Sei sulla pagina 1di 5

O Jovem Senhor da Mansão Blacksteed

INTRODUÇÃO

Essa é uma aventura escrita como uma One Shot para o Halloween de 2014. É vagamente inspirada em passagens do livro jogo “O Castelo dos Mortos Vivos”, da antiga coleção “Você é o Herói”, publicada pela Abril Jovem. Embora seja pensada para cenários de fantasia medieval, é possível adapta-la para outras propostas (como uma aventura vitoriana ou mesmo contemporânea) com um mínimo de esforço. Não utilizamos nenhuma regra e tentamos ser bastante genéricos para que cada mestre possa usar a ambientação e o sistema que preferir.

HISTÓRICO DA AVENTURA

A família Blacksteed foi um clã de latifundiários que prosperaram nessas terras há muito tempo. O patriarca, Donovan Blacksteed, era um homem justo, mas de um péssimo temperamento e que se irritava com facilidade. Apenas duas pessoas conseguiam acalmar suas crises de fúria: a esposa, Zora, por quem tinha verdadeira adoração; e seu fiel amigo e mestre de armas, Sir Vogen Ravencliff. O nascimento do filho dos senhores foi aclamado pela criadagem, com a esperança

que o herdeiro desviasse a atenção e abrandasse o humor do amo. Logo os dias provaram o contrário: a saúde do pequeno Eric era débil, qualquer esforço maior que uma caminhada era o suficiente para que caísse enfermo. Quando alcançou idade para tal, mal aguentava os primeiros movimentos das lições de esgrima ou de equitação. Donovan não conseguia entender como um fruto seu podia ter “tanta falta de fibra”. Se tornou amargurado e ainda mais irritadiço, chegando a culpar a mulher por não lhe dar o verdadeiro varão que merecia. Essa, por sua vez, começou a rejeitar o filho, vendo-o como o destruidor de seu casamento. Eric respondia a essa situação em silêncio, mas por dentro era um rapaz angustiado. Tinha ódio dos pais, que não lhe ajudavam e não reconheciam seus esforços. Rezava todas as noite para não ser mais doente. Até que finalmente alguém lhe atendeu. Mas não exatamente o anjo que esperava Não se sabe o que o vampiro viu em Eric, nem qual interesse poderia ter na situação. Alguns especularam que estaria atrás das terras dos Blacksteed, mas os acontecimentos posteriores descartariam essa hipótese. O fato é que um pacto acabou sendo firmado entre o rapaz e a criatura: juraria lealdade ao vampiro e entregaria sua alma as forças do mal. Em troca,

teria força e resistência maior do que qualquer homem. Eternamente. Como prova de sua submissão, o vampiro exigiu o sangue dos pais de Eric em sacrifício. O rapaz exitou a princípio, mais logo

transformaram em uma pálida sombra de seu passado. A sede da fazenda, uma grande mansão de dois andares, se situa em cima de uma colina de topo plano, de onde se pode observar facilmente os arredores. Ao seu redor se situam outras pequenas construções, como um celeiro, um estábulo (reduzido atualmente a uma pilha de escombros enegrecidos pelo fogo) e, nos fundos, um pequeno cemitério onde os antepassados da família estão enterrados. As construções ainda de pé estão velhas e há anos precisando de reparos. Telhas faltam nos

sua mente começou a trabalhar em um plano para lograr tal feito. Seu principal empecilho era

o

leal mestre de armas, pois sua vigilante

proteção (ou posterior vingança) poderia acabar com seu sonho de glória. Em uma prova de astúcia cruel, simulou um incêndio no estábulo

da

casa, atraindo criados e Sir Vogen para salva-

lo

das chamas. Acabou por tranca-los la dentro e

telhados, tábuas estão soltas nas paredes e cupins

assistiu impassível suas mortes pelo fogo, o cavaleiro ainda gritando inocentemente o seu nome, procurando-o nas chamas. Os pais suspeitaram que algo estava errado, mas suas índoles não podiam supor

tamanha maldade. Dois dias depois, Eric dopou

e

aranhas infestam a madeira. O interior está

coberto por uma grossa camada de pó que entra sem barreira pelos vidros quebrados, e existe uma atmosfera de bagunça geral, como se o lugar tivesse sido abandonado as preças e em pânico. Cemitério: Qualquer um que cruzar a

o

jantar do casal e usou sua fina espada para

pequena cerca de ferro enferrujado que contorna

cortar suas gargantas. Ofereceu seus sangues em

o

lugar lentamente começará a escutar fracos

uma taça ao vampiro, que cumpriu sua promessa. Eric tem sido o senhor da Mansão Blacksteed desde então, acompanhado por seu

sons de lamentos, vozes e gritos a distância, que vão progressivamente aumentando até que diversas figuras translúcidas apareçam entre as lápides. São os antepassados dos Blacksteed, trazidos de volta pela aura corruptora do vampiro. Eles ignoram os visitantes, mas nem sempre isso é perceptível em um primeiro momento. Sugestões de cenas incluem:

fiel mestre de armas, condenado por magia negra

seguir eternamente o responsável por sua morte.

a

 

A MANSÃO

A propriedade dos Blacksteed já foi uma próspera fazenda, mas as décadas de abandono a

 

Dois

espadachins

em

um

duelo

 

interminável.

 

Um cavaleiro que faz uma carga com sua lança, galopando sem sair do lugar

Uma mulher que olha longamente uma navalha, com grandes cortes em ambos os pulsos

Vários fantasmas sendo desfigurados lentamente por algum tipo de fogo ou ácido invisível, com gritos silenciosos de dor em suas gargantas.

A mansão em si foi outrora luxuosa, e isso é facilmente percebido. Candelabros e cortinas caros, móveis finamente talhados, cômodos espaçosos e muitas vezes redundantes demonstram a falta de preocupação com os gastos do construtor. Três aposentos são de particular interesse para a aventura:

Salão de entrada: tem suficiente espaço para abrigar um pequeno baile, e é onde se pode encontrar dois grandes retratos adornando as paredes: um do casal Donovan e Zora Blacksteed e seu filho Eric entre eles, e outro, um pouco menor, de Donovan e Vogen lado a lado trajando armaduras de batalha. Ambos possuem legendas identificando os personagens retratados. Biblioteca: entre as pilhas de volumes mofados e poeirentos é possível encontrar o diário pessoal de Donovan, bem como livros com a árvore genealógica da família Blacksteed e a história do clã. Sotão: este é o local de vigília de Sir

Vogen Ravencliff. Ele passa as horas de sua triste existência contemplando as terras ao redor pela janela, e só se moverá se alguem entrar na casa ou se requisitado por Eric, o que raramente acontece. Quando se move, é possível ouvir o tilintar de sua armadura ecoando no silêncio da mansão, bem como um forte cheiro de queimado. As vezes, a noite, o brilho de seu crânio pode ser visto ao longe, facilmente confundido com uma tocha ou lamparina.

O JOVEM SENHOR

Eric vive sua não vida na mansão, com exceção de ocasionais passeios noturnos para “alimentação”. Suas habilidades de vampiro lhe permitem viajar grandes distâncias em pouco tempo, logo o relativo isolamento de seu lar não é grande impedimento. Não obstante, costuma se entediar com facilidade, de modo que tem chamado mais atenção do que deveria nessas saídas.

O “jovem”morto vivo (na verdade já com várias décadas de vida) possui um constituição magra mas bonita, embora seu modo de se mover demonstre certa fragilidade (completamente falsa). Aparenta ser um rapaz de uns quinze anos, loiro, de pele branca e pálida e com olhos de um peculiar azul marinho, ressaltados pelas vestes de mesma cor que costuma usar. Tem um personalidade petulante e convencida, capaz de atos de grande atrocidade

para satisfazer o menor dos caprichos. Se Eric ainda mantém contato com seu senhor vampiro, é algo que o mestre deverá decidir. O fato é que tem tido relativa liberdade para agir nos últimos anos, como se aguarda-se a algum chamado especial. Caso seu lar seja invadido, estudará calmamente os invasores antes de se revelar. Fará um jogo de gato e rato, atacando e assustando antes de finalizar com suas presas. Porém, se irrita com facilidade, e ao primeiro ferimento ou “falta de respeito” dos visitantes convocará Sir Vogen para acabarem juntos com eles, possivelmente golpeando por trás enquanto estão distraídos com o cavaleiro amaldiçoado.

O MESTRE DE ARMAS

A força da magia negra do mestre de Eric amaldiçoou o leal guardião da família, tão cruelmente enganado e assassinado pelo rapaz que jurou proteger. Erguido como um morto vivo, aparenta ser um humanóide totalmente desfigurado pelo fogo, com pele negra e músculos corroídos ao ponto de exibir partes enegrecidas de ossos em alguns lugares. Sua cabeça é um crânio completamente envolto em chamas, uma visão capaz de inspirar o medo no mais bravo coração. Eric o força a se manter eternamente em guarda, trajando sua elegante armadura e sua espada, ambas velhas mais ainda muito

funcionais. Tais peças não estavam com ele durante o incêndio, mas apresentam áreas enegrecidas pelo fogo, devido a habilidade do cavaleiro de se cobrir de chamas durante o combate. Embora pareça um autômato, o espírito de Sir Vogen vive em tormento eterno, se culpando por não ter sido capaz de impedir o destino terrível dos Blacksteed. Só com a destruição de Eric ele poderá encontrar o descanso, fato que ironicamente está forçado a impedir a qualquer custo

GANCHOS DE AVENTURA

1- Em uma vila próspera mas um pouco isolada, a filha adolescente de um influente mercador tem relatado pesadelos estranhos, onde um rapaz loiro vestido de azul passa as noites lhe observando pela janela. Os pais estão preocupados, mas atribuem o fato ao nervosismo devido ao falecimento de seu ex-futuro noivo, misteriosamente encontrado morto em um beco local.

2- O historiador chefe do governante local foi incumbido de traçar a genealogia de um nobre, que reivindica a posse de determinadas terras. Aparentemente, elas pertenciam no passado a uma família já a muito decaída, de nome Blacksteed. O historiador paga bem para um simples serviço de escolta até as ruínas da

antiga mansão da família, onde pretende encontrar informações que confirmem ou não a pretensão de posse do nobre.

3- Os personagens são contratados para perseguir um bando de ladrões, que roubaram uma caravana levando uma enorme soma de dinheiro. Ao rastrear seus cavalos, se deparam com uma velha mansão em ruínas, com uma única luz brilhando em seu topo. Aparentemente, o esconderijo perfeito

4- Uma lenda da região diz que a velha mansão abriga o fantasma de um um lindo rapaz trajado de azul, que morreu tragicamente em um incêndio há muito tempo. Dizem que o fantasma esta condenado a acender uma vela todas as noites para seus parentes mortos, até que alguém encontre e abençoe os seus restos para que possa descansar em paz.

os seus restos para que possa descansar em paz. Autor: Heitor Fernandes atavernaclube.wordpress.com www.ataverna.vai.la