Sei sulla pagina 1di 12

• História – Economia colonial

pg. 02
• História – As expedições
quinhentistas pg. 04
Peixe exclusivo da Bacia
pirarucu (Arapaima gigas) Aé mazônica, o • Geografia – A população
águas calmas das várzeas e característi.co das amazonense pg. 06
dos lagos
• Geografia – Teorias sobre o
crescimento populacional pg. 08

• Português –
Perscrutando o texto pg. 10

r, símbolo
ca
cana -de -açú ríodo colonial
ho de do pe
Engen dade agrária
i
da ativ o
r
brasilei
Internet: História
litoral sul, local de fácil acesso ao Prata, o que
demonstrava o interesse mercantilista pelo
domínio dessa região.
As informações enviadas à Metrópole relatavam

linguagem
Professor DILTON Lima
a ausência de metais preciosos e a existência
de um solo com grande potencial para
investimentos agrícolas. Valorizando tais

ou dialeto?
Economia colonial informações, o Estado português tomou a
iniciativa de inaugurar uma nova estratégia
PRÉ-COLONIZAÇÃO
colonial: o desenvolvimento da agricultura
Nos primeiros trinta anos do século XVI, o Brasil voltada para a exportação, possibilitando a
ocupou um papel secundário no conjunto de ocupação, o povoamento e a valorização
Quando surgiu, a linguagem típica dos jovens prioridades portuguesas. econômica dessas terras. Isso é o que se
na internet – em que novidade vira “9dade”, Não se encontraram riquezas aparentes que denomina colonização.
não é “naum” e beleza é “blz” – parecia estar pudessem concorrer com os enormes lucros
restrita aos chats, blogs e ICQs. O uso do A ECONOMIA AÇUCAREIRA (séc. XVI-XVII)
provenientes do comércio com o Oriente ou
“internetês”, no entanto, já influencia a escrita Durante os séculos XVI e XVII, a colonização
somar-se a eles.
de adolescentes em sala de aula e preocupa brasileira esteve ligada ao cultivo da cana e ao
educadores. A nova terra não possuía também uma popu-
lação organizada que pudesse ser subjugada preparo do açúcar.
O uso dessa linguagem, que caracteriza um
desrespeito à normas culta, não é uma para render tributo pelo simples direito de viver. Para a montagem da custosa agroindústria
invenção brasileira. Ela é fruto da primeira Assim, o Brasil tornou-se apenas uma rota de açucareira – o engenho –, recorreu-se,
geração de jovens que foi alfabetizada ao inicialmente, aos recursos particulares, por meio
passagem, quase obrigatória, para as embarca-
mesmo tempo em que aprendia a se de concessões das sesmarias.
comunicar pela Internet. A necessidade de ções que praticavam o comércio indiano; aqui,
elas realizavam abastecimentos e faziam reparos, As sesmarias foram distribuídas não só a
conversar usando o teclado do computador
de forma ágil fez que, rapidamente, o quando necessários. portugueses, como também a estrangeiros,
“internetês” se alastrasse por quase todos os desde que professassem a fé católica.
A EXPLORAÇAO DO PAU-BRASIL
grupos de adolescentes com acesso à Mas presume-se que muitas vezes se recorreu
Internet. O pau-brasil foi colocado, desde o início da ao capital externo, sobretudo flamengo
Para “reagir” à entrada do internetês na sala colonização, sob o monopólio do Estado (holandês), que já se encontrava amplamente
de aula, alguns estabelecimentos de ensino (estanco), e sua exploração foi arrendada, em
têm adotado soluções criativas. Em São Paulo, envolvido nos negócios do açúcar na Europa.
1502, a um grupo de comerciantes portugueses Os portugueses eram os mais experientes na
numa escola particular, o problema foi
identificado quando a escola pediu que seus liderados pelo cristão-novo Fernando de Noronha produção do açúcar, desde o século XV
alunos escrevessem cartas para estimular o por um prazo inicial de três anos. introduzida nas Ilhas do Atlântico, enquanto a
diálogo com os estudantes de uma escola Se os portugueses, entretidos com o comércio comercialização era feita pelos flamengos
pública vizinha. A partir desse problema, o oriental, não valorizavam suficientemente o pau-
colégio sugeriu que os professores (holandeses).
brasil – a ibirapitanga dos indígenas –, o mesmo A grande propriedade era monocultora e voltada
trabalhassem essa questão em sala de aula.
não se pode dizer de mercadores de outros para o mercado externo, utilizando mão-de-obra
No Rio, uma professora pede freqüentemente
que seus alunos construam textos na países, sobretudo da França. escrava, no início com os índios e
linguagem da Internet e depois os traduzam Desde 1504, há noticias de comerciantes
posteriormente os negros africanos.
para a norma culta. franceses traficando essa madeira diretamente
A sociedade açucareira organizou-se como
Junto com a polêmica, este dialeto com o indígena brasileiro. Os lucros eram
popularizou-se e chegou à tevê. Em 2005, reflexo da economia agrária, escravista.
grandes, uma vez que nada se pagava à Coroa
uma rede de televisão por assinatura estreou No engenho, havia uns poucos trabalhadores
uma sessão com filmes legendados em portuguesa que, para combater o contrabando,
assalariados – o feitor, o mestre de açúcar e
“internetês”. No site da programação, um armou duas expedições comandadas por
mesmo o capelão ou padre – que se sujeitavam
dicionário com as expressões que aparecem Cristóvão Jacques: a primeira em 1516; a
ao poder e à influência do grande proprietário.
nas legendas dos filmes. segunda em 1526.
Para o professor de português João Batista Os escravos viviam nas senzalas, habitações de
Tanto os franceses quanto os portugueses
Gomes, coordenador de professores do um único compartimento, na maior promiscui-
utilizaram a mão-de-obra indígena nos trabalhos
Aprovar, trata-se de um vício que prejudica a dade; eram responsáveis por todos os trabalhos
construção do texto dissertativo. O problema, de exploração dos recursos naturais, sobretudo
nos canaviais, nas oficinas e na casa-grande.
avalia, é que, nos jovens, a linguagem que do pau-brasil.
Qualquer reação contra o sistema de escravidão
predomina é a coloquial, que, no caso, sofre Os selvagens, em troca de quinquilharias
forte influência do meio. Então, corre-se o era reprimida violentamente. Os negros,
(produtos de baixo custo para os europeus),
risco de esse vício tornar-se linguagem única entretanto, não permaneceram de braços
cortavam, serravam e carregavam o pau-brasil,
para essa faixa de idade. Isso pode ser cruzados diante dessa realidade opressiva.
extremamente prejudicial na construção de transportando-o, nos ombros nus (às vezes de
Enquanto existiu escravidão, ocorreu também
textos como em redações para concursos, duas ou três léguas de distância), por montes e
reação. O símbolo da resistência foi a formação
provas e entrevistas para emprego. sítios escabrosos até a costa. Essa relação com
Isso não se verificaria, por exemplo, em dos quilombos, aldeamentos de negros
os indígenas denomina-se escambo.
pessoas que já têm estabelecidos os dois fugitivos. Eles surgiram por toda parte onde
níveis de linguagem: a formal e a coloquial. A COLONIZAÇAO BRASILEIRA imperou a escravidão: Alagoas, Sergipe, Bahia,
São pessoas que até podem utilizar esse tipo A partir de 1530, surgiu um verdadeiro dilema Mato grosso, Pernambuco, Rio de Janeiro e São
de linguagem ao usar a Internet, mas que para a Coroa portuguesa: ocupar definitivamente Paulo.
jamais o fariam na elaboração de um texto
as terras brasileiras ou correr o risco de perdê- O mais conhecido foi, sem dúvida, o Quilombo
escrito, por exemplo.
A nova sessão atraiu a ira de telespectadores las para os franceses. dos Palmares – que se situou no que hoje é o
que não aprovaram a nova linguagem. Para O primeiro passo, no sentido de ocupá-las, foi o Estado de Alagoas –, cuja resistência durou
muitos, é uma receita para desaprender a envio da expedição de Martim Afonso de Souza, cerca de 65 anos. Seus mocambos – pequenos
língua portuguesa. que deixou Lisboa em 3 de dezembro de 1531, casebres cobertos com folhas de palmeiras –
Veja alguns exemplos: aki – aqui, bjs – beijos, com a incumbência primordial de varrer os chegaram a se estender por 27 mil km². Assim,
blz – beleza, c – se, cmg – comigo, c/ – com,
franceses da “costa do pau-brasil” e desenvolver, Palmares constituía-se em constante
d – de, eh – é, fzr – fazer, hj – hoje, hr – hora,
i – ir, kerer – querer, kra – cara, ksa – casa, ao máximo, a exploração da nova terra, chamamento, um estímulo, uma bandeira para
maluko – maluco, msmo – mesmo, mto – preparando-a para empreendimentos futuros que os negros escravos das vizinhanças que o viam
muito, 9dades – novidades, nd – nada, ñ ou garantissem o seu domínio aos portugueses. como um constante apelo à rebelião, à fuga
naum – não, nu – no, ond – onde, pq - por A expedição aportou, em janeiro de 1532, em para o mato, à luta pela liberdade.
que, p/ – para, pekeno – pequeno, q – que,
São Vicente, onde Martim Afonso instalou o que A destruição de Palmares ocorreu em 1695, e
qdo – quando, s – sim, tah – está, tbm –
também, tc – teclar, Vc – você, xamar – seria a primeira vila do Brasil. coube à expedição chefiada pelo bandeirante
Esse primeiro núcleo oficial foi instalado no Domingos Jorge Velho.

2
Zumbi, grande chefe de Palmares, conseguiu podemos dizer que o gado foi a força motriz

Desafio
fugir com algumas dezenas de homens, mas no dos engenhos. A carne de gado, depois de
dia 20 de novembro de 1695, foi aprisionado e secada ao sol, destinava-se à alimentação nos
decapitado. Sua cabeça foi colocada num poste engenhos.
em praça pública, para servir de exemplo aos Diferentemente do ocorrido na atividade

Histórico
que o consideravam imortal. A data da morte de açucareira, na pecuária utilizou-se mão-de-obra
Zumbi ficou registrada nos anais da História livre e índios.
como o “Dia da Consciência Negra”, para que CACHAÇA, TABACO e FUMO – Eram produtos
se possa sempre lembrar que os negros até utilizados para fazer comércio na África, na troca
hoje lutam contra a marginalização e a por negros.
discriminação de que são vítimas. ALGODÃO – Era produto destinado à
MINERAÇAO (séc. XVIII) exportação para ser usado como matéria-prima
da indústria têxtil inglesa. 01. (APROVAR) A exploração do pau-
As notícias sobre os primeiros achados auríferos
brasil:
dos paulistas, provavelmente realizados entre O que ocorria na Amazônia?
1693-1695, rapidamente se espalharam por toda a) era monopólio real;
A foz do rio Amazonas era uma região onde se b) estava baseado no trabalho
a Colônia. praticava intenso contrabando. Ingleses, compulsório dos indígenas;
Esse verdadeiro rush, até então nunca visto, foi
franceses, holandeses e irlandeses possuíam c) marcou o início da colonização
apreendido por Antonil que, por volta de 1710,
interesses nos produtos típicos da região, como brasileira;
escreveu: “A sede insaciável do ouro estimulou
ervas aromáticas, plantas medicinais, cacau, d) utilizava a prática do escambo por
a tantos deixarem suas terras e a meterem-se
baunilha, cravo, canela, anil, raízes aromáticas, meio do trabalho livre com os índios;
por caminhos tão ásperos como são os das
madeiras, salsaparrilha, tinta de urucum, óleo de e) implicava a utilização da mão-de-obra
minas, que dificultosamente se poderá dar conta escrava no corte e transporte da
copaíba e outros. Esses produtos recebiam o
do número das pessoas que atualmente lá madeira.
nome de drogas do sertão e eram considerados
estão”.
especiarias na Europa, alcançando excelentes 02. (FGV) Quais as características
A ambição pelo ouro atingiu também a
preços nesse período. dominantes da economia colonial
população do reino. Calcula-se, em média, a
entrada de três a quatro mil pessoas por ano,
Os colonizadores, controladores da mão-de- brasileira:
obra indígena, os colonos e os jesuítas a) propriedade latifundiária, trabalho
durante o tempo da corrida do ouro.
organizavam expedições para coletar tais indígena assalariado e produção de
Com a descoberta de zonas auríferas nas Minas
Gerais, a Coroa Portuguesa criou uma produtos de grande valor comercial na Europa. monocultura;
intendência em cada local onde se descobrisse Dezenas de canoas, impulsionadas a remo por b) produção diversificada, exportação de
ouro. Ela seria dirigida por um funcionário centenas de índios, dirigiam-se todos os anos matérias-primas e trabalho servil;
até as florestas para coletar as drogas. c) monopólio comercial, latifúndio e
nomeado pelo Estado e diretamente vinculado a
O povoamento da Amazônia ocorre durante os trabalho escravo;
ele. O descobridor de cada novo veio aurífero
séculos XVII e XVIII, quando os portugueses d) monocultura de exportação,
deveria comunicar ao intendente, o mais rápido
deslocam-se para certas regiões com a minifúndio e trabalho servil;
possível, o seu achado.
e) propriedade minifundiária, colônias
Sobre a riqueza aurífera, a Coroa Portuguesa finalidade de afastar os concorrentes ingleses,
agrícolas e trabalho escravo.
exigia a cobrança de tributos. Ficou decidido holandeses e franceses que se apoderavam das
que a quinta parte do ouro extraído pertencia ao “drogas do sertão”. Deste povoamento de 03. (MACKENZIE) “A árvore de pau-
Estado. Esse imposto ficou conhecido como defesa surgiram Belém do Pará, Macapá, no brasil era frondosa, com folhas de
“quinto”. Em 1730, ocorreu uma redução para extremo norte, e Manaus, na confluência dos um verde acinzentado quase
12%, mas o Estado exigia um imposto dos rios Negro e Amazonas. São núcleos metálico e belas flores amarelas.
mineradores sobre os escravos que eles fortificados, aos quais se vão reunindo Havia exemplares extraordinários,
possuíam. Esse imposto ficou conhecido como aldeamentos indígenas e colonos que tentam
tão grossos que três homens não
poderiam abraçá-los. O tronco
“capitação”. por em prática as diretrizes do governo de
vermelho ferruginoso chegava a ter,
Em 1750, a capitação foi extinta, e retomaram-se Lisboa, que visava passar da coleta ao cultivo
algumas vezes, 30 metros (...)”
os 20% do quinto, mas a Coroa Portuguesa das drogas do sertão, e apossar-se, assim,
Eduardo Bueno, Náufragos,
fixou uma meta de 100 arrobas anuais a ser efetivamente dessa área. Degredados e Traficantes.
arrecadada. Caso a região mineira não
Em 1550, segundo o pastor francês
alcançasse essa quantia, o governo executaria a
Jean de Lery, em um único depósito
“derrama”, ou seja, a cobrança dos impostos Exercício havia cem mil toras. Sobre essa
atrasados. Essa atitude do governo português
01. (FGV) No período colonial, a renda riqueza nesse período da História do
representava um verdadeiro confisco e ainda
Brasil podemos afirmar.
era realizada com violência. das exportações do açúcar:
a) O extrativismo foi rigidamente
Este novo ciclo econômico trouxe uma medida a) raramente ocupou lugar de destaque na
controlado para evitar o esgotamento
política. Em 1763, ocorreu a mudança da capital pauta das exportações, pelo menos até
da madeira.
da Colônia de Salvador para o Rio de Janeiro, a chegada da família real ao Brasil; b) Provocou intenso povoamento e
mostrando a preocupação do Estado em b) ocupou posição de importância colonização, já que demandava muita
colocar a sede do governo mais próximo da mediana, ao lado do fumo, na pauta das mão-de-obra.
região mineira, a fim de controlar a saída do exportações brasileiras, de acordo com c) Explorado com mão-de-obra indígena,
ouro, evitando o contrabando. os registros comerciais; por meio do escambo, gerou feitorias
O período da mineração foi marcado por um c) mesmo no auge da exportação do ouro, ao longo da costa; seu intenso
notável desenvolvimento artístico na escultura. sempre ocupou o primeiro lugar, extrativismo levou ao esgotamento da
Em Minas Gerais, ganhou enorme expressão o continuando a ser o produto mais madeira.
movimento barroco, cujo maior destaque foi importante; d) O litoral brasileiro não era ainda alvo
Antônio Francisco Lisboa, o “Aleijadinho”. d) ocupou posição relevante apenas de traficantes e corsários franceses e
OUTRAS ATIVIDADES DO PERIODO COLONIAL de outras nacionalidades, já que a
durante dois decênios, ao lado de
madeira não tinha valor comercial.
PECUÁRIA – Atividade complementar da outros produtos, tais como a borracha, o
e) Os choques violentos com as tribos
economia açucareira. Essa atividade era mate e alguns derivados da pecuária;
foram inevitáveis, já que os
praticada nos próprios engenhos de cana-de- e) nunca ocupou o primeiro lugar, sendo
portugueses arrendatários
açúcar, onde se empregava a força dos animais que mesmo no auge da mineração, o escravizaram as tribos litorâneas para
para fazer funcionar as moendas e para açúcar foi um produto de importância a exploração do pau-brasil.
transportar o açúcar até os portos de embarque; apenas relativa.

3
Desafio História
II, rei da Espanha (1556–1598), que recebeu o
titulo de Filipe I de Portugal. Para assegurar os
domínios e a administração da colônia

Histórico
Professor Francisco MELO de Souza portuguesa na mãos dos portugueses, Filipe II
assinou o Juramento de Tomar (1581).
a) Os portugueses na Amazônia – Os
franceses, os ingleses e os holandeses
As expedições quinhentistas haviam-se instalado na Amazônia no início do
século XVII, com a finalidade de explorá-la
A Amazônia pertencia à Espanha desde o
economicamente. As tropas de Alexandre de
Tratado de Tordesilhas de 1494. A porção
Moura, português, expulsou os franceses do
oriental, da região de Belém pertencia a Portugal.
Maranhão. Francisco Caldeira Castelo Branco
Em janeiro de 1500, Vicente Yañes Pinzon
01. (UFAM) Frei Gaspar de Carvajal, primei- fundou, em 1616, o forte do Presépio de
ro cronista da Amazônia (1542), em chegou, pelo Atlântico, a Belém e batizou o rio
Belém, com o objetivo de manter a possessão
várias passagens de seu relato, indica de Santa Maria de la Mar Dulce. Em 1538,
setentrional para Portugal. Durante esse
algumas cifras populacionais. Fala, por Alonso de Mercadillo tentou navegar o rio
período, a Amazônia representava um quartel-
exemplo, que “em uma só aldeia Amazonas. Partiu de Huánuco do Peru, mas não
general com interesse geopolítico.
encontrou comida para alimentar mil conseguiu atingir seus objetivos, chegou apenas
b) A expedição de Pedro Teixeira (1637–1639)
homens durante um ano”; escreveu até o rio Marañon.
– A finalidade era conquistar o oeste
também que viu “grandíssimas povoa- I. A Expedição de Gonzalo Pizarro e de amazônico para Portugal.
ções que reúnem 50 mil homens”. Vinte Francisco de Orellana (1541–1542) Os relatores da expedição foram Alonso de
anos mais tarde, outros cronistas
a) As causas – Buscavam o El Dorado e o País Rojas e Cristóbal de Acuña. A expedição partiu
confirmaram, de certa forma, as
afirmações de Carvajal. Esses cronistas da Canela. de Cametá, em julho, sob o comando de
são: b) A Odisséia – A Expedição partiu de Quito, no Pedro Teixeira e chegou a Quito, no Equador,
Equador, sob o domínio de Gonzalo Pizarro, e depois de 12 meses.
a) Francisco Vasquez e Capitão Altamirano.
chegou até o rio Napo. A falta de mantimentos IV. Administração colonial
b) Os irmãos leigos Brieva e Toledo.
propiciou a mudança no comando da expedi-
c) Cristóbal de Acuña e Alonso de Rojas. a) O Estado do Maranhão foi criado por Filipe
ção. Orellana assumiu-o. O relator da expedi-
d) Pedraria de Almesto e Maurício de III, da Espanha, em 1621, com capital em São
Heriarte. ção foi frei Gaspar de Carvajal. A expedição
Luís e ligado diretamente a Lisboa. Incluía
e) Jiménez de la Espanha e Laureano de Ia navegou o Alto Amazonas onde encontrou
varias regiões: o Ceará, o Maranhão, o Grão-
Cruz. várias províncias indígenas Cambebas, Iurimá-
guas, Aisuari. No encontro das águas, batizou Pará, o Gurupá, e as Capitanias de Caeté, de
o rio Negro. Um pouco mais abaixo, entrou Cametá, de Tapuitapera, de Marajó, do Cabo
em contato com os temidos manáos; no Baixo do Norte e do Xingu. Em 1652, o Estado do
Caiu no vestibular Maranhão foi extinto e reconstituído em 1654,
Amazonas, o padre relatou a presença das
(UEA–2006) “A distância enorme entre o lendárias amazonas. com a denominação de Estado do Marnhão e
Amazonas e os principais centros de Grão-Pará.
povoamento portugueses explica-nos, de b) O Estado do Grão Pará e Maranhão, criado
certa forma, o abandono a que se viu em 1651, foi desmembrado em 1672, em dois:
relegada a região, durante toda a Maranhão e Rio Negro e Maranhão e Piauí.
primeira centúria após a descoberta.” Essa unidade administrativa foi extinta em
(Mendes Jr., Roncari, Maranhão) 1823, quando D. Pedro I anexou a Amazônia
Assinale a afirmativa errada a respeito ao Brasil.
da conquista da Amazônia no período
V. A colonização da Amazônia
colonial brasileiro.
a) Além de portugueses, também irlande- a) O Sistema de Capitães de Aldeia (1611) foi a
ses, ingleses, espanhóis e holandeses primeira lei que regulamentava a exploração
interessavam-se pela região, uns estabe- econômica da Amazônia, principalmente o
lecendo feitorias, outros tentando o Fig. 01. Mapa da expedição de Orellana, 1541–42. recrutamento da mão-de-obra indígena. O
plantio de urucum. Capitão de Aldeia era responsável por escoltar
II. A Expedição de Pedro de Ursua e Lopo de
b) Na busca de escravos, presadores portu- os descimentos, controlar o recrutamento e
Aguirre (1560–1561)
gueses pagavam com bebida alcoólica e distribuir a mão-de-obra indígena entre os
mesmo com armas a grupos aliados para a) As Causas – encontrar as províncias das esme- colonos e retirar os vinte por cento da coroa.
ajudar a capturar outros índios. raldas, o País de Rupa-Rupa e o El Dorado Havia três formas de recrutamento:
c) As apologias que se fazem aos bandeiran- b) A Jornada – Partiu de Iquito (Peru) sob o Descimentos – Os índios eram considerados
tes e desbravadores nem sempre levam comando de Pedro de Ursua, em 1560, com livres e levados para um aldeamento missio-
em consideração a brutalidade com que 370 soldados, muita bebida e mulheres. Os nário para serem catequizados e utilizados
escravizavam e assassinavam populações relatores da Expedição foram Francisco como mão-de-obra assalariada.
indígenas. Vazques, capitão Altamirano, Pedraria de Guerras Justas – Eram feitas contra os índios
d) As ordens religiosas estabelecidas no Almesto, Gonzalo de Monguia e Gonzalo de que se recusassem a descer livremente ou
Vale Amazônico, fossem de jesuítas, Zuñiga. Essa expedição confirmou o relato atacassem os portugueses. Os índios
capuchinhos, mercedários, beneditinos e deixado por Frei Gaspar de Carvajal. A recrutados pelas Guerras Justas eram
mesmo franciscanos serviram-se de
expedição foi marcada por conflitos políticos, escravizados.
catequese explorando o trabalho
assassinatos e doenças como a malária, que Resgates – As tropas de resgates ocorriam
indígena na coleta das drogas do sertão.
matou vários membros da expedição. com o objetivo de estabelecer trocas de
e) Dentre todos os colonizadores, somente
os jesuítas não se serviram de nenhuma III. União Ibérica (1580–1640) produtos portugueses, com as tribos aliadas,
forma de trabalho indígena, praticando Em 1580, instalou-se uma crise sucssória em por índios capturados em guerras intertribais.
exclusivamente a catequese. Portugal. Em 1578, o rei Dom Sebastião I Os conflitos entre colonos e missionários
Comentário: Havia dois tipos de colonos na morrera na batalha de Acácer-Quibir contra os eram constantes; o Pe. Antônio Vieira
Amazônia durante o período colonial, os leigos e mouros, no norte da África, não deixndo defendia que o controle da mão-de-obra
os missionários. Portanto todos os colonos, herdeiros. Assumira o trono português, como indígena deveria estar nas mãos das missões.
leigos e missionários, utilizavam-se da mão-de- regente, o cardeal Dom Henrique, seu tio-avô, Em 1655, as missões receberam a primeira
obra indígena. Nesse sentido, a alternativa e é a concessão, que vigorou até 1661. Em 1662,
que morreu em 1580. Extinguia-se com ele a
errada. devido aos conflitos com os colonos, os
dinastia de Aviz. O trono foi anexado por Filipe
missionários foram expulsos da Amazônia.

4
coroas para elaborar as áreas de fronteiras foi

Desafio
Mariuá. Mariuá foi urbanizada como
conseqüência dessa ação demarcadora no
governo de Francisco Xavier de Mendonça

Histórico
Furtado, no período pombalino.
As demarcações dos limites territoriais
fracassaram; foram anuladas pelo Tratado de
El Pardo, em 1761.
Fig. 02. Francisco Requenta y Herrera. Missão 4. Tratado de Santo Ildefonso (1777) – Tinha por
Jesuíta espanhola de san Joaquim de Omáguas, no finalidade reeditar as fronteiras delimitas pelo
alto amazonas peruano.
Tratado de Madri (1750).
A Revolta de Beckman – Ocorreu após a d)A Viagem Filosófica do Rio Negro (1783– 01. (UTAM) Durante a famosa expedição de
coroa dar a segunda concessão administrativa, Pedro Teixeira (1637–1639), o frei
1792) – A expedição científica de Alexandre
em 1680, aos missionários. A proposta dos Cristóbal de Acuña produziu um dos
Rodrigues Ferreira chegou a Belém em 1.° de
missionários jesuítas era substituir a mão-de- mais completos relatórios sobre a
obra indígena pela negra. Para introduzir setembro de 1783. Depois, a expedição partiu
Amazônia do período colonial: “O Novo
negros na Amazônia e promover essa substi- para a Ilha de Marajó, em setembro de 1784 e
Descobrimento do rio Amazonas”.
tuição, foi criada a Companhia de Comércio do de lá partiu para a Capitania de São José do Qual das alternativas abaixo melhor •
Maranhão e Grão-Pará. Os negros que Rio Negro, onde permaneceu por dois anos. corresponde à situação política da
chegaram à Amazônia via Companhia de Nesse período, explorou cientificamente o Amazônia na época dessa viagem:
Comércio não eram suficientes e muito oneroso Uapés, o Içana, o Araçá, o Demi, O Ixié, o a) Passa a ser objeto de cobiça de outras
para atender às necessidades dos colonos. Por Cauaburis e o rio Branco. A expedição também nações européias devido à imediata
outro lado, os recrutamentos continuaram publicação, pela Coroa portuguesa, da
subiu o rio Madeira e explorou o Guaporé até o
sendo feitos, mas os missionários monopoli- crônica da Expedição de Pedro Teixeira.
Mato Grosso. Em fins de 1792, regressou a
zavam a mão-de-obra adquirida. Os fazendei- b) Torna-se, de direito, um domínio da
Belém, depois rumou para Lisboa. A obra
ros do Maranhão, sob a liderança de Manuel Coroa portuguesa, com a tomada de
Beckman, expulsaram os jesuítas da Amazônia. elaborada nessa expedição reúne dados sobre
posse por Pedro Teixeira.
geografia, história, botânica, zoologia,
c) Era parte integrante do Estado do
etnografia e geologia. Maranhão, criado em 1621, pelo Governo-
Em 1997, pela primeira vez uma parte do Geral da União Ibérica (1580–1640).
acervo etnográfico coletado por Alexandre d) Estava subordinada ao Governo Geral do
Rodrigues Ferreira, durante sua viagem Brasil, mas administrada diretamente por
Filosófica, foi mostrada aos brasileiros por Lisboa.
e) Sofria intervenções simultâneas dos
meio da exposição Memórias da Amazônia:
monarcas ibéricos D. João IV, de Portugal
expressões de identidade e afirmação étnica,
e Filipe II, da Espanha.
realizada em Manaus, a partir de um convênio
Fig.03. A presença de negros na Amazônia durante assinado entre a Universidade Federal do 02. (UEA–2006) A disputa pelo controle da
a revolta de Beckman.
Amazonas, a Universidade do Porto e a
Amazônia envolveu interesses econômi-
b)O regimento das Missões (1686). A cos, estratégicos, preconceitos, inclusive
Universidade de Coimbra.
segunda lei de regulamentação da de espanhóis e portugueses que
e) O diretório Pombalino (1750-1777) – Com a
colonização da Amazônia, criada pela coroa
supunham, desde o século XVI, ter
ascensão de D. José I ao trono de Portugal, direito à soberania sobre a região. A
portuguesa, garantiu o controle absoluto das
Sebastião José de Carvalho e Melo, o futro respeito do processo de conquista e
aldeias aos missionários. Cabia aos
Marquês de Pombal, foi nomeado ministro ocupação européia da Amazônia,
missionários o controle do recrutamento e a
das relações exteriores de Portugal e assinale a alternativa incorreta
distribuição da mão-de-obra indígena, a
cobrança de impostos e o repasse para a administrador das colônias portuguesas. As a) A crença nas amazonas, as mulheres
coroa bem como a determinação da justiça. Principais medidas pombalinas para a guerreiras, difundida desde o século XVI,
Amazônia foram: autorização do casamento diz respeito à transposição de referências
de Homero à Guerra de Tróia, e não as
entre brancos e índios; extinção do
características de organização social dos
Regimento das Missões e expulsão dos
indígenas amazônicos.
jesuítas da Amazônia; garantiu direito a b) A lenda do Eldorado associa-se na
cidadania aos indígenas e; propiciou perspectiva mentalista européia e parecia
mudanças administrativas – dividiu a Província confirmar-se em algumas conquistas,
em duas Capitanias; criou a Companhia de como a do México e a do Peru.
Comércio do Grão-Pará e Maranhão; c) Os suportes econômicos portugueses na
transformou os aldeamentos em Lugar, Vila e Região Amazônica foram as tentativas de
introdução de culturas orientais para
Cidade e nomeou o irmão Francisco Xavier de
Fig. 04. O Pe. Antônio Vieira. exportação, de extração de drogas do
Mendonça Furtado como governador da
O Alvará Régio, de 1688, autorizava a sertão e a captura de indígena para
Amazônia. escravizar.
escravização dos índios resgatados.
d) No século XVII, diversas missões
c) Os tratados de fronteiras na Amazônia
religiosas instaladas no Vale Amazônico
1. Tratado de Tordesilhas (Espanha e Portugal) praticaram a catequese e exploraram o
foi desrespeitado no período da União Ibérica trabalho indígena na coleta de essências
pelos movimentos bandeirantes. aromáticas, corantes medicinais e
2. Ocorreram dois tratados de fronteiras com a alimentos.
França, 1713 e 1715, chamados de Tratados e) Além de busca de compravação das
de Utrcht. fantasias de Sir Walter Raleigh sobre o
3. O tratado de Madri (1750), foi firmado entre Eldorado e as amazonas, a exploração da
Portugal e Espanha para estabelecer as área selva tinha conotação apenas política,
pertencentes a essas nações na Amazônia. O desprezando os aspectos econômicos.
ponto de partida dos funcionários das duas Fig. 05. Marquês de Pombal.

5
Desafio Geografia do Brasil enquanto em outras a maioria da população
vive na zona rural.
Professor Paulo BRITO Um espaço de conflitos.

Geográfico
A construção de grandes rodovias, os projetos
de mineração e a expansão da agropecuária na
Região Norte têm sido realizados à custa de
muitas lutas, perseguições e mortes de brancos
A população amazonense
e de indígenas.
Até a década de 1970, o ritmo de crescimento O número de sem-terra na Região é grande e
populacional da Região Norte era muito tem aumentado ainda mais nos últimos anos.
pequeno. Devido à sua grande extensão, à falta São seringueiros, castanheiros, lavradores,
01. de meios de comunicação e ao pequeno peões de fazendas de pecuária e migrantes de
desenvolvimento economeio, a Região não atraía outras regiões brasileiras que se instalam em
migrantes, permanecendo pouco populosa. áreas desocupadas, aparentemente sem dono,
A partir de então, o quadro começou a se mo- para morar e produzir. Essa ocupação gera uma
dificar, em razão de vários fatores: descoberta de série de conflitos, como se verifica no sul e no
minérios, instalação de garimpos, derrubada de sudeste do Pará.
grandes extensões da floresta para o estabeleci- Esses conflitos ocorrem principalmente nas
mento de projetos agropecuários e construção áreas em que há um grande avanço da pecuária
de estradas de rodagem. Foram importantes e da mineração, que não deixam espaço para
também os incentivos governamentais para o pequenas propriedades.
Associando-se as tabelas, está correto povoamento e a colonização. Também os indígenas da região sofrem com a
afirmar que: Observe, no gráfico, o crescimento populacional
a) o segundo maior colégio eleitoral expansão agropastoril e mineradora. Embora o
brasileiro está mais suscetível à práticas da Região Norte nas últimas décadas. Brasil tenha terras indígenas delimitadas nas
clientelistas devido à baixa escolaridade Região Norte: Crescimento da população* chamadas reservas, que são protegidas por lei,
da população. essas terras muitas vezes são invadidas.
b) os analfabetos funcionais não são
Um dos exemplos dessa luta pela terra foi o que
suscetíveis ao populismo, na Região Sul,
porque essa região recebeu imigrantes aconteceu com a tribo dos Yanomami, habitantes
europeus: de Roraima. Na década de 1980, a reserva dessa
c) o menor colégio eleitoral do Brasil é tribo foi invadida por dezenas de milhares de
menos suscetível à corrupção porque a garimpeiros. Desde então, a população
população, cuja escolaridade é mais
Yanomami sofreu um verdadeiro processo de
elevada, controla mais facilmente os
políticos. extermínio, vítima da destruição de seu ambiente
d) o maior colégio eleitoral do país está livre e de doenças transmitidas pelos invasores.
do voto de cabresto porque apresenta a Um dos exemplos dessa luta pela terra foi o que
menor taxa de analfabetismo funcional. aconteceu com a tribo dos Yanomami, habitantes
e) o desconhecimento dos candidatos, pelo
de Roraima. Na década de 1980, a reserva dessa
eleitor, aliado à alta taxa de analfabe-
tismo, inibe o populismo na Região tribo foi invadida por dezenas de milhares de
Centro Oeste, área de migração. garimpeiro. Desde então, a população Yanomami
sofreu um verdadeiro processo de extermínio,
02. (UFSM RS) Sobre o contingente da
população indígena brasileira a partir Fonte: IBGE. Censo demográfico 2000 (Sinopse vítima da destruição de seu ambiente e de
do século XX, pode-se afirmar que: preliminar). * Em 1990 não houve recenseamento. doenças transmitidas pelos invasores.
I. se verifica uma tendência de aumento O Norte tem 12.900.704 habitantes. Como a Como vimos, o Norte constitui a última fronteira
desse contingente, principalmente em extensão territorial da Região é grande, a densi- de expansão econômica do País, e por isso ainda
função da delimitação de reservas dade demográfica é de apenas 3,4 habitantes se verificam aí muitos conflitos. Nos últimos anos,
indígenas. porém, têm-se ampliado na Região os meca-
por quilômetro quadrado, a mais baixa do Brasil.
II. Essa população, hoje muito reduzida
A população está distribuída de forma muito nismos de organização de diversas categorias
(menos de 0,5%), está concentrada,
principalmente, nas regiões Norte e irregular pelo espaço regional. Algumas poucas sociais, como seringueiros, produtores rurais e
Centro-Oeste. áreas em Roraima, em Rondônia, no Amapá, no indígenas. Isso sem contar a formação de grupos
III. a superfície total das terras indígenas Pará, em Tocantins e no Acre apresentam densi- ambientalistas e de defesa dos direitos humanos.
equivale a um percentual pouco dades demográficas superiores a 25 habitantes É preciso reconhecer que essas iniciativas têm
significativo da área do Brasil.
por quilômetro quadrado; somente as áreas sido respostas à forte intervenção do Estado,
IV. Ocorre um etnocídio no modo de vida,
nos hábitos, nas crenças na língua, na onde estão situadas as cidades de Belém e que marcou e ainda marca a organização desse
tecnologia e nos costumes. Manaus ultrapassam os 100 habitantes por espaço regional.
Estão corretas: quilômetro quadrado. O povoamento
a) apenas I e II. b) apenas II e III. As cidades e os povoados concentram-se às
c) apenas I e IV. d) apenas III e IV. Durante mais de cem anos após a chegada dos
margens dos rios, mantendo as características
e) I, II, III e IV. portugueses ao Brasil, a Amazônia só era conhe-
iniciais da ocupação do espaço.
cido por expedições que para lá se dirigiam para
03. (UTAM) O que significa a expressão Somente duas cidades da Região Norte apre-
aprisionar índios ou em busca das drogas do
“Investimentos Demográficos”? sentam população superior a um milhão de
sertão (cacau, canela, baunilha, madeiras
a) Despesas com alimentação, saúde e habitantes. Uma delas é Belém, uma das
educação de menores de idade. aromáticas), que eram vendidas à Europa e
metrópoles regionais brasileiras; a outra é
b) Métodos anticoncepcionais como rendiam algum dinheiro aos exploradores.
Manaus, que deve grande parte de seu recente
laqueadura ou vasectomia para a A ocupação e o povoamento da Amazônia tive-
crescimento demográfico à Zona Franca aí
diminuição do índice de natalidade ou ram início no século XVII, quando o governo
como planejamento familiar. instalada.
português resolveu instalar, junto à foz do rio
c) Grandes contingentes de pessoas com Ao estudar a geografia da Região Norte, uma
baixo grau de instrução ocupando o mer- Amazonas, uma fortificação que deu origem à
das maiores transformações observadas, é o
cado de trabalho urbano. cidade de Belém. Um pouco mais tarde, foi funda
rápido processo de urbanização ocorrido nos
d) Despesas do Estado com educação, do o núcleo que originou a cidade de Bragança.
últimos anos. Até os anos 1970, a maior parte
aposentadorias, programa de assistência No século seguinte ocorreram dois tipos de
social e saúde da população. da população morava na zona rural. A partir de
então, a situação inverteu-se. No entanto isso ação povoadora: as missões religiosas, que
e) Gastos de Estado para o pagamento de
aposentadorias e pensões para a popula- não acontece em todos os estados da Região. tinham o objetivo de catequizar os índios, e as
ção da terceira idade. Algumas áreas são bastante urbanizadas, expedições militares, organizadas para defender
o território.

6
Somente a partir do fim do século XIX, começou A integração regional

Desafio
a ocupação do interior da Amazônia com a O espaço rural da Região Norte começou a se
exploração da borracha. modificar a partir dos anos 1960. O fator
No século XX, centenas de imigrantes japoneses principal que contribuiu para essa transformação
instalaram-se em núcleos coloniais, principal- foi o esforço do Governo Federal para integrar o

Geográfico
mente no Pará, na chamada região Bragantina, Norte ao Centro-Sul do País. Entre as medidas
entre as cidades de Belém e Bragança. Aí estabelecidas pelo governo, cabe destacar:
fundaram uma colônia agrícola (Tomé-Açu) e • A criação da Superintendência do Desenvolvi-
introduziram a agricultura comercial de pimenta- mento da Amazônia (Sudam), do Banco da
do-reino. Amazônia (Basa) e da Superintendência da
Outros grupos de japoneses fixaram-se no Zona Franca de Manaus (Suframa).
Amapá e no médio curso do Amazonas, onde • O incentivo à concretização de projetos agro-
se dedicaram à plantação de juta. pecuários como forma de expandir a fronteira 01. (UTAM) Os municípios de Itacoatiara,
A borracha e o povoamento do país e incentivar a migração para a Região. Parintins, Iranduba e Presidente
A borracha já era conhecida pelos indígenas da • A colonização dirigida por meio de numerosos Figueiredo têm como principal base
Amazônia quando, na primeira metade do Projetos oficiais do Incra e de projetos privados, econômica, respectivamente:
século XIX, o norte-americano Goodyear criou política que durou até fins da década de 1970. a) Piscicultura, turismo, reserva de nióbio,
processo de vulcanização, que tomava esse • O investimento em infra-estrutura, como a avicultura.
material mais resistente e elástico. A borracha construção de grandes rodovias: Transama- b) Pólo madeireiro, pecuária,
passou a ser muito usada na Europa e nos zônica, Cuiabá–Porto Velho, Cuiabá–Santarém, hortifrutigranjeiro, jazidas de cassiterita.
Estados Unidos, o que significou grande Porto Velho–Manaus. c) Pólo de construção naval, guaraná,
procura e valorização do produto no mercado • A implementação de projetos de exploração dendê, juta.
mundial. mineral, como o do Grande Carajás, iniciado d) Garimpos, fruticultura, indústria argilífera,
No fim do século XIX, intensificou-se a extração na década de 1980. cereais.
do látex das seringueiras nativas na Região • A instalação de projetos militares que visavam e) Juta, banana, castanha, pescado.
Amazônica. ao controle da fronteira norte do País, a
identificação de riquezas minerais e a ocupa- 02. Criado principalmente no Pará, esse
A exploração da borracha é feita de modo
ção do “grande vazio demográfico” da Região. tipo de gado apresenta boas
rudimentar, e, como as seringueiras estão disper-
A maioria das medidas acabou, por não possibilidades de criação na várzea
sas pela floresta, a atividade de extração ocupa
considerar os interesses da população local, amazonense, visto que em Parintins
grandes extensões de terra.
sobretudo a indígena, voltando-se principal- adaptou-se muito bem e, nos últimos
O seringal, como é chamada à área de explora-
mente pata atender à expansão de atividades anos, vem expandindo para o Centro-
ção das seringueiras, pertence ao seringalista,
econômicas e de empresas do Centro-Sul. Com Sul do País. Estamos falando dos:
que controla toda a produção e contrata os
seringueiros. isso, surgiram, na Região, vários conflitos a) ovinos b) suínos
A princípio, os seringueiros eram os próprios sociais, como os que opõem índios, fazendeiros c) bovinos d) búfalos e) n.d.a.
nativos da região, mas, com o aumento da e posseiros. Também afloraram conflitos de
03. UTAM) Vale do Javari – Ronaldo
necessidade de produção, foi preciso atrair ordem ambiental, já que os objetivos e o modo
Barbosa e João Melo:
migrantes de outras regiões. O grupo mais de ocupação variam conforme os diferentes
interesses em jogo: desmatar ou não desmatar,
“Javari, ltuí – Javari, Curuçá – Javari –
numeroso foi o de nordestinos, que, fugindo da
represar ou não os rios, etc.
Bacia dos belos Matis, ltuí”” Berço
seca, migraram aos milhares para a Amazônia,
brabo dos Mayorum, Curuçá – Sina
no fim do século XIX.
feliz dos Kulina; ltacuai – Berço forte
Os seringueiros nordestinos trabalhavam em
dos Marubu, Javari – Cacete de
condições muito desfavoráveis. Além dos Exercício morte”dos Quixitos Kaniwá...”
perigos da floresta e da malária, ainda eram
01. (UFSM–RS) A cara do Brasil é feita O trecho acima se refere a uma região
explorados pelos seringalistas. Ganhavam muito
com todas as cores. A riquíssima das terras indígenas na Amazônia que
pouco e eram obrigados a consumir roupas,
fotografia étnica vem sendo revelada está:
utensílios e alimentos dos armazéns que
pertenciam aos próprios seringalistas. Como
no decorrer do processo histórico que a) Ao norte do Amazonas, entre Roraima e
esses produtos eram vendidos a preços muito
formou nosso povo. Quanto à Venezuela.
elevados, o seringalista acabava recebendo de
composição étnica da população b) No sudoeste do Amazonas, entre Acre e
volta o dinheiro gasto com o pagamento dos
brasileira, pode-se afirmar: Peru.
empregados, que ainda ficavam devendo, I. Em números absolutos, houve uma c) Ao sul da Amazônia, entre Pará Tocantins
acumulando enormes dívidas. diminuição da população indígena, e Mato Grosso.
A procura internacional pela borracha era tão desde o descobrimento até hoje, d) No sudeste da Amazônia.
grande no fim do século XIX e início do século XX provocada pela morte em conflitos e) A leste do Amazonas, na fronteira com o
que esse produto passou a ser o segundo em e pelas epidemias. Pará.
valor nas exportações brasileiras. Era superado II. Os brancos que compõem a popu- 04. Quando se estudam as principais
apenas pelo café, produzido no Sudeste. lação brasileira possuem, em sua atividades econômicas da população de
A exploração da borracha possibilitou o enri- maioria, origem européia; nesse um estado, país ou região, é muito
quecimento de um pequeno grupo de pessoas, conjunto, italianos e alemães comum relacionar o número de pessoas
que se concentraram principalmente em Manaus. formam os grupos mais numerosos que trabalham na agricultura com o
Durante alguns anos, o Brasil liderou a produ- na formação étnica do Brasil. número de pessoas que trabalham na
ção mundial de borracha. Como o produto era III. A população brasileira passa por um indústria. A nomenclatura utilizada para
cada vez mais procurado, a Inglaterra decidiu processo de “embranquecimento” designar o conjunto de pessoas que
fazer grandes plantações de seringueiras em motivado pelos cruzamentos entre trabalham, respectivamente, na
suas colônias do Oriente. Em poucos anos, brancos e outras etnias, diminuindo agricultura e na indústria é:
essas plantações passaram a produzir mais e progressivamente o número de
a) Setor primário e setor secundário.
com custos mais reduzidos que os seringais da negros e mestiços.
b) Setor primário e setor terciário.
floresta Amazônica. A partir de 1913, o Brasil Está(ão) correta(s):
c) Setor primário e setor quaternário.
perdeu sua posição de líder mundial na a) apenas I;
d) Setor secundário e setor primário.
produção de borracha, e muitos seringais foram b) apenas II;
e) Setor de economia formal e setor de
abandonados. A Região logo entrou em c) apenas III;
economia informal.
decadência. d) apenas I e II;
e) apenas I e III.

7
Desafio
Geografia Geral sanitária contribuíram sobremaneira para uma
redução dos índices de mortalidade. Como as
taxas de natalidade eram altas, o resultado foi
Professor HABDEL

Geográfico
uma aceleração do crescimento demográfico.
Simultaneamente, os salários eram baixos, a
jornada de trabalho era extrema (14 a 16 horas
por dia) e a maioria das pessoas que chegavam
Teorias sobre o crescimento do campo não tinham acesso a moradias
populacional dignas. Esse momento de intensa evolução
tecnológica e de crescimento econômico foi um
“O problema do crescimento demográfico hoje
marco de intensa exploração da classe operária.
não consiste só no fato de que a cada ano existe
De um lado, a riqueza, concentrada nas mãos
um acréscimo de quase 80 milhões de pessoas
01. (PUC–RIO) A taxa de crescimento de poucos. De outro, a extrema pobreza na qual
no planeta que consomem recursos. O fato
populacional atual da Rússia é vivia a maioria da população.
básico é que povos diferentes produzem padrões
negativa: a população do país Era preciso buscar explicação e solução para
demográficos diferentes – alguns crescendo
diminuiu em 286 mil pessoas no esse dilema. Foi então que Thomas Robert
depressa, outros estagnados e outros ainda em
primeiro quadrimestre deste ano. O Maltus no livro Enssay on the Principle of
número de mortes no país é, em declínio absoluto” (Kennedy, Paul. Preparando
Population, publicado em 1798, interessou-se
média, 70% superior ao número de para o século XXI. Rio de Janeiro, Campus, 1993).
pelas “leis da população”. Ele concluiu que o
nascimentos. A diminuição vem Em 12 de outubro de 1999, a população crescimento populacional excedia à capacidade
ocorrendo desde o desmantelamento mundial chegou à cifra dos 6 bilhões. Se da terra de produzir alimentos. Essa teoria
da União Soviética, em 1991. levarmos em consideração que, no início da Era baseava-se na “lei dos rendimentos
Essa situação é decorrência: Cristã, esse número atingia pouco mais de 250 decrescentes”, segundo a qual o ingresso de
a) dos fluxos migratórios em direção à milhões, isso representa um crescimento trabalhadores no processo de produção não
Europa Ocidental; fantástico. É verdade que ocorreram ritmos representa um proporcional aumento da
b) da rigorosa política de governo de diferentes de crescimento da população mundial produção de alimentos. Isso aconteceria porque
controle da natalidade; nos últimos dois mil anos. Houve momentos de a disponibilidade de terra para o cultivo e a
c) do aumento da mortalidade na base e crescimento mais acelerado e outros de
no corpo da pirâmide etária; criação permaneceria a mesma.
crescimento moderado. A solução estaria numa “restrição moral” aos
d) do elevado número de idosos e da baixa
taxa de fecundidade; nascimentos. “[...] proibir o casamento entre
e) das mudanças ocorridas na economia pessoas muito jovens; limitar o número de filhos
do país a partir da desestruturação da entre as populações mais pobres; elevar o
União Soviética. preço das mercadorias e reduzir os salários, a
02. (PUC–PR) “O governo francês irá pagar fim de pressionar os mais humildes a ter uma
uma licença de 750 euros (cerca de R$ prole mais numerosa”. (MOREIRA, Igor. O
2.050,00) por mês, durante um ano, a espaço geográfico: Geografia geral e do Brasil.
famílias que decidirem ter um terceiro p. 134, São Paulo: Ática, 2002.
filho, anunciou ontem o primeiro- "De outro lado, apontava os controles sociais
ministro do país, Dominique de Villepin”. positivos como capazes de realizar a redução do
(Folha de S. Paulo, 23.09.2005). crescimento vegetativo. Aumentar a mortalidade
A reportagem acima ilustra uma por meio do estímulo às guerras, o retorno de
política cada vez mais comum entre os doenças que dizimariam um número muito
países europeus. As alternativas abaixo grande da população e da extinção da ajuda
contêm possíveis causas que motivam
social aos carentes seria, para Malthus, um
a adoção de tais medidas, EXCETO:
caminho seguro para o equilíbrio populacional.
a) as baixas taxas de natalidade de muitos
Ele admitia "... que as barreiras naturais que
países europeus;
impedem o crescimento da população animal
b) as altas taxas de mortalidade européias,
que resultam na diminuição da PEA – atuavam igualmente nas populações humanas.
população economicamente ativa; Assim, a miséria seria uma espécie de vingança
c) a tentativa de evitar que num futuro em da natureza contra os homens que teimavam em
médio prazo a população nativa possa se multiplicar" (Garret Hardin, Evolução e
tornar-se minoritária diante da população controle da natalidade. p.17.).
imigrante – cujas taxas de crescimento Apesar de encontrar eco entre certos
vegetativo são bem mais altas; estudiosos, o malthusianismo foi superado, em
d) o impacto que a diminuição da mão-de- razão de alguns erros e exageros cometidos por
obra ativa está causando ao sistema * Estimativa da ONU. Malthus. O tempo mostrou que tanto a
previdenciário europeu; Fonte: L'État du Monde 2000. Paris.
população quanto a produção de alimentos
e) a difícil tarefa dos dirigentes da União
Dois momentos foram excepcionalmente experimentaram crescimento completamente
Européia em administrar a necessidade
importantes. O primeiro perdurou entre os diferente do previsto por ele.
de manuntenção de um fluxo controlado
de movimentos populacionais séculos XVIII e XIX, e coincidiu com a Em geral, as taxas de crescimento demográfico
horizontais ao mesmo tempo em que consolidação do sistema capitalista de diminuem com o aumento do nível de vida das
tenta reprimir o aumento da xenofobia. produção e a Revolução Industrial. O segundo populações. A agricultura evoluiu e passou a
começou na segunda metade do século XX e produzir mais com o desenvolvimento
03. São considerados como defensores
ainda está em curso. O certo é que foi o tecnológico. A maior parte das terras
de uma política de controle da
natalidade e, normalmente, bastante para provocar o surgimento de teóricos agricultáveis disponíveis no Planeta está nas
argumentam que uma população que se debruçaram sobre o problema e mãos de poucos. Nos países subdesenvolvidos,
estacionária é mais favorável ao propuseram soluções. os principais produtos exportados são os
desenvolvimento econômico. Crescimento populacional nos séculos XVIII e alimentícios, justamente os que faltam na mesa
Trata-se dos: XIX da maioria de suas populações.
a) Pessimistas. Nos países que se industrializavam na Europa Aceleração demográfica nos séculos XX e XXI
b) Otimistas.
do século XVIII, perceberam-se mudanças no Após a Segunda Guerra Mundial, a humanidade
c) Neomalthusianos.
quadro sócioeconômico. O aumento na assistiu ao mais espetacular crescimento
d) Progressistas.
e) Marxistas. produção de alimentos, a migração campo- demográfico. A população mundial salta de dois
cidade, a ocorrência de uma revolução médico- para seis bilhões em apenas 50 anos. Muitos

8
Desafio
dos avanços tecnológicos na fabricação de responsável pela redução do
medicamentos e tratamentos médico- crescimento vegetativo nos países
hospitalares chegaram aos países desenvolvidos:
subdesenvolvidos. A agricultura e a pecuária a) Um rígido controle de natalidade.

Geográfico
foram sendo modernizadas. A industrialização b) A distribuição gratuita de pílulas
passou a ser um processo de desenvolvimento anticoncepcionais e incentivo às famílias
que também chegara a muitos desses países. para ter menos filhos.
Isso provocou uma marcha da população em c) As multas aplicadas às famílias com
direção às cidades. Nelas, as condições de vida mais de três filhos.
eram melhores. d) A melhoria dos padrões de vida da
“Nos países em desenvolvimento, o crescimento população em geral.
demográfico urbano resulta antes das e) A Primeira Revolução Industrial.
migrações e da expansão geográfica e espacial 01. (UFLA) Uma análise recente do
das cidades que do crescimento natural 02. Urbanização, aumento do nível de comportamento da população mundial
(excedentes dos nascimentos sobre os óbitos) escolaridade, principalmente das tem demonstrado duas evidências: a
de sua população. Mas a fecundidade das mulheres, melhor distribuição da renda primeira é a diminuição da taxa de
famílias de imigrantes e de habitantes das áreas e planejamento familiar espontâneo fecundidade global (o número de filhos
absorvidas pelas cidades freqüentemente são mecanismos que proporcionariam que uma mulher tem ao longo de sua
continua sendo, durante uma geração, superior a redução das taxas de crescimento vida); a segunda evidência é a
à das famílias naturais do meio urbano. E, no vegetativo e a melhoria das condições elevação da expectativa de vida da
fim desse período de adaptação, a diminuição de vida nos países subdesenvolvidos. população, o que significa na prática
da fecundidade costuma ser neutralizada pela Esse ideário relaciona-se: que as pessoas estão efetivamente
queda da mortalidade infantil, muito mais rápida a) aos neomalthusianos; vivendo mais no Planeta, e isso vale
nas cidades que no campo”. (AMANI, Mehdi. A b) aos reformistas; para as pessoas dos países mais
explosão urbana. O Correio da Unesco. ano 20, c) aos anarquistas; pobres (50 para 67 anos), dos países
n.° 03, março de 1992). d) aos malthusianos; mais ricos (76 para 86 anos) e dos
Essa aceleração demográfica torna-se e) aos socialistas. países menos desenvolvidos (63 para
preocupante quando se verifica que a maior 73 anos).
parte dos que nasceram nesse período
03. A primeira aceleração do crescimento
populacional coincide com a Em termos populacionais, a relação
encontram-se no lado pobre da humanidade.
consolidação do sistema capitalista e entre as evidências: elevação da
Nesse momento, surgem duas correntes de
o advento da Revolução Industrial, expectativa de vida e redução dos
pensamento sobre o problema demográfico.
durante os séculos XVIII e XIX. Nos níveis de fertilidade gera:
Uma delas, a dos neomalthusianos, que é
hegemônica, advoga que a causa da pobreza e
países que se industrializavam, a a) o aumento do número de idosos;
do subdesenvolvimento é o excessivo
produção de alimentos aumentou, e a b) a diminuição das taxas de natalidade;
crescimento demográfico nos países
população que migrava do campo c) o aumento das taxas de mortalidade
subdesenvolvidos. Essa é a corrente dos que
encontrava na cidade uma situação infantil;
recuperam alguns dos preceitos do
socioeconômica e sanitária muito d) o aumento das médias de densidade
malthusianismo. Apontam os pobres dos países
melhor. Assim, a mortalidade se............ demográfica;
subdesenvolvidos como os únicos culpados
..........1.................e os índices de e) o aumento da base da pirâmide etária.
pela sua própria pobreza. Como solução,
crescimento populacional se ..............
2........... 02. (Unitau) Durante a Conferência
defendem o controle da natalidade, Internacional sobre a População em
responsabilidade que conferem aos Estados.
A alternativa que completa correta-
mente os espaços 1 e 2 no texto Desenvolvimento, realizada na primeira
Acreditam que agindo assim diminuiriam a quinzena de setembro de 1994, no
pressão sobre recursos naturais
acima é:
Egito, foi amplamente discutida a mais
(ecomalthusianos) e pelos parcos recursos a) elevou / elevaram famosa teoria sobre população,
financeiros disponíveis. Esquecem-se do b) elevou / reduziram elaborada no fim do século XVIII, de
passado de exploração colonial. Esquecem, ou c) reduziu / elevaram autoria de:
não querem admitir, que há desigualdades nas d) acelerou / desacelerou
a) F. Ratzel.
relações comerciais internacionais. Não vêem e) estagnou / desaceleraram
b) T. Malthus.
que a terra, nesses países, está concentrada
04. Observe as seguintes afirmativas: c) T. Morus.
nas mãos de poucos. Terras que, na maioria das
I. Atribuíam a culpa pela situação de d) La Blache.
vezes, quando não produz para a exportação,
miséria dos países subdesenvolvi- e) F. Engels.
serve apenas para especulação.
Noutra extremidade, estão os reformistas. dos as acelerado crescimento 03. O crescimento da população é muito
Acreditam que somente uma melhor distribuição populacional. maior do que a capacidade de
da renda, associada à urbanização das cidades, II. Concordavam que a agricultura era produção de alimentos na Terra. Esse é
ao aumento do nível de escolarização das capaz de produzir alimentos para o enunciado básico da doutrina do
populações, à geração de emprego e renda, ao todos. economista e reverendo anglicano
acesso aos tratamentos e medicamentos e a III. Defendiam programas rígidos e Thomas Robert Malthus, que consiste
moradias dignas é que fará diminuir o oficiais de controle da natalidade, nos seguintes princípios:
crescimento demográfico e superar a condição em geral rotulados de planejamento
a) Progressão geométrica da população e
de pobreza e subdesenvolvimento. São familiar, com o emprego de diversos
baixa taxa de natalidade.
contrários às teses neomalthusianas, porque métodos, como as pílulas anticon-
b) Progressão aritmética da população e
tratam os problemas apenas pelas cepcionais, a ligadura de trompas, o
baixa taxa de natalidade.
conseqüências e não pelas causas. Para os aborto e a vasectomia.
c) Progressão aritmética da população e
reformistas, uma população apresenta elevados Estas características podem ser progressão geométrica dos alimentos.
índices de crescimento porque é pobre e não o atribuídas à teoria demográfica d) Progressão geométrica da população e
contrário. defendida pelos: alta taxa de natalidade.
a) Malthusianos. e) Progressão geométrica da população e
b) Neomalthusianos. progressão aritmética dos alimentos.
Exercícios c) Reformistas.
d) Marxistas.
01. Assinale a alternativa que apresenta o
e) Anarquistas.
motivo que pode ser considerado

9
Desafio Português 06. Na primeira estrofe, as rimas:
a) são todas ricas;

Gramatical
b) são todas pobres;
Professor João BATISTA Gomes c) são ricas e toantes;
d) são pobres e soantes;
e) são ricas e imperfeitas.

Texto 07. Observe o verso seguinte:


Doce é saber que dormes leve e pura
Janela do Amor Imperfeito
Sobre ela, assinale a afirmativa errada:
Thiago de Mello
a) O adjetivo “doce” é predicativo do
Alta esquina no céu, tua janela sujeito.
surge da sombra e a sombra faz dourada. b) O sujeito do verbo “ser” é uma oração
Já não me sinto só defronte dela, subordinada reduzida de infinitivo.
01. Leia o poema seguinte: me chega doce o fel da madrugada. c) A partícula “que” é conjunção
Doze anos. Doze esquinas subordinativa integrante.
nas doze horas do dia, Atrás dela te estendes alva e em sonho d) O complemento de “saber” é oracional.
até que a noite vazia me levas desamado sem saber e) O período não contém nenhum tipo de
o engula em suas neblinas. que mais amor te invento e que te ponho coordenação.
Pelas ruas da cidade sobre o corpo um lençol de amanhecer.
de caixa verde na mão, 08. No verso 12, a expressão “que sabe a
inaugura a mocidade Doce é saber que dormes leve e pura, sal” significa:
ajoelhado no chão depois da dura e fatigante lida a) que tem a sabedoria do sal;
(O engraxate, Farias de que a vida já te deu. Mas é doçura b) que tem a ciência dos que trabalham
Carvalho, Pássaros de Cinza)
com sal;
A partícula que (verso 3) é: que sabe a sal no mais azul do peito c) que cheira a sal;
a) um pronome; onde o amor sofre a pena malferida d) que tem o sabor do sal;
b) uma partícula expletiva; de ser tão grande e ser tão imperfeito. e) que não agrada ao paladar.
c) uma conjunção adverbial temporal;
d) uma conjunção adverbial causal; 09. Nos versos seguintes, os monossílabos
e) uma conjunção adverbial consecutiva. em destaque têm, respectivamente, a
Perscrutando o texto
função sintática de:
01. (FGV/UEA–2006) O verso 5 do texto Doce é saber que dormes leve e pura,
Arapuca remete a um momento da literatura depois da dura e fatigante lida
anterior ao Modernismo. Identifique-o. que a vida já te deu. Mas é doçura
02. Assinale a alternativa na qual que tem a) objeto direto e objeto indireto;
a) Simbolismo
a mesma classificação morfológica b) objeto indireto e objeto direto;
b) Arcadismo
que na frase: “Elas disseram que não c) sujeito e objeto indireto;
viriam.” c) Barroco
d) Terceira Geração do Romantismo d) sujeito e objeto direto;
a) Veja o livro que comprei. e) objeto direto e adjunto adnominal.
e) Segunda Geração do Romantismo
b) Que conversa é essa?!
c) Vocês é que mandam. 02. (FGV/UEA–2006) O texto classifica-se 10. Observe a grafia de “malferida” na es-
d) Peço que voltem logo. como: trofe seguinte; assinale a alternativa em
e) Tudo temos que fazer.
a) écloga.
que se empregou o vocábulo “mal” em
b) elegia.
desacordo com a norma gramatical.
c) ode. que sabe a sal no mais azul do peito
Caiu no vestibular d) soneto. onde o amor sofre a pena malferida
e) poema em prosa. de ser tão grande e ser tão imperfeito.
03. (FGV) Observe os períodos abaixo e
03. (FGV/UEA–2006) Os versos do poema a) Os bifes malpassados causam-me enjôo
escolha a alternativa correta em rela-
ção à idéia expressa, respectivamen- são: imediato.
te, pelas conjunções ou locuções b) Os ovos estão assim, meio moles,
a) decassílabos.
SEM QUE, POR MAIS QUE, COMO, porque foram mal passados pela
b) dodecassílabos.
CONQUANTO, PARA QUE. cozinheira.
c) em redondilha maior.
1. Sem que respeites pai e mãe, não c) Não creio que haja remédio para o meu
d) em redondilha menor.
serás feliz. mal-estar.
e) livres.
2. Por mais que corresse, não chegou a d) Ela procede assim porque foi mal-edu-
tempo. 04. (FGV/UEA–2006) Para o eu-lírico do cada pelos tios-avós.
3. Como não tivesse certeza, preferiu não poema, o amor: e) Ela sempre chegava tarde e justificava-
responder. a) se realiza plenamente na maturidade. se por meio de histórias malcontadas.
4. Conquanto a enchente lhe ameaçasse b) só é possível após a morte.
a vida, Gertrudes negou-se a
11. Observe a grafia de “onde” na estrofe
c) é carregado de imperfeições e sofrimen- seguinte; assinale a alternativa em que
abandonar a casa.
tos. se empregou o vocábulo “onde” em
5. Mandamos colocar grades em todas as
d) se manifesta no desejo carnal. desacordo com a norma gramatical.
janelas para que as crianças tivessem
e) é impossibilitado pela vida dura cotidia-
mais segurança. que sabe a sal no mais azul do peito
na.
a) Condição, concessão, causa, onde o amor sofre a pena malferida
concessão, finalidade. 05. No verso seguinte, pode-se notar? de ser tão grande e ser tão imperfeito.
b) Concessão, causa, concessão, me chega doce o fel da madrugada. a) De onde vem tanto amor?
finalidade, condição. b) Donde vem tanto amor?
a) hipérbole;
c) Causa, concessão, finalidade, c) Os argumentos onde nos apoiamos têm
b) antítese;
condição, concessão.
c) anacoluto; respaldo científico.
d) Condição, finalidade, condição,
d) aliteração; d) Até onde você pretende chegar com
concessão, causa.
e) eufemismo. isso?
e) Finalidade, condição, concessão,
e) Aonde ela voi e onde se esconde ainda
causa, concessão.

10
Dificuldades
é um mistério. b) Que = subordinativa consecutiva
O que conjunção subordinativa consecu-
tiva aparece normalmente nas expressões

da língua
QUE = CONJUNÇÃO tão... que, tanto... que, tamanho... que e
tal... que.
1. QUE = CONJUNÇÃO COORDENATIVA Exemplo:
a) Que = coordenativa aditiva Tanto perseguiu o sonho que conseguiu
O que conjunção coordenativa aditiva realizá-lo.
aparecerá sempre entre duas formas ver- Oração subordinada adverbial
bais de idêntico valor, correspondendo ao consecutiva: “que conseguiu realizá-lo”.
conectivo e. c) Que = subordinativa comparativa
PLEONASMOS VICIOSOS
Exemplos: O que conjunção subordinativa compara-
Pleonasmo vicioso é a repetição de termos
1. Reclama que reclama, mas não toma tiva aparece normalmente nas expressões supérfluos, evidentes ou inúteis na frase. É o
nenhuma atitude séria. mais que, menos que. Fora dessas expres- mesmo que repetição redundante, desneces-
2. A mim que não a ti cabe intervir na em- sões, corresponde a do que ou como. sária, motivada pela ignorância de quem escre-
presa. Exemplo: ve ou fala.

b) Que = coordenativa explicativa Antes, ela corria mais que o irmão. A seguir, uma lista de pleonasmos viciosos
Oração subordinada adverbial compara- que devem ser evitados:
O que conjunção coordenativa explicativa
tiva: “mais que o irmão (corria)” Acabamento final
pode ser substituído por pois ou porque
Adiar para o dia seguinte
(também conjunções coordenativas expli- d) Que = subordinativa concessiva
Almirante da Marinha
cativas). O que conjunção subordinativa conces- Alocução breve
Exemplos: siva corresponde a embora ou a ainda Antecipar para antes
1. Levante-se, que o sol já vai alto. que, por mais que. Bonita caligrafia
2. Apressemos o passo, que a noite já vai Exemplo: Brigadeiro da Aeronáutica
chegar. Introduzir dentro
Boa que seja a moça, ela não é nenhuma
Brisa matinal da manhã
c) Que = coordenativa adversativa santa.
Canja de galinha
Oração subordinada adverbial concessiva:
O que conjunção coordenativa Conclusão final
“Boa que seja a moça”.
adversativa corresponde a mas, porém. Consenso geral
e) Que = subordinativa temporal Conviver junto
Exemplos:
Criar novos
1. Outros livros, que não estes aqui, po- O que conjunção subordinativa temporal
Dar de graça
deriam ajudá-los na prova de vestibular. corresponde a logo que, antes que,
Decapitar a cabeça
assim que, depois que, sempre que.
2. Preciso de dinheiro, que não essa Demente mental
quantia exagerada. Exemplo: Descer para baixo
Convocados que fomos, dirigimo-nos à Elo de ligação
2. QUE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA sala do diretor. Encarar de frente
Enfrentar de frente
a) Que = subordinativa integrante Oração subordinada adverbial temporal:
Entrar dentro (ou para dentro)
O que conjunção subordinativa integrante “Convocados que fomos”.
Erário público
estará sempre iniciando uma oração f) Que = subordinativa final Estrelas do céu
subordinada substantiva, a qual vai O que conjunção subordinativa final Exultar de alegria
exercer, em relação à oração anterior, uma corresponde a para que, a fim de que. Fato verídico
das funções do substantivo (sujeito, Faz muitos anos atrás
Exemplo:
predicativo do sujeito, objeto direto, Fraternidade humana
Ganharam o matagal para que ninguém Ganhar grátis (ou de graça)
objeto indireto, complemento nominal e
os perturbasse. General do Exército
aposto).
Oração subordinada adverbial final: “para Há muitos anos atrás
Exemplos:
que ninguém os perturbasse”. Hábitat natural
1. Foi preciso que a polícia interviesse. Hemorragia de sangue
g) Que = subordinativa causal
Sujeito de “Foi preciso”: “que a polícia Hepatite no fígado
interviesse” O que conjunção subordinativa causal Labaredas de fogo
corresponde a porque, visto que, já que. Lançar novo
2. O importante é que façamos tudo com
Exemplo: Manter o mesmo
muita cautela.
Metades iguais
Predicativo do sujeito: “que façamos Desconfiado que era, mandou instalar câ-
Monopólio exclusivo
tudo com muita cautela”. meras até nos banheiros da residência.
Novidade inédita
3. Quero que você me perdoe. Oração subordinada adverbial causal: Panorama geral
Objeto direto de quero: “que você me “Desconfiado que era”. Países do mundo
perdoe”. h) Que = subordinativa modal Pequenos detalhes
4. É conveniente esquecer-se de que ela Prefeitura Municipal
O que conjunção subordinativa modal
já foi sua esposa. Protagonista principal
corresponde a sem que.
Objeto indireto de esquecer-se: “de Regra geral
Exemplos: Relação bilateral entre dois...
que ela já foi sua esposa”.
1. Farás tudo com normalidade sem que Repetir de novo
5. Sempre haverá necessidade de que o Sair fora (ou para fora)
desconfiem de ti.
povo fiscalize as ações dos políticos. Sentidos pêsames
Oração subordinada adverbial modal:
Complemento nominal de necessidade: Sorriso nos lábios
“sem que desconfiem de ti”.
“de que o povo fiscaliza as ações dos Sua própria autobiografia
políticos”. 2. Sem que percebas, ela irá subtraindo
Subir para cima
as tuas energias. Surpresa inesperada
6. Só desejamos uma coisa: que a nova
Oração subordinada adverbial modal: Viúva do falecido
geração seja melhor que a anterior.
“Sem que percebas”.
Aposto de coisa: “que a nova geração
seja melhor que a anterior”.

11
Encarte referente ao curso pré-vestibular
Aprovar da Universidade do Estado do
EXERCÍCIOS (p. 3)
Amazonas. Não pode ser vendido. 01. A
02. B
DESAFIO HISTÓRICO (p. 3)
Governador 01. A
Eduardo Braga ACUÑA, Cristóbal de. Informes de jesuítas em el 02. E
amazonas: 1660-1684. Iquitos - Peru, 1986. DESAFIO HISTÓRICO (p. 4)
Vice-Governador
ADALBERTO Prado e Silva et al. Dicionário 01. E
Omar Aziz
brasileiro da língua portuguesa. São Paulo: 02. A
Reitor 03. E
Melhoramentos, 1975.
Lourenço dos Santos Pereira Braga DESAFIO HISTÓRICO (p. 5)
ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de
01. D
Vice-Reitor questões vernáculas. 3. ed. São Paulo: Ática, 1996. 02. C
Carlos Eduardo Gonçalves ARRUDA, José Jobson de A. et ali. Toda a 03. D
Pró-Reitor de Planejamento e Administração História: História geral e História do Brasil, 8. ed. DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 6)
Antônio Dias Couto São Paulo: Editora Ática, 2000. 01. A
02. E
Pró-Reitor de Extensão e BECHARA, Evanildo. Gramática portuguesa. 31.
EXERCÍCIO (p.7)
Assuntos Comunitários ed. São Paulo: Nacional, 1987
01. C
Ademar R. M. Teixeira CARVAJAL, Gaspar de. Descobrimento do rio de
DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 7)
Orellana. São Paulo: Nacional, 1941.
Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa 01. C
COELHO, Marcos A. ; TERRA, Lygia. Geografia 02. B
Walmir Albuquerque
Geral. O espaço natural e socioeconômico. 03. E
Coordenadora Geral Moderna, 2001. DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 8)
Munira Zacarias COELHO, Marcos de Amorim. Geografia do Brasil 01. B
02. B
Coordenador de Professores - 5. ed. São Paulo: Moderna, 2003.
03. B
João Batista Gomes HOORNAERT, Eduardo (Coord.). Comissão de
EXERCÍCIOS (p.9)
Coordenador de Ensino Estudos da Igreja na América Latina. História da
01. D
Carlos Jennings Igreja na Amazônia. Petrópolis-RJ: Vozes, 1992. 02. E
MAGNOLI, Demétrio; ARAÚJO, Regina. Sociedade DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 9)
Coordenadora de Comunicação
e Espaço: Geografia geral e do Brasil. São Paulo: 01. D
Liliane Maia 02. C
Ática, 2000.
Coordenador de Logística e Distribuição 03. C
MOREIRA, Igor. Construindo o espaço brasileiro. 04. D
Raymundo Wanderley Lasmar 2. Ed: Ática. 2004. DESAFIO GRAMATICAL (p. 10)
Produção MOREIRA, Igor. O espaço geográfico: Geografia 01. C
Aline Susana Canto Pantoja geral e do Brasil. Ática, 2002. 02. B
03. E
Renato Moraes MOTA, Myryam Becho e BRAICK, Patrícia Ramos.
04. E
Projeto Gráfico – Jobast História das Cavernas ao Terceiro Milênio. 2. ed. São 05. D
Alberto Ribeiro Paulo: Moderna, 2002.
Antônio Carlos SHMIDT, Mario. Nova História Crítica do Brasil: 500
Aurelino Bentes anos de História malcontada. São Paulo: Nova
Heimar de Oliveira Geração, 2003.
Mateus Borja SILVA, Francisco de Assis. História do Brasil. São
Paulo Alexandre Paulo: Moderna, 2000.
Rafael Degelo VESENTINI, José William - 1950. Geografia Crítica: A
Tony Otani Sociedade Brasileira. São Paulo: Ática 2004.

Editoração Eletrônica
Horácio Martins

Este material didático, que será distribuído nos Postos de Atendimento (PAC) na capital e Escolas da Rede Estadual de Ensino, é
base para as aulas transmitidas diariamente (horário de Manaus), de segunda a sábado, nos seguintes meios de comunicação:
• TV Cultura (7h às 7h30 e 23h40 às 00h15) Postos de distribuição:
• Amazon Sat (15h10 às 15h40)
• RBN (13h às 13h30) • PAC São José – Alameda Cosme Ferreira – Shopping São José
• Rádio Rio Mar (19h às 19h30) • PAC Cidade Nova – Rua Noel Nutles, 1350 – Cidade Nova I
• Rádio Seis Irmãos do São Raimundo • PAC Compensa – Av. Brasil, 1325 – Compensa
(7h às 8h e 16h às 16h30) • PAC Porto – Rua Marquês de Santa Cruz, s/n.°
• Rádio Panorama de Itacoatiara (23h às 23h30) armazém 10 do Porto de Manaus – Centro
• Rádio Difusora de Itacoatiara (23h às 23h30) • PAC Alvorada – Rua desembargador João
• Rádio Comunitária Pedra Pintada de Itacoatiara Machado, 4922 – Planalto
(22h00 às 22h30) • PAC Educandos – Av. Beira Mar, s/nº – Educandos
• Rádio Santo Antônio de Borba (18h30 às 19h)
• Rádio Estação Rural de Tefé (19h às 19h30) – horário local
• Rádio Independência de Maués (6h às 6h30)
• Rádio Cultura (6h às 6h30 e 12h às 12h30)
• Centros e Núcleos da UEA (12h15 às 12h45)

www.uea.edu.br e www.linguativa.com.br
Endereço para correspondência: Projeto Aprovar - Reitoria da UEA - Av. Djalma Batista,
3578 - Flores. CEP 69050-010. Manaus-AM