 – DISPOSIÇÕES FINAIS

Este estudo buscou averiguar as vantagens e desvantagens do Sistema

de Registro de Preço, com foco na agilidade do sistema, redução de custos

para a Administração Pública e redução do número de procedimentos

licitatórios.

Foi investigado junto ao Superior Tribunal de Justiça as quantidades de

licitações que foram feitas no ano de 2008 e 2009, dentro dessas quantidades

foram levantados os números de licitações que o órgão realizou como registro

de preço e também foram contabilizadas as adesões realizadas nos

respectivos anos.

Conclui-se que apesar do Superior Tribunal de Justiça ser considerado

um órgão pioneiro na maioria das inovações que tange a área da

Administração Pública, no quesito do Sistema de Registro de Preço o órgão

encontra-se “engatinhando” ainda. Pois as quantidades de adesões e registros

do próprio órgão foram considerados pequenos, levando em consideração a

sua grandiosidade.

Por fim foram confrontados todos os dados com a teoria abordada e

observa-se que o Sistema de Registro de Preço, se bem utilizado, só traz

benefícios a Administração Publica.


45

Porem com o estudo de caso não se pôde comprovar algumas teorias

abordadas, como a redução no número de licitações, pois como foi

comprovado o órgão deixa de fazer licitações com registro de preço de objetos

de aquisição simples, e posteriormente realizou duas aquisições de mesmo

objeto no ano de 2009 e 2010.


46

BIBLIOGRAFIA

FERNANDES, Ulisses Jacoby. Carona em sistema de registro de preços:


uma opção inteligente para redução de custos e controle. 2006. 9 f. Distrito
Federal. 2006.

CARVALHO, Carlos Henrique Soares. O efeito do sistema de registro de


preço nas compras públicas: Estudo de caso da Secretaria Municipal de
Obras, Serviços Básico e Habitação da Cidade de Manaus. 2008. 122 f.
Dissertação (Mestrado em Administração Pùblica) – Escola Brasileira de
Administração Pública e de Empresas (Fundação Getulio Vargas), Rio de
Janeiro. 2008.

BEZERRA, Soraya Quixadá. et. al. O sistema de gestão de registro d


epreços do Governo do Estado do Ceará. III Congresso Consad de Gestão
Pública. 25 f.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 24. ed. São


Paulo:
Malheiros,1999.

JUSTEN FILHO, Marçal. Comentários à Lei de Licitações e Contratos


Administrativos. 11. ed. São Paulo: Dialética, 2005.

RAMPAZZO, Lino. Metodologia Científica: para alunos des cursos de


graduação e pós-graduação. 2005. 3.ed. São Paulo: Edições Loyola. 2005.

FARIA, Edimur Ferreira. Curso de Direito Administrativo Positivo. 2007. 6.


ed. São Paulo? Del Rey. 2007.