Sei sulla pagina 1di 1

A BOCA MINHA

SENHOR como diz muita gente: a boca minha. Para justificar a sua incontinncia verba. O
seu des!udor de inguagem.
Eu" !orm" n#o direi assim. $irei antes %ue" se a boca minha" mais tua do %ue minha" !or%ue a
fizeste:
&'uem fez a boca do homem( N#o sou eu" o Senhor() *+,odo -:../.
E n#o s0 !or%ue fizeste" mas !or%ue desejo %ue ea seja tua e n#o minha.
E !ara %ue ea seja tua" ouve1me" nesta !rece. 2omo %uero eu %ue ea seja !ara %ue seja digna de
ti(
'uero %ue ea n#o seja muda %uando for !ara faar.
Nem tartamuda %uando he custar a dizer a%uio %ue for !reciso. 'uero1a eo%3ente e comunicativa
!ara enri%uecera vida dos meus semehantes com o %ue hes !uder dar dos meus
conhecimentos e da minha e,!erincia. 4as" ao mesmo tem!o" %uero" Senhor" %ue ea seja
muda %uando for !ara caar.
N#o diz a tua Paavra %ue h5 tem!o de caar( *Ecesiastes 6:7/.
'ue eu nunca fae !or faar. 8ntem!estivamente. 9evianamente.
'uero %ue a minha boca n#o seja abareda. : abareda %ue %ueima" %ue incendeia" %ue destr0i.
Pondo fogo nas searas aheias.
4as !or outro ado" Senhor" %uero %ue ea seja uma chama %ue a%ue;a e iumine as vidas %ue
!recisam de caor e de uz.
'uero %ue da minha boca es!remas todo veneno. N#o %uero ter uma <ngua de of<dio. =i!erina. 'ue
esconda uma c5!sua de !e;onha. 'ue viva de !icar" !ara destruir a re!uta;#o de agum. 9ivra1me"
Senhor" da maedicncia.
N#o %uero %ue a minha boca seja um se!ucro aberto e,!ondo ossada e corru!;#o. Ou imunda
chaga. 'uero boca im!a. :sseada. 2auterizada !ea brasa viva do teu atar. 'ue n#o seja um cano de
esgoto !ondo !ara fora obscenidades" !ornografia ou %ua%uer outra matria feca.
N#o %uero" Senhor" %ue a minha boca seja uma es!ada" se%uer uma navaha" !ronta !ara ferir. :o
contr5rio: %ue ea seja azeite !ara !ensar feridas e me !ara ado;ar amarguras.
Senhor" ivra1me de ser boca do inferno como se tornou conhecido um dos nossos !rimeiros !oetas"
%ue s0 fazia dizer s5tiras a !ro!0sito de tudo" sem res!eitar a ningum.
'uero antes %ue ea seja boca de ouro" como a tinha 2ris0stomo" teu servo !regador"
cujo nome %uer dizer isso mesmo.
Senhor d51me boca %ue ensine" %ue aconseho" %ue !erdoe" %ue cante" %ue aben;oe" %ue
!regue" %ue ore. Sim %ue ore: ouvando" agradecendo" confessando" intercedendo.
> o %ue te !e;o" Senhor !ara %ue a minha boca n#o seja minha" mas tua. Em nome de
?esus. :mm
Extrado do livro Ao Por do Sol Pr. Rubens Lopes