Sei sulla pagina 1di 7

FOTOJORNALISMO: PAUTA, REPORTAGEM, EDIÇÃO

Profª Déborah Rodrigues Borges

FOTOJORNALISMO: PAUTA, REPORTAGEM, EDIÇÃO Profª Déborah Rodrigues Borges

PAUTA

“A pauta é o roteiro dos fatos que devem ser dados pela reportagem, e que apresentam um resumo do assunto e a indicação e sugestão de como o tema

deve ser tratado”. (Ivan Lima, Fotojornalismo Brasileiro: Realidade e

Linguagem)

As pautas podem ser:

Factuais - é a pauta que é concebida de fatos recentes (acontecidos, que estão

acontecendo ou que irão acontecer, tudo num espaço de tempo curto como um dia ou no máximo uma semana). É importante observar que noção de tempo

depende da periodicidade do veículo. Para a audiência, a noção de tempo em

relação aos fatos que serão a origem da informação jornalística é fundamental.

A pauta factual tem como objetivo a produção de notícia.

Não-Factual - é aquela concebida de fatos que a reunião de pauta decide que

podem render matérias jornalísticas, independente de serem fatos recentes ou

jornalísticas, independente de serem fatos recentes ou não. A pauta não-factual tem como objetivo a produção

não. A pauta não-factual tem como objetivo a produção da informação jornalística na forma de reportagem.

Atualmente, os veículos de informação, tanto diários quanto semanais, utilizam muitas fotografias de bancos de imagens e agências. Neste caso, a fotografia acaba cumprindo muito mais uma função ilustrativa do que informativa na matéria.

e agências. Neste caso, a fotografia acaba cumprindo muito mais uma função ilustrativa do que informativa

Aspectos a serem considerados na elaboração da pauta:

Como

este

assunto

imageticamente?

pode

ser

mostrado

Que tipo de fotografia pode expressar o que se pretende com essa matéria?

Que tipo de equipamento é necessário para a execução das fotografias planejadas?

É

necessário

algum

tipo

de

autorização

ou

agendamento

prévio

para

a

execução

das

fotografias?

 
fotografias?  

REPORTAGEM

“A reportagem é um acontecimento dinâmico, do qual o fotógrafo tem que extrair uma imagem que exprima o momento visual significativo daquele

acontecimento. Tudo tem que estar no mesmo quadro: os personagens e as

suas relações com o espaço e com a circunstância”.

( )

“No fotojornalismo a função do fotógrafo é captar o acontecimento da forma

como ele se desenvolve sem jamais interferir nele; deve estar atento para o desenrolar dos fatos e não se preparar para algo, prevendo o que vai ocorrer

(Ivan Lima, Fotojornalismo Brasileiro: Realidade e Linguagem).

e não se preparar para algo, prevendo o que vai ocorrer (Ivan Lima, Fotojornalismo Brasileiro: Realidade

O COMPORTAMENTO DO REPÓRTER

FOTOGRÁFICO

Permanecer no local;

Estar atento;

Ser discreto (usar roupas neutras, evitar falar com os envolvidos);

Não despertar a atenção dos envolvidos no fato para a presença da câmera

(evitar o uso do flash);

Saber se posicionar;

Fazer várias fotografias;

Desenvolver a sensibilidade para se antecipar ao “momento decisivo”.

posicionar;  Fazer várias fotografias;  Desenvolver a sensibilidade para se antecipar ao “momento decisivo”.

EDIÇÃO

“A edição é feita em função do material de que dispõe o jornal. Tem notícia

que só pode ser editada por escrito, pois a foto não foi possível ou não era

visualmente notícia. Outras, ao contrário, exigem uma visualização, pois o texto não é suficiente, pela sua própria importância. Algumas fotografias vão

para a primeira página, ampliadas; e outras para as páginas internas,

pequenas. Existe uma enorme quantidade de casos e decisões tomadas pelos

donos do jornal e realizadas pelos editores, gráficos e paginadores que vão

chegar no dia seguinte nas mãos do leitor”.

“O critério da edição é escolhido em função da força icônica que a fotografia

possuir, associada à importância da notícia. A beleza é um fator fundamental de atração”.

Ivan Lima, Fotojornalismo Brasileiro: Realidade e Linguagem.

A beleza é um fator fundamental de atração” . Ivan Lima, Fotojornalismo Brasileiro: Realidade e Linguagem