Sei sulla pagina 1di 16

CEPAP

Centro de Educao Profissional em Atendimento Pr-Hospitalar


Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro

Ensinado a salvar vidas

CEPAP
Centro de Educao Profissional em Atendimento Pr-Hospitalar
Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro

ASPECTOS PR-HOSPITALARES
DO CHOQUE NO TRAUMA

Ensinado a salvar vidas

Definio do Choque
Estado de baixa perfuso
ou oferta inadequada de O2
e nutriente para os rgos e
sistemas.

CONDIES PARA QUE HAJA


PERFUSO TECIDUAL ADEQUADA
TRADE

CARDIOVASCULAR :

VOLUME - BOMBA RESISTNCIA


OXIGNIO

Choque hemorrgico
Hipovolemia a causa mais comum de choque no APH e
hemorragia a causa mais comum de choque no
trauma.
A taxa de mortalidade de traumatizados com choque
hemorrgico pode chegar a 54%.
Fonte: Heckbert SR J Trauma 1998 Sep;45(3):545

Respirao rpida primeiro sinal

Palidez, Sudorese, Pele fria


Cianose

Alterao da conscincia
Hipotenso ltimo sinal

COMPENSADO

CHOQUE - RECONHECIMENTO

DESCOMPENSADO

O diagnstico do choque clnico

ETIOLOGIAS DO CHOQUE NO
TRAUMA
HEMORRGICO

NO HEMORRGICO

OUTRAS PERDAS
ESMAGAMENTOS

QUEIMADURAS

As perdas sanguneas e o edema nas


leses de extremidades
representam perda de volume
intravascular.

CHOQUE HEMORRGICO
Manuseio inicial

Garantir:
OXIGENAO e VENTILAO

adequadas

Controlar a hemorragia ARTERIAL

DESLOCAMENTO RPIDO

Hemorragias externas
O reconhecimento e
controle das
hemorragias
externas arteriais
uma das prioridades
que deve ser
executada pelo
auxiliar.

TCNICAS DE HEMOSTASIA
1. COMPRESSO DIRETA
2. TORNIQUETE

persso

direta

subtituda

pelo

curativo

compressivo aps controle da hemorragia ou quando


preciso liberar as mos do socorrista.

Protocolo para torniquete:

Deve ser largo (10 cm).


Aplicar um palmo fechado acima da leso.
Monitorar o stio para controle da hemorragia. Se
no controlar, apert-lo mais ou aplicar um 2
torniquete, proximal ao primeiro.
Seguro at 120 a 150 min. Aps isso, afrouxar e
checar: se ressangrar reapert-lo, caso contrrio,
substituir por curativo compressivo.
No pode afrouxar se sinais de choque grau III-IV
ou amputao ou torniquete > 6h).

Transporte do Paciente
A sobrevida do politraumatizado em
choque depende de um cirurgio e acesso
ao centro cirrgico.
Prioridades no campo so os ABC.
Alguns passos importantes do
tratamento so feitos na ambulncia, a
caminho do hospital.

Prtica de tcnicas
de

hemostasia

FIM