Sei sulla pagina 1di 223
: 4* EDICAO FILOSOFIAVE ARTE DO GRANDE MESTRE —— CONRAD EDITORA DO BRASIL LTDA. CONSELHO EDITORIAL Cristiane Monti Rogério de C GERENTE. DE MARKETING Silvio Alexandre GERENTE DE PRODUTO Claudia Maria do Nascimento mpos CONRAD LIVROS. DIRETOR EDITORIAL Rogério de Campos COORDENADOR EDITORIAL F DE COMUNICAGAO Alexandre Linares COORDENADORA EDITORIAL F DE DIREITOS INTERNACIONATS Luciana Vo COORDENADORA DE PRODUCAO Rita de Cassia Sum ASSISTENTES EDITORAIS ‘Alexandre Boide, Jac HW e Mateus Potumati IEVISORES DE TEXTO Lucas Carrasco e Marcelo Yamashita Salles EDITOR DE ARTE Marcelo Ramos Rodrigues ASSISTENTES DE ARTE ‘Ana Solt, Jonathan Yamakami Marcos R. Sacchi, Nei Oliveira e Vitor Novais Copyright © 1975 by Linda Lee Este livro foi traduzido com autorizacao da Black Belt Communications, Inc. Copyright desta edigao © 2005 by Conrad Editora do Brasil Ltda. 4 edigio novembro/2005 3* edigio novembro/2004 2 edi¢ao marco/2004 lt edigio novembre/2003 Titulo do original: Tao of Jeet Kune Do Capa: JR Ferraz, (com base na capa da edigio americana) ‘Traducao: Tatiana Ori-Kovacs Preparacio de texto: Alexandre Boide Revisio técnica: Daniel Yamauchi Revisio de texto: Luiz Ribeiro e Renato Potenza Rodrigues, Diagramagao: Helen Nakao Produgiio grifica: Alexandre Monti (gerente), Alberto Goncalves Veiga, André Braga ¢ Ricardo A. Nascimento ADVERTENCIA Est iva € apresentado apenas como um meio de preervar um aspect singular da eranga das artes marcas. A ‘Ohara Pubiiations, a Conrad Eaitora do Brasil Lida €@ autor ndo fazem nenfum tipo de declaragZo ou gata uras ou eficazes em uma stuagao de defesa pes nica de defesa pessoa ihstradas neste ivr, 2 ‘Ohara Publications, a Consad Editora do Brasil Lida e © autor néo ce responsablizam pelos fertentosresul- ‘antes, E fundamental consultar um médico antes de tentar aplicar qualquer uma das téenicas aqui desritas. As reagies de dfesa pesoal lustradas nest lvro podem nio scr justfcadas em certassittagdes, em vista das ei eunstincias ou de acordo com 2s leis federals,estaduis ou locals. A Ohara Publications, 8 Conrad Editora do Brasil Ltda. €o autor nfo garantem a legalidade ou a adequacto de nenhuma das ténias aqui menci tia de que as venicas descltas ou iustradas neste lito sejam sc soal ou outras. Voot pode se fer ao aplicar ou ao trina as Dados Intrnaconsis de Catalagaso na Puig (cP) (Camara Taster do Li, st, ra). Lee, Bruce, 1940-1975 Kure Do / Broce Le [eadugt Tatiana Pile = Conad Bara do Brasil, 2003, ISBN 85.76160269 1. Artes marccs 2. Flosfi oriental 3. Jeet Kune Do ee, Bruce, 1940-1973 | Tue w.6424 cop796s152 Ine pur etsogo seem Jeee Kane Do Arts marcas 7960158 ‘CONRAD LIVROS Rua Simio Dias da Fonseca, 93 ~ Aclimagio Sto Paulo ~ SP 01539020 Tels 11 3346.6088 / Fax: 11 3946.6078 stendimento@conradeditors.com.br wove conradeditora.com.br Em uma alma absolutamente livre De todos as pensamentas e emogdes, Nem mesmo o tigre encontra espago Para cravar suas garras afiadas A mesma brisa passa Pelos pinkeiros da montanla E pelos carvathos do vale; Entiio, por que produzem notas diferentes? Nessus pensamento, nenhuma refleia, Vazio perfeito, Porém, algo se move ali, Seguindo seu préprio curso. Os olhos a vier, Mas nenhuma mao pode aleanga-la — A lua no riacho, Nuvem e névou Séio transformagies entre 0 céu ¢ a terra. Acima delas, britham eternamente 0 Sol e « Lua. A vitéria € para aquele Que, mesma antes do combate, Nato pensa em si mesmo, Obedecendo a niio-mente da Grande Origen. Um monge taoista Este livro é dedicado ao artista marcial livre criativo. Aproveite 0 que the for itil e se desenvolva a partir disso AS ARTES MARCIAIS, INCLUINDO © BOXE AETERNA BUSCA POR AUTOCONHECIMENTO COMO ESTE LIVRO FOL ORGANIZADO. INTRODUCAO AO JEET KUNE DO. Zen A Arte da Alma Jeet Kune Do .. Desespero Organizado Principios do Jeet Kune Do A Forma Disforme PRELIMINARES .. Treino Aquecimento Posigio de Guarda . Quadros das Armas . Oito Posigdes Basicas de Defesa. Alguns Alvos. ‘QUALIDADES... Coordenagio. Precisio Forga. . Resisténcia Equilibrio Sensibilidade do Corpo .... Boa Forma Consciéncia Visual... Velocidade Timing Atitude. . FERRAMENTAS Algumas Armas do JKD Chutes . Golpes Agarramento. . Estudos sobre Judé e fiuejitsu PREPARACAO Fintas Defesa Manipulacio, MOBILIDADE Distancia ‘Trabalho de Pés Atitude Evasiva ATAQUE Ataquel Preparagao do Ataque. Ataque Simples. Ataque Composto. Contra-ataque Contragolpe Ataque Renovado Tatica Cinco Formas de Ataque CIRCULO SEM CIRCUNFERENCIA. ‘APENAS UM NOME AS ARTES MARCIAIS, INCLUINDO O BOXE fo fn 1 Ff ASEM wetees LPG NRA LOK AEH LHLE Whew REAM REPEL cy pb if a BEE LHe z te op se $0 MIE baseiam-se no entendimento, no trabalho arduo ¢ na total compreensio das técnicas. O condicionamento fisico e 0 uso da forca sio ficeis de conquistar, mas a total compreensio de todas as técnicas das artes marciais é muito dificil de ser alcangada. Para entender, devemos estudar todos os movimentos na- turais de todos os seres-vivos. Naturalmente, podemos entender como os outros utilizam as artes marciais. Podemos estudar seu tinting e suas fraquezas. Conhecen- do esses dois elementos, vocé poder dexrotar © oponente com facilidade. A BASE DAS ARTES MARCIAIS E O ENTENDIMENTO DAS TECNICAS Para entender as técnicas, vocé deve saber que elas contém muitos movimentos condensados. Isso pode parecer muito estranho, Ao iniciar 9 aprendizado, desco- brird que € estranho para voce. Isso ocorre porque uma boa técnica inclui mudan- cas rapidas, grande variedade e velocidade, Pode ser um sistema de opostos muito parecido com 0 conceito de Deus € 0 Diabo, No decorrer dos eventos, qual deles 13 realmente esti no poder? Eles mudam de posigao com a velocidade da luz? Os che neses acreditam que sim, Ter a base das artes marciais em seu préprio coracio © torné-la parte de vocé significa possuir total compreensio e usar um estilo live Quando tiver tudo isso, saber que nao existem limites CUIDADOS COM AS TECNICAS FISICAS Algumas artes marciais séo muito populares ¢ agradam multidées porque pare- cem boas ¢ possuem técnicas faceis. Mas tenha cuidado. Flas so como 0 vinho aguado. Um vinho diluido nao é 0 verdadeiro, nfo é bom, néo € 0 artigo genuine. Algumas artes marciais néo parecem ser tio boas, mas vocé sabe que elas tém um efeito estimulante, um sabor picante, um gosto genuino, Sao como azeitonas. © gosto pode ser forte ¢ agridoce. O sabor dura. Vocé cultiva 0 gosto por elas. Ninguém jamais desenvolveu gosto por vinho diluido. TALENTO ADQUIRIDO E TALENTO NATURAL Algumas pessoas nascem com um bom fisico, senso de velocidade © muita resistncia, Isso € bom. Nas artes marciais, no entanto, tudo 0 que aprendemos sie técnicas adquiridas. Absorver uma arte marcial € como a experiéncia do budismo. O sentimento vem do coragao. Vocé possui a determinagio para obter o que sabe que precisa. Quando: se toma parte de vocé, sabe que o possui. Voce obtém sucesso. Talvez nunca entenda completamente, mas continua 0 seguindo. E, ao progredit, conhece a ver- dadeira natureza do caminho simples. Pode ir a um templo ou a um favoor. Vocé observa o caminho simples da natureza. Experimenta a vida que nunca teve antes A ETERNA BUSCA POR AUTOCONHECIMENTO Meu marido, Bruce, sempre se considerou primeiro um artista marcial ¢ depo’ um ator. Aos 13 anos de idade, comecou a ter aulas do estilo wing chun de gung fu, como forma de defesa pessoal. Nos dezenove anos seguintes, transformou seu conhecimento em ciéncia, arte, filosofia e forma de vida. Ele treinava seu corpo com exercicios. Treinava sua mente por meio da leitura ¢ da reflexao, e registrou seus pensamentos e idéias constantemente nesses dezenove anos. As paginas des- tc livro representam o orgulho do trabalho de uma vida, Em sua eterna busca por autoconhecimento ¢ expressao pessoal, Bruce cons- tantemente estudava, analisava e modificava todas as informacées dispontveis sobre o que The interessava, Sua principal fonte era a biblioteca pessoal, que pos- suia mais de 2 mil livros que lidavam com todas as formas de condicionamento fisi- co, artes marciais, téenicas de luta, defesa e assuntos relacionados. Em 1970, Bruce feriu gravemente as costas. Os médicos ordenaram que pa- rasse de praticar artes marciais € permanecesse de cama para que pudesse se recu- perar. Esse provavelmente foi 0 periodo mais dificil e desanimador de sua vida. Ele ficou de cama por seis meses, mas ndo conseguia manter sia mente longe do trabalho. Este livro é o resultado dessa atividade. A maioria dos eseritos foi redi- gida nese perfodo, mas muitas anotacdes foram registradas antes © depois. As anotagées pessoais de Bruce revelam que ele admirava particularmente os escri- tos de Edwin L, Haislet, Julio Martinez Castello, Hugo e James Castello, ¢ Roger Grosnier. Muitas das teorias de Bruce estao diretamente relacionadas as teorias desses escritores Bruce havia decidido terminar 0 livro em 1971, mas seu trabalho no cinema 0 impediu de completé-lo. Ele também no estava certo sobre a publicagio de seu trabalho porque achava que poderia ser usado de forma errada. Nao queria que sea livro fosse do tipo “Aprenda kung fu em dez liges”. Desejava que fosse um guia e um registro da forma de pensar de um homem, € ndo um manual de instrugdes. Se ‘vocé puder ler este livro com isso em mente, hé muito o que aprender nestas pagi- nas. Provavelmente ter muitas perguntas e deverd procurar as respostas dentro de si mesmo. Ao terminar de ler este livro, conhecer4 melhor o Bruce, mas, espera-se, também se conheceré melhor. Agora, abra sua mente, leia, entenda e experimente. Depois, desfaga-se deste livro. As paginas s4o mais titeis para limpar a bagunga — como voce ver’. Linda Lee 1S COMO ESTE LIVRO FOI ORGANIZADO Nas mos de um homem singular, coisas simples cuidadosamente posicionadas soamn inegavelmente harmoniosas. A orquestragao das artes marciais conduzida por Bruce tinha essa qualidade, mais aparente em seus movimentos de combate, Imo- bilizado por vérios meses em virtude de um ferimento nas costas, ele apanhou uma sancta. E escreveu como falava e como se movia: de forma direta e honesta, Quando ouvimos uma meisica, o entendimento dos elementos que fazem parte Sela acrescenta uma qualidade especial ao som. Por esse motivo, Linda Lee ¢ eu sscrevemos a introducio do livro do Bruce para explicar como ele surgi O Tuo do Jeet Kune Do toi iniciado, na verdade, antes de Brace ter nascido. O esti- te cléssico do wing chun que o iniciou em seu caminho foi desenvolvide quatro- sentos anos antes de seu tempo. Os 2 mil livros que ele possufa ¢ os incontiveis Svros que lia descteviam as “descobertas” individuais de milhares de homens antes Sele. Nao hi nada de novo neste livro, no hé segredos. “Nao é nada especial”, Bruce costumava dizer. E nao era mesmo, © que Bruce tinha de especial era conhecer a si mesmo ¢ sua propria capacidade se escolher corretamente © que funcionava para ele, ¢ transformar isso em mov mento ¢ linguagem. Encontrou nas filosofias de Confiicio, Espinosa, Krishnamurti S outros uma organizacdo para seus conceitos. Com essa organizacao, comegou a escrever 0 livro do seu tao. Quando faleceu, 0 livro néo estava totalmente completo. Embora houvesse sete Rolumes, tudo poderia ser condensado em apenas um. Entre os principais blocos ‘Geescritos havia paginas nfio numeradas, cada uma apenas com um titulo, As vezes Ste redigia de forma introspectiva, fazendo perguntas a si mesmo. Freqiientemente sevia para scu aluno invistvel, 0 leitor. Quando escrevia rapidamente, sactificn- %= 2 gramética. Quando tinha tempo, era elogiiente. Parte do material dos volumes foi criada de um f6lego e tem a progressio nate Sel de uma conversa, Outras partes refletiam inspiracdes sibitas e idéias incomple- Ss que cram rapidamente escritas conforme vinham a mente. Essas partes estavam Spalhadas pelo livro. Além dos sete volumes com capa dura, Bruce fez anotagées Sezante o desenvolvimento do Jeet Kime Do ¢ as deixou empilhadas ou em gavetas [Sour seus pertences. Algumas eram antigas ¢ outras eram mais recentes ¢ valiosas Pas 0 Livro, ‘Com a ajuda de sua esposa, Linda, eu coletei, examinei e organizei todo 0 ma- Seal. EntZo, tentei juntar as idéias dispersas em blocos coesos. A maior parte do ee nao foi alterada, ¢ os desenhos e rascunhos foram feitos por ele. A organizacao do livro, no entanto, nao poderia ter sido bem feita se nao fos- ®atengao de Danny Inosanto, seus assistentes e seus alunos mais avangados. I7 Foram eles que pegaram meus oito anos de ueinamento em artes marciais, es- palharam tudo no cho ¢ transformaram as teorias em ago com o conhecimen- to deles, Eles t¢m minha gratiddo como editor deste livro ¢ como artista marcial. Deve-se mencionar que O Tito do Jeet Kune Do nao € uma obra completa. A arte de Bruce mudava a cada dia, Dentro das Cinco Formas de Ataque, por exemplo, ele originalmente iniciava com uma categoria chamada intabilizagao da mde. Mais tarde, achou que aquilo era muito limitado, j4 que as imobilizagées também pode- riam ser aplicadas as pernas, bracos e cabeca. Era uma simples observagao que de rotular um conceito. mostrava as limitagées O Tao do Jeet Kune Do nao possui um final de verdade, Em vez disso, cle funciona como um inicio, Nao possui estilo nem nivel, apesar de ser mais facilmente com- preendido por aqueles que entendem suas armas. Provavelmente, para todas as afirmagées deste livro hd uma excegao, afinal nenhum livro poderia oferecer uma visio completa das artes de combate. Este 6, simplesmente, um trabalho que des- creve a diregio dos estudos do Bruce. As pesquisas nfo sio feitas; as perguntas, algumas clementares ¢ outras complexas, no sé respondidas para que o proprio aluno se questione. Da mesma forma, os desenhos freqitentemente nao séo expli- cados e podem oferecer apenas impressdes vagas. Mas, se cles fizerem surgir uma pergunta ou uma idéia, serviram ao seu propésito. Fsperamos que este livro seja usado como uma fonte de idéias para os artistas marciais, idéias que deverdo ser desenvolvidas. Infelizmente ~ ¢ isso no poderd ser evitado -, 0 livro também pode provocar uma explosio de escolas de Jeet Kune Do conduzidas por pessoas que conhecem a reputagio do nome mas que mal conhe- escolas! Se seus instrutores nao leram a tl cem 0 movimento. Cuidado com es: ma e mais importante linha, talvez nao tenham entendido esta obra. Nem mesmo a organizacdo do livro possui um significado. Nao ha limites reais entre velocidade e forga, entre preciso ¢ chute ou entre golpes de mio e alcance. Cada elemento dos movimentos de combate afeta os outros ao redor. As divisoes que fiz servem apenas para tornar a leitura mais conveniente, entio nao as leve tio a sério. Use um lapis enquanto Ié para anotar as referéncias cruzadas entre as areas que se telacionam. O Jeet Kune Do, como voce vera, nao possui linhas ou fronteiras definidas. As tmicas si (as feitas por voce mesmo, Gilbert L. Johnson 18 INTRODUGAO AO JEET KUNE DO A arte do Jeet Kune Do é simplificar. E ser vocé mesmo. Ea realidade em sua “esséncia”. Obter um esclarecimento das artes marciais significa a extingao de tudo o que obs- surece 0 “conhecimento verdadeiro”, a “vida real”. Ao mesmo tempo, isso implica uma eipansto sem fronteiras ¢, na verdade, néo se deve enfatizar o cultivo da parte sspecilica que se une a totalidade, ¢ sim a totalidade que entra naquela parte espe- Sifica ¢ se une a ela. A forma de transcender 0 carma esté no uso correto da mente e da vontade. A uni- dade de toda vida ¢ uma verdade que 56 pode ser totalmente percebida quando as falsas nogées de uma persona separada, cujo destino pode ser considerado & parte do todo, forem aniquiladas para sempre © vazio € aquilo que fica bem no meio disso ¢ daquilo. O vazio inclui tudo e nao Possui um oposto, ou seja, ndo hé nada que ele exclua ou a que se oponha. E um vazio vivo, porque todas as formas saem dele ¢ qualquer um pode perceber que 0 vazio est cheio de vida, energia e amor de todos os setes. Transforme-se em um boneco de madeira: ele no possui ego, nao pensa em nada, do € ganancioso nem se apega a nada ou a ninguém. Deixe 0 corpo trabalhar sozi- ho de acordo com a disciplina a qual foi submetido. Se nada dentro de vocé for rigido, as coisas exteriores se revelarfio. Ao se mo- ver, seja como a Agua, Quando ficar parado, seja como um espelho. Responda como um eco O nada nao pode ser definido. A coisa mais flexivel nao pode ser quebrada. Estou me movendo, mas no me movo. Sou como a lua sob as ondas, sempre indo ¢ voltando. Nao “estou fazendo isso”, mas percebo que “isso est acon- “isso esté fazendo aquilo por mim”. A cons- siéncia de si é 0 maior obstaculo para a execugéo adequada de todas as acées fisicas tecendo através de mim” ou A localizacio da mente significa seu congelamento. Quando ela deixa de fluir livremente, como é necessério, nado € mais a mente. “Estitico” é a concentragao de energia em um certo foco, como no eixo de uma toda, ¢ néo a dispersao em diversas atividades. importante € 0 ato de realizar, € néo as realizacbes, Ni existe um ator, mas sim . Nao existe um experimentador, mas sim o experimento. ‘Ver algo sem 0 colorido dos seus préprios desejos e preferéncias pessoais € sua propria simplicidade primitiva. Aarte alcanga seu auge quando € desprovida de autoconseiéncia, A liberdade des- cobre o homem no momento em que ele deixa de se preocupar com a impressio que causa. © caminho perfeito é dificil somente para aqueles que escolhem. Nao goste, nao desgoste, ¢ tudo ficard claro, Faga uma pequenina diferenca, ¢ os c6us © a terra serdo anulados: se quiser que a verdade Ihe seja revelada, nunca seja contra ou 4 favor. A luta entre “contra” e “a favor” € 0 pior distiirbio da mente. ‘A sabedoria nao consiste em tentar arrancar 0 bem do mal, mas em aprender a “cavalgé-tos” como uma béia que se adapta ao sobe € desce das ondas Deixe-se levar pela doenca, esteja com ela, faga-lhe companhia. Essa é a forma de se livrar dela, Uma afirmacdo € Zen somente quando € um ato ¢ nfo se refere a nada que seja afirmado nela mesma No budismo nao hé lugar para esforcos. Apenas seja comum, nao seja especial. Coma a sua comida, faca a digestéo, va ao banheiro e, quando estiver cansado, deite-se. Os ignorantes ririo de mim, mas os sabios entenderfo. Nio estabeleca nada em relagao a si mesmo, Passe rapidamente, como algo que N40 existe, € seja quicto como a pureza, Aqueles que ganham perdem, Nao se antecipe aos outros, sempre 0s siga. Nao fuja, deine acontecer. Nao procure, acontecera quando menos se espera Pare de pensar como se néo parasse. Observe as técnicas como se nao as obser- vasse. Nao ha uma forma fixa de ensino, Tudo o que posso ofrecer € um remédio apro- priado para uma certa doenga. OS OITO MANDAMENTOS DO BUDISMO Os oito requisitos que eliminam o sofrimento corrigindo os falsos valores ¢ ofere- cendo um verdadeiro conhecimento do significado da vida foram resumidos da se- guinte forma: 1. Compreensio correta (entendimento): Voce deve ver claramente 0 que esté errado. 2. Pensamento correto (aspiragao): Decida-se pela cura. 3. Palarra correta: Fale de forma que seu objetivo seja @ cura. 4, Agi correta: Voce deve agit. 5. Vida correta: Sua profissio nao deve entrar em conflito com sua terapia 6. Eyforco correto: A terapia deve avangar na “velocidade da permanéncia”, a velocidade critica que pode ser mantida. 7. Consciéncia correta (controle da mente): Voc’ deve sentir € pensar incessan- temente. 8, Concentragio correta (meditagaa): Aprenda a meditar com a mente vazia. A ARTE DA ALMA © objetivo da arte & projetar uma visao interior para o mundo; declarar, em uma criacdo estética, o espfrito mais intimo e as experiéncias pessoais de um ser huma- no. E permitir que essas experiéncias sejam inteligiveis e geralmente reconhecidas dentro da estrutura total de um mundo ideal. Aarte se revela no entendimento psiquico da esséncia interior das coisas ¢ dé for- ma 4 relacdo do homem com 0 nada, com a natureza do absoluto. A arte é uma expressiio da vida e transcende 0 tempo ¢ 0 espago. Devemos empre- gar nossa propria alma através da arte para oferecer uma nova forma ¢ um novo significado para a natureza ou para o mundo. A expresso de um artista é a exibigio de sua alma, educagio € compostura, Por trds de todos os movimentos, a misica de sua alma se torna visivel. Caso contririo, seus movimentos s40 vazios, ¢ movimentos vazios s40 como pala as: ndo tém sentido. Elimine o pensamento confuso ¢ trabalhe a partir de sua raiz ‘Aarte munca é decorativa, ornamental. Fla é um trabalho de esclarecimento. 4 ar- te, em outras palavras, € uma técnica para adquirir liberdade. Aarte demanda 0 dominio completo das técnicas desenvolvidas pela reflexéo dentro da alma. “Arte natural” é 0 processo artistico dentro do artista, Seu signifi ‘arte da "Todos os varios movimentos de todas no caminho para 0 mundo estético absoluto da alma. cal ferramentas significam um passo Criacio, na arte, 6 a revelacdo psiquica da personalidade que est enraizada no nada, Seu efeito € um aprofundamento da dimensio pessoal da alma. ‘A arte natural é a arte da alma em paz, como o Tuar refletido em um lago. © ob- jetivo final do artista é usar sua atividade diérin para se (omar um mestre da vida ¢, enti, tirar proveito da arte da vida. Os mestres de todas as ramificagbes das ar- tes devem, primeiro, ser mestres da vida, jé que a alma cria tudo. ‘Todas as nogdes vagas devem sucumbir antes que um aprendiz possa se autode- nominar mestre. ‘A.arte 6 0 caminho para o absolut e para a esséncia da vida humana. O objetivo da arte néio é a promogao unilateral do espirito, da alma ¢ dos sentidos, mas sim a “ahertura de todas as capacidades humanas (pensamento, sentimento, vontade) para o ritmo da vida no mundo da natureza. Assim, a voz silenciosa sera ouvida e 0 ego .r harmonizado com ela. Habilidade artistica, portanto, nfo significa perfeigio artistica, Ela representa um meio continuo ou um reflexo de algum paso no desenvolvimento psiquico, cuja perfeigdo nie deve ser encontrada no aspecto e no formato, mas deve irradiar da alma humana. [A atividade artfstica no se encontea na propria arte. Ela penetra em um mundo tnais profundo no qual todas as formas de arte (de coisas vividas internaments) fluem juntas, ¢ onde a harmonia da alma ¢ do cosmos no nada possui seu resulta do na realidade. ea realidade é a verdade. processo artistico, portanto, € a realidade, O CAMINHO DA VERDADE 1. Busca da verdade Consciéncia da verdade (e sua existéncia) Percepcio da verdade (seu contetido e direcdo - como a percepgao do movimento) 4, Entendimento da verdade (Um fil6sofo de primeira linha pratica para entender — TAO. Nao para ser fragmentado, mas para ver a totalidade ~ Krishnamurti.) Vivéncia da verdade Dominio da verdade Esquecimento da verdade Esquecimento do portador da verdade Retorno a fonte original — onde a verdade tem suas raizes. 10. Descanso no nada PrN AW © A Ate do Jet Krowe Do € simplesmente simplifcar 0 Jeet Kune Do evita 0 superficial, penetra 0 complexo, val até 0 centro do problema e aponta os fatores principals. (© Jeet Kime Do nae faz rodelos nem desvios tortuosos. Ele segue uma linha reta até 0 objetivo. A simplicidade Ea distancia mais curta entre dois pontos, © Jeet Kinne Do favorece a falta de forma para que ppossa assumir todas as formas. E, {8 que no possu estilo, pode comibinar com todos os estilas. Como resultado, 0 Jeet Kune De utiliza todos os caminhos «© ndo € limitado por nenhum deles, Da mesma forma, utiliza qualsquer técnicas ou meios que sirvam 2 sua finalidac, JEET KUNE DO Por seguranga, a vida ilimitada é transformada em algo morto, um padrio escolhi: do que é limitador. Para entender o Jeet Kune Do, vocé deve se livrar de todos os idea padrées ¢ estilos. De fato, deve se livrar até mesmo dos conceitos acerca do que € ou néo é ideal no Jeet Kune Do. Vocé pode analisar uma situagio sem nomeé: Ja? Nomeé- a, tansformé-la em uma palavra, causa medo. 25 & realmente dificil ver a situacio de forma simples (nossa mente € muito com= plexa) e € fécil ensinar alguém a ser habilideso, mas € diffcil ensinar a cle sua propria atitude. Jeet Kune Do favorece a falta de forma para que possa assumir todas as formas. F, j4 que nfo possui estilo, pode combinar com todos os estilos. Como resultado, 0 Jeet Kune Do utiliza todos os caminhos e nao € limitado por nenhum deles. Da mesma forma, utiliza quaisquer técnicas ou meios que sirvam a sua finalidade. ‘Aborde o Jeet Kune Do com a idéia de dominar a vontade. Nao pense em ganhar ou perder, nfo pense em oxgulho e dor. Deixe seu adversirio arranhar sta pele e acerte 0s miisculos dele, Deixe-o acertar seus misculos ¢ frature os ossos dele. Deixe-o fraturar seus ossos ¢ tire a vida dele! Nao se preocupe em escapar de forma segu: ra, Exponha sua vida a ele! O maior erro é antecipar o resultado da luta. Vocé no deve pensar se cla termina em vitéria ou em derrota. Deixe a natureza seguir seu curso, € suas armas serio usadas no momento certo. 0 Jeet Kune Do nos ensina a néo olhar para trés depois que 0 percurso foi decidi- do. Ele trata a vida e a morte indistintamente. © Jeet Kune Do evita o superficial, penetra 0 complexo, vai até 0 centro do problema ¢ aponta os fatores principais, 0 Jeet Kune Do nao faz rodeios nem desvios tortuosos. Ele segue uma linha reta até 6 objetivo. A simplicidade ¢ a distancia mais curta entre dois pontos. ‘Aaarte do Ject Kune Do 6 simplesmente simplificar. E: ser voc® mesmo. Ba realidade ‘em sua “esséncia”. Assim, a esséncia é 0 significado, com a liberdade em seu sentido primario, nfo limitada por ligagoes, confinamentos, segmentacoes, complenidades (O Jeet Kune Do € 0 esclarecimento. E um modo de vida, um movimento em direséo a forga de vontade ¢ ao controle, embora devesse ser esclarecido pela intuigao. ‘Ao ser treinado, o aluno deve ser ativo ¢ dinamico de todas as formas. Mas no com- bate real sua mente deve estar calma ¢ tranqiila. Ele deve se sentir como se nada importante estivesse acontecendo. Ao avangar, seus passos devem ser leves e se- gros, seus olhos nao devem estar fixos, observando furiosamente o inimigo. Seu comportamento nao deve ser diferente do comportamento normal, sua expressdo no deve mudar, nada deve denunciar o fato de que cle est engajado em um com- bate mortal. As ferramentas, suas armas naturais, tém um duplo propésito: 1. Destruir seu adversério (aniquilacao das coisas que estao barrando 0 ca- minho da paz, da justica e da humanidade). Destruir seus préprios impulsos causados pelos instintos de autopre- servagio, Destruir qualquer coisa que esteja perturbando sua mente. Nao machucar uma pessoa, mas superar sua propria ganancia, raiva € insensatez. O Jeet Kune Do € direcionado para voce mesmo, ‘Socos e chutes sao ferramentas para matar o ego. As ferramentas representam a forca da integridade intuitiva ou instintiva que, a0 contririo do intelecto ou do ‘<=, nio se divide, bloqueando sua propria liberdade. As ferramentas se movem pa- sa frente, sem olhar para trs ou para os lados. Por causa da pureza de coragio ¢ da mentalidade estreita inerentes ao homem, suas ‘Sxxamentas participam dessas qualidades e desempenham seus papéis com o maior ‘28 de liberdade, As ferramentas funcionam como o espitito invisivel, mantendo = mente, 0 corpo c os membros em total atividade. sexsincia da ténica estercotipada como substancia significa ser completo € livre. Todas linhas e movimentos so a funcio. -xte-ligastio como base & a natureza original do homem. Em seu processo natural, 0 nto se move para a frente sem hesitar Os pensamentos passados, pre- ¢ futuros prosseguem em um curso continuo. de pensamento como doutrina significa ndo ser levado pelo pensamento no do pensamento, ndo ser corrompido por influéncias externas; ter pensa- mas estar desprovido deles. icira realidade € a esséncia do pensamento, ¢ 0 pensamento 6 a fungio da realidade. Pensar na realidade, defini-la em pensamento, é corrompé-la 2 mente agucada e mantenha-a alerta para que possa imediatamente intuir . que esti em todo lugar. A mente deve estar emancipada dos velhos hé- pecconccitos, processos limitados de pensamento ¢ até mesmo do préprio ato rotineiro. toda a sujeira que tenha acumulado e revele a realidade em sua esséncia, qiididade ou em sua nudez, que corresponde a0 conceito budista de vazio. seu copo para que possa tornarse cheio, Torne-se vazio para ganhar a DESESPERO ORGANIZADO Na longa histéria das artes marciais, 0 instinto de seguir e imitar parece ser inerente a maioria dos artistas marciais, instrutores ¢ alunds, Isso se deve em parte a tendén- exageradas tradigées por trés dos varios padrées de estilos A cia humana e em parte a Conseqiientemente, encontrar um mestre original e interessante € uma raridade: necessidade de um “indicador do caminho” ressurge. Cada homem pertence a um estilo que se pretende dono da verdade e que exclu cages do “Cami- todos os outros. Esses estilos se tornam institutos com suas expl nho", dissecando e isolando a harmonia da firmeza e da delicadeza, estabelecendo formas ritmicas como 0 estado especifico das suas técnicas, Em vez de enfrentar 0 combate em sua qiiididade, a maioria dos sistemas de artes mar- Giais acumula uma “confusio sofisticada” que altera € limita seus praticantes e 05 dis- trai da verdadeira realidade do combate, que € simples ¢ diteta. Em vez de ir imediata- mente ao que interessa, utiliza-se de rituais floreados (desespero organizado) e técnicas artificiais para simular um combate real. Assim, em vez de “estar” em combate, esses praticantes estio “Fazendo” algo “em relagio ao” combate. ‘Ainda pior, o superpoder mental e os assuntos espirituais so desesperadamente incorpo- rados até que esses praticantes sejam atraidos cada vez mais pelo mistério e pela abstra- 10, Todas essas coisas so tentativas fiiteis de restringir ¢ determinar os movimentos do combate, que mudam constantemente, de dissecé-los e analisé-los como um cadaver. Na verdade, o combate real nao € estatico, é muito “vivo”. A confusao sofistica- da (uma forma de paralisia) solidifica ¢ condiciona o que deveria ser fluido. Quando a ofhamos de forma realista, ndo vemos nada além da cega devocio a inutilidade sistematica da prética de séries fixas ¢ acrobacias que nao levam a lugar nenhum. Quando um sentimento real como a raiva ou 6 medo aparece, aquele que pratica um 1 com 0 método clissico ou esté meramente ouvindo seus pro- estilo pode se expre: prios gritos? Ele é um ser humano vivo, expressivo, ou somente um rob programado? std resistindo paz de interagir com as circunstancias externas ou e: drdes escolhidos? Seu padrao escolhido impée uma barreira e “interessante”? E uma entidade «: com seu conjunto de pa entre ele e o adversério ¢ impede um relacionamento “completo” Os que praticam um estilo, em vez de olharem diretamente para 0 fato, se apegam 28 a formas (teorias) ¢ continuam se enredando cada vez mais, até se colocarem numa armadilha inextricavel. Eles no o véem em sua qiiididade porque sua doutrinacao é distorcida ¢ deturpada. A disciplina deve estar em harmonia com a natureza das coisas em sua qiididade. A maturidade nao significa tornar prisioneiro da conceitualizagio. Ela € a per= cepgio do que esta dentro de nés. Se no ha submissio ao condicionamento mecanico, ha simplicidade. A vida é um relacionamento completo. O homem que é simples e transparente ndo escolhe, O que é, 6. A agio baseada em uma idéia é obviamente a agao da escolha, e tal agao no é libertadora. Ao con- trario, ela cria ainda mais resistencia e conflito. Assuma uma consciéncia flexivel Um relacionamento é um entendimento. E um processo de auto-revelagao. Um rela- cionamento é 0 espelho no qual vocé se descobre ~ ser é estar relacionado. is nem flexive Estabelecer padrdes que nio sejam adaprav s apenas oferece uma prisdo mais tolerdvel. A verdade est fora de todos os padrées. As formas sto repetigdes vas que oferecem uma fuga ordenada e bonita do auto- conhecimento com um adversatio vivo. O acimulo é uma resisténcia contida em si mesma, e as técnicas floreadas fortale- cem a resistencia, O homem classico é apenas um produto do actimulo de seqiiéncias fixas, idéias & tradig6es. Quando age, esta traduzindo todos os momentos em termos antigos. O conhecimento & um ponto fixa no tempo, enquanto o conhecer € continuo. O co- nhecimento vem de uma fonte, de um acimulo, de uma conclusio, enquanto 0 conhecer € um movimento. O processo aditivo é meramente um cultivo de memoria que se torna mecfinico. O aprendizado nunca é cumulativo, cle é um movimento do ato de conhecer que nio possui comego ou fim ni Deve haver uma sensagio de liberdade no aperfeicoamento das artes matciais, Uma mente condicionada nunca sera uma mente livre, O condicionamento limita uma pessoa dentro da estrutura de um certo sistema, 29 Para se expressar com liberdade, voce deve esquecer 0 ontem. Do “velo”, root obtém seguranca, Do “novo”, voct ganha a fluidez. Para compreender a liberdade, a mente deve aprender a observar a vida, que é um amplo movimento sem a limitagéo do tempo, jd que a liberdade esta além do campo da consciéncia. Observe, mas néo pare ¢ interprete: “Eu sou livre”. Dessa forma, vocé estar vivendo a meméria do que ja passou. Para entender ¢ viver 0 agora, tudo © que ocorreu ontem deve morrer. A privacio do saber é a morte. Ento vocé vivera, Mate interiormente os “prés” € 08 “contras”. Nao existe certo ¢ etrado quando hé liberdade. Quando alguém nao se expressa, nao é livre. Assim, comega a lutar, ¢ a Tuta gera uma rotina metédica. Logo, cle estar desempenhando sua rotina metédica como reagao, em vez de reagir ao que acontece O lutador deve ser sempre um obstinado, com propésito tnico: lutar, sem olhar para tris ou para os lados. Ele deve se livrar das restrigbes dos seus movimentos, sejam elas emocionais, fisicas ou intelectuais, Uma pessoa s6 pode agir de maneira livre plena se estiver “além do sistema”. O homem que realmente € sério, que possui o desejo de descobrir o que é a verdade, nao possiti nenhum estilo, Ele vive apenas no mundo real Se quiser entender a verdade nas artes marciais, se quiser ver seu adversdrio com clareza, voce deve se livtar da nogio de estilos ou escolas, preconceitos, gostos ¢ assim por diante. Entao sua mente deixaré para tras todos os conflites e ficaré em paz. Nese siléncio, vocé verd de forma plena e renovada. Se aprender um método de luta através de algum estilo, vocé ser capaz de hutar de acordo com as limitagoes desse método. E isso nao é Intar de verdade. Se receber um ataque néo-convencional, como aquele feito com um ritmo irregular, por causa de seus modelos escolhidos de bloqueios classicos ritmicos, sua defesa ¢ seu contra-ataque sempre carecerio de flexibilidade e energia. Se seguir 0 modelo clissico®, voce entenderd a rotina, a tradieao ¢ a sombra, ¢ ndo ‘voce mesmo. © O autor chama de clissicos 0s modelos milenares de artes marcas, com ilsota e movimentagio de combate a consodadas e que resister 2 inovacdes.(N.E.) 30 Como alguém pode reagir a totalidade com um modelo parcial, fragmentado? A mera repeticao de movimentos ritmicos calculados priva 0 movimento de com- bate de sua “energia” e de sua “esséncia”, ou seja, de sua realidade, O actimulo de formas, que € apenas mais uma modificagao do condicionamento, torna-se uma Ancora que segura e amarra. Ela nos leva por um caminho somente: para baixo, A forma (katis, katas etc.) & 0 aperfeigoamento da resisténcia, a pratica exclusiva de um padrao de movimentos escolhidos. Em vez de criar resisténcia, vi direto a0 mo- vimento assim que ele surgi. Néo condene nem perdoe. A consciéncia sem escolha leva a reconciliagao com © adversdrio num total entendimento da realidade. Depois de condicionado em um método fragmentado, depois de isolado em um modelo fechado, o praticante enfrenta seu adversirio através de uma grade de con- tengo, ou seja, ele est “utilizando” os bloqueios de seu estilo e ouvindo seus Préprios gritos, em vez de ver 0 que 0 adversitio est realmente fazendo. N6s somos esses katas, esses bloqueios e golpes, de tao condicionados que estamos. Para se harmonizar com 0 adversirio, voct precisa de uma percepgio direta. Nao ha petoepgio direta quando ha resistencia, quando hé uma atitude de “este € 0 tinico caminho”. Ter a plenitude significa ser capaz, de seguir a “realidade”, porque a “realidade” est em constante movimento e mudanga. Se uma pessoa se limitar a uma certa opinigo, nao podera seguir o rapido movimento da “realidade’ Independentemente de nossa opinido a respeito dos ganchos e gingados como parte do estilo de uma pessoa, nfo pode haver 0 menor argumento contra a aquisi¢ao de defesas perfeitas contra eles. Na verdade, quase todos os lutadores naturais os usam, Para o artista marcial, eles acrescentam versatilidade ao ataque. Ele deve ser capaz de aplicar 0 golpe de onde quer que sua mao esteja Mas, nos estilos clissicos, o sistema se toma mais importante do que o homem! O homem classico nfo exerce sua funcio sem 0 modelo de um estilo! Como pode haver métodos ¢ sistemas para chegar a algo vivo? Para coisas es- Uéticas, fixas, mortas, pode haver uma forma, um caminho definido, mas nao para coisas vivas. Nao reduza a realidade a algo estético, nem invente métodos para alcancé-la. 31 ‘A verdade € 0 relacionamento com 0 adversario, constantemente em movi vivo, nunca estitico, ‘A verdade nao possui caminho. A verdade é viver e, portanto, mudat, Nao post uma morada, uma forma, uma instituicéo organizada, uma filosofia. Quando ver . Vocé nao pode se expres- sar ¢ se sentir vivo por meio de formas estiticas € movimentos estilizados. isso, entender que essa coisa viva é também 0 que voce [As formas classicas restringem sua criatividade, condicionam ¢ tolhem seu senso de liberdade. Vooé deixa de “ser” para simplesmente “fazer”, sem sensibilidade. “Assim como folhas amatelas podem ser moedas de ouro para acalmar a crianga que chora, os chamados movimentos secretos e as posturas retorcidas confortam os artistas marciais pouco instruidos. Isso nao significa nao fazer absolutamente nada, mas apenas ndo ter uma opiniao deliberada do que se faz, Néo tenha uma mente que seleciona ou rejeita, Nao ter uma opiniao deliberada é no ter pensamentos fixos Aceitacio, negagio e conviegio impedem o entendimento, Deixe sua mente se mover junto a outra para entender com sensibilidade. Assim, ha possibilidade de uma comunicagao real. Para entendermos uns aos outros, deve haver um estado de consciéncia que nao seja seletivo, no qual nao ha uma sensacao de comparagio ou condenagao, nao hé espera pelo desenvolvimento da discussio para se poder con- cordar ou discordat. Acima de tudo, niio comece « partir de um preccito. Entenda a liberdade da conformidade de estilos. Liberte-se observando bem 0 que vocé normalmente pratica, Nao condene ou aprove, apenas observe Quando voce nao for influenciével, quando morter para o condicionamento das reacdes classicas, teré consciéncia e vera as coisas de forma totalmente nova. A consciéncia nao, sscolhe, nao exige, nao se inquieta. Nesse estado, existe a per~ cepedio. Somente a percepgao resolver todos os nossos problemas. O entendimento requer nao apenas um tinico momento de percepcaio, mas uma consciéncia cont uo de busca sem conchusdes. nua, um estado cont Para entender 0 combate, vocé deve aborda-lo de forma simples e direta. O entendimento ocorre por meio do sentimento, de maneira ininterrupta, no espelho dos relacionamentos. 32 ‘Oentendimento de si mesmo ocorre por meio de um processo de relacionamentos, © niio do isolamento, Conhecer-se é estudar a si mesmo em agao com outra pessoa. Entender o real requer consciéncia, uma mente alerta ¢ totalmente livre Qesforco da mente a limita ainda mais porque implica uma luta para aleangar um objetivo. E, quando tem um objetivo, um propésito, uma finalidade, 6 porque voc’ colocou um limite em sua mente. Hoje vejo algo totalmente novo, ¢ essa novidade € vivenciada pela mente. Mas amanha essa experiéncia se tornara mecanica, se cu tentar repetir a sensagao, o pra- zer proporcionado por ela. A descricdo nunca é real. O que é real é ver a verdade instantaneamente, porque a verdade ndo possui amanha. Encontraremos a verdade quando examinarmos 0 problema. O problema nun- I GYALy | Gage tc tp | CY Bay sttiey ate ak | SEE | | Crt fly font ond Gamage. te slots thek « for Bo fr ce, et an pl ns Loree a. Desenvolva o chute rastetro b.equilforio «¢ bloqueio duplo 4.0 chute deve ser répido no impacto € no retomo, deve ser tranqillo e relaxado ~ a posico de auarda a que contiola Q jab velez Pergunta: a) Que tal chutes eficientes sem muita preparacic? Ou fiear parado no inicio © abter vantagem? bb) Quais combinacées naturals S50 possivels? ©) Combinagdo de mios © pés? 4) Chutes duplos como no jab dupio. €} Passos laterais com chutes e socos ou com 0 joelho, pisko com gancho e cotovelos ou interceptacao. |) Domine os chutes répidos e potentes na postara batxa ou de base. 2) Desenvolva a sensibilidade do corpo e uma forma eficiente de passar repentinamente para ‘chutes répicios € potentes enquanto avanca, recua,circula para a esquerda ou eircula para a direlta, 3) Desenvolva o chute rasteiro; equilbrio; bloquelo duplo. Pratique a rasteira e derrube: (a) em uma iniciagao répida, (b) como parte de uma combinagio e (c) como um contra-ataque o Oh OE Ay oe it FM a(t) Autne das Aectle pe . aniter Lorn % p22 energy for Ae et fm rnd, acpuattone pots , a. Estude a sensibilidade do corpo para adquirir velocidade, fluider ¢ forga. ».(b) [chines € (6) Foice de pema reversa usando o calcanhar, 4, Observagdo. aprenda a usar o “fluxo de energia” para se erguer das pasigdes ndo-habituais de agachamento, 108 Pratique o chute com o adversivio no chi: ~ Nhe ar Tee h ae 1 ce (A hah) ore OT dee Cree yx (ta dove) wack fates 1. abaixo da orelha b, na témpora «. dedo na base do pescogo (ou da cabega) 4, dede no céceix {0550 dorsal) e. pisdo no joelho £. calcanhar no plexo solar ¢, piso no tomozelo bk calcanhar ‘no rosto 1. joelho na virilha |. calcanhar nas costas k.calcanhar na costela 1. joelho na cabega 1m, joetho no plexo solar GOLPES SOCO DIRETO FRONTAL O soco direto frontal é a base de todos os socos no Jeet Kune Do. Ele € usado como uma arma tanto ofensiva quanto defensiva para “parar” e “interceptar” 0 ataque com- plexo do adversério assim que for notado. Quando vocé mantém o pé direito a fren- te, seu soco de direita e sua perna direita se transformam nas principais armas dire ta fica muito mais préxima do adversirio do que a esquerda. O inverso acontece com ofensivas em raziio de sua posigio & frente, Com o pé dircito a frente, a @ postura esquerda. Durante a luta, mantenha seu lado mais forte na frente. O soco direto frontal é 0 mais répido de todos. Com 0 minimo de movimentos en- volvidos no ataque, 0 equilfbrio nado é perturbado thor chance de atingi-lo (o adversério tem menos tempo para bloques 80, 0 soco direto € mais preciso do que os demais. por ir direto ao alvo, tem me- Além di 109 45) ; A ry Nenhum soco, nem mesmo 0 eficiente golpe direto, pode ter um fim nele mesmo apesar de haver estilos que nfo usam nada além do soco direto, O golpe direto & usado como meio para um fim e definitivamente deve ser reforcado e apoiado por socos (¢ chutes) de outros Angulos, tornando suas armas mais flexiveis, sem se prender a nenhuma linha. Afinal, um bom lutador deve ser capaz de golpear de to- dos os angulos ¢ com qualquer mao (ou perna), para aproveitar 0 momento. O impacto do soco direto é diferente do tradicional gung fc. Em primeiro lugar, 0 soco nunca é posicionado no quadril, nem tem infcip 14. Essa forma 6 irreal e expoe uma grande rea a ser protegida. Certamente, também acrescenta uma distfincia desnecessiria a ser atravessada em direcio ao adversitio. No Jeet Kune Do, vocé nunca ataca seu adversario apenas com o punho, mas 0 ataca com todo 0 seu corpo. Em outras palavras, no deve atingi-lo apenas com a forca do brago. Os bragos funcionam como ferramentas para transmitir uma grande for- (ca com 0 timing correto dos pés, da cintura, do ombro e da movimentaco do pulso em grande velocidade. Em vez de vir do ombro, 0 soco € aplicado a partir do centro do corpo, com o pu- nho na posi¢ao vertical, polegar para cima e reto em relacao A ponta do seu préprio nariz. O nariz, aqui, € a linha de orientagao. © pulso é levemente voltado para baixo antes do ataque ¢ é imediatamente reguiado logo apés o impacto, para acrescentar um efeito invertido no adversario, O importante € nao ter nenhuma postura classica de preparacdo ou movimen- tos preparatérios antes da aplicacao do soco direto, ou de qualquer outro soco. O soco direto frontal é realizado a partir da postura de guarda, sem nenhum mo- vimento extra, como colocar a mao no quadril ou no ombro, colocar 0 ombro para trés etc, Pratique seu soco frontal a partir da posicio de guarda e termine nela (e nao de volta no quadril!), Posteriormente, vocé seré capaz de golpear de qualquer lugar que sua mao estiver. Lembre-se, golpear dessa maneira the daré maior velocidade (sem movimentos desperdigados) e dissimulagao (sem movi- mentos reveladores antes do soco}. [Use os exemplos da filosofia Zen: Ele come, mas esta pensando. Ele golpeia, mas est4 assustado ou apressado, Assim, um so- co nao é um soco.] 10 A maioria das defesas € feita com a mao traseira ~ dai o termo “mio de defe- sa”. Quando atacar com a mao dianteira, nao cometa o erro comum do estilo classico, colocando sua mao traseira no quadril. A mao traseita esta ali para complementar a dianteira ¢ fazer do ataque uma ofensa defensiva. Por exem- plo, ao aplicar um soco no corpo com a mao principal, a mio de defesa (tra- seita) deve ser mantida no alto para equilibrar qualquer contragolpe do adver- sario na parte superior do seu corpo. Em resumo, quando uma mo estiver exposta, a outra deve imobilizar um dos bracos do adversario ou ser afastada (nfo até o quadril!) para se proteger de contragolpes ¢ assegurar uma posi¢io estratégica para um acompanhamento. O relaxamento é essencial pata socos mais répidos e potentes, Deixe seu soco prin cipal projetar-se livre e tranqdilamente. Nao aperte seu punho até o momento do impacto. ‘Todos os socos devem terminar com um movimento rapido nrios centimes iros atrés do alvo. Assim, voce no golpeia o adversario, mas através dele Depois de projetar a mao dianteira, no a solte quando retroceder & posigio de guar. da, Apesar de provavelmente jé ter visto isso sendo feito por um bom lutador, por ser potencialmente rapido € bom no timing € na distancia, vocé deve desenvolver el © habito de retornar pelo mesmo caminho € manter a mao alta para um pos contragolpe. Ao atacar com a mao dianteira, é aconselhavel variar sempre a posicio da cabega Para obter maior protegio contra 0 contragolpe do adversario. Durante os prime ros centimetros do avango, a cabeca permanece alinhada. Depois disso, a cabeca deve se adaptar. Além disso, para minimizar os contragolpes do adversario, voce de- ve simular um ataque antes de realizar um. Porém, nfo abuse das fintas ou do trax e da simplicidade; use apenas o suficiente balho de cabega, Lembre-s Algumas vezes € vantajoso usar golpes duplos porque sao inesperados, ¢ 0 segun- do soco tende a interromper 0 ritmo do adversério, preparando assim o caminho para um acompanhamento. uando avangar para o ataque, o pé dianteiro ndo deve tocar o chao antes que 0 c p punho entre em contato, au 0 peso do corpo acabaré no cl oem ver de permane- cer no soco, Lembre-se de pegar impulso com o pé traseiro, Sua m&o principal deve ser répida como um raio ¢ nunca deve permanecer rigida ou imével. Mantenha-a com movimentos leves (sem exagero) de maneira ames dora para manter seu adversario nervoso © para poder golpear mais rapidamente em movimento do que quando imével. Como uma cobra, seu golpe deve ser senti- do antes de ser visto, Isso é uma verdade para o jab frontal com os dedos. di a Dh nye? ow plee a enh. 7 oO ee t + —h