Sei sulla pagina 1di 10

METOD.ETEC.NOENS.

DAMUSICAII
Prof.: Maria Anglica Ellery
Aluno: Joo Paulo Moreno

Teca Alencar de brito


Teca Alencar de Brito mestre e doutora em Comunicao e
Semitica pela PUC-SP. Estudou Educao Artstica e piano,
dedicando-se educao musical desde 1974. Produziu
vrios CDs que documentam seu trabalho como "Canto do
povo daqui" e "Cantos de vrios cantos", publicou livros
como: "Koellreutter educador - o humano como objetivo da
educao musical" e "Msica na educao infantil - propostas
para a formao integral da criana". Foi relatora do
Documento de Msica integrante do Referencial Curricular
Nacional para a Educao Infantil, publicado pelo MEC, em
1998.

"O fazer musical um modo de resistncia, de reinveno (questes caras


ao humano, mas ainda pouco valorizadas no espao escolar) que, ao
mesmo tempo, fortalece o estar juntos, o pertencimento a um grupo, a
uma cultura. O viver (e conviver) na escola - espao de trocas, de vivncias
e construo de saberes, de ampliao da conscincia - deve, obviamente,
abarcar todas as dimenses que nos constituem, incluindo a dimenso
esttica."
(TECA, Ferramentas com Brinquedos - A Caixa de Msica)

Msica na educao infantil

Som e silncio;

A msica como jogo;

Construo de instrumentos;

Interpretao e criao de canes;

Reflexes sobre a produo e a escuta;

Trabalho vocal.

.....O fazer musical ocorre "por meio de dois eixos - a criao e a


reproduo - que garantem trs possibilidades de ao: a interpretao, a
improvisao e a composio".

Instrumentos musicais

Idiofones;

Membranofones;

Aerofones;

Cordofones;

Eletrofones;

Tambores e xilofones;

"Com as crianas, importa garantir a possibilidade de exercitarem sua


relao com o mundo. Atravs dos sons podem expressar seu modo de
perceber, sentir, pensar... Podem vivenciar questes significativas,
importantes em sua vida, ... , j que a msica linguagem que torna
sonora nossa prpria Forma - quem somos, como percebemos, como
sentimos. Fazendo msica somos mgicos, intuitivos, emocionais. Somos
racionais e intelectuais. Presentificamo-nos por inteiro, numa vivncia
simblica profunda e integradora. Com crianas, basta conhec-las e
respeit-las: respeitar sua percepo, sua cultura e as caractersticas
prprias de cada fase de seu desenvolvimento, sua realidade, seu contexto
social."

Amo Vocs!