Sei sulla pagina 1di 9

Relatório Individual do 3ºPeríodo

Área de Projecto

2009/2010

Para: Professora Orientadora Mª dos Anjos Poeira

De: Ana Margarida Fernandes Morais, 12ºD, Nº 4

Vila Nova de Tazem, 4 de Junho de 2010

A menos de uma semana de abandonarmos a Escola Secundária de


Seia e rumarmos ao Ensino Superior para escrever o nosso próprio futuro, é
tempo de elaborar o relatório de Área de Projecto e reflectir sobre o
desenvolvimento deste projecto “Ser Português...Portugal no Mundo” ao longo
deste ano lectivo, mais concretamente do seu desenvolvimento final, neste 3º e
último período.

Assim, o presente relatório para além de expor o desenvolvimento dos


aspectos mais importantes das aulas desta área curricular não disciplinar, terá
também uma reflexão crítica da interacção entre os elementos do grupo de
trabalho e os elementos de toda a turma, a interacção e a união dos grupos, a
orientação da professora Maria dos Anjos Poeira e a contribuição de outros
pessoas/entidades fundamentais e, ainda, várias actividades que o grupo
realizou ao longo deste último período.

Depois do trabalhoso 1º Período e do primeiro contacto com esta área


curricular não disciplinar, seguiu-se o preenchido e, mais uma vez, trabalhoso
2º Período. Neste momento, estamos prestes a completar o mais que
preenchido e doloroso 3º Período.
Desde o início deste ano lectivo que tive a percepção de que Área de
Projecto nos fornece uma grande bagagem a vários níveis. Desde as
experiências de organização de actividades, passando pela prática de
preenchimento de documentos formais (burocracias) e, ainda, os fortes e
essenciais conhecimentos que adquiri na elaboração de um trabalho científico.
Todas estas competências adquiridas no âmbito deste projecto vão ser
bastante importantes para o desenvolvimento dos meus estudos na
Universidade, pois é uma área curricular não disciplinar que estimula em
grande parte o nosso desenvolvimento enquanto alunos e enquanto cidadãos.

Relativamente ao projecto desenvolvido pela turma “Ser Português...


Portugal no Mundo”, posso dizer que me sinto extremamente orgulhosa por ter
tido um importante contributo num trabalho deste nível, um projecto social de
alto grau que liga a magnífica história de Portugal, às suas variadas e ricas
culturas e tradições, à imagem que os outros e nós mesmos temos deste país
e, ainda, da ligação que estabelecemos para um futuro próximo. Este projecto,
elaborado por alunos de Secundário tem especial relevância, pelo facto de
termos sido, nós jovens, futuras gerações deste país a interessarmo-nos pela
História e pelas raízes culturais dum Portugal há muito distante, contribuindo
assim para o engrandecimento de todo aquilo que se diz “ser português” e para
a preservação das nossas importantes marcas culturais.

Concentrando-me agora apenas neste último período, posso dizer que


foi dos mais difíceis e trabalhosos, pois é sempre na recta final que nos damos
conta dos mais ínfimos pormenores que podemos melhorar ou das mais
pequenas coisas que ainda podemos acrescentar. No entanto, penso que com
a participação e o empenhamento de todos foi possível concluir este projecto
anual de forma bem dignificante.

Relativamente ao trabalho que o meu grupo desenvolveu neste período,


foram uns meses cheios de trabalho, ricos em actividades previstas que ainda
estavam por realizar. Para além das actividades, tivemos ainda que retocar e
melhorar as fundamentações teóricas, realizar a análise empírica dos dados
recolhidos através dos inquéritos e, ainda preparar a apresentação final do
projecto à comunidade educativa.
O tratamento de dados foi feito por dois elementos do nosso grupo – por
mim e pela aluna Mariana Dias. Após a inserção dos dados na base de dados,
foi tempo de elaborar tabelas de frequências e gráficos com informações que
achámos pertinentes e cruzamento de alguns dados (o conhecimento e o
interesse da cultura com a idade, localidade e género e os estereótipos com o
género), desenvolvendo também pequenas conclusões sobre cada gráfico.
Deste estudo empírico, o que podemos destacar é que a maioria dos inquiridos
admite ter algum interesse e conhecimento pela cultura nacional. Os símbolos
portugueses mais referidos foram o Fado, o Galo de Barcelos e a Caravela
Portuguesa e as tradições foram as vindimas, as festas tradicionais e
Folclore. Na questão dos estereótipos é curioso verificar que Portugal é mais
identificado como um país saudosista. Na questão dos estereótipos é curioso
verificar que Portugal é mais identificado como um país saudosista. Neste
processo de elaboração, distribuição e tratamento de inquéritos foram
fundamentais as professoras Lúcia Leitão (ajuda na elaboração do inquérito),
Balbina Andrade (ajuda com o programa SPSS) e a Professora Orientadora Mª
dos Anjos Poeira (construção da base de dados).

Relativamente, à melhoria das fundamentações teóricas, já entregues no


2º Período, a mim foi me pedido que melhorasse alguns excertos do trabalho
produzido e que completasse da melhor maneira algumas referências
bibliográficas que faltavam ou que não estariam feitas de forma correcta. Para
a realização deste importante segmento do projecto foram também
fundamentais as ajudas da Professora Manuela Silva (correcção de todo o
trabalho escrito) e da Professora Orientadora Mª dos Anjos Poeira (através da
junção de todo o material produzido pela turma, para a elaboração do produto
final de projecto – um livro para deixar na BE).

As actividades desenvolvidas neste período e que se inserem


inteiramente dentro do projecto foram:

 “O Humor e a Cultura Portuguesa” – Entrevista aos humoristas


do “Clube da Comédia” (actividade não prevista no plano). Para
esta actividade, eu fiz uma breve entrevista sobre a presença no
humor na cultura portuguesa aos humoristas Aldo Lima, Francisco
Menezes, Nilton e Óscar Branco, no dia 17 de Abril, aquando da
sua deslocação à Casa Municipal da Cultura de Seia. Para tal, a
ajuda do Professor Teófilo foi imprescindível.

 Dinamização da sessão comemorativa do 25 de Abril, “Poesia


de Intervenção” (actividade não prevista no plano) em que todos os
elementos do grupo participaram quer na elaboração de vídeos,
quer na dissertação de vários poemas, no dia 28 de Abril.
Actividade inserida do Projecto “As 5 Portas da Leitura” e referente,
também, à disciplina de Português.

 Realização de uma viagem cultural a Lisboa (actividade não


prevista no plano) que envolveu toda a turma, no dia 30 de Abril.
Ao nosso grupo o que mais nos interessou foi a visita à exposição
“Sem rede” da artista plástica Joana Vasconcelos que utiliza
objectos do quotidiano para representar tradições portuguesas.

 Reportagens e entrevistas locais (tradições académicas –


Coimbra; e tradições locais e artesanato – Seia…). Na visita a
Coimbra apenas a Mariana Dias teve a oportunidade de participar,
sendo que desenvolveu entrevistas a vários estudantes
universitários, sobre as tradições académicas, nos dias 8 e 9 de
Maio. Relativamente, às entrevistas no centro da cidade de Seia,
no dia 14 de Maio, todos os elementos do grupo colaboraram.
Nestas actividades foi imprescindível toda a colaboração dos
entrevistados.

 Dia Cultural, que englobou uma palestra sobre “Canção de


Coimbra” dinamizada pelo João Mendes da Silva (Presidente da
Secção de Fado da AAC), proporcionada pela total disponibilidade
do orador e a ajuda da professora Orquídea Lopes. E, ainda, uma
exposição fotográfica da nossa autoria que retratava algumas das
tradições mais características de Portugal, actividade em que
contámos com incondicional apoio da Professora Manuela Silva e
pelos meios disponibilizados pela BE.
Todas as actividades foram acompanhadas de planos e relatórios que
iam sendo colocados no blogue, progressivamente, bem como os diários de
aula. Quer os planos e relatórios das actividades, quer os diários de bordo,
foram sendo divididos por todos os elementos do grupo. Quanto à manutenção
do blogue, esteve mais uma vez ao meu inteiro encargo, o que me faz ter cada
vez mais conhecimentos sobre estas tecnologias. Mais uma vantagem de Área
de Projecto: a melhoria de competências com as Novas Tecnologias de
Informação e Comunicação, das quais destaco, ainda, o programa SPSS para
o tratamento dos inquéritos, que pode ser útil para o futuro.

Relativamente, à apresentação final, nas últimas semanas surgiram


algumas complicações entre a turma e a orientadora, pois houve um choque de
ideias. Inicialmente, o problema surgiu aquando da escolha do fundo e das
cores para o PowerPoint final. A grande maioria da turma concordou em que o
PowerPoint mantivesse os mesmos fundos e as mesmas cores, para dar um
sentido de unidade ao trabalho. No entanto, alguns alunos manifestaram algum
desagrado e, em consequência, a professora sugeriu que cada grupo
escolhesse o seu próprio fundo, para depois em conjunto escolhermos o mais
indicado para toda a turma, sendo o fundo do meu grupo o escolhido.
Posteriormente, surgiu outra complicação, pois numa aula a turma já havia
decidido que todos os elementos do grupo apresentariam, apesar desta
decisão não ser consensual, foi a vontade de uma expressa maioria da turma.
Mas, dois dias antes da apresentação a professora ordenou-nos que alguns
elementos da turma não apresentariam. Não concordando com esta decisão,
muitas foram as pessoas da turma que manifestaram o seu desagrado, entre
os quais eu me insiro. Este foi um momento de grande crispação e protesto de
ambas as partes. Em poucos minutos, os nervos proporcionaram discursos não
reflectidos e revolucionários, e agora reflectidos, manifestam-se exacerbados.
Com esta dificuldade na comunicação, devido à falta de cedência de ambas as
partes, desobedecemos a algumas direcções da nossa orientadora, para incutir
um toque mais pessoal na apresentação do projecto.

Assim, sugeri que acrescentássemos uma “parte poética” para introduzir


o projecto final. Depois de alguma pesquisa, encontrei um poema intitulado
“Ser Português...” e não tive dúvidas, achei que era o mais indicado. Logo,
acrescentei mais uns parágrafos sentidos e que manifestam o meu sincero
apreço pelo meu país e propus à turma que iniciássemos a nossa
apresentação desta forma, achando que quem deveria iniciar esta
apresentação, seria eu e o André, a delegada e o subdelegado, os
representantes da turma. A turma não manifestou qualquer desagrado, muito
pelo contrário. Relativamente, à parte introdutória em que se referem os tópicos
de cada subtema, os recursos utilizados, etc, feita pela professora, eu e a aluna
Bárbara Patrão achámos por bem, adaptar as cores e converter a informação
para SmartArt, para ser mais perceptível, mantendo as pessoas sugeridas pela
professora. Quanto às apresentações de cada grupo, seguimos as indicações
dadas pela professora, apenas concordámos em turma que todos deveríamos
apresentar. Mais uma vez, eu e a Bárbara Patrão procedemos à junção de
todos os trabalhos adaptando algumas cores e animações, com o objectivo de
dar um maior sentido de unidade ao projecto, dica dada pela professora,
contando também com a ajuda da Rafaela Saraiva, sendo ainda, a aluna
Mariana Silva fundamental, no ajuste de todas as hiperligações, para que tudo
funcionasse da melhor maneira. As considerações finais resultaram da junção
das conclusões de todos os grupos, trabalho elaborado pela aluna Cátia
Soares. Os agradecimentos, resultaram também da junção de todos os grupos,
sendo ilustrados por um vídeo com as actividades realizadas pela turma, feito
pelo aluno Francisco Cruz.

Espero que esta desobediência, típica da nossa faixa etária, um dia


possa ser compreendida, pois não tínhamos qualquer intenção de atacar a
nossa orientador, apenas, pretendíamos dar um toque mais dinâmico, e que no
nosso entender, poderia enriquecer esta apresentação, com forte peso na
avaliação. Acho, apesar de todos os contratempos que a apresentação correu
de uma forma muito positiva, pois todos os elementos da turma se superaram e
deram o seu melhor, para a parte final deste projecto. Penso que todo o nosso
esforço foi reconhecido pelo público que assistiu à nossa apresentação, devido
à “casa cheia”, aos fortes aplausos e aos diversos elogios de muitos elementos
da comunidade educativa.
Foi de facto uma forma bem dignificante de transparecer à comunidade
todo o projecto desenvolvido ao longo deste ano, honrando de forma clara a
História e a Cultura de Portugal.

Depois da fricção inicial do ano, fruto da junção das duas turmas de


Línguas e Humanidades, neste período o clima registado entre todos, já foi
bastante mais positivo.

Assim, a escolha do tema e do subtema revelou-se de facto fascinante e


empolgante, pois gerou-se uma grande envolvência por parte da grande
maioria da turma com o deslumbrante tema “Ser Português... Portugal no
Mundo”, aproximando-nos das nossas raízes culturais, dos nossos vários
costumes... Envolveu-nos cada vez mais com a nossa história, possibilitando
uma bagagem mais ampla enquanto alunos de Línguas e Humanidades. Para
além disso, penso que este projecto aproximou a turma, que inicialmente
apresentava algumas cisões, deixando já um pouco de saudade todos os
momentos de aulas bem passadas.

Quanto ao meu grupo de trabalho, a experiência repete-se, pois este


projecto serviu para nos unir cada vez mais e para aumentar a nossa amizade,
quer devido aos momentos de aula, quer a todos os encontros fora dela,
repletos sempre de grande animação. Penso que a divisão de tarefas pelo
grupo, foi mais ou menos equilibrada, pois este foi um período rico em trabalho.

No meu caso específico, completei diversas vezes o Diário de Bordo;


procedi ao tratamento de dados recolhidos através dos inquéritos, com a
colaboração da aluna Mariana Dias; ofereci-me para a realização da entrevista
aos humoristas; elaborei um vídeo com diversas canções de intervenção
participantes do Festival da Canção e ajudei as minhas colegas nos seus
poemas, para a actividade “Poesia de Intervenção”; melhorei a minha
fundamentação teórica, após as dicas da professora Manuela e da professora
orientadora; participei na elaboração dos planos e dos relatórios das várias
actividades; procedi à elaboração da apresentação final do projecto à
comunidade, com a óbvia ajuda de todos os elementos do grupo e, finalmente,
fui o único elemento a lidar com o blogue.
Assim, orgulho me de dizer que fomos o único grupo da turma a cumprir
com todas as actividades propostas no início do ano (apesar de não cumpridas
nas datas propostas), o que contribuiu para uma forte dinamização do projecto
da turma, onde obviamente contámos com a total disponibilidade da grande
maioria dos alunos da turma.

Ao fim de um ano inteiro de trabalho, penso que tudo foi mais fácil com a
orientação dada pela professora Mª dos Anjos, bem como o contributo fulcral
das docentes Manuela Silva, Balbina Andrade, Lúcia Leitão, Professor Luís
Pinto e restante Conselho de Turma. O que mais uma vez, deixa uma certa
nostalgia depois de todos estes anos de contacto...

Como sugestão de quase “ex-aluna” de Área de Projecto, reforço a ideia


e penso que seria necessário que se revisse o cariz burocrático que esta
disciplina nos impões, ocupando o tempo que poderia ser útil no
desenvolvimento do importante trabalho científico, acompanhado de uma boa
análise empírico.

Consecutivamente, dentro da minha avaliação de grupo, penso que tudo


decorreu com grande normalidade e em continuidade com o período passado,
visto que já somos quase um grupo de há muito tempo. Mais uma vez refiro
que me encontro bastante vaidosa da Carolina, da Mariana e da Patrícia, pois
ao longo do ano acompanharam de forma incansável todo o desenrolar do
projecto... Sentimento, que me vejo obrigada a estender ao resto da turma, pois
todos contribuímos para o projecto deste nível. Mesmo, quando a minha
arrogância teimava em aparecer e quando elevava a minha voz para me fazer
entender, eles compreenderam. Obviamente, que este resultado não seria
possível sem a orientação da Professora Mª dos Anjos Poeira.

Quanto à relação geral da turma, reforço mais uma vez que esta tendeu
a melhor neste último período, pois todos nos superámos para um apresentar
um bom resultado final, contrariando a tendência de desunião que se
manifestou ao início do ano.

A poucas linhas de terminar a minha tarefa de relatar os aspectos mais


consideráveis deste empolgante trabalho, considera que foi sem qualquer
dúvida um projecto que me estimulou e que me fez crescer a todos os níveis,
possibilitando um aumento extraordinário de competências em diversos pontos.
Agradeço, ainda, a todos os intervenientes que directa ou indirectamente
contribuíram para o desenrolar deste projecto, que consecutivamente,
contribuíram para o enriquecimento da minha formação e pelo aumento do
gosto por todo o que envolve o meu rico e místico país. De forma especial, à
Professora Orientadora Mª dos Anjos, que para além da orientação nesta área
curricular, foi nossa professora durante três anos.

Resta-me apenas dizer, que depois de todo este intenso trabalho “sabe
bem o orgulho de se ser português”.