Sei sulla pagina 1di 440

Emotional Warfare

Story: Emotional Warfare Storylink: https://www.fanfiction.net/s/10439369/1/ Category: Twilight Genre: Romance/Humor Author: LeiliPattz Authorlink: https://www.fanfiction.net/u/2071162/ Last updated: 01/26/2015 Words: 216856 Rating: M Status: Complete Content: Chapter 1 to 25 of 25 chapters Source: FanFiction.net

Summary: TRADUÇÃO — O nerd Edward Cullen é abandonado pela sua namorada da escola

estacionamento

seus pais, ele pede a ajuda de sua linda e misteriosa amiga, Bella, para que se passe por sua namorada.

sozinho

em um

com um anel de noivado em seu bolso. Para evitar parecer patético na celebração de Ano Novo dos

*Chapter 1*: Capítulo 1

EMOTIONAL WARFARE

Título: Emotional Warfare/Guerra Emocional Autora: completerandomness12 Tradutora: Leili Pattz, VampiresLoves e Julia Hadad Beta: LaryReeden Gênero: Romance/Humor Shipper: Bella/Edward Censura: M Sinopse: O nerd Edward Cullen é abandonado pela sua namorada da escola

com um anel de noivado em seu bolso. Para evitar parecer patético na celebração de Ano Novo dos seus pais, ele pede a ajuda de sua linda e misteriosa amiga, Bella, para que se passe por sua namorada.

sozinho

em um estacionamento

Disclaimer: Ahistória pertence a completerandomness12, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Capítulo 1

Edward

(Traduzido por LeiliPattz)

"Agora, o discurso do orador da turma, feito por Edward Cullen," Dean falou no microfone enquanto subi no pódio.

"Olá e s-saudações, meus colegas g-graduados", eu gaguejei enquanto empurrei meus óculos no meu nariz. "Não se preocupem. Eu n-não os manterei aqui o dia todo. Eu t-tenho certeza de que a maioria de vocês tem uma… festa ou a- algo dessa n-natureza para i-ir também," Eu acrescentei, ao silêncio. Eles deveriam rir disso. Droga.

"Hum

realmente queria fazer, até que chegamos aqui. Agora, nós nos consideramos os futuros médicos, advogados, empresários, e assim por diante. Eu acho que falo por todos quando digo que quando vamos para a faculdade, a maioria do que aprendemos é teoria, e quando nos formamos, é com grandes expectativas em nós mesmos e esperança de que possamos mudar o mundo.

nós percorremos um longo caminho nos últimos quatro anos. Amaioria de nós nem sequer sabia o que

"O mundo vai ver essas expectativas que nós nutrimos com olhos de corça e vão tentar tirar esse sentimento de esperança de nós. Mas, estou aqui para desafiá-los a manter essa sensação de esperança, mesmo que seja um pouco. Porque se vocês fizerem isso, podem não ser capazes de mudar o mundo, mas podem fazer a diferença. Então, eu digo a turma de formandos deste ano da Universidade de Harvard, o-obrigado e t-tenham uma b-boa vida", eu terminei rapidamente.

Quando eu virei de costas para me sentar, limpei o suor da minha testa. Amultidão bateu as palmas habitualmente educadas, que eram apropriadas, enquanto eu voltei para o meu lugar, balançando a cabeça com o fracasso épico que foi o meu discurso.

Isso foi deplorável.

Felizmente, eu sou primeiro a pegar o diploma porque quem forma com honras pega os diplomas antes dos outros. Meu GPA* 4.0 era bom para alguma coisa. Eu acho. Eu não entendia o porquê. Quero dizer, nós nos formamos em Harvard. Nós devemos ter todas as honras obtidas. Olhei para todos os meus supostos colegas e percebi que eu não conhecia nenhum deles. Eu acho que eles me conheciam, no entanto. Eu era um Cullen. Eu já passei do ponto de estar chocado com a atenção do que eu tenho com base exclusivamente no meu sobrenome desde o primeiro ano. Sentei-me atordoado, abafando o som do microfone e vi meus colegas passarem.

*GPA: é a média escolar, calculado com base no número de notas que um estudante ganhou em um determinado período de tempo, dividido pelo número total de créditos tomados. Nos EUA, dependendo do tipo de curso, 4.0 é a maior nota sendo classificado como A.

Alguns me olhavam com admiração. Outros me olhavam com inveja. Amaioria deles me olhavam com confusão. Era provavelmente por causa de quem eu era, porque eu não me considero uma pessoa particularmente atraente. Meus olhos são muito verdes. As pessoas sempre pensavam que eu estava usando lentes de contato. Isso realmente não importa, porque eu uso óculos, de qualquer maneira. Eu sou praticamente cego sem eles. Minha irmã, Alice, tenta me

convencer a usar lentes de contato desde que eu tinha quatorze anos. O pensamento do meu dedo indo em um lugar próximo do meu globo ocular era nojento. Ela tentou me fazer usar armação "sexy", mas eu gostava da minha armação grossa. Eu pensei que elas me davam caráter.

Eu nasci com um sorriso torto, o que me causou o apelido de "Derrame" no ensino médio, porque quando as pessoas tem derrames, seus lábios ficam curvados. Não vamos começar a falar sobre o meu cabelo. Quando eu não o corto, ele fica apontado para todos os lados como se eu tivesse acabado de tocar uma bola de plasma. Isso me obrigava a usar uma quantia obscena de gel todos os dias para evitar parecer que eu era louco, o que era uma merda, além do crescimento do meu cabelo para onde você realmente não podia notar o redemoinho.

Eu olhava para mim mesmo em comparação com a minha família e me perguntava se eu tinha sido adotado minha mãe tinha tido um caso ou algo assim.

ou a

Minha mãe nunca teria feito isso. Eu provavelmente era adotado e eles simplesmente não tinham coragem de me dizer.

"Eu agora apresento-lhes a turma de formandos de 2011!" Dean disse, fazendo todos no auditório jogar seus capelos no ar. Eu gentilmente joguei o meu de uma forma que eu poderia facilmente recuperá-lo. Aideia de pegar o capelo de uma outra pessoa e usá-lo me apavorava.

Lentamente fizmeu caminho através da multidão antes da pequena criatura conhecida como a minha sobrinha pular nas minhas costas.

"Ahh!" Agachei-me mais, deixando-a subir.

"Isso é jeito de cumprimentar sua sobrinha?" Minha irmã, Alice, perguntou, tentando passar a mão pelo meu cabelo. Seu rosto logo se transformou em horror quando sua mão ficou coberta de gel. Ela limpou no programa de formatura. "Edward, nós já falamos sobre você colocar toda essa merda no seu cabelo", ela revirou os olhos azuis escuros.

"Eu também te amo, irmãzinha", eu a beijei no rosto e passei a mão pelo seu curto cabelo preto.

Alice, minha irmã de vinte anos, era o que eu gostava de chamar de uma força da natureza. Sendo o bebê da família,

ela estava acostumada a conseguir o que queria, sem demora. No entanto, ela nunca vai me fazer deixá-la ter controle

sobre o meu guarda-roupa. Eu gostava dos meus suéters

e meu gel de cabelo

e meus óculos.

"Hey, tio Eddie! Você fezbem!" Minha sobrinha disse, pulando nas minhas costas. Ela era a única pessoa no mundo que eu deixava encurtar meu nome de qualquer forma. Ela era simplesmente uma fofura. O inferno começou em nosso círculo social quando Alice ficou grávida aos quinze anos. No entanto, em vezde fazer um aborto, ela decidiu manter seu bebê. Agora tínhamos Alexia Karen Whitlock, que poderia ser a pequenina mais adorável de sempre. "Você cheira a Skittles", ela riu antes de seu pai a pegar.

"Ei, cara", disse Jasper, me dando um abraço de caras.

"Edward, querido!" Minha mãe gritou do nada, me engolindo em um abraço. "Eu estava tão orgulhosa de você, querido. Você falou tão bem."

"Muito bem, filho", meu pai me deu um tapinha nas costas, enquanto começávamos a nos mover em direção ao estacionamento.

"Não minta pai", eu implorei: "Nós dois sabemos que foi horrível"

"Isso é subjetivo," minha mãe respondeu, me abraçando de lado.

"Onde está Emmett? E Tanya?" Eu perguntei olhando ao redor.

"Ugh," Alice revirou os olhos e estremeceu: "Eu não sei o que você vê naquela

"

"Alice!" Eu sibilei em advertência: "Não fale assim de Tanya. Você sabe que eu não gosto."

"Eu não ia chamá-la de vadia," Alice brincou. "Eu ia chamá-la de DESTRUIDORADE BARBIE!" Ela sibilou

"Aqui vamos nós de novo" meu pai suspirou, indo pegar o carro.

Não era segredo que Alice e Tanya não se gostavam. Para ser honesto, eu acho que até Stevie Wonder poderia ver. Tudo começou quando Alice tinha seis anos e Tanya tinha sete. Minha irmã tinha um gosto, o que outros chamariam

de obsessão, com Barbies. Ela tinha a Barbie como seu primeiro ícone da moda. Quando a nossa bisavó morreu, ela deixou para Alice uma Barbie vintage de 1955, que estava em condições perfeitas. Você sabe, com o maiô preto e branco. Ele ainda estava na caixa, o que triplicava o valor ou algo parecido. Eu não era um colecionador.

Foi um dos momentos mais felizes que eu já tinha visto minha irmã viver. Ela alegou que nunca iria abrir. Alice afirmou que Tanya tirou a Barbie da caixa de propósito. Tanya disse que ela achava que era apenas uma boneca qualquer e queria brincar com ela. Isso arruinou o valor da boneca e Alice teve uma explosão de ira. Nomes foram chamados. Cachos foram arrancados. Tanya ainda disse que Alice tinha tentado estrangulá-la. Elas não tinham sido capazes de ficar na mesma sala desde então.

"Não é 'o que eu vejo nela'," eu sorri: "É 'o que ela vê em mim?'"

Tanya Denali. Eu a conhecia desde que nós basicamente estávamos nas fraldas. Ela era a minha melhor amiga minha única amiga, na verdade. Ela era inteligente e bonita.

Muito bonita.

Muito, muito bonita.

Muito. Seu rosto era simplesmente

wow. Eu não tinha absolutamente nenhuma

ideia do que ela viu em mim. Eu poderia dizer que as pessoas pensavam a mesma coisa sempre que nos via juntos,

não bonito. Mas eu estava felizque ela, pelo menos, viu alguma coisa. Era por

porque ela era tão bonita e eu era tão

isso que eu estava pensando em pedi-la em casamento hoje à noite

baunilha. Eu odiava parecer que não era um cavalheiro, mas seu corpo

perfeito. Ela tinha esse cabelo loiro-morango incrível e sempre cheirava a

na frente de ambas as nossas famílias.

"Agora que nós estamos falando sobre isso, você poderia ter alguém muito melhor," Alice disse com indiferença.

"Não, eu não posso", eu balancei minha cabeça.

"É claro que você pode, Edward!" Ela gritou.

"Agata dela é má comigo," Alexia entrou na conversa, esfregando o local em seu braço, onde a gata de Tanya tinha arranhado no ano passado.

"Eu não quero mais ninguém. Ninguém é melhor do que Tanya," eu endureci a minha determinação. "Onde ela está?"

"Eu não sei", meu pai disse olhando ao redor. "Eles estão, provavelmente, indo para o restaurante. Eles se sentaram com a gente durante a cerimônia."

Nossas famílias se conheciam porque o meu pai e Alec, o pai de Tanya, eram melhores amigos e irmãos de fraternidade. Minha mãe e Heidi, a mãe de Tanya, eram colegas de faculdade. Eles se conheceram em uma festa e o resto foi história.

"Precisamos ir. Nossas reservas são para as seis," meu pai disse.

"Seis?" Alice gritou, olhando para seu telefone celular. "Eu tenho que ir me trocar! Encontrarei vocês lá." Ela disse, correndo pelo estacionamento e eu ouvi o som de pneus cantando momentos depois.

"Eu vou encontrar vocês", eu disse, movendo minha roupa antes de limpar meus óculos.

"Certo", meu pai concordou, tomando a mão da minha mãe.

"Baby, eu vou com Edward," minha mãe disse sorrindo para mim: "Nós temos coisas para conversar."

"Vejo vocês lá, então", meu pai disse confuso.

Ela passou o braço pelo meu e começamos a caminhar para o meu Volvo XC60. Meus irmãos e Tanya me provocaram quando eu pedi um Volvo em vezde um Porsche, Mercedes, ou outro carro sofisticado. Eu até considerei. Mas uma vez eu li sobre as características de segurança desta beleza sueca, meu coração foi capturado.

"Edward, querido, eu estou tão feliz", ela disse enquanto eu dirigia. "Estou muito orgulhosa. Meu filho foi o orador oficial de Harvard. Seu avô ficaria muito orgulhoso também," ela sorriu.

"Obrigado, mãe", eu respondi. "Você não acha que ele ficaria desapontado porque eu não estou indo para o negócio da família?" Eu perguntei com medo. Eu sabia que podia contar sempre com a minha mãe para dizer a verdade, mesmo que isso machucasse.

"Querido", ela riu, "Caso você não tenha notado, nenhum de seus irmãos têm demonstrado qualquer interesse nisso também."

Ela estava certa. Alice foi para a escola de moda em Nova York enquanto Emmett

"É só que

você não acha que pelo menos um Cullen deveria…"

bem, ele era apenas Emmett.

Eu era um dos herdeiros, do que posso dizer

tomar as rédeas. Se ela pedisse, porém, eu iria largar a escola de medicina e apoiá-la.

de uma empresa muito popular. No entanto, nenhum de nós queria

"Seu pai já se encarregou disso," ela me interrompeu. "Você deve estar animado. Você está indo para a faculdade de medicina para ser um médico," ela sorriu, olhando para fora da janela. Andamos por um par de segundos antes dela começar a rir. "Só nesta família uma criança se sente envergonhada ou culpada por ir a escola de medicina", ela balançou a cabeça e pegou minha mão. "Está tudo bem, Edward. Você tem coisas melhores para se preocupar. Testes, estudos, dissecação…"

"Casamento", eu murmurei sorrindo.

Se fosse possível, eu teria jurado que senti a mão dela ficar fria.

"O quê?" ela perguntou inexpressiva antes de lentamente se virar para mim.

"Eu disse casamento", eu sorri. " Você sabe que eu amo a Tanya, mãe", eu ri animadamente.

"Talvezdepois de escola de medicina

e da residência

e…"

"Hoje à noite", eu confessei, parando no estacionamento. "Eu vou pedir a ela esta noite."

"Com que anel?" Minha mãe perguntou, inclinando a cabeça para o lado. "Você sabe que Emmett é o primeiro na fila para o anel de Mama Masen. Ele é o mais velho…"

"Eu sei", eu assenti, abrindo o meu porta-luvas para pegar a pequena caixa de veludo azul. "Eu peguei isso na semana passada, " Eu confidenciei a ela enquanto abria a caixa.

Eu estava pensando em dar a Tanya um novo anel, de qualquer forma. Quando eu tinha trazido o anel da minha Vovó Masen a ela um par de meses atrás, em uma conversa, ela entrou em um discurso de dezminutos sobre como o anel era feio. Pessoalmente, eu pensei que o anel era simples e elegante, mas Tanya gostava de coisas muito mais chamativas e brilhantes.

"Oh," ela disse murchando.

"Me desculpe, eu não falei com você antes" eu suspirei. "É só que Emmett está em Los Angeles e Alice está em Nova York. Então, você e meu pai estão em Connecticut. Eu sinto que nunca os os vejo. Eu queria dizer a vocês mais cedo."

"Oh," ela disse novamente, passando a mão sobre o peito. "Você não acha que é um pouco jovem?", ela perguntou, fechando a caixa e entregando de volta para mim. "Você tem apenas vinte e dois anos de idade", ela me lembrou, tentando arrumar um pedaço bagunçado do meu cabelo.

"Você e papai se casaram quando você tinha vinte e três anos", retorqui rapidamente, pegando um pouco de gel de meu porta-luvas para alisar o cabelo.

"Era uma época diferente", ela respondeu com a mesma rapidez. "As coisas são diferentes agora. Se espera mais dos jovens hoje em dia. Eu só…"

"Mãe," eu interrompi: "Eu entendo o que você quer dizer. Eu sei. Mas eu sei o que quero, okay? Você sempre me disse

o quão inteligente eu sou. Eu não acho que isso é errado. Eu amo a Tanya como

passar meus dias com ela", eu disse, olhando em seus olhos. "Por favor, me apoie nisso", eu implorei. "Eu já sei que Alice vai me partir em dois quando eu contar a ela."

como papai ama você. Eu quero

"Tudo bem," ela fechou os olhos e respirou fundo. "Eu vou tentar," ela sorriu no meio do caminho antes de sair do carro.

Olhei para o relógio para ver que era 18:05. Eu me senti horrível por fazer com que todos esperassem por mim. Mas a nossa conversa demorou mais tempo do que o previsto anteriormente.

"Tio Eddie!" Alexia gritou, correndo até mim. "Eu quero sentar perto de você. Okay?"

"Claro", eu sorri para ela e a peguei.

"Olha o que temos aqui", tio Alec brincou, envolvendo seu braço em volta do meu ombro. "O rei da pontualidade feztodo mundo esperar cinco minutos inteiros. Você está bem rapaz?" ele perguntou, sentindo minha testa.

"Sim, senhor", eu sorri, sentando. "Onde está Tanya?" Eu perguntei.

"Uh

ela vai chegar, garoto Eddie", disse Heidi, olhando pela janela, provavelmente em busca de sua filha.

"Deus me livre se Tanya não puder chegar", Alice resmungou, entregando a Alexia um cookie.

Eu sentei e pedi uma Coca-Cola enquanto esperávamos que Tanya e Emmett chegassem.

"Edward", Alec chamou minha atenção: "Por que você está desperdiçando seu tempo indo para a escola de medicina, quando você tem um trabalho que qualquer um mataria para ter, à sua disposição?" Ele perguntou, tomando um gole de seu conhaque.

"Alec," meu pai advertiu, balançando a cabeça.

"Estamos todos querendo saber disso, na verdade," Heidi acrescentou. "Quero dizer, você é um Cullen. Eu entendo "

porque Emmett ou Alice não querem isso. Mas

"O que você está tentando dizer sobre Alice?" Jasper falou, seus olhos enviando punhais para a Sra. Denali.

Jasper Whitlock era uma das pessoas mais descontraídas que eu conhecia. Ele era herdeiro do petróleo no Texas. Ele conheceu Alice quando eles foram para a mesma escola no ensino médio. Eu o tinha conhecido nos últimos cinco anos. Nos aproximamos quando Alice ficou grávida. Ele era praticamente da família agora. Minha sobrinha não poderia ter um pai melhor.

"Acalme-se, Whitty," Alec acenou para ele. "É só que você praticamente foi feito para o trabalho. Eu não vejo por que você está desperdiçando seu potencial, tornando-se um médico."

"Desde quando se tornar um médico tornou-se o desperdício de potencial?" Eu perguntei atônito.

"Vamos ser honestos, Edward," Heidi disse, olhando por cima do menu, "Ser um médico seria uma conquista

sublime

isso não é nada em comparação como ser um CEO da Fortune 500? Salário de sete digitos

privada

se você fosse da classe média", ela terminou a frase com um ar de nojo. "No entanto, você não acha que

ilha

jato corporativo

você sabe."

Eu amava a Tanya… mas odiava os pais dela.

"Nós somos os Cullen," Alice pontuou o nosso nome. "Isso é garantido, independentemente da atividade profissional que temos. Nós não baseamos nosso valor como um membro da família em nossa descrição do trabalho", ela disse com força entre os dentes.

"Tio Edward, o que é uma atividade profissional? Alexia sussurrou em meu ouvido.

"Isso significa um trabalho, querida", eu sorri para ela. Ela assentiu, como se ela tivesse nos dado o okaypara continuar nossa discussão.

"Podemos não discutir isso aqui?" Meu pai perguntou severamente. "Este é mais um assunto particular ele disse se sentando.

de família,"

"Puxa!" Alexrevirou os olhos, terminando seu conhaque, "Tudo isso por causa de uma maldita pergunta."

"Eu devo ter atingido algum nervo", Heidi levantou uma sobrancelha.

"Pfft," Alice revirou os olhos. "Como se você alguma vez…"

"Tio Emmy!" Alexia gritou, levantando os braços para o meu irmão. "Megan! Tia Rose!"

"Lexi bear!" meu irmão gritou quando ele começou a correr em câmara lenta… fazendo sons de câmera lenta.

"Corre direito", minha sobrinha riu quando começou a acenar com os braços para a minha outra sobrinha, Megan, que foi abraçar Alexia.

Emmett era o meu irmão mais velho. Ele era uma montanha com a maturidade de uma criança.

"Tudo bem," ele disse quando a pegou. "Ei, irmãozinho", ele bateu punho comigo. "Eu ouvi que você foi ótimo no discurso."

"Lamentamos que não pudemos ver, nossa reunião terminou tarde", ela se desculpou enquanto Em passava para ela.

"Está tudo bem", eu disse. Você só se forma na faculdade pela primeira vezuma vez. Qual era o mal em perdê-lo?

"Ei, tio Eddie!" Megan beijou meu rosto. "Você sentiu minha falta? Eu senti sua falta! Muitão!" Ela disse, abraçando-me no pescoço.

"É claro", eu a abracei de volta.

"Tudo bem. Eu só queria ter certeza", disse ela antes de se sentar no meu colo ao lado de Alexia.

"Emmett," Heidi ronronou. "Rose", ela disse inexpressiva.

"Heidi", Rose retribui o tom.

"Onde está a comida?" Em perguntou sentando-se ao lado de Rose. "Eu estou com uma fome do inferno."

"Emmett!" mamãe sussurrou, e Megan e Alexia começaram a rir.

"As crianças estão aqui", Rose acrescentou antes de bater na cabeça dele.

"Nós ainda não pedimos" Eu disse a ele, tomando um pouco de água.

"Tanya ainda não está aqui", Alice acrescentou.

"Ela provavelmente está fazendo algo importante", Eu disse a Emmett.

"Então? Vamos pedir sem ela. Já fazuma hora e meia, " Emmett reclamou.

"Você acabou de chegar", eu apontei.

"Eu sei. E, eu pensei que haveria comida por aqui quando chegássemos", ele respondeu, olhando para o menu.

"Desculpe-me, Sra. Cullen?" Uma mulher chamou minha cunhada sobre o ombro.

"Sim?" Rose disse, virando-se para a mulher.

"Depois que eu tive meu filho, Colin, eu fizseu vídeo Detone o Bumbum de Bebê duas vezes por semana durante três meses seguidos. Isso mudou minha vida. Estou em melhor forma agora do que estava antes do bebê", ela disse, apertando a mão de Rose. "Obrigada."

"Oh, por nada", Rose sorriu.

"E você", a mulher apontou para Emmett, "Meu marido fezo seu vídeo MonkeyMan. Seu abdômen é de morrer", ela sorriu mais, apertando a mão de Emmett. "Obrigada."

"Por nada", Emmett sorriu. "Estamos felizes que isso funcionou para vocês."

Emmett e sua esposa, Rosalie, eram o que alguns chamariam de gurus da boa forma. Eles tinham sua própria linha

de vídeos de ginástica, equipamentos de ginástica, barras de energéticas

"The SkinnyBitch" e Emmett era chamado de "MonkeyMan" em suas divulgações. Tinha sido muito lucrativo para eles até agora.

seja como chame. Rose era chamada de

"Nós estamos tendo uma reunião aqui," Heidi sorriu desdenhosamente para a mulher, "Se você não se importa."

"Oh, eu sinto muito," a mulher se desculpou.

"Eu aposto que você

" Heidi começou

"Nós estamos aqui", Tanya disse quando entrou com suas duas irmãs atrás.

"Querida", eu suspirei, levantando para cumprimentá-la, mas ela me parou.

"Não, Edward! Minhas unhas ainda estão molhadas", ela choramingou, agitando as mãos para mostrar seu ponto de vista.

" Oh, me desculpe ", eu disse, sentando-me timidamente.

"Você está atrasada, Tanya…" minha mãe começou.

"Desculpe", ela disse indiferente, sentando-se ao meu lado.

"Você estava atrasada porque estava fazendo as suas unhas?" Alice perguntou, balançando a cabeça.

"Era a única hora que Henrique tinha para me colocar. Ele é muito incrível. Eu não poderia deixar isso passar isso. Edward sabe que eu sinto muito. Você não sabe?"

"Mhmm," Eu assenti.

"Então, eu tive que pegar Irina no seu cabeleireiro. Então eu

"

"Deixou Kate apodrecer em seu apartamento, porque você tinha que chegar em um trio," Kate interrompeu, revirando os olhos.

O Denali, como os Cullen, tinham três filhos. Irina era a mais velha, com cabelo preto e olhos cinzentos como seu pai. Ela basicamente viajava para viver. Eu não tinha ideia do que ela fazia. Tanya era a filha da meio, como eu, e a cara de sua mãe. Em seguida, havia Kate, a filha mais nova e ovelha negra da família. Ela estava estudando arte em Cornell e agora tinha um braço inteiro cheio de tatuagens e um piercing no supercílio direito.

"Jesus, Kate," Heidi sussurrou, puxando a manga da filha. "Mais uma?" ela perguntou com nojo.

"Sim," disse Kate com orgulho, levando o pedaço de gaze fora de seu braço: "Fizesta semana."

"Oh, merda", Alec murmurou antes de tomar um gole de sua garrafa.

"Vocês querem ver?" Kate perguntou, andando em volta da mesa e mostrando-nos a mais recente adição à sua arte.

"Oh, meu Deus, é fabuloso!" Alice riu, cuspindo um pouco da sua água.

"Kate para a vitória!" Emmett riu, tirando uma foto da tatuagem com o seu telefone.

"Uau", eu disse perplexo quando tive a chance de olhar.

Era uma foto do globo girando no dedo médio de uma mulher com o subtítulo, "Foda-se o Mundo", escrito sob ele. Era

definitivamente

Kate.

"Como é que você vai conseguir um marido decente parecendo desse jeito?" Heidi sussurrou, apontando para suas tatuagens.

"Sim, esse é o meu problema

porque estamos em 1950," Kate revirou os olhos, voltando para o seu lugar.

"Você pode não sentar-se ao meu lado?" Tanya rosnou com uma expressão e tom sério. "Eu não quero que alguém saiba que partilhamos a mesma linhagem."

"Tanya!" Esme disse chocada.

"Ela estava apenas brincando, mãe", eu a defendi.

Nem todo mundo entendia o senso de humor de Tanya. O que a maioria das pessoas achava era que ela era má apenas por seu senso de humor seco então eles acham que ela fala sério.

"Vadia", Kate cuspiu, sentando-se ao lado de Esme.

"Mrrreorw" Eu ouvi o som inconfundível do gato de Tanya vindo de sua bolsa.

"Tanya," Alec balançou a cabeça: "Diga-me que você não

"

"Relaxe", ela interrompeu, colocando a bolsa no colo. "Eu não podia deixá-la sozinha. Ela se sente só", ela arrulhou para Diva, sua companheira felina do mal. Diva era um demônio Siamês que odiava a todos, exceto Tanya. Eu poderia jurar que Tanya lhe comprava um novo colar de joias a cada duas semanas. Eu comprei-lhe um par, também, porque,

bem

quer. Então, Edward vai comprar-lhe um lindo colar de diamantes que você viu na Bloomingdales," ela falou com a gata enquanto ela sibilou e cuspiu para mim de dentro de sua bolsa. "Você não vai, querido?"

Tanya me pediu. "Diva quer um pouco de filé mignon, talvezum pouco de caviar? Não quer, querida. Sim você

"Uh

claro," Eu dei de ombros.

Estando na minha posição, eu tinha um monte de dinheiro. Eu não vejo nada de errado em gastá-lo com as pessoas que eu amava.

"Oh, Deus", Alice balançou a cabeça, enquanto Jasper esfregou o seu braço.

"Alice", Irina disse, apontando para a bolsa da minha irmã: "Eu amo sua bolsa

é de morrer."

"Obrigada," Alice sorriu para o elogio. "Custou tanto quanto uma Barbie vintage hoje em dia."

"Eu estava esperando você trazer essa merda", Tanya revirou os olhos enquanto Diva sibilou na direção de Alice.

"Desculpe-me, senhora", o nosso garçom veio para a mesa e deu uma palmadinha no ombro de Tanya. "Sinto muito, mas não são permitidos animais dentro do restaurante."

"Então

?"

Tanya questionou, incrédula.

"Ele tem que ir."

"Ela não vai cagar em cima da mesa", Tanya acenou para o garçom sair, "Está tudo bem."

"Eu poderia colocá-la na

"

"Ouça", Heidi interrompeu sorrindo: "Você olha para o outro lado e eu vou te dar uma gorjeta enorme," ela terminou antes Tanya se virar e colocar um pouco de água em uma tigela para Diva que colocou a cabeça para fora da bolsa e bebeu.

"Mas

"

"Realmente, realmente grande gorjeta", ela disse levantando a sobrancelha.

Depois disso, nós finalmente chegamos ao fim. O jantar foi algo bastante tranquilo. Ninguém realmente tinha vontade de falar após a comida chegar. Assim que terminamos, minha mãe mandou-me para longe da mesa para que eles pudessem deixar a minha surpresa em ordem.

Eu levei um tempo para correr para o meu carro e pegar o anel do porta-luvas. Voltei até o prédio para ver Tanya do lado de fora falando em seu telefone.

"Estou quase terminando. Vamos cortar o bolo, então eu vou embora", disse ela, virando-se para me ver. "Eu vou te buscar mais tarde", ela disse sem jeito antes de desligar.

"Quem era?" Eu perguntei, abraçando-a por trás e beijando-a.

"Pare com isso, eu arrumei o meu cabelo hoje", disse ela, endireitando o cabelo. "Era Sim, ela quer sair mais tarde."

um

minha amiga, Lauren.

"Oh," eu disse: "Embora, eu não tenho certeza se você vai querer sair depois."

"Oh, eu tenho certeza," ela riu, revirando os olhos.

"Certo", eu estendi o meu braço para ela segurar.

"Tudo bem," ela bufou, colocando seu braço no meu.

"Você está bem?" Eu perguntei a ela. "Você não está agindo normal."

"Eu estou bem", ela disse, enquanto comecei a levá-la até a porta. "Na verdade de mim: "Eu não estou bem."

",

ela começou de novo, separando-se

"O que há de errado?" Perguntei tocando em sua cabeça. "Você está doente? Podemos sair, se você quiser, eu realmente não gosto de festas. Isso foi mais para a minha mãe, de qualquer forma," eu ofereci.

"Não é isso", ela disse, cobrindo os olhos com as mãos. "Eu só

eu não posso mais fazer isso", ela gemeu.

"Fazer o quê?" Meu medo aumentava a cada segundo ela não me respondeu.

"Isso

olhando para longe de mim.

nós", ela disse, acenando com a mão entre nós. "Precisamos ver outras pessoas, Edward," ela terminou,

"Huh?"

"Eu estou terminando com você, Edward."

O quê? Eu não poderia estar ouvindo isso direito. Ela não faria isso comigo Eu a amava. Ela me amava. Nós fomos feitos para ficar juntos.

M-mas

E-Eu te amo…"

"Eu sei", ela interrompeu. "Isso é a merda sobre isso."

"Eu n-não entendo, Tanya."

não comigo. Eu era o seu melhor amigo.

Neste ponto, eu vi que meus óculos estavam embaçando e eu senti as lágrimas começando a correr pelo meu rosto.

"Porra, não chore", ela estendeu a mão para dar um tapinha no meu ombro. "Você vai me fazer sentir mal."

"E-e-eu n-n-não posso evitar", eu sussurrei, querendo que lágrimas voltassem. Eu não quero que todos me vejam chorar. Eu faria isso na privacidade de meu apartamento. "Somos Edward e Tanya. Nós sempre estivemos juntos. "

"É por isso", ela me disse, lentamente recuando. "Nós sempre estivemos juntos. Quero experimentar coisas

diferentes

pessoas diferentes. Talvezdepois…"

"Eu não quero mais ninguém. Eu quero você", choraminguei, dando um passo para frente. "Diga-me o que fazer. Que posso fazer melhor. Eu posso ser melhor," Eu tentei convencê-la. "Por favor, Tanya."

"Edward, não implore", ela se afastou ainda mais. "Eu

em seu carro e sair bolso.

Eu sinto muito", ela disse antes de se virar e ir embora, entrar

deixando-me no estacionamento, de coração partido com um anel de noivado inútil no meu

Debrucei-me contra o carro mais próximo a mim por só Deus sabe quanto tempo, processando o que tinha acontecido.

Tanya tinha me deixado.

Ela não me quer.

Eu não era bom o suficiente.

Eu ficaria sozinho para sempre.

"Edward?" Ouvi Alice de algum lugar perto, chamando por mim. Devo ter estado aqui por um longo tempo. "O que você está fazendo aqui? Estamos esperando vocês. Emmett vai ter o primeiro pedaço do bolo, se você não voltar em breve", ela acrescentou, caminhando para o estacionamento e acenando para mim. "Onde está a encantadora Tanya?" ela perguntou, sua vozcheia de sarcasmo.

Àmenção de seu nome, eu perdi a minha determinação e meus ombros começaram a tremer com os soluços que eu estava segurando pelos últimos trinta minutos.

"Alice", eu choraminguei, cobrindo o rosto com as mãos para esconder a vergonha e o abandono que eu estava sentindo.

"Edward?", ela perguntou, se aproximando. Ela parou na minha frente. "Essa vadia", ela disse, aproximando os braços para um abraço.

"Não finja que você não está feliz", eu disse enquanto afastava meus braços dela. Eu não queria sua piedade. Ela nem sequer gosta de Tanya, de qualquer maneira.

"Eu só…"

"Edward?" Vi minha mãe sair procurando por nós. "O que há de errado? " ela perguntou freneticamente, se movendo mais rápido para ver o que estava me incomodando. "Querido, o que aconteceu? "

Antes que alguém pudesse ver a bagunça que eu me tornei, corri para o meu carro, entrei ainda soluçando, e fui embora para a noite.

Sim, fic nova lol Alguns vão pensar: o que diabos ela ta fazendo abrindo fic nova tendo várias para atualizar. Bem, eu pedi autorização dessa fic tem algum tempo e fui traduzindo os primeiros capítulos aos poucos para poder ter material adiantado, e essa semana a Julia e a Gui se ofereceram para me ajudar na tradução. Não tenho nem palavras para agradecer a elas por isso s2

Agora falando sobre a fic, eu sou APAIXONADA por Emotional Warfare, ou simplesmente EW. Eu li no ano passado, e levei um tempo até tomar coragem para pedir autorização, não queria acumular nada e nem me sobrecarregar. Mas a Bella e o Edward dessa fic são irresistíveis! Tão lindos e diferentes. Já sabemos que o Edward é um geek, e digamos que um pouco bobinho, e agora com um coração partido.

Esse capítulo é um pouco menor que os outros, então dependendo da resposta de vocês a fic, postarei o próximo ainda essa semana, mas depois disso ela ficará uma vez por semana. Com a ajuda das meninas espero conseguir isso para vocês!

Não deixem de comentar, quero saber o que vocês pensam desse Edward e como esperam que seja a Bella.

Beijos

xx

*Chapter 2*: Capítulo 2

EMOTIONAL WARFARE

Disclaimer: Ahistória pertence a completerandomness12, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: O nerd Edward Cullen é abandonado pela sua namorada da escola

sozinho

em um estacionamento

com um anel de noivado em seu bolso. Para evitar parecer patético na celebração de Ano Novo dos seus pais, ele pede a ajuda de sua linda e misteriosa amiga, Bella, para que se passe por sua namorada.

Capítulo 2

(Traduzido por LeiliPattz)

Caramba. Essa foi uma noite REALMENTE selvagem—ênfase no selvagem. Obrigada Riley Biers por uma noite incrível.

Eu estava vestindo os meus pijamas, olhando para o status do Facebook de Tanya. Isso era ao que eu tinha sido reduzido. Eu nem gostava muito de Facebook. Eu olhei no meu perfil sem fotos só para ver a pouca quantidade de amigos que eu tinha e fiquei ainda mais deprimido do que já estava. Eu sabia que era triste, mas isso era eu. Olhei o seu álbum de fotos mais recente para ver várias fotos dela se divertindo ou pendurada em um cara qualquer. Sentia meu coração se rasgar com cada visão.

Quatro meses. Quatro longos meses. Fazia quatro longos e angustiantes meses desde que ela tinha me deixado

estacionamento

existência. No entanto, ela estava lá, indo para festas e beijando diferentes homens. Esta não era a pessoa que ela era. Por que ela estava fazendo isso? Eu passei a maior parte deste tempo pensando por que ela teria feito isso comigo. Será que eu não a amo o suficiente? Era porque eu era feio?

sozinho

na minha festa de formatura. Até agora, estes foram os piores quatro meses da minha

no

Eu olhei através de suas fotos e vi os caras com quem ela estava saindo. Eles eram todos do mesmo tipo: Altos, bronzeados artificialmente, todos garotos americanos de fraternidade, com suas camisas polo, calça cáqui e bonés para trás. Era esse o tipo de cara que ela queria? Eu não era assim—de nenhuma maneira. Eu era pálido, nerd e esquisito. Havia um cara em especial, que estava em um monte de fotos dela. Eu olhei através das fotos deles e me perguntei: "Será que esse é RileyBiers? Será que ela o ama? Ela o ama mais do que ela me amava?"

*pop!*

Ouvi um som de estalo no meu computador, me sinalizando que alguém queria conversar comigo. Hmm. Isso nunca tinha acontecido antes. Eu olhei para a tela e sorri para o nome que apareceu.

Tanya Denali: Tudo bem?

Oh, meu Deus. Era ela. Ela queria que voltássemos. Eu sabia que ela ainda me amava.

Edward Cullen: Não muito.

Aguardei ansiosamente ela responder e fiquei olhando para a minha tela, esperando que ela me enviasse uma mensagem de volta.

Cinco minutos.

Dezminutos.

Por que estava demorando tanto?

Edward Cullen: Tanya? Você está aí?

Eu digitei uma mensagem, assim que o meu celular tocou. Eu rapidamente atendi. Era rude manter as pessoas esperando, especialmente quando você não tinha mais nada para fazer.

"Edward, é a sua mãe." Mamãe anunciou si mesma. Ela sempre se identificava como "sua mãe", quando ela me ligava. Era estranho. "Eu só estava me perguntando como você está. Eu sinto sua falta."

"Eu sinto falta de você também, mãe", eu disse a ela enquanto apertei o botão Enter, enviando a minha mensagem. "Eu estou bem."

"Suas aulas estão indo bem?", ela perguntou. "Eu sei que a escola de medicina pode ser difícil."

"Estão, mãe", eu disse de novo, desta vezrevirando os olhos. "Até agora, eu tenho um 'A' em todas as aulas. Você ficaria orgulhosa."

"Eu ficaria orgulhosa de você, independentemente disso querido. Você trabalha muito", ela riu. Eu poderia dizer que ela estava sorrindo. "Você está comendo, Edward?", ela perguntou, chegando ao ponto.

"Sim, mamãe."

"Não minta para mim, garoto," ela ordenou. "Você parecia um esqueleto quando saiu daqui. Eu não quero que o que aconteceu entre você e Tanya afete a sua saúde. Preciso do meu Edward saudável."

Depois de Tanya ter me largado

pouco de peso. Eu não podia comer. Eu não conseguia dormir. Não era tanto como a minha mãe fazia parecer. Era apenas algo entre seis e nove quilos. Agora, ela estava me ligando todos os dias desde que eu tinha vindo para a faculdade à seis semanas para se certificar de que eu comi.

no estacionamento

sozinho

durante a minha festa de formatura, eu perdi um

"Eu comi, mãe", eu disse a ela enquanto eu olhava para a tigela vazia do cereal que eu tinha terminado antes de entrar no computador. "Eu juro."

"Tudo bem", ela cedeu. "Eu só estou preocupada, querido. Isso é tudo."

"Eu estou bem, mãe", eu menti, percorrendo as fotos do perfil de Tanya. "Eu estou melhor."

"Certo", ela bufou. "Tenho saudades dos meus bebês. Lembro-me de quando eu trouxe você para casa do hospital. Agora, você está na pós-graduação", ela suspirou. "Eu não posso acreditar que eu não serei capazde vê-lo até o próximo ano."

"Isso nos dá tempo de sentir saudades um do outro", eu brinquei antes de olhar para o relógio. "Mãe, eu tenho que ir para a aula," eu disse a ela. "Eu te ligo mais tarde. Certo?"

"Eu vou esperar", ela estalou um beijo para mim antes de desligar o telefone.

Peguei meus livros e minha mochila para ir para a aula. Antes de sair, eu verifiquei para ver se Tanya tinha respondido a minha mensagem.

Tanya Denali agora está offline.

"Droga", eu murmurei quando saí do meu apartamento para dirigir até a escola.

Meu dia passou rapidamente, deixando-me para encontrar com o meu parceiro na biblioteca para trabalhar em um projeto de anatomia que deveria ser entregue em duas semanas. Ele estava no meu grupo para a primeira mini tarefa que tínhamos que fazer em Bioquímica. Ele não fezmuito. Além disso, ele estava dezminutos atrasado.

Onde ele estava?

"Ai!" Eu ouvi um grito feminino, seguido pelo som de livros caindo. Isso me distraiu do parágrafo que eu estava lendo.

"Amenos que você esteja indo para me ajudar a levantar, pare de olhar!" a vozgritou. "Ooh

sussurrou desta vez

Eu sinto muito", a voz

em vozalta.

Aqui era uma biblioteca afinal de contas.

"O que há, Aaron?" Mike, meu parceiro perguntou, sentando-se em frente a mim. "Cabelo legal", ele riu, passando a mão no meu cabelo duro.

"É Edward," Eu disse inexpressivo, antes de tomar os critérios para a tarefa. "Como você está se sentindo?" Eu perguntei. Nós deveríamos ter nos encontrado sexta-feira passada. Mike tinha uma dor de cabeça e não pôde vir.

"Huh? Oh

bem. Meu estômago está muito melhor", ele sorriu.

"Isso é ótimo," eu disse a ele, pensando que era estranho ele mencionar o seu estômago quando ele tinha dito que "

sua cabeça tinha sido o problema. "Eu estava pensando que seria único se nós

"Edward?" Mike perguntou, me interrompendo.

"Sim?" Eu respondi, tirando meus marcadores e bloco da minha mochila. Eles faziam estudar muito mais fácil. Eu os amava.

"Olha. Eu tenho um

encontro

esta noite. Você se importaria se adiássemos?" Ele abriu um sorriso largo.

"São apenas quatro horas", disse a ele, apontando para o relógio acima de sua cabeça. "O esboço é para amanhã. "

"Cara, você se importaria de cobrir para mim só desta vez?" Ele perguntou, revirando os olhos.

"Mas

espaço simples. Já estamos atrasados

nós ainda nem começamos. Eu vou ter que fazer tudo sozinho. Tem que ser pelo menos dezpáginas "

eu comecei.

com

"Olha, Urkel", ele ergueu a voz: "Não é como se você tivesse algo melhor para fazer," ele argumentou, revirando os

olhos

de novo. "Eu vou te compensar depois."

Eu acho que ele estava certo. Eu não estaria fazendo nada além de estudar, de qualquer maneira. Normalmente, eu teria levado Tanya para sair. Agora que não estávamos juntos, eu passava a maior parte do meu tempo estudando, de qualquer maneira. "Eu… acho", eu murmurei.

"Ótimo!" ele sorriu. "Obrigado, Eric," ele bateu nas minhas costas antes de se dirigir para a porta.

"É Edward", eu o lembrei novamente, acenando um adeus.

Peguei meus livros, anotações e o computador e comecei a trabalhar. Depois que eu descobri do que iríamos falar, o esboço começou a decolar. Eu peguei o assunto. Antes que eu percebesse, eram nove horas e eu tinha sete páginas feitas. Eu me inclinei na minha cadeira e sorri. Corri para a máquina de venda automática para fazer um lanche e fazer uma pequena pausa antes de voltar. Achei que deveria acabar em uma ou duas horas.

"Maldição!" Eu ouvi um cara exclamar, distraindo-me dos meus estudos. "Olhe aquela bunda", ele disse ao seu amigo antes de tirar uma foto de algo com a câmera de seu celular.

Eu olhei na mesma direção que os dois homens para ver o que eles estavam olhando. Meus olhos se fixaram na imagem de uma mulher dormindo no chão. No entanto, dormindo no chão não era o que os dois homens acharam surpreendente. Era como ela estivesse dormindo. Ela caiu no chão e sua bunda estava empinada. Ela também parecia estar usando uma pilha de livros e sua bolsa de notebook como um travesseiro improvisado.

"Vamos ver se eu posso aumentar o zoom," Eu ouvi o outro cara rindo. "Incrível!"

Querendo ver sobre o que era todo o alvoroço, eu olhei para a sua forma de longe. Depois da minha avaliação, eu confirmei que a mulher sem rosto com hábitos de sono estranho, de fato, tinha uma bunda bonita, uma bunda muito bonita.

Assim que o pensamento passou pela minha cabeça, eu imediatamente me senti culpado. Eu não era o tipo de

homem que objetivava as mulheres. Minha mãe teria ficado chocada se ela pudesse ter lido minha mente. Para ser

honesto, eu estava envergonhado. Ela era uma pessoa, também

com uma bunda bonita.

Eu estava tão envergonhado.

Eu saí da minha cadeira para fazer o meu caminho até a misteriosa mulher para ajudá-la. Quando cheguei até onde ela estava, vi um mar de cabelos castanhos que cobria seu rosto no chão. Quando estava mais perto, a luzbrilhou através da janela, revelando um tom avermelhado no seu cabelo. Sorri torto pela visão. Alguém mais neste universo tinha um cabelo com cor estranha.

Ela estava com uma camisa roxa, calça jeans, e algum tipo de calçados esportivos. Eu acho que vi um vislumbre do que parecia ser uma tatuagem enquanto sua camisa subia. Mas, eu me senti como um pervertido o suficiente assim. Eu não procuraria por mais.

"Mmm

ficar um pouco frio aqui às vezes.

frio", ela estremeceu um pouco em sua posição enquanto me aproximei. Ela devia estar congelando. Tende a

"Com licença", eu sussurrei, curvando-me e gentilmente batendo em seu ombro. Enquanto eu esperei por ela se virar, encontrei-me um pouco ansioso para ver como ela era. "Com licença…"

"Uuuuuggggghhhh", ela gemeu violentamente, antes de seu dedo médio aparecer na frente do meu rosto. "Deixe-me em paz", ela choramingou, chutando seus pés.

Eu dei um passo para trás como se tivesse levado um tiro. Eu só estava tentando ajudar. Eu não deveria ter incomodado ela, de qualquer forma. Eu deveria ter apenas cuidado da minha vida e fazer o que eu fazia melhor invisível.

ser

"D-D-Desculpe," eu gaguejei, afastando-me do som dos dois caras rindo de mim e da troca com a garota misteriosa.

Voltei para a minha mesa e juntei as minhas coisas para ir para casa. Eu não acho que seria capazde lidar ficar aqui, sabendo que todos viram o que tinha acontecido. Passei pela garota misteriosa, apenas para ouvir o som de seus dentes rangendo.

O cavalheiro em mim não permitiria que ela congelasse, embora ela tivesse sido rude comigo dois minutos antes. Antes de sair, eu tirei meu casaco e coloquei sobre ela como um cobertor, aquecendo-a e cobrindo sua bunda no processo, escondendo-o dos pervertidos boquiabertos.

Era o mínimo que eu podia fazer. Eu a tinha perturbado depois de tudo.

Eu fizo meu caminho para o meu carro e voltei para o meu apartamento, onde eu coloquei o meu pijama e terminei o esboço. Passei o resto da noite colocando em dia o restante dos meus estudos. No entanto, eu tomei uma hora de folga para assistir House. Eu amava esse programa. Sempre passava. No momento em que fui para a cama, eram quatro horas da manhã.

Acordei às dezhoras e tomei um banho. Minhas aulas começavam mais tarde na quinta-feira, então eu tinha o luxo de dormir mais um pouco. Além disso, eu só tinha duas aulas nesse dia. Isso era bom. Passei uma hora olhando para o esboço por quaisquer erros antes de tê-lo pronto. Eu decidi usar o meu colete-suéter favorito hoje. Era verde com botões cor de bronze. Era incrível. Coloquei um par de calças cáqui e uns mocassins e fui para a aula.

Eu tive um teste surpresa na minha aula de Bioquímica. Eu tinha certeza que fui bem, mesmo que eu não tive a oportunidade de estudar como normalmente fazia. Então, eu imprimi o esboço na biblioteca e entreguei para o meu professor. Ele parecia estar impressionado com o meu trabalho. Ele me disse que estava ansioso para lê-lo. Vendo como eu tinha terminado tudo, peguei algo de uma das lanchonetes do campus e comecei a caminhar para o meu carro.

"Eric!" Ouvi alguém gritar atrás de mim. "Eric, espere!" Eu ouvi de novo, antes que alguém pegasse no meu ombro. Era Mike.

"É Edward," eu disse a ele, virando.

"Tanto faz", ele encolheu os ombros. "Obrigado por fazer esse esboço. Dr. Carter pareceu gostar."

"Por nada. Basta aparecer para próxima reunião", eu disse, começando a me afastar.

"Sobre isso

"Minha namorada está fazendo testes para uma maldita apresentação estúpida. Tenho que ir e animá-la. Aparentemente, isso é uma emergência. Tchau", ele resmungou, saindo rapidamente.

",

ele começou, antes de seu telefone tocar: "Porra

agora?" ele gritou antes de fechar seu telefone.

Eu fui para o meu carro para perceber que eu não conseguia encontrar as chaves. Eu percebi que eu devia tê-los

deixado em minha última aula. Corri de volta para o prédio, pouco antes deles trancarem a porta. Eu imediatamente achei as chaves desaparecidas. No caminho de volta para o estacionamento, eu percebi que precisava encontrar um

banheiro

saída. Entrei na primeira entrada que vi e me apressei para o banheiro mais próximo.

rapidamente. Descobri que o cachorro-quente com chili que eu comi no almoço estava à procura de uma

Após o suplício terminar, eu fizo meu caminho de volta para o meu carro

impedindo de ir embora esta tarde. Enquanto eu caminhava para a saída, ouvi o som de um piano sendo tocado junto com alguém no violino. Eu ouvi o violino e meu coração caiu. Tanya tocava violino. Ela era muito boa. Ela quase foi para Julliard.

de novo. Parecia que tudo estava me

Quem estava tocando o piano estava fazendo um bom trabalho. Eu tinha tomado aulas quando eu era mais jovem, apesar de não tocar muito desde que comecei a faculdade. Apessoa do violino, por outro lado, precisava de algum trabalho. Olhei para a sala para ver o que estava acontecendo. Para ser honesto, eu queria ter uma ideia de quem estava tocando tão horrivelmente.

"Tudo bem, senhoras e senhores," o homem ao piano disse: "Palmas para Jessica", ordenou com uma salva de

palmas seguido por palmas curtas. Acho que eu não era a única pessoa que pensou que ela foi horrível. "Há mais alguém que gostaria de fazer um teste? Qualquer um? Nenhum interessado? Nenhum?" Ele perguntou desesperadamente.

"Temos mais um", uma menina passou por mim enquanto arrastava uma outra por seu braço. Aprimeira menina tinha

cabelos vermelho fogo e olhos azuis. O que era interessante era que ela tinha características de um gato. Ela não era

feia

minha colega de quarto e melhor amiga, Bella. Eu a trouxe aqui…"

longe disso. Era apenas estranha. Mas, quem era eu para falar sobre a aparência de alguém? "Gente, essa é a

"Contra a sua vontade!" Aamiga da ruiva rosnou. Amenina sendo arrastada, cujo rosto eu não tinha visto ainda, tinha cabelo preto curto. Isso meio que me lembrou a forma como Alice usava o cabelo.

"Para explodir sua mente, eu ia dizer", a ruiva terminou a frase antes de dar a uma menina loira o que minha mãe chama de "olhar mau". Ela, então, estendeu a mão e agarrou o cabelo da amiga relutante, arrancando a peruca preta da cabeça e empurrando-o em sua bolsa.

"Droga, Vickie!" Sua amiga sibilou, antes de socar a ruiva no braço. "Você é uma vadia. Você sabia disso?"

"Ehh

tanto faz", a ruiva deu de ombros.

Eu ainda não tinha visto o rosto da amiga da ruiva

Então, dei uma olhada no cabelo dela. Foi quando eu me lembrei. Ela era a garota misteriosa da biblioteca. Eu ainda não tinha visto seu rosto.

mas eu reconheci sua bunda. Pelo menos eu pensei que tinha.

"Bem

"

o professor ficou atrás do piano, "Surpreenda-nos", ele ordenou.

"Eu fui ordenada a tocar Sonata ao Luar de Beethoven," a garota misteriosa brincou, virando-se para o piano.

Uau. Ela era linda. Bonita como… Tanya. Seu rosto era em forma de coração e ela tinha profundos olhos amendoados que eram de um castanho chocolate. Normalmente, eu pensava que olhos castanhos eram simples. No entanto, eles não eram nela.

O nome dela era Bella.

"Bem

temos o dia todo."

vá em frente", a loira provocou, acenando com a mão. Eu vi Mike ao lado dela. Ela era sua namorada? "Não

"Tudo bem," Bella suspirou quando ela se inclinou dentro de uma bolsa e tirou o que parecia ser um case de violino. Ela bufou e suspirou quando pegou o instrumento. Ela deu a sua amiga ruiva o olhar mau, e então começou a tocar. Eu conhecia música clássica. Na minha opinião, Sonata ao Luar era uma das peças mais exageradas existentes. Mas havia algo sobre a maneira como ela tocou. Era diferente. Era lindo. Sentei-me do lado de fora da sala e ouvi ela tocar.

Eu me perguntava como Bella e Tanya soariam tocando juntas.

Mais cedo do que eu gostaria, a última nota ressoou através da sala, que foi seguido por aplausos.

"Obrigada. Fico felizque vocês gostaram," Bella brincou. "Posso ir agora?" Ela perguntou a ninguém em particular. Como ninguém respondeu, ela pegou suas coisas e saiu correndo para a porta. Ela me bateu na cara com a porta durante sua fuga.

"Ai!" Eu gritei, cobrindo o narizenquanto caia no chão. Eu estava sangrando. Eu sabia disso. Olhei para as minhas mãos e espelho do corredor para ver o quão ruim era. Sim. Era ruim.

"Merda!" ela gritou, curvando-se para ver se eu estava bem. "Eu sinto muito! Sou uma mulher catástrofe. Você está bem?"

"Isso queima!" Eu assobiei, apertando meu nariz.

"Você deveria apertar?" ela perguntou, apontando para os meus dedos.

"É para ajudar o sangue a coagular, então eu vou parar de sangrar", eu disse, segurando a minha cabeça erguida.

"Merda, Bella", a ruiva riu: "Você quebrou o narizdele."

"Cale a porra da boca, Victoria! Vá para casa!" ela respondeu. "Será que eu quebrei?" Bella me perguntou, voltando com um lenço. "Merda, isso é algo mau. Sinto muito. Eu vou…"

"Está tudo bem," eu estremeci, tentando acenar com a cabeça.

"Eu vou pagar. Eu prometo. Aculpa é minha", ela soltou. "Meu pai vai me matar", ela balançou a cabeça enquanto limpava meu rosto com o lenço.

"Bella", eu disse, pegando o lenço dela. "Eu estou bem. Ele não está quebrado. Tem uma contusão. Mas ele não está quebrado", eu tentei convencê-la.

"Tem certeza?" ela perguntou, pegando uma garrafa de água de sua bolsa e entregando-o para mim.

"Para o que é isso?" Eu perguntei, segurando a água.

"Para lavar o sangue. Há muita coisa por ai", ela fezuma careta olhando para a minha ferida.

Ela sentou-se ao meu lado no chão, enquanto eu limpava o meu rosto, perguntando se eu estava bem a cada dez segundos.

"Hey," ela me cutucou no ombro.

"Está tudo bem," eu disse a ela, pela vigésima vez.

"Eu não ia te perguntar isso", ela riu, revirando os olhos. "Como você sabe o meu nome?", ela perguntou, olhando para mim de modo estranho. "Eu não te conheço."

"Oh," Corei sem jeito, "Eu ouvi você tocar mais cedo", eu confessei enquanto ela assentiu. "Você é uma estudante de música?" Eu perguntei.

"Claro que não!" Ela disse alto. "Isso foi um favor para Victoria, minha amiga; ela despreza muito a Jessica e queria ver a cara dela quando fosse ofuscada. Foi malvado, eu sei, mas essa é a Victoria. Eu parei de tocar quando eu tinha dezessete anos…"

"Por quê? Você é incrível."

"Eu deixei de amar isso", ela encolheu os ombros. "Em que ano você está?"

"Eu estou na pós-graduação. Comecei a faculdade de medicina cerca de um mês atrás."

"Legal", ela disse. "Eu gostaria de saber o que quero fazer."

"Quantos anos você tem?" Eu perguntei. Ela parecia um pouco jovem para estar na faculdade.

"Vinte", ela confessou.

"Você tem dois anos para descobrir isso," Eu tentei animá-la. "Você é apenas um estudante do segundo ano."

Ela riu histericamente. "Na verdade eu tenho seis meses para descobrir isso. Eu estou no último ano. Eu pulei alguns anos."

"Legal." Eu assenti.

"Você está bem?" Ela perguntou. "Desculpe. Eu só me sinto mal."

"Eu estou perfeitamente bem", eu disse me levantando.

"Muito bonita, Bella", Mike assobiou, passando por nós e olhando de soslaio para ela.

"Foda-se, Newton," Bella disse, sem olhar para trás. "Nem em seu sonho mais molhado!"

"Hey, Bella ", alguém veio até ela, uma vezque saiu do edifício, "Posso ter cinquenta

?"

"Não", ela interrompeu-o antes que ele pudesse terminar.

"Vamos lá", ele disse. "Eu não quero ir ao banco. Não é como se você…"

"Isso soa como um problema pessoal", ela retrucou. "Encontre alguém que se importe, Tyler. Você está latindo para a árvore errada", ela acrescentou antes que o homem saísse correndo. "Desculpe por isso", ela se desculpou.

"Está tudo bem", eu disse. "Eu preciso ir para casa."

"Qual é o seu nome?" Ela me perguntou. "Eu me sinto mal que quase quebrei seu narize eu nem sei quem você é."

"Edward Cullen", eu disse me virando.

"Merda", ela disse impassível, tirando o casaco. "Eu estava esperando que iria ficar com essa coisa. É confortável", ela acrescentou, entregando o casaco de volta para mim. "Será que eu te mostrei o dedo ontem?"

"Uh…"

"Desculpe por isso. Há um período de dezminutos em que sou uma cadela depois de alguém me acordar. Isso não foi pessoal", ela explicou.

"Como você sabia que era meu?" Eu perguntei, colocando-o novamente. Cheirava todo feminino

como morangos.

"Você escreveu o seu nome na etiqueta," ela riu. "É muito difícil de perder. Foi um prazer conhecer você, Edward Cullen. Obrigada por emprestar o casaco", ela disse, afastando-se e acenando para mim.

"Por nada", eu acenei de volta, sorrindo. Ela era legal.

"Hey," ela parou de andar, "Seu sorriso é torto."

Meu sorriso vacilou e meu rosto caiu um pouco. Eu sempre fui sensível sobre o meu sorriso. Eu odiava que não fosse normal.

"Não esconda isso", ela disse, acenando pela minha aparente tristeza. "É realmente muito… fofo", ela disse andando de novo. Meu sorriso voltou.

Eu finalmente consegui voltar para o meu carro e cheguei em casa, sem qualquer outra coisa me atrapalhando. Depois que eu troquei de roupa, fizum dos vídeos do Monkey Man que Em havia me enviado. Ele disse que eu estava proibido de não ter um tanquinho. Eu estava fazendo isso pelos últimos meses. Eles não eram tão ruins assim. Depois eu tomei um banho, estudei, liguei para minha mãe, e fui para a cama. Eu não estava tão atrasado neste momento. Eu fui para a cama às duas horas da manhã.

As próximas duas semanas seguiram o mesmo padrão. Eu acordei, fui para a faculdade, fui para casa, estudei, assisti House, estudei mais um pouco, liguei para minha mãe, e fui para a cama. Minhas anotações eram fantásticas. Meu

trabalho com Mike acabou muito bem. Tivemos o único "A" na classe. No entanto, eu tive que terminar o projeto sozinho

já que sua avó morreu. Eu entendia. É difícil quando um dos avós morre. Nós até mesmo nos unimos para um outro

projeto

Às vezes, eu pegava meu telefone para ligar para Tanya, só para lembrar que ela não queria falar comigo. Eu senti falta das vezes quando ela vinha e eu a levava para fazer compras. Nós tínhamos feito muito isso.

de novo. Eu não tinha certeza de como me sentia sobre isso. Fora de tudo acadêmico, eu ainda estava triste.

Eu sentia falta dela.

"Bem

Não. Não!" Eu ouvi a vozgritar antes que a mulher começasse a saltar para cima e para baixo no estacionamento em

frente ao edifício de Ciências. Uma vezque eu dei uma boa olhada na mulher, eu percebi que era Bella. Tudo bem, eu

vi sua bunda. Hoje, ela estava com um vestido floral azul, rosa e verde, com botas combinando, e uma peruca verde

que tinha tranças. (Look: bit . ly /BellaEW2)

foda-se minha vida!" Ouvi alguém gritar. "Eu não posso acreditar," a vozchoramingou. "Não. Não. Não. Não.

Ela era uma pessoa estranha.

"Bella?" Eu perguntei, honestamente com um pouco de medo de me aproximar dela. "Você está bem?"

"Sério?" Ela parou de pisotear para me encarar. "Eu pareço bem? Por que você perguntou isso?"

"De-de-desculpe", eu me desculpei recuando. "Eu só queria…"

"Não, me desculpe", desculpou-se, deixando os ombros caírem e dando um passo à frente. "Eu tive umas horas

difíceis. Acabei de descobrir que estou indo mal em Cálculo II

cinco", ela diz, vasculhando seus papéis para me mostrar um teste com um grande vinte e cinco escrito em vermelho.

vinte e

miseravelmente. Estou falando de algo como

"Wow", eu disse, sem jeito. "Isso é muito ruim…"

"Mas não é por isso que estou aqui no estacionamento chorando aos céus em futilidade", ela agitou as mãos no ar.

"Meu carro foi rebocado e minha colega de quarto não pode ir comigo porque ela está trabalhando no asilo e o local do reboque fecha às cinco. Então, eu tenho que pegar minha cachorra no veterinário às quatro ou eles vão me cobrar uma taxa de internação durante a noite e eu não vou ser capazde tirá-la de lá até amanhã. Então, é uma merda ser eu neste momento", ela bufou, mostrando o dedo para o céu. "Pare de olhar para mim, porra!" Ela gritou para um bando de garotas que estavam de fato olhando para ela.

"Eu acho que meio que é" eu disse, tentando fazer uma piada. Ela não riu.

"Seu narizse curou muito bem", ela disse, tocando levemente meu rosto.

"Ahh!" Nós dois pulamos com a corrente que se moveu através de nós quando os meus óculos caíram no chão.

"Desculpe por isso. Provavelmente eu reuni estática durante meu show de agora", ela se desculpou. "Você não tem que ficar comigo. Você provavelmente tem uma aula ou algo assim. Posso chamar um táxi," ela me disse enquanto enfiou a mão na bolsa.

"Está tudo bem", eu parei ela. "Eu-eu vou levá-la," eu ofereci. Eu não sei o que aconteceu comigo. Eu senti essa vontade de ajudá-la. Além disso, ela parecia ser uma boa pessoa. Seria bom ter uma amiga.

"Sério?", ela perguntou. "Você não se importaria? Você não me conhece muito bem. Isso não…"

"Está tudo bem," eu dei de ombros. "Eu terminei por hoje. Anão ser que você

"

"Oh, eu terminei", ela disse, caminhando até mim. "Onde está o seu carro?"

"Eu vou mostrar a você," eu disse, levando-a para o meu Volvo.

"Você dirige um carro de mamãe", ela brincou enquanto entrou no banco do passageiro.

"Isso não é um insulto original", eu informei a ela quando entrei.

Enquanto nos dirigíamos em silêncio, eu pensei comigo mesmo, ela pegou carona com um completo estranho. Eu

não podia sequer começar a pensar o quão perigoso isso era

neste mundo.

"Você não deve aceitar carona de estranhos," eu a repreendi. Imagine se eu fosse alguém mau. "Eu poderia ser um louco."

"Você não deveria dar carona para estranhos. Eu sou uma pessoa louca", ela olhou para mim. Ela não piscou. Oh, Deus. "Fique frio, cara. É uma piada. Você parece ser um cara legal. Além disso, sem ofensa, mas eu totalmente poderia levar você em uma briga até a morte," ela riu.

Ela provavelmente poderia. Eu era incrivelmente fraco para um homem.

"Obrigada por isso. Eu não tenho certeza se Victoria poderia sair do trabalho sem aviso prévio", ela disse, olhando para fora da janela.

"Quem é essa?" Eu perguntei.

"Ela é minha colega de quarto e minha melhor amiga. Estamos presas um a outra desde que as nossas mães nos tornaram amigas", ela revirou os olhos.

"Ela trabalha com os idosos. Isso é legal da parte dela," eu pontuei, fazendo uma pequena conversa.

"Não é por escolha", ela riu. "O tribunal mandou. Ela foi pega dirigindo bêbada no ano passado. Era 80 horas de serviço comunitário ou prisão."

"Oh," eu disse, chocado.

"É aqui!" Ela me alertou. "Você vem? Às vezes, os proprietários demoram para pegar os cães. Pode ser uma longa espera", ela disse. Eu dei de ombros e a segui.

"Bella!" uma mulher de meia-idade, com cabelos loiros veio da parte de trás. "Snooki está esperando por você", ela sorriu. "Toda vezque ela ouve a campainha da porta, ela tenta correr para fora", ela disse antes de ir para a sala de trás. Ela trouxe uma pequena cachorra vermelho felpudo. Era claramente uma cachorra para garotas.

Tanya odiava cães. Ela disse que eles fediam e eram muito carentes.

"Como ela foi hoje?" Bella perguntou, entregando a senhora seu cartão de crédito. "Ela é uma Pomerania Mini," Bella me informou enquanto acariciava o animal.

"O comportamento dela está muito melhor", a mulher bufou. "Ela não teve nenhuma explosão hoje."

"Snooki é minha alma gêmea", Bella explicou. "Ela fica um pouco exagerada às vezes", ela sussurrou enquanto olhava para o canto onde tinha um golden retriever com um gesso em sua perna. "Eles entraram em uma briga por um brinquedo no outro dia. Isso não terminou bem."

"Onde está sua bolsa?" Eu perguntei, olhando ao redor.

"Nós não precisamos de uma bolsa", ela acariciou o pelo da cachorra. "Nós estamos bem."

"Você não precisa de uma?"

Tanya tinha uma bolsa para combinar com cada uma de suas roupas para poder andar com Diva.

"Não", ela disse. "Não se preocupe. Ela é treinada", ela me disse enquanto abri a porta para ela. "Obrigada."

Assim que entrei no carro, a cachorra de Bella saltou de seu colo em minha direção. Por força do hábito, eu imediatamente cobri o rosto. Eu cometi o erro de não levar um ataque de animal muito a sério uma veze Diva, a gata de Tanya, agarrou meu pescoço muito forte. Esta cachorra, no entanto, optou por saltar para os meus braços e esfregou seu rosto contra minha bochecha.

"Ah

"

Bella murmurou: "Ela gosta de você."

"Acho que sim", eu disse, pegando-a para acariciá-la.

"Ooh!" Bella gritou, "Nós precisamos chegar ao lugar de reboque."

Eu liguei o carro e comecei o caminho para ir buscar o carro de Bella. Notei algo no meu espelho retrovisor que me distraiu. Bella estava balançando para frente e para trás em sua cadeira e olhando para fora da janela.

"Você está bem?" Eu perguntei, preocupado. "Você está doente?"

"Não", ela disse. "Você está dirigindo lento… pra… caramba", ela me disse, observando os carros ao nosso lado.

"Eu estou dirigindo no limite de velocidade", informei a ela.

"Eu sei. Você está dirigindo muito devagar. Nós nunca vamos chegar a tempo", ela bufou, encolhendo os ombros.

"Eu não vou mais rápido," eu disse a ela. "Eu estaria colocando ambos em perigo."

"Os limites de velocidade são diretrizes, não regras. Todo mundo sabe disso", lamentou. "Aquele cara no ciclomotor acabou de nos ultrapassar", ressaltou.

"Era uma moto."

"Ciclomotor", ela argumentou. "Por favor, vá mais rápido", ela implorou.

"Não", eu disse a ela.

"Você é chato", ela fezbeicinho, olhando pela janela.

Eu continuei dirigindo mesmo.

no limite de velocidade

e nós chegamos ao reboque. Bella correu para dentro. Eu fizo

"Desculpe. São 17:05. Estamos fechados. Você pode voltar amanhã às 9 para pegar o seu carro", o homem disse, olhando para Bella engraçado. Eu não aprovava. Um homem não deve olhar para uma mulher assim.

Bella parou antes de virar-se lentamente para olhar para mim. Então, seus olhos começaram a lacrimejar, seguido por seu lábio tremendo.

Eu imediatamente comecei a me sentir mal. Eu poderia ter passado um pouco do limite. Aculpa foi minha. Eu deveria ter escutado. Ela provavelmente me odiava agora.

"Bella, eu sinto muito. É minha culpa. Vou buscar você amanhã

" eu comecei.

"Por favor, senhor," Bella choramingou. "Por favor, Eu preciso do meu carro. Eu realmente preciso do meu carro, por favor." ela começou a chorar.

"Sinto muito, senhorita

"

o homem começou.

"Eu tenho que pegar a medicação da minha avó e levar a minha irmã para a escola amanhã de manhã às seis," ela começou novamente. "Ela vai para um passeio. Não pode se atrasar. É o meu trabalho cuidar dela. Não é u-u-uma", ela começou a gaguejar e soluçar. Lágrimas corriam livremente pelo seu rosto. "Por favor, senhor", ela começou de novo, com os ombros tremendo com soluços.

Agora eu realmente me sentia mal. Ela era uma estudante que provavelmente estava trabalhando para ir bem na faculdade, enquanto eu nunca tive que trabalhar. Então, ela tinha que cuidar da sua avó e sua irmã. Eu deveria ter ido mais rápido. Ela definitivamente me odiava.

"Eu preciso do meu carro. Tive que implorar ao meu primo para ir me buscar na faculdade", acrescentou apontando para mim. "Por favor, senhor, por favor? Eu realmente preciso disso. Eu sei que é as regras, mas ninguém está aqui. Nós não vamos dizer a ninguém", ela esperava. "Por favor?"

Huh?

"Sinto muito", ele disse.

"Mas

"

"Eu vou deixar você pegar o seu carro. Mas eu vou ter que cobrar um dia extra de depósito", ele disse baixinho, tocando no ombro trêmulo de Bella. Ela ainda estava chorando.

"M-m-mas", ela gemeu mais forte. "Eu não tenho dinheiro suficiente para pagar por dois dias. Eu só tenho o suficiente para um dia e mais cinqüenta dólares para o remédio da minha avó", ela começou a chorar novamente. "Eu não tenho esse dinheiro", ela começou a tremer com soluços enquanto agarrou meu colete-suéter e afundou-se um pouco. Neste ponto, eu estava basicamente segurando-a. "O que eu vou fazer?", perguntou ela, balançando a cabeça.

"Está tudo bem," eu disse a ela, acariciando sua peruca. "Eu vou pagar…"

"Venha, querida", o homem ordenou: "Deixe-me ver sua identidade e vou cancelar o segundo dia."

"Sério?" Ela sorriu enquanto limpando o nariz.

"Não diga a ninguém", ele ordenou. "Eles vão pensar que estou ficando mole."

"Obrigada," Bella sorriu levemente antes de dar ao homem os documentos necessários. Ele foi até a garagem para pegar o carro.

"Bella, eu sinto muito ", eu me desculpei abraçando-a. "Deve ser tão difícil para…"

"Será que ele já foi?", ela perguntou.

"Uh

sim", respondi, olhando para ele pegando um carro esportivo branco.

"Bom", ela disse, enxugando os olhos e assoando o nariz. "Essa foi por pouco", ela sorriu.

"Vo-você estava fingindo isso?" Eu perguntei, incrédula. Ela assentiu e deu uma risadinha. "E a sua avó e sua irmã?"

"Os meus avós estão mortos e eu sou filha única", ela respondeu, pegando sua carteira. "As pessoas têm um fraquinho por velhos e crianças", ela encolheu os ombros. "Eu menti, mas por uma boa razão", ela apontou para mim. "Nós estávamos apenas cinco minutos atrasados. Ele estava sendo um idiota", ela disse.

Ela estava certa. Nós não estávamos tão atrasados. Eu não podia acreditar que ela chorou assim do nada. Isso foi

meio que

incrível.

"Você deve pensar que eu sou infantil, né?" ela riu. "Onde diabos esse cara está com a porra do meu carro?"

"Eu não acho isso," eu disse a ela. "Eu estava pensando o quão incrível foi você chorar por nenhuma razão."

"É um dom", ela encolheu os ombros com indiferença. "Isso me rendeu o papel de Blanche DuBois no segundo ano."

"Você estuda teatro?"

"Uh

não," ela riu da minha suposição.

"Por quê?"

"Isso não me estimulou."

"Então o que você estuda?"

"Eu estou indecisa", ela disse, olhando pela janela para procurar seu carro. "Onde ele está? É melhor ele não estar comendo donuts nas minhas coisas!"

"Espere um minuto", eu disse depois de sua declaração interior afundar. "Você está no último ano, com uma indecisa?"

"Sim."

"Como é que isso aconteceu?"

"Eu terminei com a minha graduação em geral. Além disso, eu tenho tomado todas as aulas de introdução que me interessam. Uma vezque eu terminar, tudo que eu tenho é que fazer mais quatro turmas. Vou me formar no tempo

certo. Vou escolher algo eventualmente. Eu sou boa em tudo

matemática. Quer dizer, que idiota só coloca duas perguntas em um teste?" ela disse, puxando seu papel de teste novamente. "Eu só vou abandonar. Não é nada demais", ela disse, colocando o teste de volta em sua bolsa.

menos matemática, aparentemente

realmente, só em

"Você não tem que abandonar", eu disse ela.

"Uh

sim, eu tenho", ela retirou seu papel de novo e circulou o vinte e cinco com o dedo.

"Eu vou ajudar você", eu disse. Ela olhou para mim de forma engraçada. "Que-Quero dizer, eu sou bom em matemática e ciências. Você tem que ser para estar na escola de medicina. Eu posso estudar com você por uma hora ou algo assim quando você precisar," eu disse a ela enquanto empurrei meus óculos.

Eu não sabia por que ofereci isso. Eu mal tinha tempo suficiente para dormir. Mas, eu senti a necessidade de ajudá-la como tive hoje mais cedo.

"Você faria isso?", ela perguntou. "Você mal me conhece", ela disse a si mesma. Ela olhou para o espaço por um segundo até que o som de um motor a puxou para fora de seu transe. "Tudo bem", ela sorriu, pulando fora do balcão e correndo para o carro dela.

"Esse é o seu carro?" Apontei para um carro esportivo branco. Ele tinha um design elegante no capô. Parecia como um pássaro.

"Sim", ela disse abraçando o capô de seu carro. "É um Trans Am de 1979", ela me disse, dando ao homem o seu cartão de crédito para pagar. O homem olhou para ele engraçado e foi embora. "Eu amo você, Tracy."

"Você chama o seu carro de Tracy?" Eu perguntei.

"Sim, TracyTrans Am", ela sorriu, colocando Snooki em seu carro.

"Senhorita", o homem saiu segurando o cartão: "Algo está errado com o seu cartão."

"Desculpe?" Bella perguntou, confusa.

"Eu continuo passando e nada acontece", ele disse, sem jeito. "Eu sinto muito…"

"Podemos entrar?" Ela sorriu, dirigindo-se para dentro. "Espere aqui, por favor", ela me perguntou antes de seguir o homem para dentro.

Eu limpei meus óculos e olhei para ver melhor. Então eu me aproximei mais. O homem estava balançando o cartão no rosto de Bella. Ela começou a sacudir a cabeça e pegou o cartão dele, indo na mesa para o telefone. Depois que ela fezuma ligação, ela sorriu e o homem bufou e escreveu um recibo. Eu tinha apoiado na porta para abrir um pouco para ouvir e ter certeza que ele não estava dando a ela um momento difícil.

"Sinto muito senhorita", ele rasgou o recibo e entregou a ela enquanto revirava os olhos.

"Claro que sente", ela revirou os olhos em troca e se virou para a porta. Ela passou por mim e foi para o carro dela. "Você se importaria se nos encontrássemos amanhã?" Ela me perguntou. "Meu professor está nos dando um outro teste. Ele concordou com a média dos testes juntos. Então, se eu tirar uma nota decente, eu vou falhar um pouco."

"O-Okay", eu concordei, dando-lhe o meu telefone para que ela pudesse colocar o seu número nele.

"Ligue ou mande mensagem ou qualquer outra coisa", ela correu. "O teste é na próxima segunda-feira", ela explicou.

"O-Okay", eu disse. "Eu vou falar com você mais tarde."

"Vejo você depois, Edward", ela sorriu antes de sair do estacionamento do reboque e acelerar para longe.

Ela dirigia como Alice.

Eu sorri, andando de volta para o meu carro. Eu tinha feito uma nova amiga. Ela não me provocou ou me fezsentir

estranho. Ela falou comigo como se eu fosse

normal.

Bella PDV

"Victoria… porra sim!"

"Oh, sim… Oh, Deus!"

"Maldição… merda!"

"Bem ai. Não pare, porra!"

"Oh, Deus", resmunguei, cobrindo os ouvidos com o meu travesseiro e virando, xingando a excelente acústica da minha casa. Victoria parecia estar gostando do seu tempo com seu mais novo sabor da semana, Preston. Pelo menos, eu acho que esse era o seu nome.

Ela era muito vocal, como se os vizinhos não pudessem dizer. Eu podia ouvi-los do meu quarto esganiçada.

porra de voz

Snooki pulou na minha cama para enrolar-se ao meu lado. Eu estava tentando o meu melhor para terminar o meu trabalho de história. Era para amanhã. Eu decidi fazer o meu sobre como a América era um participante desconhecido no Apartheid na África do Sul. Tinha que ser de vinte páginas. Eu estava na página dezessete, o que era muito foda. A única coisa que me restava era a minha conclusão e a bibliografia. No entanto, eu não conseguia me concentrar, devido à maratona de sexo que minha colega de quarto estava tendo. Marquei um site com informações pertinentes sobre isso antes de ir para a cama e contar minhas perdas para a noite.

Maldita seja, Victoria.

Irritada, acordei às seis horas da manhã para terminar o trabalho. Perto das oito, eu finalmente tinha terminado. Eu acabei indo além do limite um pouco. Agora que as coisas fáceis acabaram, eu poderia finalmente me preparar para a aula.

Eu amava o meu guarda-roupa. Era uma bagunça do caralho. Eu gostava de me vestir como eu queria. Eu passei

muito tempo fazendo o que deveria fazer

quando eu deveria fazer. Era surreal, ser capazde fazer minhas próprias escolhas e me vestir como eu queria.

e que tinham me dito que era o que eu deveria fazer, como eu deveria fazer, e

Vadia.

Eu procurei o meu espírito e me senti

cabelo natural. Sem peruca hoje. Eu estava um pouco chateada que eu tive que jogar fora a minha peruca roxa no mês passado. Ele acidentalmente caiu no vaso quando eu estava no banheiro. Eu não tinha sido capazde encontrar uma outra que eu gostasse desde então. Peguei algumas pulseiras roxas, verdes e douradas e peguei o elevador até a cozinha para pegar um rápido café da manhã.

roxa. Peguei uma camisa roxa, um jeans azul, e um Converse roxo. Deixei meu

"Ei, garota," Vic suspirou, bagunçando meu cabelo. "Indo natural hoje?"

"Foda-se", respondi, mostrando o dedo para ela com um sorriso.

Eu odiava meu cabelo natural. Não é o cabelo em si

"Como ficou o seu trabalho?"

mas o que ele representava.

"Vinte e quatro páginas," Eu me regozijei um pouco. "Isso é um recorde pessoal."

"Estranho", ela balançou a cabeça. "Você provavelmente vai ter um 'A' nele também."

Chateava Victoria que eu fizesse meus trabalhos meia-boca e ainda tinha um "A" em todas as matérias.

"Hey, Bella," o novo cara de Victoria me cumprimentou, abraçando Victoria por trás.

"

Skinny Bitch.

"Hey

Eu acenei com a minha mão, tentando lembrar do seu nome. Eu não consegui, então comi uma barra de

Eu amava isso.

"Eu tenho que ir, Vicky", ele sorriu, beijando-a no pescoço. "Eu te ligo mais tarde."

"Okay", ela cantou, encolhendo os ombros em emoção enquanto ele saiu. "Oh meu Deus", ela bufou. "Ele não quis ir na noite passada", ela reclamou.

"O quê?" Eu perguntei, rindo. "Você parecia estar se divertindo na noite passada", eu acusei.

"Tanto faz", ela zombou, comendo uma tigela de cereais. "Isso foi apenas um sexo tarde da noite

mim foi", ela admitiu, balançando a cabeça. "Nós tivemos relações sexuais três vezes e ele está agindo como se estivesse apaixonado. Ele me convidou para ir à igreja com ele para conhecer seus pais", ela estremeceu. "Não, obrigada. Estou me livrando dele."

pelo menos para

Ouch.

"Adevoradora de homens ataca novamente", eu anunciei na minha vozlocutor.

"Eh

"Precisamos fazer com que você transe."

"

ela ergueu os ombros, colocando a tigela na pia. "Chega de falar sobre mim", ela mudou de assunto.

"Victoria

"

Eu avisei.

"Sério", ela implorou: "Junte-se ao clube. Penis é incrível. Você não pode ser uma virgem para sempre, Bella. Você é

jovem. Você é obcenamente

rica. Você é gostosa

quase tão gostosa quanto eu."

Victoria tinha tomado como uma ofensa pessoal o meu estado de virgem desde que ela perdeu a virgindade na nona

série. Ela se preocupava com minha boceta tanto quanto a dela. Era legal quando você pensava sobre isso estranho.

e

"Vic

"

"Você e eu

olhar de vadia em troca. "Você é chata!" Ela reclamou, caminhando em direção à garagem.

juntas? Os homens que não terão chance", ela argumentou, arqueando as sobrancelhas. Dei-lhe um

"Indo para algum lugar?" Eu o provoquei, balançando as chaves do carro em seu rosto.

"Vadia", ela mostrou o dedo para mim enquanto fomos para a garagem juntas.

"Não é minha culpa que você foi pega dirigindo bêbada e seu pai levou seu carro", eu sorri.

No ano passado, Victoria foi pega dirigindo bêbada e foi presa. Os pais dela descobriram e tiraram sua linda Ferrari vermelha.

"Podemos pegar a

?"

"Não", eu respondi, caminhando para o meu carro.

"Por favor?" ela perguntou, sentando-se no capô da Mercedes McLaren.

"Não", eu disse de novo, jogando minha bolsa no banco de trás do meu Trans Am.

Eu amava o meu carro. Eu paguei por isso com o meu próprio dinheiro.

"Que tal o Porsche?"

"Nop", eu disse a ela, enftizando o "p".

"O Corvette 62?" ela perguntou, abrindo a porta.

"Nuhuh," eu disse, ligando o carro.

"E sobre a Cheeta?" ela tentou, balançando as sobrancelhas. "Vamos totalmente parar tudo", ela implorou.

"Óbvio que não!" Eu reclamei, abrindo a porta da garagem.

"Mas, ela é a única de todas", ela começou. "Foi um presente. Seu pai pode ser negligente, mas ele é um doador

incrível de presentes", ela apontou para a garagem e a obscena casa que meu pai tinha construído para mim

ir à faculdade.

só para

"Por que você o chama de Cheetah, afinal?" Eu perguntei, pressionando a palma da mão sobre o identificador de trancar a casa antes de sairmos.

"Parece que soa como um quando você acelera o motor", ela fezbeicinho.

Ela decidiu me dar o tratamento do silêncio todo o caminho para a faculdade. Eu tinha sido imune a essa forma de tortura desde que eu tinha seis anos. Eu realmente não me importava. Eu gostava do silêncio.

"Tenha um bom dia na escola, querida," eu pedi na minha vozmaternal. "Brinque direitinho com as outras crianças."

"Tenha um bom dia", ela revirou os olhos, saindo do carro. "Oh, traga seu violino quando você vier me pegar na orquestra. Certo?"

"Tanto faz," eu respondi, saindo do carro.

Eu tive um dia cheio hoje. Eu tive que entregar o meu trabalho de História. Então tive um teste na minha aula de Cálculo

II, seguido da provavelmente mais chata palestra na minha aula de Literatura Moderna.

Eu fui para a minha aula de História bem na hora de entregar o trabalho.

"Ah

Srta. Swan", o Dr. Truman sorriu sem entusiasmo. "Estou ansioso para ler isto."

"Espero que sim", respondi secamente.

Sentei-me na sala de aula e rabisquei no meu papel enquanto ele falava. Ele me fezperguntas. Eu respondi. Era o

mesmo em todas as aulas. Ele nos deu um questionário sobre o que nós deveríamos ter lido

tive o único 'A'. Todo mundo estava irritado, porque eu me dei bem

há duas semanas. Eu

de novo. Eu não dou a mínima.

Meu professor

estava sentada na sala de aula, não fazia nada, e ainda era capazde obter um "A" em sua matéria

eu poderia dizer? Eu era apenas tão boa. Amaioria teria pensado que isso era por causa de quem era meu pai. Esse

não era o caso. Na verdade, muitas pessoas não sabiam sequer quem eram meus pais. Averdade é que

apenas inteligente. Só Victoria e o Dean sabiam. Eu gostava de manter dessa forma. Acho que eu poderia creditar

culpar

de todos os meus professores, realmente

tinha um problema comigo. Era principalmente porque eu

em Harvard. O que

eu era

ou

a minha mãe pelo meu desempenho escolar. Vadia louca. Optei por culpá-la.

Depois que eu saí da História, eu tinha um intervalo de quinze minutos para chegar a minha aula de Cálculo II. Aaula parecia ser bastante normal. Sentei-me, tirei a minha calculadora, e esperei para começar o teste. Após esta aula, eu tinha um intervalo de três horas. Eu poderia ir para casa, almoçar, e depois voltar. Logo, o professor começou a

distribuir os testes. Eu não tinha certeza, mas acho que eu o vi sorrir para mim quando ele me deu o meu. Eu balancei

a cabeça e olhei para o teste.

Era uma página.

Com duas perguntas.

Duas perguntas difíceis.

Eu olhei para as perguntas. Então, eu olhei para elas novamente. Foi então que eu percebi uma coisa. Oh, Deus…

Eu não sabia as respostas.

Mas que diabos?

Isso nunca tinha acontecido comigo!

Eu olhei para as perguntas de novo. Eu era inteligente. Esse era o meu negócio

assim. Fui treinada para ser inteligente. Talvezeu estivesse olhando para isso do jeito errado. Não confusa. Será que ele estava brincando comigo? Quem só coloca duas perguntas em um teste?

um feito se você quiser chamar

Eu ainda estava

Merda.

Olhei as duas perguntas pela maior parte do tempo da aula. Não foi até o professor me notificou que eu só tinha dez minutos para o que eu escrevi o que pude e entreguei. Foi muito ruim.

Fui para casa e pensei sobre o que tinha acontecido. Eu estava

literatura. Ele provavelmente iria só falar sobre o projeto que tínhamos na próxima semana, de qualquer forma. Eu não podia acreditar que eu tinha acabado de presenciar. Eu nunca tinha tirado menos do que um "A" na minha vida. Eu

em estado de choque. Eu não fui para minha aula de

tinha sido

programada para não fazer isso. Antes que eu pudesse pensar mais, meu telefone tocou. Era a minha

mãe. Vadia.

"Foda-se, muito", eu ri, pressionando o botão "ignorar". Eu não estava com disposição para sua merda.

Eu descansei e assisti TVaté chegar a hora de buscar Victoria. Eu trouxe meu violino como ela tinha pedido. Talvez alguém que ela conhecia precisava usá-lo. Deus sabe que eu não tinha usado. Eu decidi colocar a minha peruca preta. Combinava com o meu humor. Snooki latiu em aprovação antes de eu sair.

Estava um pouco frio lá fora, então eu peguei o casaco do misterioso que tinha encontrado na semana passada na

biblioteca. Quando eu estava estudando, eu tinha adormecido. Logo depois, eu senti um toque no meu ombro, seguido

por esta faísca. Sendo sonolenta, eu desconsiderei e afastei o dono mostrando meu dedo. Ele

que era um ele, porque o casaco cheirava a um homem

não sentisse frio. Eu tentei dar-lhe de volta quando eu acordei, mas parecia que ele tinha ido embora.

pelo menos eu acho

deixou um casaco confortável caído sobre mim para que eu

Você simplesmente não ama a Boa Ação do Dia?

"Bella," Victoria saltou quando me viu estacionar. "Você tem que me ajudar a mostrar para aquela cadela quem é que manda."

"O quê? Por quê? Quem?" Eu perguntei, confusa.

"Jessica Stanley", ela revirou os olhos. "Ela está andando por aí toda a semana agindo como se ela fosse o presente de Deus para a orquestra. Ela não vai parar de falar sobre quantos especialistas o pai paga a treiná-la", ela fezuma pausa, falando nesse tom que as crianças de vozutilizavam para zombar das pessoas. "Normalmente, eu iria mostrar a ela, mas eu toco violoncelo. Então, eu preciso de você para me ajudar a estragar o seu dia", ela correu.

"Isso soa como um problema pessoal," eu pensei. Eu não era fã de ser usada para irritar alguém.

Eu tinha o suficiente dessa merda.

"Você tocou com a orquestra russa quando tinha doze anos!"

"Então?"

Ela estava agindo como se eu tivesse uma escolha nisso.

Campeões são bem-arredondados.

Foda-se. Era essa voznovamente.

"Por favor?" ela perguntou de novo. "Ela está falando uma e outra vezsobre como ela vai vencer. Averdade é que

ninguém vai contra ela por medo. Você é destemida Mike vir," Ela revirou os olhos.

incrível

e mil vezes melhor do que ela. Ela está mesmo fazendo

"Newton?" Perguntei interessada.

"O único e pervertido", ela respondeu, entrando no prédio.

"Eu vou fazer isso", eu sorri.

Eu odiava Mike Newton desde o colegial. Sim, eu o conheço há muito tempo. Eu me recusei a masturbar ele após o

baile de reencontro no décimo ano. Ele não era nem mesmo o meu par. Depois disso, ele começou um boato de que

eu era lésbica. Aparentemente, esta mentira era plausível porque todo mundo acreditava nisso

Mesmo depois de tudo isso, ele ainda tentou entrar em minhas calças em cada oportunidade. Se isso não foi o suficiente para me irritar, seu senso de direito era. Seu tio era dono da empresa Newton Outfitters. Isso permitiu Mike pensar que ele era melhor do que todos. Ele viveu toda a sua vida nas sombras do legado de outra pessoa. Idiota.

exceto Victoria.

"Por quê?" Victoria perguntou, confusa com a minha cooperação súbita.

"Se eu tocar violino vai fazer a noite de Mike miserável, eu poderia viver com isso", eu disse, seguindo-a para dentro.

Depois de ser condenada a togar Sonata ao Luar, eu fizo que me foi pedido. Cada segundo era uma tortura, fazendo- me desejar que acabasse. Finalmente, eu toquei a última nota para um aplauso retumbante. O professor levantou-se para bater palmas para mim, enquanto eu olhei para ver Victoria dando Jessica um sorriso de merda. Meu trabalho foi feito. Abri a porta para ir para casa. Ouvi um som esmagador seguido por um "Ai!"

Eu olhei para ver um cara da minha idade uivando no chão de dor. Por instinto, eu tentei ajudá-lo. Eu estava com medo que eu poderia ter tornado tudo pior, no entanto. Eu corri para o banheiro para molhar um pano, rezando para o narizdo cara não ter quebrado. Eu não queria ser processada. Voltei e ajudei a limpar o narize rosto. Quando todo o sangue saiu, eu tive a chance de ver o rosto do rapaz.

Ele estava com um par de óculos de lentes grossas, um colete-suéter e calça cáqui que eram cerca de meio dedo

mais curto. No entanto, eles funcionavam para ele. Seu cabelo parecia ter uma espécie de cor de cobre

uma moeda de um centavo. Eu não poderia realmente dizer, porque ele tinha um monte de gel de cabelo nele. Além disso, seus olhos eram de um verde estranho. Eles eram como verde floresta.

meio como

Ele era fofo. Eu queria abraçá-lo.

Descobri que o nome dele era Edward. Ele também começou a faculdade de medicina neste semestre. Ele parecia um

cara legal. Ele não estava irritado que eu quase o matei com a porta. Eu acho que ele estava chateado que eu ficava perguntando se ele estava bem. Eu não poderia evitar. Ele parecia tão ferido. Depois, dei-lhe de volta o casaco confortável. Isso me deixou triste. Eu estava começando a realmente gostar desse casaco. Além disso, ele cheirava

bem

como um homem temperado.

"Esse cara está bem?" Vic perguntou quando eu sai.

"Eu acho que sim," eu argumentei. "Ele disse que estava tudo bem."

"Essa merda foi brutal. Parecia um filme de Quentin Tarrantino", ela balançou a cabeça.

"Espero que ele não tenha quebrado", eu suspirei, como meu celular tocou engasguei, ignorando a chamada.

Esse foi o dia mais interessante que eu tive em muito tempo.

de novo. Era a minha mãe. "Ugh," Eu

O próximo par de semanas foram chatos. Foi até que eu recebi um pacote pelo correio.

Bella,

Para apimentar o seu armário horrível e melhorar o seu mau gosto. Use.

- Mãe

Revirei os olhos e levei a caixa para dentro. Encontrei vários artigos de roupa de todas as principais marcas de grife.

Gucci, Versace, Louis Vuitton, Chanel, Jean Paul Gaultier

tudo isso. Eu não usava essa merda. Ela sabia disso. Eu

gostava de fazer compras em brechós, Goodwill e no Exército da Salvação. Ela só não entendia

ou aceitava.

Vadia.

Ela sabia que eu não gostava de grifes. No entanto, a cada temporada, ela me enviava toneladas de roupas, como ele eu fosse mudar de ideia. Ela enviou uma carta, juntamente com alguns insultos. Era outra forma de tentar me fazer sentir como se eu não fosse bom o suficiente. Quem assinava um cartão com "Mãe" nele, afinal?

Peguei a caixa e levei para Vestidos Para O Sucesso. Era uma instituição de caridade local para as pessoas que estavam ruins em sua sorte e precisavam de roupas novas para ajudá-los a conseguir emprego. Coloquei a caixa na porta e bati antes de entrar no meu carro e ir embora. Essas pessoas poderiam fazer melhor uso deles do que eu

jamais faria.

Quarta-feira era o meu dia preguiçoso. Tive Cálculo II e aula de cinema. Minha aula de cinema foi chata

costume. O professor lembrou-nos que precisávamos ter nossos filmes individuais feitos até o próximo mês. Eu ainda não tinha começado a editar o meu ainda. No início do semestre, eu fiztoda a filmagem. Eu só precisava editar. Eu iria fazer isso, eventualmente. Eu dirigi para o prédio de matemática para a aula. Eu estava completamente entediada mais uma vez. No final da aula, o Dr. Patterson entregou-me o meu teste. Era vinte e cinco.

como de

Vinte e cinco?

Vinte e cinco!

Isso não podia ser.

Eu ouvi aquela vozirritante na minha cabeça.

Você é uma campeã. Campeões não falham.

"Desculpe-me", eu perguntei ao Dr. Patterson depois da aula, "Hum

"Não", ele me interrompeu. "Você falhou."

"Mas

"

"

Mostrei-lhe o meu teste "Isso está

"

"Você não pode ser preguiçosa em todas as aulas e esperar passar", ele sorriu, arrumando suas coisas. "Eu sugiro que você abandone o curso", ele sorriu saindo.

Huh?

Saí do prédio em transe. Eu não podia acreditar que eu tinha falhado. Eu não falhava, eu tinha falhado com vinte e cinco. Um vinte e cinco! Eu não podia acreditar nesta merda. Eu caminhei até o estacionamento para descobrir que meu carro não estava lá. Eu tinha coisas para fazer hoje. Eu não tenho tempo para isso. Isto não era algo que eu fazia normalmente, mas eu tive um chilique. Fiquei falando berrando, gritando e batendo o pé no estacionamento. Pior dia de todos.

"Bella?" Eu ouvi alguém chamar meu nome.

Era Edward.

Sorri para sua bondade. Ele não só se ofereceu para me levar para pegar minha cachorra. Ele me levou para buscar o meu carro também. Ele é bom. Snooki parecia gostar dele também. Ela não o atacou como fazcom a maioria das pessoas. Nós não falamos muito no caminho até lá. Ele me pareceu do tipo quieto. Eu não queria deixá-lo

desconfortável e assim eu continuei quieta também. Uma das coisas que notei foi que ele parecia

brincar com ele sobre quão devagar ele estava dirigindo. Eu não acho que ele pegou isso. Então, eu fiquei em silêncio.

triste. Eu tentei

Depois de fazer um pouco de cena de choro no reboque, eu estava com medo de que ele pensaria que eu era louca. A

maioria fazde qualquer maneira. Eu fiquei um pouco chocada ao descobrir que ele pensou que eu era legal. Ele até se

ofereceu para ser meu tutor em Cálculo II. Eu não queria abandonar. Eu nunca fui de admitir a derrota

qualquer coisa. Fui para a cama feliznaquela noite porque eu tinha feito um novo amigo e tinha uma solução para o meu problema atual.

não em

YAY! Conheceram a Bella s2 Ela é uma das melhores Bellas que já vi em fics. O Edward tem sérios problemas de confiança. Ele é inteligente, bom aluno, mas deixa as pessoas fazerem ele de tapete, a Tanya o tratava muito mal na verdade, mas o bichinho estava (e ainda está) cego de amor. Mas a Bella chegou, e ela vai perceber esse lado dele e será o que ele precisa.

Obrigada pelas reviews, meninas! Fiquei muito feliz com os comentários e em ver que vocês gostaram *-*

Continuem deixando seus pensamentos, quero saber o que acharam dessa Bella

Volto na sexta que vem

Beijos

xx

*Chapter 3*: Capítulo 3

EMOTIONAL WARFARE

Disclaimer: Ahistória pertence a completerandomness12, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: O nerd Edward Cullen é abandonado pela sua namorada da escola

sozinho

em um estacionamento

com um anel de noivado em seu bolso. Para evitar parecer patético na celebração de Ano Novo dos seus pais, ele pede a ajuda de sua linda e misteriosa amiga, Bella, para que se passe por sua namorada.

Capítulo 3

Edward PDV

(Traduzido por LeiliPattz)

Quando cheguei em casa depois de ir ao reboque com Bella, eu puxei a minha agenda para o resto da semana para ver quando eu poderia encontrá-la para a tutoria. Eu encontrei algum tempo na sexta-feira e enviei-lhe uma mensagem para ela me encontrar na biblioteca. Eu entrei no Facebook para ver que Emmett tinha escrito no meu mural.

Hey, bro! Como você está? Faz tempo que eu não ouço sobre você. Você não estaria evitando o seu favorito e bonito irmão mais velho, não é? Estou magoado. Eu pensei que você me amava.

Eu rapidamente respondi, escrevendo em seu mural para que ele soubesse que eu estava bem e manda-se um beijo para Megan. Antes de terminar, percebi duas bandeiras vermelhas na minha barra de notificações.

Bella Swan solicitou sua amizade no Facebook.

Sorri para mim mesmo e aceitei seu pedido. Ela até me mandou uma mensagem.

Por que você não tem uma foto? Você parece um estranho sem uma.

Revirei os olhos e cliquei em sua página. Ela tinha uma foto de perfil bonita. Ela estava com um lindo vestido rosa e uma longa peruca loira e rosa. Eu olhei para seu status e ri.

Caro Journey,

Eu parei de acreditar. Agora o quê?

- Bella

Olhei para o relógio para ver que eu tinha perdido os primeiros quinze minutos de House. Eu naveguei longe da página deka, satisfeito comigo mesmo porque ganhei uma nova amiga. Eu tive um dia muito bom. Então o meu feed de notícias atualizou

Tanya Denali está em um relacionamento com Riley Biers.

E assim, meu dia bom foi para a merda, como seriam os próximos, e eu me perguntei quando, ou se, isso iria parar de doer.

Acordei com o som do meu despertador às seis horas da manhã. Lentamente, levantei-me, temendo o próximo dia. Parecia que temer os últimos dias tinha sido tudo o que eu estava fazendo.

Tanya tinha um namorado.

Seu nome era RileyBiers.

Nós não iríamos voltar.

Peguei minha cabeça latejante e fui para a cozinha em busca de algum Tylenol para curar a minha ressaca. Eu tinha me familiarizado com o álcool durante a noite. Rum. Vodka. Tequila. Tudo. Acho que você poderia dizer que eu exagerei um pouco depois que Tanya fezseu anúncio. Fui até a loja de bebidas e comprei os três primeiros frascos que eu poderia colocar em minhas mãos. Depois voltei para o meu apartamento, eu não me lembro de muito. Isso aconteceu

por dois dias seguidos.

Sentei-me para esperar os comprimidos fazerem efeito e logo cheguei à conclusão de que o álcool não era a resposta. O gosto era terrível. Além disso, ele fazia você se sentir horrível no dia seguinte. Eu faria questão de lembrar em derramar o resto quando eu voltasse. Só porque eu me sentia mal emocionalmente não significa que eu deveria me sentir mal fisicamente.

Depois da dor de cabeça ter diminuído um pouco, eu fui para o banheiro para tomar um banho e me arrumar. Meu cabelo decidiu ser extremamente teimoso, levando-me a colocar mais gel nele do que o habitual. Então, deixei os meus óculos caírem e eles quebraram no meio. Então, eu fiza coisa estereotipada de nerd e o juntei com uma fita branca. Além disso, nada de interessante aconteceu. Como no resto da semana, participei das minhas aulas e fiz anotações. Eu basicamente estava no piloto automático; existindo fisicamente, mas não mentalmente.

"Sr. Cullen?" O Dr. Medina me chamou.

"Sim?" Eu murmurei enquanto juntei meus livros.

"Você está bem? Você parece um pouco

aéreo", ele disse olhando preocupado.

Não. "Sim", eu menti. "Eu acho que estou tendo um dia preguiçoso." Eu dei de ombros antes de sair.

Eu comecei a andar em direção à biblioteca para ter passar um tempo muito necessário estudando, já que eu tinha

faltado nos últimos dois dias. No meu caminho, parecia que eu ficava vendo os casais de mãos dadas

apaixonados. Eu sentia falta disso. Eu sabia que poderia parecer simplório, mas eu sempre senti que eu ia me casar cedo como os meus pais. Até mesmo meus irmãos pareciam ter encontrado os seus "escolhidos" no início da vida. Eu estava com inveja disso. Agora, Tanya estava com outra pessoa e eu estava sozinho. Era um milagre que ela tinha até mesmo sido minha amiga, quem dirá minha namorada. As meninas nem sequer olham para mim. Eu sempre fui do tipo invisível. Ser visto era mais uma coisa de Emmett e Alice. Eu não poderia evitar, mas acho que ficaria sozinho para sempre. Limpei a sujeira dos meus óculos e continuei andando.

beijando

"Hey, Edward," Bella acenou passando por mim, sorrindo.

"Hey," eu murmurei encolhendo os ombros.

"Vejo você mais tarde."

"Mhmm", eu respondi, continuando andando.

Eu coloquei minha mochila na mesa e entrei no clima. Olhei para o meu programa para descobrir que eu ia ter um teste em Anatomia e Fisiologia nas próximas semanas. Peguei meus livros, minhas anotações, e os meus marcadores favoritos e comecei a estudar. Eu tenho uma forma muito específica de estudar. Antes da aula, eu lia o material e destacava os termos e conceitos importantes. Então, quando eu tomava notas em sala de aula, eu destacava as coisas importantes em uma cor diferente. Se um conceito era mencionado mais de uma vez, destacava com a mesma cor que eu destaquei isso no livro. Se não, eu destacava em uma cor diferente. Desta forma, era mais fácil para estudar. Além disso, eu gostava de dar o material uma minuciosa olhada uma última vezpara tentar o meu melhor para prever as perguntas que estariam no teste. Uma aula tinha cores primárias, outra tinha cores secundárias; isso me ajudava a evitar me sentir sobrecarregado.

Era muito eficaz.

Comecei com Anatomia, já que eu tinha acabado de sair dessa aula e ainda estava fresco.

"Arthur!" Mike bateu nas minhas costas e se sentou. "Meu cara, como vai?"

"É Edward," eu o corrijo, pensando em como o professor faria uma pergunta. "Como foi o enterro?"

Aavó de Mike, Anne, havia morrido na semana passada. Ele teve que sair da cidade para ir ao seu funeral. Ele não tinha estado na escola durante toda a semana. Eu senti pena dele, por isso concordei em terminar o projeto sozinho. Eu sabia como as coisas poderiam ser difíceis.

"Oh," ele disse. "Foi lindo. Era o que vovô Pat iria querer."

Huh?

"Você me disse que sua avó morreu", eu respondi confuso enquanto limpava os meus óculos.

"Não, eu não disse", ele respondeu parecendo ofendido.

"Sim. Você me disse que era sua avó Anne," eu disse a ele depois que pensei sobre isso.

Eu não queria ser insensível, mas eu tinha certeza de que estava certo. Ele não estava mentindo. Estava?

"Não", ele parou de novo

eu estava chateado e não estava pensando corretamente."

mais longo desta vez. "Eu não disse", ele respondeu em tom áspero. "Se eu fiz, foi porque

Cinco vezes?

"D-desculpe", eu gaguejei. "Eu devo ter ouvido mal", eu me desculpei. Eu não queria que ele ficasse com raiva de mim.

"Está tudo bem, Aaron", ele me deu um tapinha nas costas. "Foi um erro honesto. Você pode fazer isso para mim, deixando-me ver suas anotações", ele sorriu espreitando para eles.

"Mas

"Além disso, elas estão destacadas."

eu ainda não estudei," eu disse a ele, deslizando os papéis mais perto de mim como se fossem meus filhos.

"São apenas anotações," Mike revirou os olhos. "Eu não fui para a aula. Estive triste pelo vovô", ele disse murchando. Vovô? Já não tivemos esta discussão?

"O teste será na próxima terça-feira," eu disse olhando para o programa. "Você tem tempo."

Seria impossível para mim estudar corretamente para o teste sem as minhas anotações. Desde que eram classificados por cor, o texto dependia das anotações e vice-versa. Se você tirava um, o sistema era inútil.

"Eu quero tirar isso do caminho," Mike bufou e revirou os olhos. "Vamos lá, cara", ele perguntou cruzando os braços.

Eu pensei sobre isso e decidi que emprestar uns dois capítulos não faria mal. Era a coisa mais agradável de se fazer. Ele estava tendo semanas difíceis depois de tudo.

"Quais capítulos que você precisa?" Perguntei folheando minhas anotações.

"Todos", ele respondeu agarrando o meu fichário. "Obrigado, amigo", ele sorriu, antes de enfiar o meu fichário com todas as minhas anotações debaixo do braço e se levantar. "Hey, se você adicionar mais gel na sua cabeça, ele vai virar à prova de bala", ele riu, saindo da biblioteca.

Lá se foi o meu dia.

Voltei para o meu apartamento e li sobre minhas outras aulas. Mesmo eu não tendo nada urgente para fazer nessas aulas, eu precisava de algo para fazer. Depois de um par de horas, voltei e tentei estudar para o teste. Foi difícil incrivelmente difícil sem as minhas anotações, mas não era impossível.

Folheei os canais e encontrei uma maratona de House. Eu sentei e assisti o episódio até que eu vi os testículos de um homem explodir. Depois que vomitei na minha boca, eu desliguei a TVe fui para o meu computador. Então eu fiza fita do Em. Fora do puro tédio, eu entrei no Facebook. Eu olhei para ver o que a minha família estava fazendo.

Emmett Cullen

Eu não posso trazer o sexy de volta

Porque NUNCA FOI EMBORA!

Revirei os olhos e comentei sobre o seu status. Eu coloquei um simples *revirar de olhos* e desci a página.

Alice Cullen

Minha filha vai ser a Branca de Neve mais bonita em sua peça. Eles crescem tão rápido *enxuga lágrimas* P.S. Eu me rendi e fiz um Twitter. Siga-me: PrettyPixie.

Eu comentei, pedindo-lhe para me enviar fotos.

Mais uma vez, eu ri do status de Bella.

Bella Swan

Cara Coca Cola,

A menos que você tenha um produto novo para mim, parem de fazer anúncios publicitários. Eu não esqueci de você. Eu nunca parei em uma máquina de venda automática e pensei, o que é essa merda na lata vermelha? Eu juro.

Obrigada.

-Bella

Eu curti seu status e pensei no que dizer no meu.

Edward Cullen

Tentei pensar em algo espirituoso, inspirador, ou interessante a dizer. Eu vim com algo e escrevi a palavra que me descrevia.

Blah.

Foi quando eu vi.

Tanya tinha atualizado sua foto do perfil. Era uma foto dela

em sua bunda. Eu balancei a cabeça para a imagem. Eu nunca a tratei assim

e dele. Riley. Eles estavam se beijando e sua mão estava

como um objeto.

Eu atualizei o meu status e rapidamente desconectei. Eu não podia aguentar mais. Eu coloquei meu pijama e decidi ir para a cama cedo.

Na manhã seguinte, fui acordado pelo som do meu telefone tocando em vezdo meu despertador.

"Tio Eddie!" Eu ouvi minha sobrinha, Alexia, gritar para o telefone antes que eu pudesse dizer Alô. Ela era exatamente

como sua mãe

muito enérgica e, obviamente, uma pessoa matutina. "Sou eu!"

"Heyquerida", eu disse olhando para ver que eram quase oito horas da manhã. Eu tive um dia de atraso, então eu não tinha dormido muito. "Como você está?"

"Eu estou bem", ela riu. "No entanto, eu tenho que ir para a escola. Pedi para ficar em casa. Mamãe não deixou", ela reclamou. "Eu chorei e tudo", ela bufou. "Eu sinto sua falta. Então, eu liguei."

"Awww", eu disse para ela com sinceridade. "Eu sinto sua falta também."

"Você ainda está triste?" Ela perguntou.

Revirei os olhos. Era por isso que eu não tinha falado muito com a minha família desde a separação. Todos eles me tratavam como uma criança. Sim, eu estava triste, mas ter a pena deles era mil vezes pior. O fato de que minha sobrinha de cinco anos podia sentir isso, dizia o suficiente. Você só podia imaginar como meus pais agiam.

"Eu estou bem, querida", eu disse limpando os olhos e procurando pelos meus óculos.

"Quem é?" Eu ouvi a minha irmã perguntar. "Edward?"

"Sim", eu respondi virando na cama, "Heymana."

"Hey!" ela gritou que eu ouvi bater na outra extremidade. "Eu não tenho ouvido falar de você fazeras. Nós sentimos sua falta", ela disse, com tristeza.

"Eu sei. Sinto muito", eu me desculpei. "Afaculdade tem sido agitada", eu suspirei. Eu não estava mentindo. Eu só deixei de fora a parte sobre não querer a sua pena.

"Você está bem?" ela perguntou preocupada. "Você não estava na melhor forma na última vezque te vi."

Isso de novo.

"Estou melhor," eu admiti.

"Não minta", ordenou. "Eu sei que a Destruidora de Barbie tem um namorado", ela disse em vozbaixa.

"Sim", eu murmurei, tentando não pensar nisso.

"Sua perda", ela disse, tentando me fazer sentir melhor. "Pense nisso desta maneira. Ela é problema do cara agora",

ela riu um pouco.

"Mhmm", eu suspirei de se levantar. "Eu tenho que ir. Tenho aula", eu menti. "Eu vou falar com você mais tarde."

"Você ainda vai para o ano novo, né?" Ela perguntou nervoso. "Eu sei que ela estará lá. Mas vai matar todo mundo se você não for. Você não pode perder isso", ela me disse. Eu não sei como, mas ela havia dominado um bico tão bom que você podia senti-lo a milhares de quilômetros de distância.

Todos os anos, os Cullen e os Denali tinham essa enorme reunião na semana durante o feriado do Ano Novo. Era a única vezque todos tinham tempo livre. Faltava certa de um mês. Para ser honesto, eu nem estava pensando nisso. Eu sentia falta da minha família, no entanto. Eu não os tinha visto em muito tempo. Eu estaria mentindo se eu dissesse que não tinha me distanciado.

"Sim", respondi, olhando através de uma pilha de roupas.

"Bom", ela disse soltando a respiração. "Falo com você mais tarde."

"Tchau Alice", eu disse antes de desligar.

Mas, e se ela o levar?

Deixei meu apartamento por volta das 10:30 e fui para a escola. Nada muito importante aconteceu durante minhas aulas assim que eu fui à biblioteca novamente para estudar. Mike não tinha acabado com as minhas anotações, então

eu tentei o meu melhor para ler e estudar de qualquer maneira. Eu fui e peguei um pacote de Doritos e uma Coca-Cola

e fizuma pausa. Antes que eu pudesse voltar a estudar, eu senti meu telefone vibrar. Era uma mensagem.

Era Tanya.

Tanya: Hey

Eu: Hey

Tanya: O que você está fazendo?

Eu: Nada. Apenas estudando. E você?

Tanya: Imaginei. Estou saindo com meu namorado, Riley.

Eu: Oh.

Tanya: Ele é bom.

O que? Por que ela estava me dizendo isso? Será que ela sequer se deu conta?

Tanya: Você iria gostar dele.

Será que ela estava falando sério? Limpei os meus óculos quando uma lágrima caiu no meu laptop. Ela seguiu em frente. Ele era, provavelmente, um grande cara. Quero dizer, Tanya gostava dele. Ele provavelmente era melhor do que eu. Enxuguei os olhos com a manga da minha camisa, eu apertei o botão de desligar para desligar o telefone.

Tanya: Nós ainda somos amigos. Certo?

Ela ainda queria que fôssemos amigos. Eu queria casar com ela e ela queria ser minha amiga. Limpei meus olhos

novamente e suspirei. Eu nunca pensei que ela seria minha amiga. Eu a amava. Se você ama alguém, você quer que

ele seja feliz

isso, eu poderia dar a ela.

mesmo se não for com você. Acho que eu poderia ser seu amigo se isso a fazia feliz. Se ela quisesse

Eu: Claro.

Depois que eu respondi, eu desliguei meu telefone. Eu não aguentava mais. De repente, eu me senti sufocado. As pessoas já pensavam que eu era um nerd. Eu não queria chorar na frente delas também. Juntei minhas coisas e fui para casa em transe. Eu imediatamente pulei na cama e dormi. Era isso ou começar a beber novamente e eu realmente não acho que isso também me fazalgum bem.

Eu dormi por Deus sabe quanto tempo antes do meu telefone tocar para me acordar. Mais uma vez.

"O quê?" Perguntei um pouco agitado. Parecia que toda vezque eu estava com um telefone, algo de ruim acontecia na outra extremidade.

"Edward?" Eu ouvi uma vozperguntar um pouco confusa.

"Sim", eu disse calmamente. Eu queria chafurdar na auto-piedade em paz.

"É Bella", a vozrespondeu.

"O que há de errado?" Eu perguntei, procurando pelos meus óculos.

"

pouco cortante.

"Hum

ela começou sem jeito, "Nós deveríamos nos encontrar às cinco. São quase seis", ela disse em um tom um

"Huh?" Perguntei olhando para o relógio para ver que era 05:45

Merda! Eu tinha esquecido que era para encontrá-la na biblioteca para sua aula. Ela provavelmente estava irritada.

"Sinto muito", eu disse recolhendo minhas coisas para sair. "Eu dormi demais. Eu tive um dia difícil."

"Você poderia ter ligado se você não fosse vir," ela bufou. "Eu fiquei sentada aqui juntando poeira", ela acrescentou. "Isso é rude."

Sim. Ela estava irritada.

"Estou indo," Eu corri para pentear meu cabelo. Ele tinha ficado rebelde novamente por causa da minha soneca. "Eu estarei ai em dezminutos."

"É tarde demais", disse ela. "Eu tenho que pegar minha cachorra no pet antes das seis às sextas-feiras ou eles vão me cobrar uma taxa pela noite", ela suspirou. "Ela vai destruir algo se eu não chegar a tempo."

"Está tudo bem," eu disse a ela rapidamente. "Você pode vir aqui, se quiser. Duvido que cães são permitidos na biblioteca", eu ri um pouco, tentando aliviar a tensão. Ela não riu. "Você pode trazer Snooki."

"Tem certeza?" Ela perguntou, incerta.

"Sim", eu insisti. Eu não quero que ela fique com raiva de mim. "Eu disse que ia ajudá-la. Eu quis dizer isso."

"Tudo bem", ela disse. "Qual é o endereço?"

Bella estava vindo. Eu tinha uma amiga vindo.

Dei-lhe o meu endereço e comecei a limpar. Normalmente, eu mantinha meu apartamento realmente limpo. No entanto, nos últimos dois dias, eu me deixei relaxar. Felizmente, não estava tão ruim. Eu só tinha que pegar as roupas e colocar os pratos na máquina de lavar. Eu não queria que Bella pensasse que eu era um porco.

Corri para a loja do outro lado da rua do meu prédio, quando eu percebi que não tinha nenhum salgadinho e bebidas exceto álcool. Eu nunca tive amigos no meu apartamento. Eu nunca convidei ninguém, principalmente porque eu nunca tive amigos. Eu não sabia o que fazer ou comprar. Então, eu acabei comprando um pouco de tudo no corredor de lanche e doces. Eu posso ter comprado algo que ela gostava. Eu até comprei comida de cachorro. Depois, eu corri de volta para o meu apartamento para estocar os armários. Quando terminei de desempacotar, ouvi o interfone tocar.

"Sr. Cullen?" O porteiro começou. "Há uma… mulher chamada

ah

"

"BELLA!" Ouvi-a gritar ao telefone. "Edward, ele não vai me deixar entrar!"

"Sim. Sr. Cullen", ele começou novamente, soando um pouco agravado. "Ela disse que é uma amiga sua."

"Sim", eu sorri, olhando em volta para ver se eu tinha deixado alguma coisa no chão, "Ela é minha amiga. Deixe-a passar."

"Eu te disse!" Eu ouvi Bella provocar no telefone antes da linha ficar em silêncio.

Peguei uma Sprite e algumas batatas, assim que ouvi uma batida na minha porta.

"Sinto muito", eu me desculpei quando ela entrou pela porta com Snooki em seus braços. "Eu realmente não tenho

visitantes. Tenho tido um par difícil de

"

"Eh

sorriu sentando.

"

ela me cortou agitando as mãos: "Todos nós nos fodemos de vezem quando. É totalmente compreensível", ela

Sorri quando o peso saiu dos meus ombros. Eu odiaria que ela ficasse com raiva de mim. Nós tínhamos acabado de começar a nos conhecer.

Ela estava com uma daquelas camisas brancas que eram cortadas acima do estômago, com calça jeans e suspensórios vermelhos. Ela estava usando sapatos vermelhos brilhantes com pulseiras vermelhas, azuis, e prata no braço. Ela coroou sua roupa com uma longa peruca azul bebê e um chapéu de capitão. Em seguida, havia um batom azul bebê. (Look: bit . ly/BellaEW3)

Huh?

"Eu tenho um senso de estilo muito eclético", ela riu, obviamente percebendo minha confusão sobre sua roupa. "Você vai se acostumar com isso", ela sorriu passando os dedos através de sua peruca.

"Isso é bom", sorri oferecendo-lhe uma lata de Sprite quando me sentei. Snooki pulou dos braços de Bella para o meu colo e ficou sentada.

"No entanto, não faça isso de novo", ela disse inexpressiva. "Eu odiaria ter que te odiar", ela ergueu as sobrancelhas, tirando seus livros de sua bolsa. "Eu não gosto de ficar plantada."

"Nunca", eu prometi rapidamente. "Isso nunca vai acontecer de novo."

"Você percebe que eu estava brincando, certo?" Ela perguntou sem jeito. "Haha?"

"Oh," eu disse, olhando pela janela.

"Você precisa parar de levar tudo tão literalmente, Edward", ela aconselhou abrindo em uma página. "Eu posso dizer que isso é um problema para você."

"Eu acho que é", eu concordei com ela antes de olhar para o teste e outras perguntas no livro.

Enquanto pensava em uma maneira de explicar os problemas a ela, ouvi uma batida forte na porta, o que fezSnooki pular sob o sofá.

"Uh

corredor. Ela precisava de uma carona. Seu carro foi confiscado melhor.

Edward?" Bella perguntou timidamente: "Você se importaria se Victoria entrasse? Ela está esperando no

",

ela terminou depois de tentar encontrar uma palavra

Eu nunca realmente encontrei a amiga de Bella, com exceção de seu comentário quando ela Bella bateu no meu nariz com a porta um par de semanas atrás.

"Ela vai encontrar outra coisa para fazer. Está tudo bem", ela sorriu indo para a porta. Ela deve ter levado o meu silêncio como um não.

"Ela é legal", corri para chegar até a porta. "Eu não me importo."

"Ola", a ruiva disse, entrando no apartamento. "Eu sou Victoria, amiga de Bella", ela apertou minha mão.

"Edward," eu me apresentei.

Ela sentou-se no sofá em frente a Bella e eu e conectou em seu iPod antes de fechar os olhos.

"Está vendo?" Bella sorriu. "Ela está em seu melhor comportamento."

"Você tem álcool?" Victoria perguntou imediatamente após Bella terminar de falar. "Eu tenho uma reunião em duas horas que eu prefiro estar alta quando chegar", ela revirou os olhos.

"Você quer dizer a sua reunião do AA pela ordem judicial?" Bella perguntou, incrédula.

"Mhmm," Victoria assentiu, balançando ao som da música. "Vodka seria bom, mas tequila será suficiente."

Normalmente, a resposta teria sido não. No entanto, dado aos recentes acontecimentos, eu tinha um estoque de

bebidas alcoólicas.

"Hm

"

Eu pensei me levantando, "Eu tenho algum

"

"Não, Victoria," Bella me puxou de volta para baixo, "São apenas 18:30, eu não vou deixar você ficar bêbada de dia", ela sussurrou. "Tenha um pouco de classe."

"Mas

"

Victoria argumentou.

"Não!"

"Você é má", ela cruzou os braços.

"Não, eu não sou," Bella riu balançando a cabeça. "Eu estou tentando mantê-la fora da cadeia. Você ainda está em liberdade condicional", ela a repreendeu.

"São só mais dois meses", Victoria implorou para mim. "Eu só quero uma dose."

"Isso é como tudo começou," Bella me avisou. "É assim que você foi pega, em primeiro lugar", ela disse apontando para Victoria.

Mesmo que eles estavam claramente discutindo, você poderia dizer que elas eram realmente boas amigas. Eles estavam até rindo.

"O que aconteceu?" Perguntei confuso. Eu me senti fora do círculo.

"Bella e eu estávamos em uma festa incrível no último semestre. Eu gosto de festejar. Enfim, ela saiu porque tinha um trabalho ou um teste ou algo assim e eu estava sozinha", Victoria começou.

"Não é minha culpa," Bella riu, mostrando o dedo do meio.

"De qualquer forma, eu não me lembro de muita coisa. Houve alguma GreyGoose

pênis. Então, a próxima coisa que eu sei é que acordei em uma cela, numa poça do meu próprio vômito e sem o meu sapato esquerdo." Victoria riu.

luzes estroboscópicas

e um

"O que você fez?" Eu perguntei rindo. Eu pensei que coisas assim só aconteciam em filmes como Se beber, não case.

"Ela não tem nenhuma ideia", Bella riu. "Recebi um telefonema dela às cinco horas da manhã, chorando e me pedindo para ajudá-la."

"E como a melhor amiga que ela é, ela fez", Victoria sorriu, soprando um beijo para Bella.

"E tirei seu carro do reboque," Bella acrescentou revirando os olhos. "Você sabe quanto é a fiança para alguém acusado de dirigir sob efeito de álcool, agredir um policial e resistência à prisão?", ela perguntou. "Não queira saber", ela brincou.

"Psssh," Victoria bocejou acenando com a mão. "Não é como se nós não pudéssemos

"

"Eu estou tendo problemas com todo este capítulo," Bella me disse apontando para sua lição de casa. "Ele poderia muito bem ensinar a matéria em suaíli", ela revirou os olhos quando abriu seu caderno. Um trabalho grosso caiu.

"O que é isso?" Eu perguntei apontando para o trabalho que ela colocou novamente em sua pasta.

"É o meu trabalho de Psicologia, Sr. Curioso", ela sorriu, mostrando-me o grande "A+" em tinta vermelha.

"Legal," Eu a cumprimentei.

"Eu acho", ela encolheu os ombros. "É sobre crianças de diferentes classes econômicas, sociais e raciais, e como cada uma delas tratam seus brinquedos. Na minha opinião, isso dizmuito sobre seu caráter e da pessoa que vai se tornar", ela disse calmamente.

"Interessante", eu concordei intrigado.

"Seja o que for", ela encolheu os ombros e comeu um punhado de batatas. "O meu professor quer publicá-lo. Eu disse que não."

"Por quê?" Perguntei confuso. "Não é esse o objetivo da maioria das pessoas quando fazem trabalhos acadêmicos?"

"Eu realmente não acho que é estimulante", ela explicou. "Além disso, ele teria encontrado alguma desculpa idiota para colocar o nome dele, de qualquer maneira. Teria me irritado", ela revirou os olhos.

"Eu nunca pensei nisso. Posso ler?" Eu perguntei. Parecia realmente interessante.

"Claro", ela encolheu os ombros, passando-o para mim. "Veja. Eu não sou uma idiota. Eu simplesmente não consigo ir

bem nessa matéria", ela ferveu um pouco no final. "É na verdade

"Estou determinada a ter sucesso, no entanto," ela resmungou, pegando sua calculadora.

muito chato", ela terminou olhando para o espaço.

Folheei o capítulo na esperança de encontrar uma outra maneira de ensiná-la. Após os primeiros trinta minutos, ela

começou a pegar como fazer a lição de casa. Aprova

nem tanto.

"Uhhhhh!" gritou ela, cruzando os braços. "Eu estou tão confusa", ela reclamou. "Eu não tenho nenhuma ideia de como eu posso entender a lição de casa, mas fico em branco sobre uma questão de prova. Isso me deixa louca", ela bufou. Ela estava claramente frustrada. "Eu odeio essa porra de matéria!"

"Vamos fazer uma pausa", sugeri desligando sua calculadora lentamente. "Vai ficar tudo bem."

"Tudo bem", ela respirava. "Essa é uma boa

"

Antes que ela pudesse terminar a frase, ouvimos um estrondo na sala de TV. Nós dois olhamos para encontrar Victoria dormindo no sofá.

"Droga," Bella balançou a cabeça. "Snooki?" Ela chamou, caminhando para a sala de TV. Eu a segui.

Eu nunca tinha visto tal coisa em minha vida. Acachorra de Bella, que devia pesar apenas cinco quilos, tinha derrubado

o vaso de cristal pesado que minha mãe tinha conseguido para decorar meu apartamento, quando me mudei para cá no ano passado. Além disso, ela estava latindo hiper profusamente enquanto pulava para cima e para baixo e perseguia sua cauda. Parecia que ela estava tentando escalar a parede.

"Merda," Bella gemeu, pegando a cachorra. "Ela é um pouco hiperativa", ela disse, sem jeito. "Eu vou pagar por isso. Eu prometo. Parecia caro", ela disse envergonhada.

"Está tudo bem," Eu encolhi os ombros, indo para pegar uma vassoura. "Não era," eu menti. Eu não queria que ela se sentisse como se tivesse que substituí-lo. Eu realmente não gostava muito do vaso, de qualquer maneira. Além disso, eu não queria que ela se sentisse mal que sua cachorra tinha destruído um vaso de dois mil dólares. Eu tinha o dinheiro para comprar outro se eu quisesse. Não são muitos os que tinham.

"Eu tenho um pouco de comida para ela no meu carro. Vou buscar", ela disse, indo para a porta.

"Não", eu disse, segurando o seu braço. "Eu tenho um pouco de comida pra cachorro," eu disse a ela.

"Sério?", perguntou ela. "Você tem um cachorro?"

"Uh

cabeça de Snooki. "Eu acho que ela precisa."

não," eu admiti, corando. "Eu sabia que você viria. Eu não sabia se ela iria precisar disso", eu disse acariciando a

"Wow", ela sorriu. "Obrigada. Isso foi legal da sua parte."

Juntos, limpamos os cacos de vidro depois que eu dei a Snooki alguma comida.

"Essa foi uma pausa útil", ela riu sentando-se à mesa. "Vamos fazer essa merda!" Ela disse, balançando em sua

cadeira e olhando através de seu livro. Enquanto estávamos limpando, eu tinha pensado em outra maneira de ajudá-la

a entender. Seu telefone tocou antes que eu pudesse dizer a ela.

"Ugh," ela bufou antes de apertar o botão ignorar. "Desculpe, é a minha mãe", ela se desculpou, revirando os olhos.

Eu ri, fazendo-a parecer um pouco ofendida. Isso não era por que eu estava rindo.

"Seu to-toque" Engoli em seco, rindo, segurando meu estômago. "É a Marcha Imperial!"

Eu nunca tinha ouvido alguém ter a música tema de Darth Vader como toque. Por alguma razão, eu achava isso hilário.

"Oh," ela riu. "Isso combina. O toque da minha mãe combina com o tema do maior vilão de todos os tempos", ela

sorriu.

O telefone tocou novamente, fazendo-nos rir.

"Eu totalmente estaria no Império se eu estivesse em Star Wars", ela disse, tomando um gole de Coca.

O que? Eu não podia acreditar que ela disse isso!

"Nunca!" Eu argumentei. "Resistência até o fim. Você tem Luke Skywalker fodidamente incríveis."

Princesa Leia

Han Solo. Eles são

Seu telefone tocou novamente.

"Por favor", ela zombou pressionando ignorar mais uma vez, "O Império tinha os melhores figurinos, melhores naves e

melhor música tema. Além disso, Darth Vader era muito foda legal do que todos esses três… tirando C-3PO e R2-D2."

mesmo que ele fosse mau pra caralho. Ele é bem mais

"Isso é blasfêmia!" Eu argumentei, magoado. Eu não podia acreditar que estava ouvindo isso.

"Isso é verdade", ela sorriu.

"Eles destruíram um planeta inteiro!" Eu racionalizei.

"Eu não disse que queria ser uma heroína", ela riu.

"Eles perdem no final!" Eu disse a ela, coçando a barriga de Snooki.

"Mas eles tiveram uma aventura incrível", ela sorriu. "Por que estamos discutindo sobre isso?" Ela riu folheando o livro.

Olhei para ela com admiração. Todo mundo odiava o Império. Era uma regra tácita. Você respeitava Darth Vader. Mas você não queria ser ele, pelo menos, na minha opinião. Então, enquanto eu olhava para ela, eu percebi uma coisa.

"Você parece Padmé," eu disse a ela enquanto dei uma boa olhada nela.

"O quê?" ela perguntou. "Não!"

"Você parece."

"Não", ela riu. "Eu não me pareço com Natalie Portman", ela revirou os olhos quando o telefone tocou de novo. "Vadia, pare de me ligar!" Ela gritou em seu telefone antes de desligá-lo.

"Parece sim," eu argumentei, rindo de sua cara.

"Vamos passar para a próxima pergunta", ela pediu, apontando para seus testes.

Uma vezque eu fui capazde mostrar-lhe uma forma alternativa de resolver os problemas, ela começou a entender muito melhor. Em uma hora, tínhamos terminado.

"Bom", ela sorriu, enxugando o suor imaginário de sua testa.

"Terminamos," Eu sorri para ela com emoção.

"Aque horas você pode me encontrar na próxima semana?" Ela me perguntou, recolhendo suas coisas. "Eu tenho um teste na próxima sexta-feira."

"Eu posso na quarta-feira depois dar quatro", eu disse a ela. "Eu tenho dois testes no dia vinte."

"Vinte?", perguntou ela, em estado de choque. "Edward, que dia é hoje?"

"Sexta", eu respondi.

"Adata?"

"Quinze," eu disse a ela enquanto Snooki pulou no meu colo. Ela era uma cachorra tão boa.

"Merda!" Bella gritou, pulando para cima e assustando Snooki. "Eu tenho que ir", ela disse, pegando sua cachorra e batendo na testa de Victoria. "Levante-se vadia!" Ela gritou para a amiga.

"Foda-se", Victoria murmurou, virando.

"O que há de errado?" Eu perguntei, preocupado.

"Eu tenho um projeto para uma competição na minha aula de cinema para o próximo fim de semana," ela chorou. "Eu ainda nem sequer comecei a editar", ela correu. "Vale quarenta por cento da minha nota. Preciso começar."

"Oh," eu disse desapontado. Eu estava esperando que ela ficasse um pouco mais. Eu estava tendo um bom momento. Era bom não ficar sozinho. "Espero que você se saia bem", eu disse a ela enquanto entreguei sua mochila.

"Muito obrigada", ela me abraçou. "Eu precisava disso. Você não tem ideia", ela sorriu e me deu um beijo na bochecha. Pela segunda vez, eu senti uma faísca. "Whoa", ela riu tocando seus lábios.

"Por nada", sorri, tocando minha bochecha.

"Vejo você depois", ela disse indo para a porta, lutando para carregar todas as suas coisas. "Fale comigo no Facebook", ela me disse enquanto fechou a porta atrás dela.

"Tudo bem", eu disse para ninguém.

Eu olhei para ver que já estava escuro e passava das dez. Anoite tinha certamente voado. Depois que eu fiza fita de Em, eu entrei no Facebook. Eu estava curioso para saber o que Bella diria. Eu fui para a cozinha para fazer um lanche. Lá, eu encontrei uma nota de cem dólares no balcão anexado a um bilhete de agradecimento. Era de Bella. Isso era legal. Eu não estava ajudando-a pelo dinheiro, no entanto. Eu não preciso disso. Eu atualizei o meu status para provocá-la. Ela parecia tão engraçada quando estava discutindo com alguém.

Edward Cullen

Luke Skywalker é o maior personagem da história do cinema.

Eu ri, atualizando o meu status quando um novo episódio de House começou na TV. Eu olhei para ver que Bella tinha comentado.

Bella Swan

Pfft. Eu pensei que nós já tínhamos decidido que Darth Vader governou o universo inteiro. Viva la Empire!

Edward Cullen: Skywalker

Bella Swan: Vader

Edward Cullen: Skywalker

Bella Swan: Vader

Edward Cullen: Você percebe que Vader é um Skywalker.

Bella Swan: Isso é irrelevante. Vader. Ponto.

*Bella Swan ficou offline*

Edward Cullen: Skywalker

Eu ri, sabendo que tinha ficado com a última palavra. Então, meu telefone tocou.

Bella: Vader

Isso continuou por mais uma hora e meia. Depois que nós concordamos em discordar cama. Eu estava muito mais feliz.

duas vezes

eu fui para a

Passei o resto do fim de semana estudando para me preparar para as minhas provas. Mike nunca me devolveu as minhas anotações. Eu tentei ligar para ele, mas eu não recebi uma resposta. Ele deve ter andado ocupado. Então, eu fui forçado a estudar o livro sem o meu sistema normal. Eu tinha recebido meus testes recentes em minhas aulas de bioquímica e anatomia. Tive o prazer de descobrir que eu tinha tirado um "A" em ambos. Isso me deu mais inspiração para fazer melhor.

Enquanto eu estava anotando algumas leituras que eu estava fazendo, eu recebi uma mensagem de Bella.

Bella: Tivemos um teste rápido hoje em sala de aula. Detonei isso! Você é dez tons de incrível! :)

Eu sorri. Eu estava felizque ela estava indo bem. Ela estava tão frustrada no outro dia quando estávamos estudando.

Eu: Ótimo. Talvez eu ajudei você, mas você teve o A!

Bella: Basta pegar o elogio. Jesus!

Eu: Vejo você na quarta-feira :)

Bella: Okay

Eu: Skywalker

Bella: NUNCA!

Além disso, eu passei o resto do meu tempo estudando e assistindo TV. Finalmente, quarta-feira chegou e eu fui para a aula, preparado para fazer o teste e acabar logo com isso. O teste da minha aula de anatomia acabou sendo muito mais difícil do que o esperado. Acabei sendo a última pessoa a terminar. Eu desejei que eu poderia ter sido confiante nas minhas respostas. No entanto, eu não estava muito certo.

Uma vezque cheguei à biblioteca, vi Bella esperando por mim em um dos sofás. Pelo menos, eu pensei que era ela. Ela era a única pessoa que tinha uma peruca. Hoje, ela estava com uma peruca vermelha que era muito curta e apontando para por toda parte.

"Edward!" ela sorriu levantando-se. Ela estava com uma camisa preta com um tigre sobre ele. Suas calças pretas

estava quase em pedaços e ela tinha botas de combate vermelhas. "Você chegou mais cedo

seu pé ficou preso em alguma coisa e ela caiu no chão. Umas meninas em uma mesa próxima começaram a rir. Algumas até apontavam. (Look: bit . ly/BellaEW3l2)

",

ela começou antes de

"Que desengonçada," uma das meninas riu, apontando para Bella.

"Sério?" Bella perguntou, levantando-se. "O que é isso, o ensino médio?"

"Seu equilíbrio é quase tão bom quando seu senso de moda", a garota rude, zombou, fazendo com que suas amigas rissem ainda mais.

Bella caminhou lentamente até sua mesa. "Foda-se cada… uma… de vocês", ela começou, apontando para cada pessoa na mesa. "Arranjem uma vida. E enquanto estiverem nisso, façam as raízes, vadias!"

"Você está bem?" Eu perguntei. Essas meninas tinham sido muito más. "Você levou uma queda feia ali."

"Eu estou bem", ela escovou algum fiapo fora de suas calças. "Eu sou tão forte como Ford," ela brincou, fazendo-me rir. "Como foi a sua prova?" Ela perguntou quando nos sentamos em uma mesa.

"Eu não sei", eu admiti. "Eu estudei, mas é difícil para mim fazê-lo sem as minhas anotações.

"Você não tomou todas as anotações?" ela perguntou confusa. "Isso parece diferente de você muito bem."

não que eu o conheço

"Eu tomei notas," eu me defendi. "É apenas que meu amigo, Mike, teve que pedir emprestado."

"Ele tinha toda a semana e não lhe devolveu?" Ela perguntou, erguendo a sobrancelha.

"Ele teve semanas difíceis." Eu dei de ombros. Eu disse a ela sobre a enxaqueca de Mike e que ele havia dito o que

acontecera com sua avó

ou avô. "É o mínimo que eu poderia fazer."

"Wow," Bella sorriu. "Isso foi muito legal da sua parte."

Dei de ombros, pegando materiais necessários para ajudá-la. Tentei chamar a atenção dela, mas ela estava olhando para algo em seu telefone.

"O que você está fazendo?" Eu perguntei. Ela parecia realmente interessada no que ela estava olhando. Percebi que ela tinha anéis em cada um de seus dedos.

"Meu pai

Eu estou olhando para o mercado de ações", ela disse. "Estou fazendo um trabalho sobre o estado atual da

Wall Street

coisas interessantes", ela revirou os olhos, rindo.

Começamos a estudar. Felizmente, ela entendeu esse tópico muito melhor do que o que fizemos durante a nossa aula anterior. Ela pegou muito mais rápido. Nós estávamos no meio de um exercício quando seu telefone tocou. Desta vez, era a música tema de James Bond. Ela riu.

"Desculpe", ela se desculpou: "Eu preciso atender. É o meu pai. Eu volto", ela me disse, enquanto caminhava para fora.

Tomei uma pausa para pegar uma garrafa de Coca-Cola e alguns pretzels antes que ela voltasse.

"Vamos fazer uma pausa", ela disse, sentando-se novamente. "De onde você é?" ela perguntou, pegando um pretzel do saco.

"Connecticut", eu respondi, folheando o livro.

"Você não vai me perguntar alguma coisa?" Bella perguntou, confusa. "É assim que funciona as vinte perguntas."

"Oh," eu disse, confuso. Eu não sabia que nós estávamos jogando um jogo. "De onde você é?"

"New York", ela respondeu, revirando os olhos. "Isso é trapaça. Você não pode repetir uma pergunta."

"Ok, então," fizuma pausa, pensando em algo: "Qual é sua cor favorita?"

"Verde", ela disse, olhando para o relógio. "Seus olhos são verdes

tipo realmente verdes."

"Eu sei", franzi a testa um pouco. "Eles parecem falsos."

No ensino médio, alguém começou um boato de que eu tinha um olho de vidro e foi por isso que os meus olhos eram tão verdes. Eu nunca vi o fim disso.

"Eles parecem incríveis", ela elogiou. "Eu nunca vi uma cor assim. Você deve usar lentes de contato para que você possa vê-los melhor", ela sugeriu

"Eww", eu balancei meu corpo inteiro. Ela riu. "Aideia de tocar o meu olho

é simplesmente demais. Eu não posso."

"Tudo bem. Esqueça o que eu disse", ela riu. "Sabor de sorvete favorito?"

"Baunilha", eu admiti, um pouco envergonhado. Que tipo de sabor favorito era baunilha? Era tão

adorava. "É simples

como eu."

insosso. Mas, eu

"Você não é simples, e nem baunilha. É um sabor acolhedor, uma epítome rica de suavidade e cremosidade na língua.

É complexo e ainda confortável e despretensioso", ela afirmou. "Todo mundo é extraordinário da sua própria maneira,

Edward. Meu favorito é o chocolate, comum, por isso não sou muito melhor."

Conversar com ela era tão fácil. Eu estava felizque ela tinha batido na minha cara com a porta. Ela era uma boa amiga. Ela não fala comigo como se eu fosse um perdedor.

"Por que você usa perucas o tempo todo?" Eu perguntei, interessado.

Por um segundo o sorriso de Bella desapareceu e ela tocou a peruca como se estivesse auto-consciente.

"Eu não estou tentando ser mau", eu falei. Eu não queria fazê-la se sentir mal. "Você não tem que responder. É só

que

você tem um cabelo tão bonito. Eu não vejo por que você iria escondê-lo."

"Eu sei que você não está sendo mau", ela sussurrou. "Eu não acho que você nem consegue ser mau", acrescentou "

ela, com ar sombrio. "Eu

"Ei, Eric!" Mike disse, batendo nas minhas costas e sentando-se ao lado de Bella. "Bella", ele disse, a olhando de cima

a baixo em uma maneira que eu não achava que era apropriado.

"Foda-se, Mike," Bella revirou os olhos e deslizou sua cadeira para longe.

"De qualquer forma", ele disse virando-se para mim. "Obrigado pelas anotações amigo. Eles foram um salva-vidas", ele me disse que ele colocou sobre a mesa. Algumas páginas foram arrancadas, outros estavam enrugadas, e uma página tinha uma mancha do café nele. "Eu estava pensando que talvezpossamos ser parceiros de estudo ou algo

assim", ele disse, tirando um outro pedaço de papel.

"Espere um minuto," Bella interrompeu, olhando para mim. "Mike Newton é o seu parceiro?" Ela perguntou, com uma pitada de pena. Eu não sabia o porquê.

"Sim", eu disse, endireitando os meus papéis.

"Mike, você é um grande babaca," Bella ferveu, socando-o forte no braço.

"O quê?" ele perguntou.

"Edward," Bella olhou nos meus olhos. "Eu não acho que você deve continuar a trabalhar com Mike", ela me disse.

"Cale-se Bella", Mike sussurrou, passando o braço em volta do meu ombro. "Eu e Ed somos amigos. Certo, Eddie?"

"Edward?" Bella perguntou, olhando nos meus olhos. Era como se ela estivesse implorando comigo para dizer que não. Eu não quero desapontá-la, mas eu não queria que Mike ficasse com raiva de mim também.

"Eu-eu-eu

"

Eu gaguejei.

"Isso é mais do que baixo, Mike," Bella balançou a cabeça em desgosto: "Até mesmo para você."

"Eu juro por Deus, Bella

" Mike começou.

"Se você não deixá-lo em paz, eu vou dizer a Jessica que você tocou Victoria na festa da Kappa Sig na semana passada," Bella prometeu.

"Vadia!" Mike cuspiu, afastando-se da mesa.

"Você está pronto para começar de novo?" Ela perguntou, seu sorriso não atingindo os olhos.

"Hum

bem," eu disse, começando de onde havíamos parado.

Terminamos depois de uma hora e meia, mas você não poderia ignorar o elefante na sala. Por que Bella odeia Mike? Por que ele era tão baixo? O que isso tem a ver comigo?

Nós estávamos caminhando para os nossos carros quando eu senti a necessidade de perguntar a ela.

"Bella, porque você estava com raiva de Mike?" Eu perguntei. "Você estava muito irritada."

"Ele é um idiota", ela suspirou. "Nós somos amigos, certo?"

"É claro", eu sorri.

No ritmo que íamos, ela era provavelmente a minha melhor amiga. Ela era tão fácil de se conviver.

"Bom", ela sorriu de volta. "Então eu vou te dar um conselho de amigo. Não ajude Mike. Ele não é seu amigo", ela disse franzindo a testa.

"O que você quer dizer?" Eu perguntei a ela. Ela se afastou como se não quisesse responder. "Bella", eu suspirei, implorando. "Do que você está falando?"

"Ele está usando você, Edward", ela se encolheu. "Mike não tem enxaquecas. Seu avô não morreu, nem a sua avó", ela admitiu. "Ele está mentindo para você fazer todo o trabalho."

"Isso não é verdade", eu disse, magoado. Eu sabia que Mike e eu não éramos amigos íntimos, mas eu não acho que ele iria mentir sobre uma coisa dessas.

"Sim, é", ela disse sem jeito. "Ele estava rindo

não sabia que ele estava falando de você. Pensei que o nome de seu parceiro era Evan."

sobre isso

sobre você

nas últimas duas semanas," ela admitiu. "Eu

"Oh," eu sussurrei, ansioso para entrar no meu carro, a minha cabeça baixa. "Bem, eu te vejo mais tarde."

"Tudo bem", disse ela balançando a cabeça. "Eu realmente sou sua amiga, Edward", ela me abraçou. "Foda-se Mike, ele não é digno de sua amizade." Ela riu um pouco quando o toque de James Bond soou novamente. "Eu tenho que ir."

"Okay, tchau", eu disse entrando em meu carro e indo embora.

Quando cheguei em casa, eu segui a mesma rotina. Estudo. Lição. House. Então, comecei a pensar em como era

monótono. Eu era tão comum

um perdedor.

Era por isso que eu não tinha nenhum amigo?

Era por isso que Tanya tinha me deixado?

Será que todo mundo fala mal de mim pelas minhas costas?

Por que todo mundo que eu considerava ser meu amigo acabava me machucando? Eles poderiam sentir que eu era fraco?

Eu bebi um par de doses de vodka e fui para a cama sentindo pena de mim mesmo. Pela primeira vezna minha vida, eu fugi da escola na quinta-feira. Então, eu pulei sexta-feira, também. Eu precisava sair do caminho um pouco. No entanto, o meu período de iluminação curto chegou a um impasse quando eu descobri que eu tinha pisado em meus óculos. Quando eu fui pegar gel de cabelo.

"Porra!" Eu gritei pela primeira vezem minha vida.

Alguma coisa pode dar certo?

Liguei para o meu médico para obter um óculos substituto. Eles disseram que não tinha minha armação de plástico preta e recomendaram uma armação de arame cor de bronze, que era feito de titânio e, aparentemente, muito popular. Eu não estava feliz, mas concordei com isso já que confiei na técnica que geralmente me ajudava e ela tinha bom gosto, tanto quanto eu poderia dizer.

Eu não tinha feito a barba por alguns dias, mas eu não me importei. Saí de pijama, que era na verdade uma camiseta branca lisa e calças de ginástica para pegar a minha receita. Enquanto eu estava fora, eu peguei mais um pouco de gel de cabelo. Foi uma aventura interessante. Por alguma razão, as pessoas ficavam olhando para mim.

Era meio que tarde, então eu decidi passar na Starbucks. Saudável, eu sei. Quando entrei, tive uma estranha visão.

Era Bella. Ela estava vestida normalmente

e ela estava chorando.

O que estava errado?

Oh Pobre Edward, ainda está sofrendo, mas a Bella está sendo uma boa amiga e dando a ele bons momentos! Ainda bem que a Bella descobriu que o Edward era o parceiro do Mike, urgh, não suporto a forma como o Mike o tratou. Eé tão triste ele achar que todos zombam dele, por isso a Bella é tão importante, ela é verdadeira, realmente gosta dele como ele é. No próximo capítulo vocês vão entender melhor por que a Bella tem um relacionamento difícil com os pais.

No capítulo passado eu esqueci de colocar o look da Bella. A autora fez alguns deles, e é interessante para imaginar mais ou menos como a Bella fica. Então coloquei o link ai, é só tirar os espaços ;)

Sobre quem ficou com pé atrás com a Victoria: Não se preocupe, ela é realmente amiga da Bella, melhor amiga! E eu amei essa mudança na fic, porque mesmo tendo a Rose e a Alice mais pra frente, a Victoria sempre será a melhor amiga da Bella, ela é incrível!

Alguém também falou sobre os POV "repetidos", a autora não narra os diálogos novamente, são bem poucos quando acontece, eu também não gosto qnd repetem as cenas em diferentes POV, mas no caso de EW, tem coisas que aconteceu no dia deles que precisam ser mostrados para melhor entendimento.

Quero agradecer muito por todos os comentários, vocês não tem noção do quanto me deixam feliz ao ver que estão gostando da fic e expressando seus pensamentos *-*

Econtinuem comentando, por favor s2

Até sexta!

Beijos

xx

*Chapter 4*: Capítulo 4

EMOTIONAL WARFARE

Disclaimer: Ahistória pertence a completerandomness12, Twilight e os personagens a Stephenie Meyer, e a mim somente a tradução.

Sinopse: O nerd Edward Cullen é abandonado pela sua namorada da escola

sozinho

em um estacionamento

com um anel de noivado em seu bolso. Para evitar parecer patético na celebração de Ano Novo dos seus pais, ele pede a ajuda de sua linda e misteriosa amiga, Bella, para que se passe por sua namorada.

Capítulo 4

BELLA

(Traduzido por Julia Hadad)

Edward estava 30 minutos atrasado. Ele deveria se encontrar comigo para me ajudar em cálculo. Será que ele me deixou esperando? Imaginei que sim, então eu juntei meus livros para ir para casa.

"Hey, Bella," o pervertido do Mike me parou no estacionamento. "Quer ir fazer vagando sobre o meu corpo quando ele se mexeu para tocar minha peruca.

alguma coisa?" Ele perguntou, seu olhar

"O inferno que não, e a resposta nunca vai mudar," Eu golpeei sua mão. "Você não tem nada para fazer?"

Sério. Toda vezque eu via esse idiota, ele estava irritando alguém. Da última vezque tinha ouvido fala dele, ouvi dizer que ele estava na escola de medicina. Como isso aconteceu?

"Não", ele se regozijou, rindo. "Há um cara

de enxaqueca", acrescentou, tremendo de tanto rir. "Sério. Isso provavelmente fazo seu dia, eu deixo ele fazer todo o trabalho para mim. O "A" mais fácil de todos."

Evan ou algo assim. Ele faztodo o trabalho. E acha que eu estou morrendo

Eu nem conhecia o parceiro de Mike, mas me senti mal por ele. Parecia que Newton tinha encontrado outra alma ingênua para sugar.

"Foda-se", zombei caminhando para o meu carro e pegando meu telefone para ligar para Edward. Notei duas chamadas não atendidas. Mãe. "Não, obrigado", eu disse em vozalta enquanto apaguei o histórico de chamadas.

"Srta. Swan?" O Dr. Parish, meu professor de Psicologia se aproximou de mim. "Nós sentimos sua falta na aula de hoje", ele acusou, tentando me fazer sentir mal.

"Sério?" Perguntei um pouco assustada. Eu tinha pulado minha aula de psicologia na terça-feira. Não tinha vontade de ir. Honestamente, me senti um pouco mal com o fato de que eu fui para a aula e, em seguida, fui embora quando ele estava entrando na sala. Eu não estava me sentindo a "coisa" naquele dia. "Desculpe", eu me expliquei.

Eu não ia dizer que não me sentia bem. Eu não era uma mentirosa.

"Eu só queria parabenizá-la por seu excelente trabalho", ele elogiou, pegando meu trabalho. Tinha um grande e gordo

e vermelho "A" sobre ele. "Eu raramente dou um destes por aí", ele sorriu. "Quando é que você vai parar de me fazer persegui-la e se especializar em Psicologia? Você pode ser o próximo Freud. Este artigo é genial", ele disse me entregando o trabalho. Eu até esqueci o que eu tinha discutido no artigo até que eu li o título.

Dr. Parish tem tentado me convencer a me especializar em Psicologia desde que eu era caloura. Me chamou de a

próxima Freud

a ele. Eu não estava comprando isso. Além do mais, era um pouco estranho o fato de que ele olhava para mim de forma engraçada quando ele falava comigo. Eu queria dizer a ele que meus olhos estavam mais acima.

e de a próxima Skinner*

ou de qualquer psicólogo que ele pensou que iria me convencer a se juntar

*Burrhus Frederic Skinner, autor e psicólogo americano.

"Ah

para o meu carro.

" brinquei desajeitadamente, balançando meu celular, "Eu estou

brincando no campo agora", disse caminhando

"Você deveria pelo menos publicá-lo", ele pediu, olhando esperançoso.

"Nah," balancei minha cabeça. "Deixe isso para os psicólogos reais", eu terminei, ligando meu carro.

O problema era que esta não foi a primeira vezque alguém pediu para publicar um trabalho meu. Eu sempre sentia

culpa. Lá estava eu, tendo praticamente zero de orgulho do meu trabalho escolar. Depois de um tempo, a escola

tornou-se fácil para mim. Vinha naturalmente. Fui treinada

dito, eu era "uma campeã." De certa forma, isso me fazia sentir como uma merda porque me era entregue oportunidades que outros trabalhavam duro e nunca conseguiam.

produzida

para alcançar a excelência, ou como ela havia

Eu decidi que isso era o suficiente de pensar sobre isso por hoje.

Peguei meu celular para gritar com Edward por furar comigo. Quando ele atendeu o telefone, eu estava totalmente preparada para xingá-lo de idiota por me fazer esperar, mas ele parecia tão chateado. Eu não poderia ficar brava com ele por muito tempo. Eu queria remarcar para outro dia. Mas, mais uma vez, sua ânsia me convenceu a ir contra a minha natureza. Ele parecia animado com a ideia de ter um amigo indo à sua casa. Eu não queria decepcioná-lo. Então, eu disse que tudo bem.

"Você está indo para a casa dele?" Victoria perguntou quando ela entrou no carro. "Você não o conhece!"

"Ele é inocente", argumentei, conectando o endereço de Edward no GPS do meu carro. "Eu preciso de ajuda com esta matéria. Não posso falhar."

"Largue a mat0éria", ela aconselhou, cutucando minha testa.

"E admitir a derrota?" Balancei minha cabeça, pensando no desprezo condescendente que meu professor de Cálculo II

tinha em seu rosto quando ele devolveu o meu teste. "Nunca. Bella Swan não falha."

"Bella, a obtenção de um "A" em uma aula não vale a pena ter algum cara esquisitão a matando

"

"Ele não é uma pessoa estranha," eu defendi, revirando os olhos. "Se alguém é estranho, sou eu", eu apontei para a minha peruca e minha roupa.

"Bem, eu estou indo," ela exigiu. "Ele não pode matar nós duas."

Apromessa de Victoria não quis dizer nada. Assim que ela entrou, pediu uma bebida e foi dormir. Incrível guarda- costas ela era. Edward era legal, de qualquer maneira. Fiquei surpresa com o quão espantosa seleção de snacks ele tinha. Se eu não soubesse melhor, eu teria pensado que ele tinha ido fazer compras antes de chegarmos. Além disso, ele era um grande professor. Na minha opinião, ele era um professor melhor do que o meu professor. Ele não me fez sentir estúpida por fazer uma pergunta. Além disso, ele foi legal quando Snooki quebrou o vaso. Ele disse que não era caro. Era óbvio que ele estava mentindo. Eu não pressionei o problema. Gostaria apenas de lhe comprar um novo. No geral, fiquei surpresa com o quão legal ele era. Fiquei chocada por que ele não tinha mais amigos. Eu estava um pouco decepcionada por que ele preferia Luke Skywalker a Darth Vader, no entanto.

Sério?

Ele até levou o argumento para o Facebook depois de duas horas de debate via mensagem de texto. Sim, Edward Cullen era um cara legal. Eu o considerava um amigo.

Fazer o dever de casa da minha aula de Cálculo II se tornou ainda mais fácil depois disso. Eu realmente comecei a entender o assunto. O ponto alto da minha semana foi quando meu professor idiota passou um questionário e eu recebi um "A" por ele. Isso fezmeu dia e eu mal podia esperar para compartilhar as boas notícias com alguém, então eu mandei uma mensagem para Edward para agradecê-lo por sua ajuda. Dias se passaram e logo eu estava na biblioteca esperando Edward aparecer. É melhor que ele não se atrasar de novo ou eu vou chutar sua bunda. Senti meu telefone vibrar, sinalizando que eu tinha uma nova mensagem no correio de voz. Era minha mãe.

"Bella," eu poderia ouvi-la dando uma enorme golfada de ar, antes de soltá-lo. Ela disse meu nome com tanto desdém

e desapontamento. Foda-se ela. "De repente entrar em contato com você se tornou muito difícil. Por que? Pare de ser tão vadia e atenda o celular. Eu preciso te dizer uma coisa," ela ordenou antes de desligar.

Wow. Sete segundos inteiros. Isso era um recorde para ela.

"Mensagem apagada," a vozrobotizada disse enquanto apertava o número sete no meu telefone deletando a mensagem. Agora eu realmente não iria atender.

Para passar o tempo, eu tirei meu notebook e comecei a editar meu projeto de vídeo que era para ser entregue logo.

"Hey," Victoria cumprimentou, sentando a minha frente. "Que horas você vai acabar?"

"Sem pistas," respondi.

"Droga," ela bufou. "O que é isso?" Ela perguntou, apontando para o papel que eu peguei recentemente.

"Aquele artigo de história," eu disse, olhando alguma metragem.

"Você recebeu um 'A' por isso?" Ela questionou. "Você demorou apenas cerca de seis horas para fazer ele," ela disse em descrença. "Você é irritante."

"Não me culpe," disse, "Culpe Renee."

Depois que ela saiu, eu passei outros cinco minutos no meu vídeo até me entediar. Não estava sentindo o vídeo. Eu nem mesmo sabia por que tinha me matriculado nessa aula. Descansei minha cabeça até que vi Edward chegando pelas portas.

Nossa sessão foi um pouco diferente, começando comigo caindo na frente de alguns calouros. Antes que pudéssemos começar, senti meu celular vibrando de novo. Eu internalizei um grito, olhando a tela e esperando outra ligação da minha mãe. Entretanto, eu fiquei prazerosamente surpresa quando vi o identificador.

Pai: Tenho uma reunião de negócios em cinco minutos. Deseje-me sorte.

Eu: Sorte!

Sorri e mandei minha resposta rapidamente. Era a primeira vezque eu ouvia algo sobre ele em Ele estava sempre fazendo alguma coisa. Ele me enviou um cartão de aniversário, no entanto.

Sei lá quanto tempo.

Minha surpresa dobrou quando seu toque soou no meu celular. Ele estava me ligando? Sorri para isso. Dei uma pausa dos estudos para atender a chamada. Eu me perguntava para que ele estava ligando.

"Olá?" Eu respondi.

"Isabella?" Avozque eu supus ser da assistente do meu pai respondeu.

"Eu prefiro Bella," eu corrigi.

"Tudo bem, Bella", ela mudou. "Eu tenho o seu pai na linha para você", ela disse, me remendando completamente.

"Bella?" Perguntou meu pai. "Doçura?"

"Ei, papai", sorri, sentando-me num banco próximo.

"Você está no viva-voz, querida", ele me avisou.

"É claro", eu ri. "O outro requer que você toque o telefone."

"Como você está?" Ele questionou.

"Eu estou bem, e você?"

"Ótimo. Obrigado por perguntar."

"Uh

tempo. "Como foi sua reunião?" Eu perguntei, lembrando da mensagem que ele enviou antes de ligar

"

comecei, tentando pensar em outra coisa para dizer. Esta foi a conversa mais longa que tivemos em algum

"Ótimo como de costume", afirmou. "Avenda aconteceu sem problemas. Eu até consegui mais barato do que eu pensava", ele riu um pouco. "Eles nem sequer lutaram."

"Quem colocaria?" Eu o provoquei, pegando fiapos fora da minha calça. "Onde você está?"

"Japão" revelou. "Apróxima parada é Pequim."

"Tem alguma coisa errada?" Eu perguntei, cortando a enrolação. Era um pouco estranho ele me ligar casualmente. "Eu "

não tenho ouvido falar de você em muito tempo e

"Tenho estado ocupado, querida. Você sabe disso," ele se desculpou.

"Eu sei", concordei tristemente.

Eu entendia que o meu pai era um homem muito ocupado como se ligar para sua filha fosse falir ele.

um importante homem ocupado, mas às vezes ele agia

"O que você estará fazendo nesse final de semana?" Ele perguntou. Não estava esperando essa pergunta.

"Hm, nada eu acho."

"Vamos jantar na sexta-feira?", ele perguntou. "Eu estarei nos Estados Unidos depois de amanhã. Eu ia pousar no aeroporto JFK*, e então pensei, por que não passar o fim de semana com a minha menina? Você está no humor para isso?"

*Aeroporto John F. Kennedy, em Nova York.

"Claro!" Eu respondi sorrindo, animada.

Mesmo que ele estivesse ocupado, meu pai sempre fezum esforço para passar pelo menos um fim de semana do ano comigo. Na maioria das vezes, nós descansávamos por aí e não fazíamos nada, mas era apenas bom tê-lo vindo e me visitando, independentemente do que nós fazíamos.

"Ótimo", ele confirmou. "Sexta-feira às oito, eu vou buscá-la",

"Vejo você, então", eu respondi, desligando o telefone.

Este dia se tornou muito bom. Voltei a estudar com uma nova atitude. Edward, no entanto, ainda estava um pouco duro. Então, eu joguei vinte perguntas. Pareceu ser uma boa forma de conhecer um ao outro. Ele estava um pouco tenso no começo, mas ele se abriu. Ele poderia ser realmente engraçado quando se animava. As coisas ficaram um pouco estranhas quando ele perguntou sobre o meu cabelo. Era um assunto delicado para mim desde que eu conseguia lembrar. Eu estava tentando descobrir uma maneira de falar quando Newton veio e fodeu com tudo.

Acabou que o parceiro de Mike era Edward

fazendo-o perder horas de sua vida fazendo a porra do trabalho e ele nem ao menos conseguia encontrar a decência de descobrir o maldito nome de sua vítima. Por favor!

não alguém chamado Evan. Idiota. Mike estava usando o homem,

As pessoas são más. Mas pessoas ricas são umas filhas da puta, a maioria deles, pelo menos.

Felizmente, eu era capazde usar meu jeito para assustá-lo antes que ele fizesse de Edward seu escravo involuntário.

Foi então que eu percebi que Edward era bom

parte do trabalho. Senti um pouco de pena por Edward não saber que Mike estava mentindo e usando ele. O elefante na sala era grande e fedido depois disso. Eu não podia correr o risco de Mike pegá-lo quando eu não estava e trancá-lo de novo, então eu disse a verdade. E, imediatamente me senti mal quando olhei para seu rosto. Ele pensou que aquele idiota era seu amigo. Amigos não fazem merdas como essa para os amigos. Agora que Edward e eu éramos amigos, eu esperava que eu pudesse mostrar-lhe isso. Ele era muito bom e gentil para ser abusado dessa forma. Se crescesse uma espinha dorsal forte no processo, seria um bônus.

mais do que necessário. Amigo ou não, eu teria feito Victoria fazer

"Charlie está vindo?" Victoria corou, olhando ao redor da casa.

"Sim", eu revirei os olhos. O sorriso dela aumentou. "Victoria", eu avisei. "Não!"

"O quê?" ela perguntou rindo. "Vamos lá! Seu pai é quente!"

"Não, ele não é!"

"Claro que você acha isso", ela argumentou. "Ele é o seu pai."

Desde que tínhamos atingido a puberdade, Victoria tinha desenvolvido uma paixão por meu pai. Ela o chamava de DILF*. Era perturbador para dizer o mínimo.

*DILF: Daddy I'd like to fuck = Papai que eu gostaria de foder.

"Isso tem que parar", eu disse a ela enquanto eu começava a limpar meu quarto.

"Eu preciso ir me depilar", brincou ela.

"Victoria", eu ri, jogando uma meia para ela, "Pare!"

"Eu daria uma ótima madrasta, Bella", ela disse, se maquiando no espelho.

"Eu vou matar você", avisei.

"Não use esse tom comigo, mocinha", ela bufou.

"Ugh," zombei, indo limpar a cozinha.

No próximo par de dias, passei a maior parte do meu tempo deixando a casa pronta e pensando em coisas que papai

e eu poderíamos fazer. Havia uma feira de rua que estaria na cidade neste fim de semana. Talvezpudéssemos ir lá. Ou, eventualmente, ver um filme. Estava animada por vê-lo pela primeira vezem cerca de um ano.

Finalmente, sexta-feira chegou e eu estava no meu quarto me vestindo. Decidi por um look mais simples. Escolhi um vestido assimétrico legal que eu tinha encontrado no Goodwill. Começava cinza na parte superior e clareava gradualmente para uma cor creme na parte inferior. Eu tinha encontrado uns sapatos prateados brilhantes impressionantes e bijuterias em um bazar de quintal que eu podia usar com ele. Então eu coloquei meu favorito conjunto de pulseiras. Elas eram feitas de madeira com pregos de ouro sobre eles. Elas cobriam todo meu braço.

Eu tinha um ponto fraco na moda

Tinha que admitir, já gastei cinco mil dólares uma vez. Então, me senti culpada e doei dezmil dólares para a caridade.

O que eu poderia dizer? Cada Aquiles tinha um calcanhar.

pulseiras. Eu as amava. Quando eu via um conjunto bonito, eu não podia resistir.

Eu vasculhava as perucas no meu armário para ver qual delas me chamava a atenção. Depois de alguns minutos de debate, escolhi uma peruca de tamanho médio e de um tom loiro-sujo que era cortado em camadas extremas. Tinha as pontas para fora um pouco e era bem legal. Eu me olhei no espelho e me dei o ok. Para passar o tempo, comecei a trabalhar no vídeo que era para próxima semana. (Look: bit . ly/BellaEW4)

"Gostosa", Victoria cumprimentou, entrando no meu quarto e fazendo aquela coisa clichê de chiar. "Você tem um par de sapatos para me emprestar? Tenho um encontro hoje à noite."

"Fique à vontade", concordei. "Quem é o cara desta vez?"

"GregoryWilkins," ela informou, experimentando um sapato em cada pé. "Seu nome é feio, mas seu rosto é delicioso."

"Eu o conheço", lembrei. "Ele é da minha turma de Literatura Moderna. Ele é um verdadeiro sabe-tudo."

"Isso é engraçado", ela sorriu: "Ele disse a mesma coisa sobre você."

"Pssh" revirei os olhos. "Ele está apenas irritado porque o Dr. Fowler está sempre na minha bunda e não o dá um segundo olhar para ele," zombei. Era verdade.

"Bem

você é uma campeã", ela admitiu, saindo para ver como os sapatos ficavam com sua roupa.

"Foda-se!" Eu gritei, negando com minha cabeça para os sapatos.

Ela sabia que eu odiava a palavra campeã.

Minha campeã.

Cale a boca, voz.

"Ele está muito certo de que seu projeto é melhor do que o seu," ela sorriu. "Ele trabalhou durante todo o mês nisso."

"Qual?"

"Acurta história do estilo livre de cinquenta páginas", ela elaborou. "Sobre o quê você fezo seu?"

"Karma," Eu ri, olhando para o relógio.

Papai deveria estar aqui a qualquer minuto.

"Sério?" Ela riu muito. "Você escreveu isso no segundo ano!"

"Primeiro," corrigi. "Eu esqueci a data que era pra fazer o trabalho, então, eu reciclei."

"Sabe, Bella," Vic balançou a cabeça, brincando: "Você realmente me irrita às vezes," ela terminou, jogando o meu

trabalho na minha cara.

"Eu também te amo" sorri, então coloquei minha mão sobre meu coração, quando ela me mostrou o dedo.

"Sério," ela começou novamente, verificando a maquiagem no espelho: "Se você não estivesse tendo problemas na aula de matemática, eu acharia que você é uma alienígena."

"Vou levar isso como um elogio," revirei os olhos, editando um pouco o vídeo.

"Por que você ainda está nessa classe de merda de qualquer maneira?" Ela perguntou, olhando para mim com

espanto. "Você tem um vinte-e-cinco em um teste que você teria desistido."

um vinte-e-cinco", ela repetiu para dar ênfase. "Eu tinha assumido

"Eu considerei isso", eu disse a ela, olhando para o roteiro pela milionésima vez. "Edward disse que ia me ajudar, no entanto."

"E ele é

?"

ela disse, sem saber quem ele era.

"O cara que eu bati com a porta no outro dia", disse a ela, seu rosto se iluminou em reconhecimento.

"Oh, ele", ela acenou com a cabeça. "O cara nerd," ela terminou, passando pelo meu armário de sapatos.

"Não o chame assim," eu exigi.

"Oooh", ela riu: "Alguém tem uma paixão."

"Não é uma paixão", eu disse a ela honestamente. "Ele é um cara legal. Você não deve insultá-lo assim."

Eu poderia dizer de nossos breves encontros que Edward era uma pessoa verdadeiramente agradável. Eu não acho que pessoas como ele realmente existem. Quero dizer, quem daria a um estranho que estava tendo um colapso mental em um estacionamento, uma carona sem fazer perguntas? Especialmente alguém com um estilo como o meu? Edward era uma boa pessoa. Eu tinha a sensação de que ele seria um grande amigo, também. Ele só parecia

um pouco

triste. Era como se ele estivesse sempre pensando em algo perturbador.

"Eu sempre quis foder um nerd," Vic interrompeu meus pensamentos, andando em um par dos meus sapatos peep-

toe vermelhos. "Ele podia bater na minha buceta

entanto," ela disse, pensando. "Eu sempre acabo com idiotas que gostam de entrar em brigas de bar."

depois consertar meu computador. Eles têm medo de mim, no

"As versões masculinas de você", sorri quando ela socou meu peito. "Ele é um bom amigo," eu disse, colocando os meus livros na minha mochila.

"Espero que ele seja um bom professor. Eu odiaria ser você quando a Bruxa Má do Oeste descobrir que tem uma nota que seja menos do que perfeita", ela revirou os olhos.

Assim que ela revirou os olhos, meu telefone tocou.

Mãe.

"Falando no diabo", eu disse, colocando meu telefone na minha bolsa.

"Você nunca vai atender ela?" Vic riu, dirigindo-se para a porta.

"Eventualmente," eu suspirei.

Sentei no sofá da sala, esperando por meu pai. Mais vinte minutos se passaram antes que um Bentleyparou em frente da casa. Sorrindo, eu peguei minha bolsa brilhante e tranquei a porta atrás de mim.

"Ei, papai", eu o cumprimentei, deslizando para dentro do carro e encontrando com o silêncio.

"Mr. Swan irá encontrá-la no restaurante," a vozdo motorista me informou.

Peguei meu iPod e relaxei até que o carro parou. Eu entrei no restaurante e imediatamente me senti fora de lugar. Eu odiava lugares pretensiosos como estes. Sempre odiei. Pessoas pretensiosas pagam quantias obscenas de dinheiro para comida pretensiosa quando tudo o que acontece é acabar no banheiro de qualquer maneira. Era muito pretensioso.

"Seu pai está esperando por você, Senhorita Swan", a anfitriã cumprimentou, me levando a uma parte exclusiva do

restaurante.

"Papai!" soltei, correndo para abraçá-lo.

"Ei, querida", ele me abraçou de volta. "Me desculpe por não puder ir buscá-la."

"Está tudo bem. Estou felizem vê-lo", eu me sentei no colo dele.

"Eu também", ele me deu um beijo na bochecha. "Eu não posso acreditar que já fazum ano desde que eu vi a minha

menina."

"Está tudo bem," eu menti. Não estava bem. "Eu sei que você está ocupado, papai."

"Como é que eu fiquei tão sortudo?", Ele perguntou. "Eu tenho uma filha incrível."

"Somos apenas sortudos eu acho," dei de ombros. "Eu tenho uma incrível figura paterna", eu brinquei, fazendo-o rir.

"Eu sou todo seu para o fim de semana", ele me disse. "Estou oficialmente desligando meu telefone."

"Olá, meu nome é Patrick. Sou o dono do Shout", ele se apresentou. "Gostaria de recebê-lo pessoalmente, Sr. Swan",

ele correu. Eu poderia dizer que ele estava nervoso. "Se há alguma coisa que você precisa menu, eu vou tentar o meu melhor para acomodá-lo."

mesmo se não estiver no

Puxa saco.

"Tenho certeza de que não será necessário", papai acenou com a cabeça.

"Obrigada", eu disse a ele enquanto ele se afastava. "Oh

o.

se não é Charlie Swan poderoso," Eu provoquei, cutucando-

"Aqui está", ele sorriu, colocando uma pilha de presentes na mesa. Havia cinco deles, cada um habilmente embalado e empilhado junto com um grande laço ao redor deles.

"Pai," eu repreendeu: "Você sabe que eu não gosto de presentes."

Eu me sentia culpada que havia pessoas no mundo que estavam lutando para comer, mesmo assim ele gastava

milhares e milhares de dólares em presentes para compensar por não estar presente na minha vida. Natal era uma

droga

grande momento.

"Eu sei", ele admitiu, revirando os olhos. "Eu só quero dizer que sinto muito. Acho que você vai gostar deles, no entanto," ele sorriu, apontando para os presentes. "Abra."

"Só para apaziguar você

"

revirei os olhos, abrindo os presentes.

"Eu os comprei na Índia", regozijou-se enquanto eu segurava as pulseiras brilhantes na luz. Aprimeira era um conjunto de duas pulseiras de ouro grossas adornadas com rubis e diamantes. Pendia no meu pulso em forma de lágrima. A próxima era de platina com safiras. Outra era feita de platina e esmeraldas. Depois, havia outra feita de ouro, incrustada com pérolas e diamantes rosa. Aúltima era de prata, com ônixe diamantes amarelos.

"Obrigada", aceitei, colocando os presentes de volta nas caixas.

"Eu sabia que você ia gostar delas", ele disse, olhando para o menu. "O que está na agenda?"

"Eu estava pensando sobre essa coisa de feira ao ar livre

ou talvezum filme

ou podemos apenas estar por perto

"Olá, meu nome é Tina", uma mulher interrompeu, dando ao meu pai o olhar. "Eu serei sua garçonete. Se há alguma "

coisa que eu possa fazer

ela disse.

"

"Eu vou deixar você saber," dispensei bruscamente, fazendo um rosto bravo. Eu não queria nenhuma garçonete arruinando meu único jantar com meu pai.

"Você sabe que você é minha única menina", ele beijou minha testa. "Como está a escola?"

"É a escola", eu revirei os olhos.

"Você já pegou um especialização?" Ele sorriu, sabendo a resposta.

"Não, nada ainda, eu ainda tenho que ser estimulada."

"Bem

",

ele acenou com a mão, "Encontre o seu centro."

"Eu estou tentando."

"Tente mais," Eu ouvi o escárnio inconfundível de minha mãe entrar no ambiente.

Que porra é essa? Ele a convidou?

"Merda," meu pai sussurrou. "Droga, Renee, o que você está fazendo aqui?"

"Relaxe, Charlie", ela acenou para ele, "Eu não estou aqui por você. Eu quero falar com a minha campeã aqui", ela respondeu, estalando os dedos e exigindo uma cadeira extra para ser transferida para a nossa mesa.

Esse era o apelido da minha mãe para mim

tudo. Roupas

carros

casas

crianças.

"Mãe, o que você

?"

sua campeã. Fazia minha pele arrepiar. Ela tinha que ter o melhor em

"Levante-se", ela mandou, olhando nos meus olhos.

"O quê?"

"Levante-se", ela repetiu. "Eu quero ver o que você está vestindo."

"Tudo bem", eu cedi, levantando e, em seguida, virando. "Feliz?"

"Dificilmente", ela balançou a cabeça. "O que você está vestindo? O que aconteceu com as roupas que eu mandei?"

"Eu doei."

"O quê?" Ela fervilhou. "Essas roupas valiam milhares de dólares e você deu para perguntou, a vozrepleta de desgosto.

"Você sabe que eu não gosto de roupas de grife."

"Oh, por favor", ela zombou.

"Renee," meu pai interrompeu.

as pessoas pobres?" Ela

"Não", ela começou novamente, "Amaioria das pessoas teriam matado por aquelas roupas."

"Eu não sou a maioria das pessoas," me defendi, sentando.

"Oh, Deus", ela bufou, "Esses sapatos brechó?"

a bolsa

essa peruca maldita", ela balançou a cabeça. "Você comprou em um

"Sim."

"Oh, Deus", ela engasgou. "Tire essa peruca neste minuto!" Ela exigiu.

"Não!" Eu me enfureci. "Aculpa é sua por eu usá-las, de qualquer maneira."

"Você tem que superar isso, Bella", ela revirou os olhos. "Foi um erro honesto."

"Eu tinha sete anos!" Salientei, tocando minha peruca defensivamente.

"Senhoras!" Papai levantou-se, tentando recuperar a ordem. "Acalmem-se."

"Você não poderia nem dizer", ela murmurou, sentando-se.

"Pelo amor de Deus," papai bateu em si mesmo na testa, "Cale a porra da boca, Renee."

"Como vão as aulas?" Ela perguntou, olhando por cima do menu.

"Está tudo bem."

"Eu não perguntei como você estava", ela revirou os olhos. "Eu perguntei como está na faculdade

com suas notas."

"Eu tenho de um "A" em cada aula", sorri. Então, lembrei-me de minha aula de Cálculo, "Exceto uma

Cálculo II."

"O que há de errado?" Perguntou papai.

"Eu tenho tido alguns problemas", eu admiti, tomando um gole de água. "Está tudo bem. Eu tenho um tutor."

"Defina problema," ordenou minha mãe.

"Provavelmente tenho um 'C' na matéria", eu disse, depois de levar em conta o questionário e o teste que fiz.

"O quê?" Ela perguntou, incrédula. "Você tem um 'C'? Isso é impossível. Swans não ganham tremendo com a palavra. "Nós somos campeões."

"Se eu for bem na prova final, posso obter um 'B'."

C's", ela zombou,

"Ugh

extremos. "O que aconteceu?"

isso é ainda pior. Você pode muito bem tirar um 'F'", ela argumentou. Era assim que sua mente trabalhava

"Renee!" Meu pai avisou.

em

"Eu sinto muito", ela brincou. "Eu não comemoro mediocridade. Você não deveria, também."

"Está tudo bem, pai", eu o acalmei. "Eu estou acostumada com isso", eu forcei um sorriso, balançando a cabeça.

"Desista da matéria."

"Ela não pode", meu pai disse. "Já passou o prazo de desistir. O semestre está quase no fim."

"Eu vou fazer uma ligação," ela zombou. "As regras não se aplicam a nós. Você deveria ter me dito antes."

"Ela está lidando com isso," papai me defendeu. "Deixe ela lidar com isso, Renee."

"Então, e se eu conseguir um 'B'?" Eu ri. "Vou ter um GPAde 3,99997. Supere isso, mãe."

"Essa atitude arrogante é o que eu não entendo", minha mãe se enfureceu. "Você é atraente

de boa linhagem

"

"Não diga boa linhagem," meu pai interrompeu. "Você a fazsoar como um maldito cavalo de corrida."

"Por favor, parem", eu implorei. Neste ponto, eu tinha certeza que todos no restaurante poderiam nos ouvir.

"Com licença", Tina voltou a sorrir. "Você está pronto para

?"

"Oh, Deus", minha mãe deu uma risadinha. "Querida, abotoe a sua blusa. Charlie Swan não vai fazer sexo com uma

garçonete," ela terminou. "Bem

talvezele faça."

"Sinto muito", eu me desculpei pela grosseria da minha mãe. "O que você estava dizendo?"

"Eu estava apenas perguntando se vocês estavam prontos para pedir."

"Qual é a melhor coisa que você tem?" Minha mãe respondeu, olhando por cima do cardápio.

"Há a crosta de noz-pecã

"

"Nós vamos querer", ela cortou. "Além disso, adicione o seu melhor vinho e a sua melhor sobremesa."

"Na verdade," papai interrompeu: "Eu vou querer o bife."

"Eu vou querer a salada de frango", acrescentei, entregando a garçonete o meu cardápio.

"Por quê?" minha mãe revirou os olhos. "É o melhor que eles têm."

"Talvezporque eu sou alérgica a nozes?" Brinquei.

Eu não podia acreditar que ela não sabia disso.

"Desde quando?"

"Desde que eu nasci," eu disse a ela. "Lembra? Eu comi uma barra de Paydaypor acidente. Fiquei no hospital por uma semana. Quase morri."

"Quando isso aconteceu?"

"Eu tinha nove anos, mãe."

Ela e Phil estavam em Paris quando isso aconteceu. Só a minha babá e Victoria me visitaram no hospital. Papai estava no meio de uma hostil aquisição da empresa e não poderia vir.

"Oh," ela deu de ombros antes de verificar a maquiagem.

"Papai é alérgico também," eu apontei. "Você se esqueceu disso?"

"Você não pode esperar que eu

"

"Com licença", Tina sussurrou, levantando a mão.

"Sim?" Todos nós respondemos.

"Eu tenho um telefonema para você, Sr. Swan", ela disse. "Eles disseram que seu celular não está ligado e isso é importante", ela entregou-lhe o telefone.

"Droga", ele reclamou, levantando-se e entrando no corredor para atender a chamada.

"Eu tenho um amigo em Milão", minha mãe começou, bebendo de sua taça de vinho. "Ele está à procura de algumas

modelos para trabalhar no verão. Mostrei-lhe sua foto e ele disse que você era impressionante. Ele quer você para as

fotos em Paris

Milão

Madri

Roma. Interessada?"

"Não", eu disse simplesmente. "Eu não sou modelo. Isso não é o meu negócio."

"Você curtia no ensino médio."

"Não", eu contradisse "Você me fez fazer isso na época da escola, e eu odiava. Isso não é para mim", eu tentei recusar respeitosamente.

"Droga!" Ela bufou.

"Desculpe," eu dei de ombros.

"Se você tivesse me escutado, você estaria em um iate em algum lugar fodendo Leonardo DiCaprio", ela disse, olhando para o espaço.

"Ele é

quase vinte anos mais velho do que eu," eu adivinhei. "Eca!"

"Oh, supere," ela repreendeu enquanto papai voltava.

"Sinto muito, querida", ele beijou minha testa antes de pegar o casaco. "Eu tenho que pegar o voo para Londres", ele se desculpou.

"Mas, papai," Fizuma pausa "Você disse que nós

"

"Eu sei", ele olhou para mim com tristeza. "Tenho que estar lá. Se isso fazvocê se sentir melhor, eu estou prestes a demitir um monte de gente", ele sorriu. Eu não sorri de volta. "Sinto muito", ele disse, jogando quinhentos dólares sobre a mesa e saindo.

"Boa viagem", minha mãe disse, dando outro grande gole no vinho.

"Eu não estou mais com fome e eu tive um longo dia", eu menti me levantando. Não havia nenhuma maneira no inferno que eu passaria o resto da noite, próxima a aquela vadia. Eu estava saindo enquanto ainda tivesse a chance.

"Bella!" Renee me chamou enquanto eu saía do restaurante.

"O quê?" Perguntei irritada. Eu só queria que esta noite acabasse.

"Phil e eu vamos ter um bebê," ela anunciou em uma vozsevera.

"O quê?"

Apenas quando eu pensei que ela não poderia me chocar mais

"Eu tenho tentado te dizer. Você se recusou a atender seu telefone."

"De quanto tempo?"

"Seis semanas", ela me disse, segurando seu estômago. "Eu não estou ficando mais jovem", acrescentou.

Ela iria ter um bebê para provar a si mesma que não era velha? Eu senti pena pela criança.

"Espero que tudo corra bem", eu disse sem emoção. "Me ligue ou tanto faz, quando nascer", eu disse, recuando lentamente para ir embora.

"Sim", ela sorriu amplamente. "É bom ter uma segunda chance. Você sabe? Para fazer o certo e não cometer tantos erros desta vez."

Será que eu ouvi corretamente?

"O quê?" Perguntei lentamente. "O que você quer dizer com'fazer o certo' ou 'não cometer erros'?"

"É só que

a relação entre nós não é realmente ideal."

"Então

você está me substituindo, na esperança de que o segundo filho se saia melhor?"

"Não foi isso que eu quis dizer. Só que

talvezeste terá mais a minha velocidade."

"Eu não posso acreditar no que estou ouvindo," Eu me aproximei. "Você não pode programar seus filhos a fazer o que quiser", eu disse a ela. "No caso de você ainda não ter percebido isso", eu apontei para mim mesma, "Não funciona."

Esta mulher tinha arruinado minha infância. Agora, ela queria sujeitar outra criança inocente a seu comportamento cruel. Eu estava com medo de como isso iria ser.

"Ah, dá um tempo. Não é tudo sobre você", ela respondeu asperamente. "Eu lhe dei todas as oportunidades possíveis.

Treinos de esporte, aulas de dança, aulas de idiomas, tutores, personal trainers, aulas de violino

consegui para você um contrato de modelo quando tinha doze anos," ela cuspiu. "Você jogou fora repetidamente todas as oportunidades que eu te dei."

Inferno, eu

"Eu não pedi nada disso!" Eu respondi. "Você forçou toda essa merda em mim

seu fodido prodígio ideal

apenas tentando ser eu," eu me engasguei, tirando minha peruca e soltando o meu cabelo. "Você nunca fez, e agora eu realmente não sei quem eu sou. Mas adivinha?" Eu disse indo embora. "Este é o preço de ter sido criada por você", eu terminei, indo embora.

tentando me moldar em sua imagem,

sua maldita 'campeã'. Você nunca gostou de como eu aparentava ou agia quando eu estava

"Espero que este seja mais grato!" Ela gritou atrás de mim antes de eu ouvir o som de sua limusine afastando.

Peguei o iPod da minha bolsa e comecei a andar. Eu precisava relaxar um pouco. Eu não prestei atenção no meu telefone tocando ou nos meus pés doendo. Eu só ouvia a música e andava. Eventualmente, a minha lista de reprodução terminou e os meus pés doloridos obtiveram o melhor de mim. Então, eu entrei no primeiro prédio que encontrei, uma Starbucks. Ótimo.

Sentei-me na mesa próxima, contente de chafurdar na miséria até que me sentir bem para chamar um táxi.

"Senhorita?" Uma barista caminhou até minha mesa, "Estas mesas são para os clientes", ela disse.

"Tudo bem", eu gemi, jogando uma nota de cem dólares sobre a mesa. "Você vai me deixar em pazagora?"

Ela pegou o dinheiro e deixou minha mesa. Então, eu acho que foi um sim.

Eu tinha expectativas tão altas para a minha noite

minutos. De repente, senti minha visão começar a borrar antes que eu sentisse uma lágrima correr pelo meu rosto.

o meu final de semana. E tudo isso foi a merda em questão de

Foda-se. Agora, eu estava chorando. Eu não fazia isso há anos. Se eu procurasse no meu cérebro, o que eu não tinha

vontade de fazer, eu provavelmente encontraria que a razão para minhas últimas lágrimas fora outra situação envolvendo meus pais.

Chegou a um ponto em que eu estava chorando incontrolavelmente. As pessoas começaram a apontar e olhar. Algumas foram embora, provavelmente porque se sentiram desconfortáveis. Eu não dava a mínima.

"Senhora, você está deixando os clientes desconfortáveis", a mesma barista voltou para a mesa.

"Desculpe", eu me desculpei, desta vezcolocando duzentos dólares sobre a mesa. "Bebidas por minha conta", eu anunciei a todos, enquanto ela se afastava novamente com o meu dinheiro.

Eu coloquei minha cabeça em minhas mãos, continuando com meus soluços. Por que mesmo eu estava chorando? Não era a primeira vezque isso tinha acontecido.

"Bella", eu ouvi uma vozfamiliar chamar meu nome antes de eu sentir um toque no meu ombro que enviou um choque pelo meu corpo.

"Edward?" Eu perguntei, sem olhar para o rosto dele. Não me pergunte como eu sabia que era ele. Eu apenas sabia.

"Sim", ele confirmou, puxando uma cadeira para sentar-se à minha frente. "Você está bem?"

"Uh huh," eu balancei a cabeça por trás de minhas mãos enquanto virava meu corpo para ficar de frente a janela. Eu não gostava quando as pessoas que eu conhecia me vissem chorar. Fazia me sentir fraca.

"Mentirosa", ele me chamou. "Você está chorando no meio de uma Starbucks."

"E daí?" Eu balancei a cabeça, enxugando os olhos.

"Você definitivamente não está bem", ressaltou ele, esfregando minhas costas. "O que há de errado? Por que você está chorando?"

"Estou apenas tendo um dia ruim, isso é tudo," expliquei, dando uma breve versão do que havia acontecido. Eu não mencionei que minha mãe estava planejando me substituir, porque eu era uma decepção para ela ou que eu não valia o tempo do meu pai.

"Eu sinto muito," ele sussurrou, ainda acariciando minhas costas enquanto meu estômago roncou. "Você já comeu?"

Eu balancei minha cabeça. "Eu deveria ter comido", eu murmurei, esfregando meu estômago.

"Huh?"

"Nada," menti. Eu não tinha vontade de compartilhar a minha história de vida.

"Você deve comer alguma coisa," ele aconselhou, puxando meu cabelo longe do meu rosto.

"Oi!" Abarista veio à minha mesa novamente. Eu não estava dando mais dinheiro a ela. "Meu nome é Amber," ouvi ela se apresentar. Eu olhei no reflexo do vidro da janela para vê-la lançando seu cabelo e apertando a mão de Edward. Será que ela estava flertando com ele? "Bem-vindo ao Starbucks. Há algo que eu possa fazer por você, senhor?" perguntou ela, enfatizando a palavra senhor.

Mas que diabos?

"Você tem que estar BRINCANDO COMIGO, PORRA!" Eu gritei. "Eu estive chorando pela última hora e meia e você não pegou a porra do meu pedido", eu cuspi para Amber. "Você não acha que a menina chorando poderia querer um cappuccino ou uma fatia de cheesecake?" Eu comecei o meu discurso. "Além disso, aqui é a STARBUCKS! Você não pega a porra dos pedidos dos clientes EM SUAMESA!" terminei.

"Eu estava apenas sendo simpática", Âmber xingou antes de dar meia volta.

"B-Bella," Edward gaguejou. Isso me lembrou de como ele tentou me acalmar quando fiquei frustrada com um problema difícil de matemática. "Está tudo bem. Acalme-se."

"Sinto muito", eu me desculpei, ainda olhando para o vidro. "Ela foi rude comigo mais cedo," eu disse a ele, enxugando os olhos com um guardanapo.

"Todos nós temos nossos dias fora de si", ele confortou, agarrando o meu casaco. "Vamos lá", ele insistiu. "Nós

estamos indo."

"Por quê?" Eu perguntei, colocando meus braços pelas mangas.

"Porque parece que Amber quer matá-la e todos os outros clientes olham com medo para você", ele me informou.

"Eu acho," eu dei de ombros e sai pela porta.

Edward me seguiu para fora, quando os faróis de um carro brilharam em seu rosto. Foi então que eu realmente o vi. Ele não tinha nenhum gel em seu cabelo, e estava com barba por fazer de alguns dias em sua mandíbula. Ele também estava sem seus óculos. Ele não estava vestindo sua roupa normal de nerd, também. Ele usava calça esportiva e uma camiseta branca.

Droga

Suas maçãs do rosto sempre foram mandíbula.

perfeitas? Você pode cortar um diamantes sobre elas, o mesmo com a

Eu sempre soube que Edward era bonitinho. Mas

Ele era totalmente quente!

droga.

"Uau", eu sussurrei. Eu esperava que ele não tivesse ouvido.

Ele olhou em minha direção e apertou os olhos para que ele pudesse me ver melhor. Eu acho que ele não estava nem usando lentes de contatos. Naquele momento, eu vi o Edward nerd e desajeitado que eu conhecia e gostava.

"Para onde?" Ele perguntou, olhando para mim.

"Sem pistas", eu disse a ele quando começamos a andar.

Mas o fato de que eu estava indo para qualquer lugar com ele me fezsentir melhor.

EDWARD

Convenci Bella a pegar suas coisas e me seguir para fora. Honestamente, eu estava com medo do que teria acontecido se ela tivesse ficado. Além disso, eu queria ajudá-la.

"Mais uma vez, sinto muito," ela se desculpou, enxugando os olhos com a manga de seu casaco. "Eu normalmente

não sou tão

instável", ela me disse em vozbaixa.

"Está tudo bem," desculpei ela. "Todos nós já tivemos o nosso tempo chorando em público", eu disse e

automaticamente e desejei não ter feito isso. Eu tive um breve flashback da Tanya me rejeitando

durante a minha festa de formatura

no estacionamento

com um anel de noivado no meu bolso.

"Você está bem?" Ela parou de andar para perguntar, parecendo preocupada.

"Sim", eu balancei a cabeça, jogando longe a memória. "Não deveria ser eu perguntando isso a você?"

Ela encolheu os ombros quando seu telefone tocou. "Ah

Acho que quem quer que tenha ligado, era o responsável por ela estar chateada. Olhei para a sua roupa. Ela estava bem vestida e tinha o cabelo solto. Eu levei um momento para apreciar seus cabelos castanhos e vermelhos. Era raro ela não usar uma peruca.

foda-se", ela sussurrou, jogando o telefone de volta na bolsa.