Sei sulla pagina 1di 142

Gasparetto e Você

Luiz Antônio Gasparetto

Conteúdo

Enfrente a vida sem medo

4

Escolha o meio-termo

5

Dê liberdade a quem você ama

6

Tire o ciúme da sua vida

7

Dê um alimento para sua alma

8

Os segredos do seu coração

9

Saia em busca de si mesma

10

Encare a vida com leveza

11

Seja como uma pipoca!

12

Tudo muda num minuto

13

Pílulas da sabedoria

14

Conquiste sua paz espiritual

15

Fique ligada em você mesma!

16

Veja o lado bom da vida

17

Ouvir um não pode fazer bem

18

Olhe nos olhos do seu parceiro

19

O

segredo do universo masculino

20

Meditar é preciso

21

Deu vontade? Faça. E renove-se!

22

O

verdadeiro sentido da família

23

Fortaleça seu espírito e ganhe saúde

24

Com serenidade, o mundo fica melhor

25

Amar é subir em um carrossel!

26

Faça as pazes com sua mãe e viva feliz!

27

Abra os olhos para as forças invisíveis!

28

A

cura pelo pensamento

29

Um momento de paz, por favor!

30

O

equilíbrio está no seu centro

31

Aprenda como superar a solidão

32

Repita sempre: “Eu sou mais eu!”

33

Purificar é se realizar

34

Em busca da realização

35

É

hora de encarar a depressão

36

Dependa apenas de si mesma

37

Feliz sem sofrimento

38

De bem com você mesma

39

Abaixo a culpa!

40

Deixe que pensem, que digam

41

Tome coragem. Conquiste o mundo!

42

Prosperidade profissional

43

Fuja do modelo ideal

45

Vença o baixo-astral

46

O

destino está nas suas mãos

47

Desenvolva a maturidade

48

Domine a vaidade

49

Faça uma limpeza no seu interior!

50

É

errando que a gente aprende

51

Bateu um certo desespero? Calma!

52

Deixe suas culpas todas para trás

53

Eu quero, eu posso, eu me transformo

54

Celebre o Natal consigo mesma

55

Receba 2009 de braços abertos

56

Sintonize-se com o novo ano!

57

Dê adeus ao que já passou

58

Escute a voz do seu coração

59

Para ser feliz, cultive a ternura

60

Raízes profundas aumentam sua força

61

Faça o seu próprio destino

62

Cada um tem a sua missão

63

Deus fez você e jogou a forma fora!

64

Torne-se a luz do seu universo

65

Um programa para a sua vida

66

Desperte seu sexto sentido

67

O

que é preciso para ser feliz?

68

Refresque seus pensamentos

 

69

Como ser feliz na vida a dois?

70

Arrume tempo para si mesma!

71

Aceite o outro como ele é

72

Perca o medo e seja feliz!

73

O

feng shui cura sua alma

74

Acima de tudo, goste de si mesma!

 

75

Faça brilhar sua luz interior!

76

Brinque com sua voz interior

77

Mantenha sua família unida

78

Tenha amor por seu trabalho

79

Ajude o outro sem se desgastar!

80

Encontre hoje sua felicidade!

81

Deixe que digam, que pensem

82

Para ser sempre jovem

83

Durma com os anjinhos

84

"Eu sei que sou bonita e gostosa

"

85

Confie em você e viva melhor!

86

O

poder está dentro de você

87

Cultive o amor verdadeiro

 

88

Solte o passado e viva feliz!

89

Liberte-se do que já passou!

90

Defenda seu espaço com amor!

91

Busque a paz e seja vencedora!

92

O

corpo reflete a sua alma

93

Seja bela como as crianças

 

94

Crie coragem e mude sua vida

95

O

segredo da juventude eterna

96

Ame a si mesma como aos outros

 

97

Livre-se dos pensamentos ruins

98

Fique em paz com o dinheiro

99

Vença todos os seus obstáculos

100

Seja sempre a sua melhor amiga

101

Seja sua eterna companheira

102

Pare um pouco pra descansar

103

Use sua energia para ser feliz!

104

Alimente a vida com boas energias

105

Todos nós somos especiais. Acredite!

106

Cultive sempre o seu melhor

107

Incorpore a paz na sua vida!

108

Perca o medo de sentir prazer!

109

Aprenda a lidar com as perdas

110

Dê mais calma ao seu coração

111

Aprenda a ser sua maior torcida

112

Pense positivo

113

Coloque a alegria em prática

114

Exercite sua paz interior

115

Respeite sua vontade e viva feliz!

116

Não se acomode com a depressão

117

Lute para vencer o baixo-astral

118

Aceite sua vida e permita-se ser feliz!

119

Com calma, tudo se resolve!

120

Felicidade é sentir-se em paz!

121

Faça do hoje um novo amanhã

122

O que é preciso para você ser feliz?

123

Entre em contato com sua alma

124

Dê fim à obsessão

125

Ser feliz é fácil. Você consegue!

126

Não se esqueça: você é brilhante!

127

Descubra o seu sétimo sentido…

128

Aprenda a errar e será fácil acertar!

129

Ser diferente não é problema!

130

Não tenha medo das críticas

131

Jogue toda essa vergonha fora!

132

Abra-se para uma nova era

133

Você sabe ouvir um não?

134

Dê seu afeto e o mundo retribuirá…

135

Não permita que roubem sua energia

136

Proteja-se das energias ruins

137

Liberte-se das preocupações

138

Ame a si mesma como aos outros…

139

Compreenda o universo masculino

140

Conviva melhor com seu parceiro

141

Luiz Gasparetto

Enfrente a vida sem medo

Encarar novas experiências é o melhor modo de você descobrir o quanto é especial

Nesta semana, quero fazer um trabalho de relaxamento para eliminar qualquer tipo de ansiedade que esteja comprometendo sua paz interior. Afinal, 2008 está terminando — você deve andar preocupada com o acúmulo de tarefas. Talvez você esteja também apreensiva para finalizar os planos que traçou no início do ano. Mas essa sensação pode, sem querer, comprometer o tão desejado sucesso.

Você também anda sofrendo desse mal? Então, vamos lá: a primeira dica para vencer a ansiedade é não fugir para o amanhã. Quando você vive o presente dando o melhor de si, garante um futuro

brilhante. Deixe as fantasias de lado e se proponha a viver o aqui-e-agora. Eu costumo dizer: “Não

quero ficar pensando no que vai acontecer presente”.

Um argumento que eu costumo usar para que as pessoas consigam se segurar no presente é o seguinte: “Olha, se você continuar ansiosa, com a mente exaltada, descontrolada e irresponsável, pode estragar também a situação que está por vir. Lembre-se: amanhã você colhe o que plantou hoje. Então, relaxe”.

Talvez o medo surja na sua cabeça com aquelas historinhas: se você fizer isso ou aquilo, o resultado poderá ser sombrio. Se essa aflição tomar conta de você, negue-a com firmeza. Repita dentro de si:

“Não tomo atitudes pelo medo. Eu só ajo pela boa-vontade. Deixo as coisas caminharem e acontecerem no melhor, no momento que deve ser. Fico sempre no presente”.

O próximo passo é se concentrar em você. Diga em pensamento: “Sou especial. Neste instante, eu me ponho onde a natureza me colocou — na pureza,na beleza, na perfeição. Reconheço-me como uma pessoa que expressa originalidade. Sou preciosa porque sou única. Sinto-me especial porque a natureza nos fez especiais. E eu reforço: sou diferente, única, e sou um verdadeiro exemplo de sucesso. E tem mais: eu posso tudo. As coisas só se tornam ruins quando a gente crê nisso. As dificuldades passam a existir quando acreditamos nelas. Eu não sou incompetente. Sou o princípio da vida criando e recriando o tempo infinito”.

E então, conseguiu se sentir “o ser especial”? Pois eu lhe digo que,quando você se sentir assim, começará a perceber que tem condições para manifestar as forças divinas do Universo. Isso não é vaidade, não é orgulho. É, sim, o reconhecimento da verdade maior. É bom reconhecer a obra da natureza em nós. Essa é a melhor possibilidade de você encontrar-se consigo mesma.Um universo totalmente novo se abre para você.

Por fim, abençoe seu corpo, sua mente, seus sentimentos, sua jornada. Tire do seu corpo as experiências negativas que você criou para si mesma. Renove-se! Abra espaço para sua diferença e sua originalidade. Conquiste a coragem de não se submeter àquilo que esperam de você. Não seja simplesmente alguém “normal”: abrace sua verdade interior acima de todas as outras. Assim, você atrai para sua vida emocional e física as coisas que realmente têm a ver com você.Tudo pode ser transformado. Tudo será transformado pela sua vivência. E tenha a certeza: será para melhor!

o que tiver de ser será. Relaxo — e me entrego ao

4

Luiz Gasparetto

Escolha o meio-termo

Altos e baixos atingem todas as pessoas. Mas é possível encontrar o equilíbrio quando você decide se aceitar exatamente como é

Atire a primeira pedra quem nunca sofreu com variações de ânimo e humor. Pois é

comuns e afetam quase todas as pessoas. A boa notícia é que dá pra atingir um meio-termo, uma situação gostosa e confortável. Essa conquista depende somente de você. O que nos leva aos baixos são os nossos próprios pensamentos, você sabia? Se eles são levados a sério, se materializam em

atitudes e crenças, e causam sensações desagradáveis. Em outras palavras: as variações de humor têm

a ver com a maneira como vemos a vida.

Pense, por exemplo, na atitude que você nutre em relação a si mesma. O que mais deprime você é a autocondenação. Você ignora suas vontades e sentimentos, e abre mão da própria natureza para seguir um modelo que a sociedade estabeleceu. Assim, você se sabota e se torna uma pessoa infeliz.

altos e baixos são

Não, não e não! É hora de ir contra tudo isso. De uma vez por todas, fique do seu lado. O importante é

o que você sente, e não o “certo” que o sistema insiste em nos impor. Comece — agora — a dizer a si mesma como você é boa. Observe suas conquistas e reconheça que você merece parabéns. Cultive

a auto-aceitação. Jogue fora aquele eterno “eu deveria” e tenha a certeza de que não há nada de

errado em você. Só de fazer isso você irá se levantar na hora. É impressionante como esses atos nos livram dos pensamentos negativos.

Já os momentos de ânimo devem ser vistos com cuidado — alguns deles costumam ser falsos. Pode reparar: eles vêm logo depois dos baixos, em forma de euforia. Por exemplo: aquela pessoa que usa o cartão de crédito loucamente, achando que irá resolver todas as mágoas. Depois ela se arrepende, é claro. E o pior: fica novamente deprimida. O que eu quero que você entenda, leitora, é que precisamos adotar uma posição central, sempre! Como conseguir isso? Tente não querer ser mais. Assuma seus erros com leveza. Ria de si. Seja sua grande amiga. Diga em alto e bom som:

“Não quero ser a mais perfeita, a bacaninha. Quero ficar numa boa comigo. Não vou mais carregar o mundo. Livro-me do que os outros esperam de mim. Tiro o papel de maravilhosa. Jogo fora! Vou

ficando num ponto tranqüilo dentro de mim — calma, lúcida

com cuidado. Olho bem as coisas para ver como elas realmente são. Depois dessa análise é que tomo

uma atitude”.

Agora, observo tudo com moderação,

5

E então, encontrou a chave do equilíbrio? É isso: preocupe-se apenas com a sua sensação. Se você

adotar o “me encontrei, me senti”, alcançará a harmonia que tanto busca. Purifique-se! Isso significa

estar consciente, calma e com boa-vontade em relação a você e a tudo que faz bem à sua alma. Livre- se da vontade de ficar mal.

É

preciso enxergar bem os prejuízos para ter a certeza de que algo é ruim. Assim também ocorre com

o

que causa bem-estar e nos traz benefícios. Tudo pode ser importante: depende do momento.

Nenhum comportamento é inteiramente mal ou bom. O importante é saber diferenciar, ter moderação. Coloque-se em paz com o universo e com a vida. Queira bem a si mesma em todas as situações e entenda que cada situação tem a própria hora de acontecer. Respeitar o fluxo da vida é a única maneira de alcançar o equilíbrio.

Luiz Gasparetto

Dê liberdade a quem você ama

Seres humanos são como pássaros: precisam de liberdade! Então, livre-se do sentimento de posse e aprenda a amar sem esperar nada em troca

Eu entendo que é difícil lidar com a partida de uma pessoa querida. Dói encarar uma relação desfeita ou a separação de um filho. De repente, sem que a gente queira,algo acontece e uma pessoa se afasta. E nós não aceitamos, porque sustentamos a ilusão de que aquela fonte de afeto é nossa, e que aquilo ficará ali para sempre. Mas a vida leva essa pessoa embora,sinalizando que essa pessoa não é sua. Você percebe, aliás, que ela nunca lhe pertenceu.

Agora eu pergunto: será que a vida não está mostrando que chegou a hora de você ser sua própria fonte? Sem querer, nós nos agarramos a terceiros.Vamos largar esse sentimento de posse! Se você souber amar, se dando e não esperando nada em troca, será mais feliz.Quando não existe apego, você fica livre para amar quem quiser, com a intensidade que puder, e sem ter medo do sofrimento, da perda e ou das mudanças que podem acontecer.

Quando amamos com grandeza, não sofremos. E sabemos que o amor é só nosso. Você não tem um filho: só tem o amor por ele. Ninguém tem marido ou esposa — apenas se tem amor por eles. Só assim podemos usufruir desses sentimentos com segurança. Porque as características e necessidades dessas pessoas são únicas e podem mudar. Chega uma hora em que a vida e as reclamações interiores são mais fortes, e o destino acaba mudando.

Infelizmente, a vida nem sempre muda para o lado que a gente quer. Mas um fato é certo: ela muda sempre para melhor. Pena que a gente só descobre isso depois de muito tempo. Então, não deixe seu coração se acanhar e ficar pequeno.Encare a realidade, porque a vida tem um fluxo, e nós precisamos saber acompanhá-lo. Se negamos essa inteligência, nos enchemos de raiva, ódio e inconformismo. Nos tornamos pessoas desagradáveis, tristes e lastimosas.

Tudo na vida anda em ciclos: nós começamos, nos envolvemos e terminamos. E terminar é o começo de outro ciclo — porque nada pára, tudo se transforma. Esteja aberta e encha-se de boas vibrações. Se você puder aceitar isso, vai se sentir muito melhor! Agora,procure um local tranqüilo e mentalize o trecho abaixo. Esse exercício vai ajudar você a lidar com essas situações.

“Eu tenho o bem, e ele me influencia,me hipnotiza, me envolve. O bem me inspira os bons sentimentos, a compreensão de fatos que eu não entendia.Tenho, dentro de mim, o empenho de acertar. Tenho desapego. Agradeço a oportunidade desta vida, deste momento. A vida me dá a lucidez para perceber o que meu espírito quer. Quero desenvolver comigo uma relação forte e boa. Quero ter autoconfiança. Quero me dar força para continuar,para ser quem sou. Eu quero estar firme comigo. E sei que, a partir de então, tudo dará certo. Eu preciso me entrosar com meu espírito, porque ele me tem, me banca e me bancará.

Quero dizer que estou aberta para ver o que preciso ver. Sei que, para enxergar a verdade, tenho de ser corajosa. Não quero dar trabalho a mim. Não quero escolher o caminho mais difícil. Quero trabalhar o bem e fruir o prazer da vida. Sou da paz, da cooperação. Porque isso é uma opção. E é nesse clima que eu quero ficar, porque essa é a minha atitude.”

6

Luiz Gasparetto

Tire o ciúme da sua vida

Esse sentimento ruim é um sinal de baixa auto-estima. Aprenda a combatê- lo e pare de sabotar a sua própria felicidade

Faça isso já, porque estamos diante de uma terrível armadilha. O ciúme nada mais é do que um sentimento nocivo que acaba não só com os relacionamentos, mas com a vida de muita gente. Ele leva à dor e à desilusão, comprometendo principalmente nossa vontade de viver.

Nossa, gente, como a ciumenta sofre! E sofre porque ciúme é um sinal de que a auto-estima não anda muito bem. A pessoa passa a exigir muito do parceiro, fica viciada no outro. Quanto mais ela exige, menos auto-estima tem. É um círculo vicioso. Não, não podemos nos deixar levar por esse sentimento. Mas você deve estar se perguntando: “Como controlar algo que vem de dentro?”, “Como neutralizá-lo logo que ele aparecer?”.

Vamos fazer um trabalho de auto-suficiência. Isso significa que você precisa, acima de tudo, se bastar. Quero que você compreenda que, para ser feliz no amor, primeiro precisa estar bem consigo mesma. Não se submeta à estima e ao apoio do outro. Lembre-se: aquilo que você procura no parceiro não vai estar nele. Antes, você precisa se tornar uma pessoa bacana para si mesma. Quando você começar a cultivar suas próprias virtudes, conseguirá estar plena afetivamente. Valorize-se, assuma-se. Isso surpreenderá você. Naturalmente você criará uma atmosfera em volta de si e atrairá pessoas do bem.

É, minha gente, a salvação do ser humano está em parar de querer o que é do outro. Há mulheres que vivem afirmando que são carentes. Ora, isso é vergonhoso! Carência não significa que você precisa receber, mas que você deve dar — dar a si mesma, preencher-se com o próprio eu. Volto a dizer: nada é mais importante que sua aprovação, seu amor e seus sentimentos.

Talvez você tenha entendido como funciona esse processo emocional, mas ainda não esteja segura de que conseguirá incorporá-lo à prática. Certo? Então, vamos lá: assim que o ciúme começar a dar o ar da graça, recolha-se, feche os olhos, respire fundo, solte todas as tensões e livre-se das preocupações. Preparada? Faça agora, bem calmamente, a seguinte mentalização:

“Sou completa, despreocupada e espontânea. Só atraio coisas boas. As forças espirituais agem a meu favor porque me respeito, porque me coloco sempre em primeiro lugar. Eu jogo fora velhas idéias e assumo atitudes positivas novas, porque quero sempre o meu melhor.”

Devagar, imagine agora uma luz no seu peito, uma luz quente e confortável que vai crescendo e se abrindo. À medida que o brilho cresce, você muda de lugar e se vê numa praia. Uma música vem do ar, como se seres invisíveis tocassem pra você. Isso lhe dá conforto, uma sensação de paz e de tranqüilidade. Sua cabeça se esvazia de pensamentos. Você se entrega à vida, deixando que ela leve você pelo próprio fluxo.

Diga em pensamento: “Eu sou livre para escolher. E escolho ser feliz, porque estou bem, porque sou o bem. Neutralizo todo e qualquer sentimento que ameace minha alegria. Eu sou responsável pelo meu próprio bem-estar. A partir de agora, vou alimentar apenas emoções que me tragam leveza e que me conduzam à verdadeira realização. Faço minha parte e, assim, contribuo para a minha evolução”.

7

“Há mulheres que vivem afirmando que são carentes. Ora, isso é vergonhoso! Carência não significa que você precisa receber, mas que deve dar — dar a si mesma, preencher-se com o próprio eu.”

Luiz Gasparetto

Dê um alimento para sua alma

Aproveite todo o espaço que a sua geladeira oferece e forre-a com conselhos maravilhosos para a sua alma

Há algumas semanas, li o artigo de uma jornalista que defendia o poder de comunicação das geladeiras. Ela dizia que essa “tela branca”, por ser uma parada obrigatória para saciar fomes e sedes diversas, é o lugar ideal para avisos, lembretes e - por que não? - inspirações.

Ela extraiu alguns ensinamentos do site do Templo Zu Lai (www.templozulai.org.br), do Monastério Fo Guang Shan. Com isso, ela quis mostrar às pessoas os benefícios de consumir, todos os dias, alguns conselhos simples, práticos e cheios de sabedoria. Eu assino embaixo e reproduzo, a seguir, parte da lista.

Sugiro a você que também monte a sua, com as frases que mais têm a ver com a sua vida. Desse modo, você irá garantir um bom alimento diário para sua alma.

• Descubra seu maior defeito e disponha-se a corrigi-lo.

• Aprenda a se adaptar à pressão externa e não se deixe afetar por ela.

• Seja ativa e destemida. Sempre pense antes de agir.

• Ser corajoso e virtuoso é ter a capacidade de admitir os próprios erros.

• Aprenda a aceitar perdas, falsas acusações, contratempos e humilhações.

• A cada quatro ou cinco anos, faça uma viagem sozinha.

• Não bata de frente com as coisas. Aprenda a arte de ser sutil.

• Não há êxito sem persistência, diligência e determinação.

• Tenha autoconfiança, expectativas em relação a si mesma e metas.

• Não desperdice o seu tempo. Faça planos e use o tempo com sabedoria.

• Seja sempre sensata, pois a sensatez é imparcial e igual para com todos.

• Lembre-se dos erros cometidos. Tenha-os em mente e não os repita.

• Seja qual for a sua função, desempenhe-a bem. Não olhe para os lados.

• Lute por seus objetivos.

• Faça tudo com boa intenção, verdade, sinceridade e beleza.

• Não se apegue demais ao passado. Olhe sempre para a frente.

• Desenvolva a compreensão correta das coisas. Não se deixe levar cegamente pelo que os outros dizem.

• Não faça intrigas nem espalhe rumores. Não se deixe influenciar.

• Aprenda a desenvolver sua mente, reformar seu caráter, recuar e dar guinadas na vida.

• Não culpe os céus nem os outros por sua infelicidade. Tudo tem sua causa e seu efeito.

• Pense no bom e no belo ao invés de pensar no que é triste e penoso para você.

• Leia dois livros por mês.

• Cultive hábitos regulares de sono e alimentação.

• Pratique exercícios físicos.

• Faça meditação por, pelo menos, dez minutos todos os dias.

• Passe pelo menos metade de um dia sozinha, uma vez por semana.

• Aprecie a sua vida, cuide dela e não a maltrate jamais.

• Demonstre coerência entre atitude e pensamento. Não seja iluminado na teoria e ignorante na prática.

• Não fique pedindo ajuda aos outros. Busque ajuda dentro de si mesma.

• Cultivar bons hábitos é a melhor maneira de manter uma vida saudável.

• A mente otimista é contemplada com um futuro brilhante.

8

Luiz Gasparetto

Os segredos do seu coração

Para encontrar o grande amor da sua vida você precisa, em primeiro lugar, aprender a ficar de bem consigo mesma

Toda mulher deseja realizar-se nos assuntos do coração. Boa parcela do universo feminino coloca tal busca em primeiro plano, como se isso fosse realmente a coisa mais importante da vida. Sim, é claro que todo mundo quer ter alguém especial juntinho de si, com quem seja possível passar bons momentos e compartilhar as experiências vividas. Mas o que muitas não sabem - e nem imaginam - é que, para ser realmente feliz no amor, é preciso, em primeiro lugar, estar bem consigo mesma.

Eu canso de ouvir, aqui e acolá, a seguinte frase: Se você me amar, eu serei uma mulher completamente feliz. Socorro! Leitora, não caia de maneira alguma nessa armadilha! Jamais se submeta à aprovação, à estima, ao apoio de outra pessoa. Procure, acima de tudo, bastar-se. E digo mais: aquilo que você procura no outro, aquela figura maravilhosa que existe na sua imaginação, você não vai encontrar - não antes de você se tornar essa pessoa para si mesma. Quando começar a cultivar as suas próprias virtudes (aquilo que gostaria que fizessem com você), aí sim você conseguirá se sentir satisfeita no plano afetivo.

Além disso, você precisa aprender a lidar com o ciúme, aquela emoção horrorosa que costuma acometer e desequilibrar o relacionamento e a felicidade de muitas mulheres. Nossa, como a ciumenta sofre, não é mesmo? E sofre porque ciúme é sinônimo de baixa auto-estima, de não- valorização. A pessoa passa a exigir demais do parceiro e fica completamente viciada nele. E quanto mais ela exige, menos amor-próprio possui. Isso acaba virando um ciclo vicioso. Ciúme não tem nada a ver com amor, viu? Ele inclusive pode levar à insanidade, à loucura. A garota, por exemplo, quer toda a atenção para si. Isso pode acabar se transformando numa verdadeira tragédia grega.

Será que você faz parte daquele time de mulheres que sofrem com a solidão? Você acha que sua solidão é resultado da falta de outra pessoa na sua vida? Pois eu lhe digo que não é. Solidão é um fenômeno interior que não depende nem um pouco de outras pessoas. Na verdade, ela reflete o quanto você está longe de si mesma; o quanto você não se aceita; o quanto você não está do seu próprio lado. Ela expressa uma auto-imagem negativa que você faz de si, o quanto se culpa e se reprime. E todos esses processos de rejeição fazem você se afastar de si mesma.

Você percebe que a maioria dos conflitos amorosos que vivemos é fruto de uma postura interna inadequada? Vamos lá, leitora: a hora de mudar é agora! Transforme suas condutas, reveja seus valores e mude suas atitudes. Torne-se responsável pela sua vida. Mude o modo de se tratar - e um novo mundo de possibilidades se abrirá à sua frente.

Quanto mais madura você se tornar, melhores serão os seus relacionamentos, especialmente os

afetivos! Isso significa que, quando você se aceitar e se valorizar, se tornará uma pessoa completa, despreocupada e espontânea. Resultado: só atrairá coisas boas para sua vida, além de um grande e

verdadeiro amor. É, minha gente

respeita, sabia? Por isso, trate de se colocar SEMPRE em primeiro lugar.

As forças espirituais só agem a nosso favor quando a gente se

9

Luiz Gasparetto

Saia em busca de si mesma

Com um exercício muito simples, você pode entrar em contato com o seu íntimo e enxergar a mulher maravilhosa que existe aí dentro

Nesta semana, quero trabalhar com você um exercício que irá promover um contato mais íntimo com

a sua essência. A idéia é ajudar você a enxergar a mulher maravilhosa que existe dentro de si. Lembre-

se: para ser feliz afetivamente você precisa, em primeiro lugar, se aceitar e se valorizar. Quero que, definitivamente, você se reconheça, se ame! Procure um local bem tranqüilo, onde sinta-se à vontade, isenta de qualquer tipo de preocupação. Se puder, coloque uma música suave e feche os olhos.

O primeiro passo é relaxar. Pergunte ao seu corpo onde você se sente tensa ou se está com algum mal-

estar. O corpo vai fazer sobressair a região que carece de uma limpeza de energias estagnadas. Ao fixar a atenção no local, você saberá qual é a causa daquele desconforto: se é ansiedade, medo, raiva,

frustração, negatividade

aprofundar no problema. Apenas encha os pulmões de ar e expire pela boca todos os males que esse desconforto lhe causou. Faça isso umas três vezes, pronunciando: “harmonia, harmonia, harmonia”.

Faça seu corpo inteiro impregnar-se pela energia da harmonia. Inspire e expire profundamente. Em seguida, repita: “A partir de agora, aconteça o que acontecer em minha vida, eu ficarei ao meu lado e assumirei total responsabilidade por mim. Nada mais me aterroriza ou domina. Afinal, posso usar minha força. Posso encarar tudo de cabeça erguida e com calma. Segura. Inteira. Sinto-me, enfim, livre para atuar em todos os âmbitos da minha vida interior e exterior”.

Agora, imagine que, na vida afetiva, você é a pessoa mais feliz do mundo: alguém que seja amada,

respeitada, terna, sábia, firme, dona de si mesma. Incorpore essa pessoa e tire da cabeça todo tipo de pensamento contrário a esse estado de ânimo. Negue tudo que nega o seu melhor. E assuma que este

é, de hoje em diante, o seu lugar - e que você ficará aí para sempre.

Ao identificar uma dessas sensações, continue o exercício sem se

10

Diga em voz alta: “Eu me ponho pra cima e não espero nada de ninguém. Eu me ponho pra cima porque sou livre para aproveitar o que há de melhor. Eu me ponho pra cima porque encaro tudo com

seriedade, mas sempre com um sorriso nos lábios. Sim, eu posso sorrir! Mais que isso: posso jogar fora minha mágoa, minha tristeza, meu desapontamento e minhas desilusões. Ah, como é bom jogar fora

as desilusões!”

Finalize o exercício com mais uma respiração profunda e mentalize a palavra “paz”. Com essa sensação de leveza e serenidade, diga a si mesma: “Posso me pôr para cima porque eu me aceito como sou. Aceito meus erros, porque também acerto. Aceito minha vida com as coisas que criei e as pessoas que

atraí. Aceito! Aceito também a possibilidade de mudar e renovar. E, ao me aceitar, ganho toda a força

e toda a coragem, sem jamais me cansar, sem jamais aceitar passivamente as dificuldades. Por tudo eu passo. Tudo eu supero, sempre firme”.

Mantenha esse espírito, essa força, e em menos de uma semana você sentirá a diferença. Jamais desista de você. O restante - um grande amor, êxito na área profissional, felicidade pessoal - será apenas uma conseqüência!

Luiz Gasparetto

Encare a vida com leveza

Que tal parar de reclamar dos caminhos que a vida traça para você? Livre- se de tudo que lhe faz mal e melhore sua vida

Nesta semana, quero que você aprenda um exercício para conseguir se livrar da tristeza.Mas, antes disso, quero ajudar você a lidar com o desapontamento, uma das grandes causas desse estado de espírito.Você já percebeu como nos frustramos por esperar muito das pessoas? Esse é um grande erro!

É difícil compreender como,muitas vezes, mesmo as pessoas mais queridas são incapazes de dar o que queremos — ou simplesmente não querem dar. Afinal, todos são livres para fazer as próprias escolhas.Você aceita isso? Não, né? Ninguém aceita uma recusa

Onde eu quero chegar? Se você não esperar nada de ninguém, dificilmente ficará triste. Repito: não espere nada de ninguém. Se vier, ótimo; se não, siga em frente, sem alimentar o 'pobre de mim'.

E quer saber? Eu posso me desapontar comigo mesmo

só? Ao incorporar esse raciocínio, você conseguirá aquela leveza de que tanto precisa. Fica aí mais um toque pra você refletir. Agora, procure um local bem agradável, relaxe e leia o trecho abaixo:

Então, também não espero nada de mim. Viu

'Eu estou aqui. Vivo a vida com os desafios que ela me traz. Eu não sou uma coitada. Não me encaro mais como uma vítima da situação. Eu me solto — e assumo minha coragem! Assumo minha vontade de seguir e a necessidade de me pôr pra cima. Digo o que quero, expresso meus sentimentos como eles são.

Sim, eu posso deixar que as pessoas cuidem dos problemas delas — e eu assumo os meus. Eu posso me pôr para cima sem esperar nada de ninguém,porque sou livre pra aproveitar tudo que há ao meu redor. Eu decidi ser engraçada, ter humor e não levar as coisas tão a sério. Eu posso encarar as coisas com seriedade, mas sorrir sempre.

11

Eu posso sorrir, eu posso jogar fora a mágoa, a tristeza, o desapontamento e as desilusões. Hum, que bom jogar fora as desilusões! Mais do que tudo isso, eu me aceito. Sou assim mesmo e aceito que tenho uma série de defeitos e fraquezas — características que as pessoas consideram inadequadas. Mas é o que eu sou, é desse jeito que eu sei fazer. Quero estar bem comigo. Os outros não fazem por mim. Eu me viro — e vivo muito bem!'

Ah, como isso é gostoso, não é mesmo? Você já reparou como há muitos recursos que você pode usar para se sentir melhor? Observe bem: quando você está numa situação delicada, muitas coisas podem acontecer para indicar a você um caminho — esta coluna, por exemplo. De repente, você está pra baixo, e esta revista traz uma mensagem que pode aliviar sua tristeza.

Viu só? Então, existem muitos recursos que nos garantem a certeza de dizer assim: 'Aconteça o que acontecer, eu me viro. Eu vou arriscar'. Pois é, um dos grandes segredos para sair da tristeza é arriscar. Então, vamos lá! Arregace as mangas, pise fundo e ponha uma coisa em mente: a gente sempre terá de enfrentar problemas na vida. Então, encare-a com boa-vontade, de coração aberto, com o seu melhor.

Não

importante é que ela segue, e que há sempre um mistério que pode nos encantar!

a vida não caminha de acordo com os nossos sonhos. E não faz mal que seja assim. O

Luiz Gasparetto

Seja como uma pipoca!

Sem a dor e o sofrimento causados pelo fogo, o caroço de milho jamais conseguiria se transformar em algo diferente

Ofereço um texto inspirador a você, que precisa de um empurrãozinho para encarar as mudanças e transformações tão necessárias na vida.

Essa mensagem, que há algum tempo chegou às minhas mãos, me fez refletir muito sobre a melhor forma de encarar os desafios. O texto nos mostra que as dificuldades e os momentos difíceis pelos quais passamos sempre trazem um ganho, uma recompensa.

Mais que isso: a conseqüência de todo esse processo é o amadurecimento pessoal. É como se uma nova pessoa nascesse no lugar da outra, que passou por tantos desafios. Ou seja, surge alguém mais forte. Por certo alguém muito, muito melhor. Vamos lá?

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca para sempre. Assim acontece com a gente: as grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito a vida inteira. Milhos de pipoca que não estouram são pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosas. Mas elas não percebem, e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.

De repente vem o fogo.

O fogo é quando a vida nos lança numa situação nunca imaginada: a dor.

Pode ser fogo de fora - perder um amor, um filho, o pai, a mãe, ficar sem emprego ou tornar-se pobre. Pode ser fogo de dentro - pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimentos cujas causas ignoramos.

12

Sempre há o recurso de apagar o fogo. Sem fogo, o sofrimento vai diminuir, mas diminuirá também a possibilidade da grande transformação. Imagino que a pipoca, fechadinha dentro da panela, cada vez mais e mais quente, pensa que sua hora chegou: vou morrer!

Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não consegue imaginar um destino diferente para si. Não imagina a transformação para a qual está sendo preparada.

A pipoca não sabe do que é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: BUM!

E ela aparece como outra coisa completamente diferente. Algo que ela nunca havia sonhado ser.

Bom, mas ainda temos o piruá - aquele milho de pipoca que se recusa a estourar. É como aquela pessoa que insiste em não mudar.

Ela acha que não pode existir nada mais maravilhoso que sua própria maneira de ser. A presunção e o medo são as duras cascas do milho que não estoura. No entanto, o destino dele é triste: será duro pela vida inteira!

Deus é o fogo que amacia nosso coração e tira dele o que há de melhor. Acredite: para extrairmos o melhor de dentro de nós, temos de, assim como a pipoca, passar pelas provas da vida. Talvez hoje você não entenda o motivo de estar passando por algo. Mas, quanto mais quente o fogo, mais rápido a pipoca vai estourar.

Luiz Gasparetto

Tudo muda num minuto

O tempo é precioso em nossas vidas

Faça tudo com alegria. Mesmo em dificuldades, esforce-se para transformar a tristeza em esperança até porque tudo pode se modificar num minuto apenas. Em um minuto apenas a própria vida

providencia o socorro. Um minuto apenas e o amor volta, a luz reacende não dê tempo às lamentações.

E você volta a sorrir. Então,

Não persista em obstinações ou discussões desnecessárias. Tire lições de seus fracassos, cresça e se fortaleça com seus problemas. Costumo pensar que o desgosto e a alegria dependem mais daquilo que somos do que daquilo que nos acontece. Por isso, me esforço para levar a vida com menos rigidez e mais bom humor. Só assim as dificuldades passam sem me assombrar ou destruir.

Só assim aprendi que tudo fica a meu favor sempre que dedico à vida o que há de melhor em mim. Só assim consegui perceber que as noites escuras não são tão sombrias como parecem ser. Pelo contrário: através da escuridão vejo melhor a luz e o brilho das estrelas. Então, olhe sempre para o lado glorioso das coisas e faça com que o otimismo se torne uma constante em sua vida. Afinal, você está aqui para ser muito feliz.

13

Luiz Gasparetto

Pílulas da sabedoria

Confira pequenas reflexões que, se incorporadas à sua vida, podem transformá-la em uma pessoa muito melhor

Quero dar uma breve trégua para os temas que venho abordando, para compartilhar alguns pensamentos simples e singelos, mas poderosos. Ainda que pareçam meio óbvios, eles chamam atenção para condutas que todos nós devíamos incorporar nas nossas vidas.

Na correria do dia-a-dia, com as preocupações e o maldito estresse, nos deixamos levar pelas sensações momentâneas. Aí, esquecemos de refletir sobre as atitudes mais adequadas a tomar em cada situação. É natural.

Os pensamentos que trago a seguir nada mais são do que lembretes, para fazer de você uma pessoa

melhor - não para os outros, mas para você mesma conseqüência. Aproveite!

Sonhe Mas não deseje ser quem você não é. Isso é pesadelo. Almeje Mas não queira ter uma vida igual à de outra pessoa. Isso é morte. Imagine Mas não fantasie o que não pode ter. Isso é loucura. Dispute Mas não tente vencer aquilo que é considerado invencível. Isso é suicídio. Fale Mas não apenas de si mesma. Isso é egoísmo. Apareça Mas não se mostre com orgulho. Isso é exibicionismo. Admire Mas não se machuque com inveja. Isso é falta de autoconfiança. Avalie Mas não se coloque como um modelo de conduta. Isso é egocentrismo. Alegre-se Mas nada de exageros ou muito alarde. Isso é desequilíbrio. Elogie Mas não fique se desmanchando em bajulações. Isso é hipocrisia. Observe Mas não faça julgamentos. Isso é falta de amor-próprio. Chore Mas não se declare um ser infeliz. Isso é autopiedade. Importe-se Mas não cuide da vida do próximo. Isso é abandonar sua própria vida. Ande Mas não atravesse o caminho alheio. Isso é invasão. Viva Feliz com o que pode ter. Feliz com o que dá para ser. Isso é paz

A paz interior é simplesmente uma

14

Luiz Gasparetto

Conquiste sua paz espiritual

Somente unindo a sua mente e o seu coração você será capaz de deixar as dúvidas de lado e acreditar em toda a sua capacidade

Por ora, minha missão é promover uma união entre a sua cabeça e o seu coração. Somente dessa forma você poderá conquistar definitivamente a sua paz espiritual. O que ocorre na prática? Na maior parte do tempo, somos dominados pelos pensamentos e, sobretudo, pela influência alheia. Por essas e outras é que o coração não costuma assumir um papel lá muito importante na nossa vida.

Eis a grande armadilha! Não sei se você já percebeu, mas desde a sua infância as pessoas fazem um trabalho muito bom com a sua cabeça - e, o que é pior, você permite. Fazem você duvidar de si mesma, achar que não tem valor nenhum e sentir medo de ser diferente.

Muito bem, proponho um desafio: se você fosse louca e não precisasse se preocupar com nada, qual a primeira coisa que faria? Vamos lá, pense! Seria viajar? Largar a família? Não pagar mais nenhuma conta? Pois bem: é isso que seu coração quer. Veja bem, esses impulsos, quando não ouvidos, acabam desvinculando a nossa essência da vida que levamos. A função da mente é adaptar, administrar esses impulsos. Sim, pessoal, ela pode ajudar você a satisfazer os desejos da sua alma.

Mas se você negar essa realidade, jamais terá paz espiritual. O que eu quero dizer com tudo isso é que você não deve alimentar medos infundados. Definitivamente, sua filosofia, sua religião e seus valores não são seus guias. Seu melhor guia é a essência, e ela vai conseguir se realizar - custe o que custar. Depois de ler esta coluna, quero que você adquira uma consciência espiritual mais clara, o suficiente para virar a mesa. Você pode atender os seus desejos, desde que eles sejam colocados nos lugares certos. Siga o exemplo de uma certa garota cujo sonho era viajar o mundo todo: ela arrumou um emprego em que viajar é a função principal. É isso mesmo: você precisa dar um jeito de adaptar os desejos à realidade. É o que eu tratei de fazer:

adoro aparecer e estar no primeiro plano, e encontrei no meu trabalho de ajudar as pessoas uma maneira saudável de atender a minha vontade.

Por fim, vale dizer que temos de fazer o que realmente gostamos. Então, como satisfazer esses desejos que emergem do espírito? Minha dica é a seguinte: não dê bola para as convenções sociais. Não seja daquelas que se despedem de todos que estão numa festa apenas por educação. Pare com isso! Não se deixe dominar pelos outros. Respeite-se, coloque-se no primeiro lugar da fila. Sabe aquele papo cristão de que para ter paz todos precisam se amar? Grande bobagem! Vamos lá: procure ouvir o seu coração. Arranje coragem e, se for necessário, largue tudo. Se você tem essa coragem e considera a paz interior algo fundamental, pare de buscar isso nas pessoas, nos planos futuros e nas coisas que faz.

Em vez disso, caminhe para dentro de si, pois é exatamente aí que sua paz espiritual começa. Seus olhos ficarão mais brilhantes e a vida começará a fluir com magia e facilidade. Nessa fase, há uma completa ausência de medo, de culpa e de obrigação para com o mundo. Quando agimos em nós

mesmos, o ambiente todo muda - e muda para muito melhor

Experimente!

15

Luiz Gasparetto

Fique ligada em você mesma!

Deixe a mente serena, liberte-se das opiniões alheias e descubra-se livre para encontrar o seu próprio caminho

Desta vez, quero sugerir um exercício que vai ajudar você a encurtar a distância entre a sua cabeça e o seu coração. Meu objetivo é fazer você alcançar a paz espiritual. Você precisa admitir, de uma vez por todas, que sua alma merece ter seus desejos atendidos. Só assim a vida se tornará boa e ficará sempre

a seu favor. Está preparada?

Comece serenando sua mente e sentindo a pessoa que existe nas profundidades do seu ser. Se você fosse uma pessoa firme, livre de toda e qualquer dúvida, como seria? Tente imaginar essa situação.

Sendo assim tão segura, que tipo de vida teria? Agora, some a isso a sensação de ser uma pessoa muito amorosa. Sinta-se afável, livre para ter o próprio modo de amar. Se o mundo e as pessoas não fossem uma barreira para você, como seria amar? Vamos mais adiante: imagine que, nessa segurança

e nesse amor, você recebe um aviso divino de que será protegida somente se agir sem levar em

consideração o que os outros pensam, se pensar apenas em você. Nesse caso, o que você gostaria de

fazer?

Vamos lá: desprenda-se de corpo inteiro. Você não está só imaginado, mas evocando atributos naturais da sua espiritualidade. Quanto mais você estiver em si mesma, mais forte se sentirá. Quanto mais aceitar que está certa, mais segura de si ficará. Quanto mais você incorporar seu próprio modo de sentir e amar, mais paz terá.

Por alguns momentos, esqueça sua vida atual e tudo que viveu até hoje. Vamos evocar a presença das pessoas queridas que já se foram. Todos nós pertencemos a famílias espirituais e temos um mestre

(desencarnado, na maioria das vezes) que nos orienta e nos ajuda a buscar a paz espiritual. Conecte-se

a essas forças profundas, pedindo ajuda de seus mestres para aproximar-se mais e mais de seu

coração. É como se uma energia azul invadisse o local onde você se encontra, e o sentimento de liberdade se fizesse presente, abrindo todas as suas portas, relaxando suas resistências e expectativas.

Abra-se por dentro. Esqueça os limites, as obrigações, as falsas responsabilidades, os compromissos com a sociedade e com o futuro. Largue-se e solte-se. Você não pode governar o mundo - muito menos a vida. Sinta um desejo único de ser dominada por si mesma. Faça disso algo realmente importante para você. Renda-se às forças da vida. Descanse as mãos. Descanse os dentes. Descanse os olhos e as pernas. Descanse a ansiedade, a vaidade. Descanse! Agora, você está só. Aí dentro nunca existiu mais nada, apenas a sua sensação de ser você. Ceda ao prazer de ser você, à originalidade de ser você, à grandiosidade de ser você.

Este é o momento de revelarmo-nos a nós mesmos. É hora de você criar neste mundo a consciência de si, da identidade única e profunda de si. Somos seres sem limites. Não somos reflexos: somos luzes! Não somos grandes nem pequenos. Somos apenas o que somos. E, quando nos sentimos inteiros, a solidão acaba. Vamos ficar ligados com essa vontade de sentir, de assumir esse algo maior. Dessa forma, descobriremos nosso próprio meio de nos sentirmos inteiros e teremos percorrido os primeiros degraus rumo à paz.

16

Luiz Gasparetto

Veja o lado bom da vida

Aprenda a pensar de maneira positiva e, aos poucos, descubra que a ação divina estará sempre interferindo a seu favor

Gostaria de ressaltar a importância de cultivar uma cabeça boa. Para isso, ensinarei um exercício muito simples. Com ele, você conseguirá, definitivamente, estabelecer um elo com o positivo. Desse modo, você poderá aumentar a possibilidade de alcançar a realização em qualquer aspecto da vida. Vamos

lá?

Comece removendo os pensamentos negativos que costumam habitar a sua cabeça. Como se faz isso? Anotando tudo. Coloque no papel idéias fixas de impotência, aquelas previsões pessimistas de que algo não irá se concretizar, enfim, tudo aquilo que realmente incomoda você. Olhe fixamente para o que escreveu e deixe virem à tona possíveis sensações.

Sabe o que vai acontecer? Aos poucos, cenas do passado e imagens de algumas pessoas vão aparecer na sua mente, apontando de onde vem cada um desses pensamentos. Ou seja, você vai se dar conta de que eles são frutos de interpretações e julgamentos errados. Pronto! Uma vez detectada a origem

deles, será muito mais fácil você se desprender e se libertar de todos eles. Mais do que isso, você terá

a possibilidade de criar uma nova idéia, uma reflexão mais positiva acerca de si mesma, com pensamentos como sou boa, sou capaz e mereço o melhor da vida.

E então, já tentou? Para completar a atividade, convido você a fazer uma meditação de positividade. Procure um local tranqüilo dentro da sua casa, coloque uma música bem suave, da sua preferência, acalme os pensamentos e leia em voz alta o seguinte texto:

Tudo está bem na minha vida. Todos os pensamentos agressivos que tenho com relação a mim e a outras pessoas estão se afrouxando. Não acredito em doença. Eu possuo a saúde como um estado natural e, neste instante, tomo posse da saúde. Eu acredito na vida fluindo facilmente e na realização de todos os meus desejos. Eu desejo a paz e, por isso, estou em paz. Eu desejo o amor e sinto o amor. Eu desejo prosperidade, eu sou próspera. Sou calma. Vejo tudo com mais facilidade. A cada dia que passa eu me sinto melhor. Sou feliz e mereço a felicidade, a fortuna e o progresso. Acredito no progresso da minha cidade, do meu país e do mundo. Agora eu sou luz viva, consciência e espírito. Eu sou força. Eu estou amorosamente protegida pelo sistema imunológico do meu corpo, das minhas emoções e da minha mente. Eu só atraio situações prazerosas para minha vida. Eu mereço alegria.

Sou livre para cantar, dançar, rir, aprender e conviver. Eu gosto da vida. Eu me aceito como sou e aceito as pessoas exatamente como elas são. Cada vez mais eu entendo a mim e aos outros. Cada vez mais sei agir, principalmente com os outros. Não existe passado, não existem bloqueios. Existe somente paz. Eu estou totalmente em paz.

Ao terminar o exercício, faça dez respirações profundas e agradeça ao Universo. Esteja certa de que ele anda de mãos dadas com o melhor, o sucesso e a realização. É isso aí, querida amiga, permita-se envolver com essa energia totalmente positiva. Aos poucos você irá desenvolver esse conhecimento e perceber que a ação divina estará sempre interferindo a seu favor.

17

Luiz Gasparetto

Ouvir um não pode fazer bem

O não faz parte da vida de qualquer pessoa. Aprender a lidar com ele é a melhor maneira de encarar o dia-a-dia com muito mais inteligência

Como é horrível receber uma resposta negativa, não é mesmo? E na paquera, então, quando a pessoa amada não está nem aí pra gente? Pois é, todos nós sentimos a rejeição, em vários momentos. Até mesmo as pessoas de sucesso já experimentaram essa sensação alguma vez. Isso é muito natural.

Essa situação é desagradável? Claro que sim. Mas você precisa saber lidar com ela sem se sentir prejudicada, lesada ou estressada. Quer ver?

Como costumamos reagir à rejeição? Geralmente com raiva, rancor e agressividade. Mas o pior é fazer

Exemplos: “Nunca mais vou amar”, “Nunca mais vou ser

sincera” etc. Ou seja, a rejeição leva as pessoas a negar muitas coisas ou até mesmo se fechar para a própria felicidade — o que é um grande erro.

Agora, quero ensiná-la a tratar a rejeição de modo que ela não destrua você. Quero provar que quando a gente lida bem com o não, tudo à nossa volta flui melhor. É isso mesmo! Quanto mais sensíveis ficamos a essas negativas, mais nos tornamos impotentes, mais nos acovardamos e mais trancados ficamos. Poxa, raciocine comigo: o não simplesmente existe. Várias vezes você já foi obrigada a dizer não, especialmente àquelas pessoas que ultrapassam os limites.

Você só quer receber sim? Ah, então você é mimada e gosta de se machucar. Sabe o que isso significa? Que você quer ter uma vida frustradinha e pequenina, porque dificilmente vai se jogar nos diferentes desafios que vão aparecer. Sinto lhe dizer, mas você não tem o menor futuro. Por que você acha que tem gente que não se lança num novo relacionamento? Porque tem medo de ser enganado novamente. Acha que está se defendendo, mas na verdade não passa de uma tonta alimentando a própria fraqueza. Se o cara mentiu, traiu, rejeitou, vá em frente simplesmente.

Sabe o que precisamos para encarar a rejeição sem se abalar? Mudar alguns pontos de vista. A felicidade, aliás, só começa a existir na vida da gente quando a levamos a sério. E o primeiro passo é mudar a maneira de ver as coisas. “Eu não aceito mentira!” Quem tem esse tipo de pensamento é realmente um coitado. Gente, todo mundo mente! Confesso que para várias coisas sou sincero, mas em alguns casos eu finjo. Vamos deixar de hipocrisia, não é mesmo?

A cabeça precisa mudar. Vamos usar a inteligência, pois só com ela é possível conseguir o melhor resultado. Calma lá: inteligência não é cultura, formação, diploma. Cultura é esperteza de vida, algo que está dentro de cada um, na maneira de observar as coisas. É ali que desenvolvemos a consciência daquilo que funciona ou não. Vamos sair da ilusão: vamos exercitar a vida que é real, aprender a lidar com ela e com tudo que ela trouxer. Não dá pra viver sem esse desafio. Vamos permanecer na verdade, aceitando a vida exatamente como ela é. As pessoas pensam, agem e fazem aquilo que podem fazer. Nada está totalmente errado. Mude seu ponto de vista e, com certeza, conquistará a felicidade. É preciso que você abrace a realidade e aprenda a lidar com ela. Assim, administrar a rejeição de uma forma saudável, por certo, será apenas uma conseqüência.

aquelas promessas do tipo “eu nunca mais

”.

18

Luiz Gasparetto

Olhe nos olhos do seu parceiro

A melhor maneira de garantir uma união feliz e duradoura é saber como se comportar com ele e o momento certo de conversar

Vamos falar de um assunto de grande interesse para as mulheres: os homens. O meu intuito é mostrar como eles pensam e o que sentem. Para que todos possam viver felizes e, de preferência, juntos. Vamos lá?

Mulher adora conversar. Mas se você quer saber da vida do seu parceiro, desvendar os pensamentos e emoções dele, jamais proponha esse papo cabeça na hora da intimidade. Depois de fazer amor, então, nem pensar! Esse é um momento de introspecção espiritual, em que o homem vai dar uma descansadinha. Não, não é sacanagem — é simplesmente hormonal. Então, não caia na besteira de tocar em assuntos delicados, porque esse não é o momento. A não ser que seja um domingão e vocês decidam não sair da cama o dia inteiro: vocês tomam café na cama, fazem amor, pedem pizza e assistem filme na cama. Aí tudo bem: ele é todo ouvidos!

A melhor hora para pegá-lo de jeito é na cozinha. Faça uma comidinha ou proponha que ele mesmo coloque a mão na massa e, aí sim, arrisque aquela conversa. Em meio a pratos e ingredientes, você consegue extrair o máximo dele. Tudo que envolve alimentação significa aconchego na percepção masculina. Portanto, esse é o momento em que ele está mais aberto e disponível para ouvir. E a comida tem um grande valor emocional para o sexo masculino. Já reparou como o homem gosta de promover churrascos e se cercar de amigos? É o maior gesto de afetividade que ele tem, mesmo com quem ele não se envolve sexualmente. Fica aí a dica.

Eu já comentei sobre leveza com vocês. Pois bem: na hora de conversar, não vá querer controlar, disputar, brigar. Isso é um enorme erro dentro de um relacionamento. Se você ficar em cima, cheia de cobranças, o resultado não será promissor. O homem interpreta a cobrança como uma condenação, o que afeta o seu senso de domínio. Ou seja, você vai atingir o pior dele. E quer saber? Quem cobra é porque não se dá. Já cansei de falar que homem não cura carência de mulher. Tenha em mente, então, que um parceiro serve para complementar sua vida, não para preencher o vazio. Chega de dependência. Valorize-se! Essa é outra regra importante para você não perder seu amado.

Ora, assim como você gosta de um homem bacana, ele busca uma grande mulher. Ele quer ter ao lado alguém que se coloque, que se posicione, se imponha e se respeite. E não são mechas e luzes no cabelo, uma bunda sarada ou peitos siliconados que irão conquistá-lo. O que rege essa atração é a energia que existe na mulher. Sexualidade é energia; tesão é comunicação energética.

Quando a mulher está de bem com ela mesma, fica mais atraente e fisga o homem quase que naturalmente. É uma pena que muitas não consigam manter essa chama acesa: engordam, se escondem, se apagam. Outras, depois da maternidade, assumem o personagem mãe por completo e apagam sua parte mulher. E, cá entre nós, isso acaba com qualquer relacionamento. Destrói a atração mútua e o elo que existia entre os dois. Por isso, antes de reclamar do sexo oposto, pare, observe e analise. Talvez a solução para o bom entendimento esteja nas suas mãos!

19

Luiz Gasparetto

O segredo do universo masculino

Entender como funciona a cabeça de um homem é a melhor maneira de garantir uma vida cheia de alegrias ao lado de quem você ama

Você já parou para pensar em quanto tempo da sua vida gastou pensando em homens ou em qualquer tema relacionado a eles? Pois é, em geral esse é o assunto número 1 das mulheres. Mas veja só que ironia: vocês falam a respeito deles o tempo todo, mas ainda não conseguiram entender como eles agem, funcionam ou pensam.

Aliás, as queixas do “sexo frágil” em relação aos parceiros costumam ser sempre as mesmas: “gostaria que ele fosse mais compreensivo”, “queria que ele entendesse mais os meus sentimentos”, “adoraria ter mais atenção”, e por aí vai. Mas sabe o que eu acho? Que, na verdade, vocês querem outra mulher! Isso mesmo: um homem que se comporte como uma mulher. Esqueçam!

O sexo masculino é muito diferente. Ele é simples e fácil, mas é preciso levar em conta uma base muito importante: o pênis. Para o homem, esse membro tem de estar sempre ereto. Além de rijo, ele deve penetrar e ejacular. Quando isso não se concretiza, não há reprodução humana. A natureza deu ao homem essa urgência sexual. Se isso não fosse mais forte que a mente dele, ele não iria funcionar e adeus, humanidade!

Então, vamos à primeira lição: o desejo sexual no homem é realmente exagerado e vai continuar sendo dessa maneira ao longo de vários e vários séculos. Assimile esse fato, porque é a parte erótica que rege a afetividade dele. Na prática, o amor para ele tem de ser físico. Quando ele fala que quer transar com você, por exemplo, está também dizendo “eu te amo”, “eu te quero”. Sim, chega a ser meio selvagem, mas é um processo totalmente natural. Afinal de contas, nesses momentos ele está sob a influência da sociedade, que faz dele um reprodutor funcional.

Existe fidelidade? A resposta é sim, se ele estiver realmente envolvido e tiver a necessidade carnal satisfeita. Nesse caso, ele será um parceiro e tanto — um companheiro terno, carinhoso e romântico. Procure, então, cultivar junto dele uma vida sexual ativa e saudável. E quando vocês brigarem, jamais “negue fogo” como forma de punição, porque ele interpretará essa atitude como uma desastrosa rejeição. Falta de amor mesmo! Resultado: ele tende a procurar uma amante. Sim, eu sei o quanto é difícil para vocês, mulheres, separarem o sexo do lado emocional. Aliás, qualquer probleminha psicológico pelo qual vocês passam é suficiente para comprometer o apetite sexual. Mas se quiserem preservar esse relacionamento terão de incorporar uma boa dose de leveza na vida, sobretudo nos assuntos do coração.

Pois é, pessoal, o que eu quero que vocês entendam é que os sexos masculino e feminino têm dinâmicas muito diferentes. Mas o mais importante é saber que é possível cultivar o entendimento e a felicidade entre eles. Para isso, é necessário escapar de más interpretações. Não, o homem não é um tipo sem-vergonha que só pensa “naquilo”. Ele está simplesmente sob a influência dos próprios hormônios. Enfim, tenho ainda muito a dizer a vocês sobre o “bicho homem”. A idéia é manter vocês mais bem informadas para garantir uma vida cheia de alegrias ao lado de quem vocês amam.

20

Luiz Gasparetto

Meditar é preciso

Mentalize esta oração todos os dias durante dez minutos e você se sentirá bem mais forte e feliz

Depois de alertá-la sobre tantas pressões e influências negativas pelas quais passamos no dia-a-dia, achei de bom tom reservar esta matéria para uma meditação que pode ser feita todos os dias, quantas vezes você quiser, por apenas dez minutos. É uma maneira de aproximar-se da própria alma, da própria verdade. Leia o texto que lhe trago abaixo, em seguida, feche os olhos e reserve um momento para mentalizar a idéia central que ele traz. Com certeza, você vai se sentir mais leve e mais preparada para enfrentar as adversidades do cotidiano.Vamos lá?

“É muito bom estar comigo. Estou aqui, agora, focando toda a atenção sobre minha pessoa. Pensamentos, emoções e sensações podem vir, mas vou deixá-los passar, para concentrar-me

exclusivamente no meu eu. Quero, a partir de agora, ser minha amiga, tirar minhas ilusões e procurar

o caminho da inteligência. Sim, quero provar ao máximo a inteligência, pois sei que ela evita o

sofrimento. Estou aqui para me tratar bem: não quero me depreciar nem me rotular. Quero que esse encontro comigo seja um marco na minha vida interior.

A partir de agora, serei conscientemente responsável por mim. Não quero deixar simplesmente o

mundo me levar. Quero parar, me educar, selecionar meus valores, observar como funciono e jamais me julgar. Nunca me ameaçar ou me condenar por nada que eu faça ou não faça. Vou aliviando, agora,

a pressão do juiz, do perfeccionismo que exige que eu tenha um padrão contrário ao meu espírito, que

me machuca, me entristece e me marca. Não posso permitir tal pressão, pois sei que sou feliz quando sou autêntica e quando vivo com a alma, que, por sua vez, é maravilhosa, ajuizadíssima, sábia, de bom senso e bons sentimentos.

Somente a alma humaniza, preenche e realiza. Aí sim, sou boa, alegre, e a vida tem o seu sabor. Sou livre para ser eu mesma, uma criatura original. Neste momento, vou sentir como se eu mesma fosse meu pai, minha mãe, meu mentor e meu guia, que pode não saber a princípio o que fazer, mas tem paciência e está aberto ao que for preciso. Passo a passo, conquisto a felicidade e me liberto do passado, da morbidez e desse mundo que acredita no sofrimento, no negativo, na miséria, na dor. Vou me libertar e me desapegar. Não há esse juiz. Deus é a própria alma e não esses pensamentos ruins que insistem em rondar a minha cabeça. Vou relaxando e me livrando de todas as ‘amebas’ como se fossem bexigas que vão se soltando e subindo ao céu. Tenho ainda coragem de dizer não às fantasias e tragédias.

21

Luiz Gasparetto

Deu vontade? Faça. E renove-se!

Proponho um exercício que vai ajudá-la a se restaurar e buscar o novo. É, minha gente! Porque pensar no nosso bem-estar é pensar em se renovar!

Lanço a você algumas perguntas:

O

que seria, para você, se renovar?

O

que você jogaria fora da sua casa, do seu guarda-roupa?

O

que você não experimentou que poderia experimentar? Pular de pára-quedas? Esquiar?

O

que sempre teve vontade de fazer, mas acabou deixando de lado? Pegar a trouxa e se mandar?

Sumir por um tempo?

Vamos lá, jogue fora essa velha que está aí, dentro de você! Abra logo mão desse seu jeito careta!!!

Que tal mudar de amigos? Conhecer pessoas novas? Que tal apostar naquele esporte que sempre quis fazer? Ou retomar aquele curso que parou e do qual gostava tanto?

Lá, dentro de si, tinha um sonho de construir algo e desistiu no meio do caminho? Que tal investir nele

agora?

E olha só, pessoal, fazer isso ou aquilo não depende de tempo e dinheiro! Basta estar viva e lúcida.

Socorro, estou achando que tem uma velha aí dentro de você! Pois é, quando nos deixamos levar por padrões de rigidez (isso pode, aquilo não pode), vemos um grande número de possibilidades e oportunidades jogadas no lixo. Naturalmente, vamos apagando nossa sensibilidade, matando nosso espírito da juventude e entrando numa monotonia sem fim. Sem notar, vamos encolhendo nossos horizontes. Veja só: qual é o protótipo do velho? É aquele que se queixa, enche o saco, pega no pé dos que estão ao seu redor, implica com tudo e vive irritado e de cara feia. Pode ter 11, 20 ou 50 anos; se apresentar essas características, é velho. Velho é uma praga. Na verdade, é uma doença terrível que ataca pessoas em qualquer idade.

22

Perceba, agora, como esse estado pesa. Percebeu? Agora respire e reaja! Comece dizendo para si:

“Tudo pode acontecer. Tudo posso fazer. Não preciso, necessariamente, ter o amanhã que eu imagino.

O que importa é o meu hoje. Abro espaço para fazer o que quero hoje”.

Os dias passam a ser somente o que você vê, e não o que você cria. Isso é velhice. Saia disso. Velho quer a certeza; jovem, a abertura e o improvável. Velho quer se segurar em alguma coisa; jovem, ficar

solto. Recebe tudo o que vier e ainda acha graça. Velho quer ficar no antigo; jovem, o novo, quer mudar e seguir com a sua época, o seu mundo. Velho está no passado, nas lembranças, nas cicatrizes; jovem, trabalhando o amanhã, no sentido da vanguarda. Então, se agita e se move com toda a facilidade.

Como não existe o amanhã, permita-se ser outro. Faça mudanças, já. Pergunte para seu espírito o que

ele gostaria de fazer e faça-o. Rompa limites. Todos os dias, faça alguma coisa nova. Saia descalço, simplesmente, ou faça qualquer outra coisa diferente. Rompa uma regra. Você não imagina como vai

se divertir com pequenas coisas e se sentir tão bem está aqui. A solução está com você!

Rompa o limite, procure seu espírito. A sugestão

Luiz Gasparetto

O verdadeiro sentido da família

Os laços de sangue são os que menos importam. O que interessa mesmo é a disposição de cada um, para aceitar o outro

Temos muito a aprender sobre família, viu gente? A grande maioria pensa que ela se resume a laços consangüíneos quando isso é o que menos importa. Outros acreditam que, por pertencerem a um grupo familiar, todos os seus componentes devem ter os mesmos valores e seguir os mesmos caminhos. Nada a ver. Obviamente que é possível estabelecer a afinidade entre seus membros, mas ninguém é igual a ninguém dentro da mesma família. É preciso, acima de tudo, aceitar as diferenças existentes entre todos.

Mas o que é exatamente isso? Simples. Aceitar diferenças é ter compreensão, abertura e diálogo. Geralmente, quando não aceitamos alguma coisa, queremos pura e simplesmente impor um modelo.

Ou seja, é preciso agir assim, lidar com o dinheiro desse jeito, fazer aquilo outro da outra maneira etc. Como muitos pais que estabelecem um modelo rígido de educação. Resultado: é um tal de filho mentir

pra pai e mãe não?

Na frente dos pais, eles são uma coisa. E, por trás, mudam completamente. Triste,

É impressionante como é comum as pessoas não aceitarem as diferenças. A gente se fecha tanto em

nossas vidas, nos próprios valores e verdades que não toleramos sequer uma idéia oposta à nossa, sem julgar. Tente, portanto, seguir essa linha de raciocínio: “A cabeça daquela pessoa é assim, a vida

dela é essa, ela está bem assim, pode me contar tudo que eu não me choco nem critico. Não sou juiz, sou amiga.” Uma conduta dessas dá contato. Se, por outro lado, você condena o outro, ele acaba se afastando. Isso é óbvio! E não só na família, como em qualquer relacionamento. E não adianta vir a mãe com aquelas frases: “Te amo, quero o teu bem, portanto, faça isso ou aquilo.” Reflita comigo:

será que esse bem é realmente o bem do filho?

Vamos lá, pessoal, aposte na flexibilidade. Sem ela, os laços se rompem. Com ela, os laços se ampliam.

Ou aceitamos as diferenças e aprendemos a conviver com elas

Pare de brigar com a realidade. Você sofre, se desgasta, principalmente quando não pode controlar a realidade. Por conseqüência, a raiva, a preocupação e o nervoso entram em cena. Deixe de querer mudar o outro. Isso é um verdadeiro desrespeito. O importante é ter paz e equilíbrio. Dois filhos podem ser super amigos. Outros podem se dar bem só com amigos de fora. As relações dentro da família vão se estabelecer como podem, não como “devem”.

Ou não convivemos com ninguém.

23

Aliás, não existe família ideal, e sim família real. Aceitar a individualidade de cada um é a base do elo. Não importa em que lar tenhamos nascido, mas sim se podemos ser o que queremos. Essa liberdade é tudo. Sentimento de família é elo social, elo humano. Não está restrito só aos filhos, maridos, avós, primos etc. Ele está na esfera social. E, quando você realmente souber aceitar as diferenças, os valores

e as vontades alheias, no mínimo, conquistará uma atitude mais fraternal de todos aqueles ao seu

redor. Como aquela pessoa que, sem fazer nada, todo mundo vai lá enchê-la de beijos, abraços e carinhos. O segredo desse carisma? Abertura. Pratique-a dentro da sua família! Pratique-a em todo lugar.

Luiz Gasparetto

Fortaleça seu espírito e ganhe saúde

Quando você se aproxima de seu lado interior, toma as decisões certas e, assim, ganha saúde em todas as áreas da vida

É isso mesmo! Você sabia que a saúde se faz presente quando nosso estado psicológico está harmonizado com o espírito? Quando algo vai mal, ou seja, quando você insiste em manter posturas inadequadas diante da vida, o seu organismo começa a emitir sinais, os chamados sintomas, que vão determinar diferentes tipos de doenças.

Posturas inadequadas? Sim, isso mesmo. Nem sempre, temos a lucidez de escolher os melhores caminhos diante de determinadas situações. Aquilo que realmente faz bem ao nosso espírito. Costumamos nos guiar pelo “acho que” ou pelo “tenho que” e, enfim, vivemos alimentando preconceitos e crenças impostos pela sociedade, que nivela todos por igual – enquanto cada um é diferente do outro, não é? Embora vivamos no coletivo, é fundamental respeitar a idéia de que cada ser é único e tem suas próprias verdades.

Doença é o aviso do espírito de que você está fazendo opções contrárias à sua realização. E não pense que esse desconforto só acontece no corpo. Ele pode atuar também na sua vida financeira, familiar, afetiva, sexual, profissional e social. Se algumas dessas áreas estão em desequilíbrio atualmente, por certo é seu espírito lhe chamando a atenção: “Olha o que você está fazendo!”.

Então não perca tempo: pare e repense sua maneira de ser e de agir a cada desconforto pelo qual passa. E procure fazer e estar no seu melhor, no próprio dia-a-dia. Isso se chama evolução. Para o espírito, é essa vivência que conta. Se um dia você viveu no melhor, trate de resgatá-lo ou mantê-lo, senão vira doença. Agora calma lá, hein, gente? Esse melhor não está relacionado a um conjunto de valores moralistas e ideológicos. Nem tampouco ao politicamente correto ou ao moralmente correto. Nada a ver. O espírito, inclusive, desconhece essas porcarias. O que ele conhece? Apenas a sua vivência. Ou seja, o que você viveu, sentiu e funcionou. Esse é o seu melhor.

24

Cada um tem o seu melhor. E como falei, tudo vai evoluindo. Há tempos, algumas coisas eram o seu melhor, de acordo com a sua vivência. Hoje o seu melhor pode ser outro, e assim por diante. Essa é a exigência da saúde. O espírito exige que você mantenha a melhor atitude, o melhor conhecimento, o melhor que você sabe a cada minuto. Esse é o espírito da saúde.

Com um simples exemplo vou deixar essa idéia mais clara. Quer ver? Hoje você ama um tipo de comida. Amanhã, experimenta um prato totalmente diferente e aquele que era, até então, seu preferido, passa a ficar de lado. Isso mostra o que em nós? A tendência que o ser humano tem de querer ficar só com o que é melhor. Pois é isso mesmo, gente! Temos que levar em consideração a nossa vivência no melhor, na objetividade, na questão do “eu vivo” e do “eu sinto”.

Nosso bem é um bem conceitual. É aquilo que nos dá prazer, que nos faz sentir livres, contentes, motivados e tesudos. Na verdade, é o que estou tentando passar em praticamente todas as colunas que escrevo e, sobretudo, nos cursos que dou. Se a gente consegue focar nesse melhor, o espírito nos contempla com alegria, felicidade e muita realização.

Luiz Gasparetto

Com serenidade, o mundo fica melhor

Por maior que seja a sua luta diária, aposente as luvas de boxe! Quando a gente dribla os conflitos, semeia a paz ao redor

É com ela que você vai abrir muitas portas. Como já havia falado, não há prazer e não há vitória, sem

paz. E já reparei o seguinte: as forças espirituais, os melhores mentores e as melhores energias, só se aproximam de mim quando me coloco na paz. Seja qual for a ajuda que esteja precisando, não dá outra: só obtenho o que preciso quando estou na PAZ. Vamos, portanto, assentar um pouco dentro de nós essa paz por meio de um trabalho interior.

Então pergunto: qual é a sua batalha? Observe aquele aspecto da sua vida que, no seu entender, você quer melhorar. Coloque paz ali. Tente mudar suas atitudes com relação a esse aspecto. Claro que você quer soluções positivas. Mas, para isso, solte seu espírito de guerreira. Aos poucos, você vai sentir mudanças bioenergéticas em si mesma, como a sensação de relaxamento, a circulação de energias, uma certa moleza de corpo e até alguns bocejos. Isso significa que você está saindo do astral do guerreiro, que sempre a faz encontrar inimigos.

Saia desse campo que estava em conflito e repita: “Eu vou renunciar à guerra, a todo tipo de luta.

Dever haver outras maneiras de lidar com essa situação. Vou relaxar, soltar meu braços, minhas costas

e minha rigidez de guerreira forte. Guardo essa armadura e energia para ter firmeza e bancar uma

série de coisas, mas não para guerrear com meus oponentes. Não vou convencer ninguém a nada. Eu

quero estar na paz porque assim, tudo tem um jeito. Eu opto por essa postura.”

Vá construindo um clima de paz ao seu redor, confiando que o banco de informações e providências universal está sempre à sua disposição. E, se você permanecer na paz, ele proverá tudo o que você precisa. A paz lhe dará segurança. Você vai descansar das batalhas, vai desprender o seu corpo do peso das lutas e do esforço. À medida que o estresse vai cedendo, sua motivação, disposição, vitalidade e tesão vão ganhando espaço. Qual é o outro ponto da sua vida que você podia entrar em paz? Pense nele e adote a mesma estratégia. Vá soltando a guerreira em você. Quanto mais você estiver na paz, em vários aspectos da sua vida, mais as placas de tensão vão começar a se destacar do seu corpo. As reações físicas? Novamente virão o bocejo, a sensação estranha de moleza ou mesmo de sono. Mas tudo vai embora depois. Porque a paz viabiliza a funcionalidade.

25

Uma das coisas extraordinárias da paz é a capacidade de abençoar. Seja o que for que lhe parecia complicado e difícil de resolver, abençoe. E coloque o bem acima de qualquer dificuldade. Você se sentirá bem imediatamente porque o bem é prazeroso. Tudo isso são estratégias para você fazer sua vida funcionar melhor. Não é ter passividade. É mudar o modo de agir. Mas sem guerra!

A manutenção desse exercício é muito importante. Você pegou alguns pontos e colocou a paz neles,

mudando sua estratégia com relação a esses assuntos. Caso a figura da guerreira queira ressurgir dentro de você, volte-se de novo para a paz. Vá ouvir uma música, faça uma atividade gostosa, mas não guerreie. Com ninguém, nem consigo mesma. E nem fique cultuando o assunto que lhe atordoa. Não permita que ele tome conta de você. Faça isso durante essa uma semana e então verá as modificações extraordinárias que acontecerão na sua vida.

Luiz Gasparetto

Amar é subir em um carrossel!

Uma hora, é você que não está bem. Outra hora, é o seu parceiro

como evitar os altos e baixos tão comuns em qualquer relacionamento

amoroso

Você está com alguma insatisfação no relacionamento afetivo? A grande maioria das pessoas sofre desse mal, mas o que muita gente não sabe é que boa parte desse tipo de problema está relacionada com a energia dos envolvidos. Na vida a dois, aliás, é muito comum as energias comprometerem o sucesso de uma relação. E pode não só ser a energia de vocês, como também a energia de terceiros. Como isso funciona na prática?

Veja

Imagine que você tem uma relação bacana e prazerosa com seu parceiro. Ou seja, ambos se completam por terem um bom nível de entendimento pessoal e sexual. De repente, do nada, ele começa a se afastar de você. Para saber se realmente trata-se de uma questão energética com o intuito de mudar a situação, pare e analise dois itens importantes.

Número um: pode ser que, por qualquer motivo, você tenha entrado em uma sintonia de baixa auto- estima. Acha que não é bonita ou inteligente o suficiente, não se dá o valor e se critica constantemente – posturas nada saudáveis. Não dá outra, viu, gente: o parceiro começa a se desinteressar rapidinho. E o interesse sexual, então, some por completo. Para ser mais claro: o tesão vai embora porque você mudou a sua energia. A baixa auto-estima impede o contato energético, gente! Ele só se estabelece quando as duas pessoas na relação se sentem gostosas, bonitas, importantes e interessantes.

Vocês já repararam que, quando alguém está na pior, até o cheiro dessa pessoa muda? E não adianta usar perfume porque é a energia dela que está exalando aquele cheiro. Atração por uma pessoa é pura energia. Simpatia é energia. Sexo é energia. Gente bonita e interessante que está com energia ruim não desperta tesão. É por meio de uma boa energia que se dá aquele entusiasmo, aquele tchãzinho ou ainda aquele sininho que bate e faz rolar “um clima” entre dois indivíduos. Enfim, se você está sentindo uma possível baixa na sua auto-estima, é hora de despertar! Comece a se amar já!

26

Número dois: você pode estar com um encosto e, geralmente, trata-se daquilo que eu chamo de “vampiro sexual”. Ele acaba com qualquer relacionamento. Cada vez que você chega perto do parceiro, ele fica com raiva, nojo e se afasta. Isso mesmo, ele se afasta justamente de você, com quem tinha uma ótima compatibilidade energética. E é de uma hora pra outra, viu? O parceiro perde o tesão sexual porque, na verdade, você está acompanhada. Muito mal acompanhada, por sinal.

Esse vampiro sexual também é inconveniente. Você pode estar em casa, deitada, sem pensar em nada e, de repente, vem aquela coisa de que você “tem que” se masturbar. Ele a domina, você acaba cedendo e ele suga toda a sua energia. Resultado: você fica cansada e destruída. É diferente quando se está com algum estímulo e surge aquela vontade, fruto de uma excitação por uma pessoa ou um fato. Nesse caso, a masturbação renova sua energia e você fica melhor, fica bem.

Portanto, atenção: caso não tenha ocorrido algum fato concreto que tenha comprometido sua relação, observe a questão energética diante de mudanças repentinas. Se hoje você vive um mar de rosas com o parceiro e amanhã um maremoto arrasa sua vida a dois, provavelmente são influências astrais. Na próxima coluna, vou ensinar uma técnica de defesa e captação de fluidos positivos. Até lá!

Luiz Gasparetto

Faça as pazes com sua mãe e viva feliz!

Uma excelente receita de felicidade é a que nos ensina a aceitar os fatos da vida sem sofrer além da conta. Só assim poderemos viver em paz

Depois de explorar o tema sobre as influências energéticas que recebemos, especialmente de nossa figura materna, quero passar um exercício que vai ajudá-la a se desprender definitivamente de sua mãe. Vamos lá? Primeiro, conscientize-se de que um dos princípios da libertação é a aceitação. Para começar, concentre-se na zona do seu corpo onde você sentiu que ele manifestou um conflito psicossomático a partir da influência de alguém sobre você.

Observe-se, sinta essa parte do seu corpo e perceba que essa energia não pertence a você. Só de saber isso já é uma ajuda no processo de libertação. Ou seja, as opiniões, vontades e intenções que a afetam são da sua mãe, e não suas! Mas aceite os limites dessa criatura. Aceite sua mãe como um ser humano cheio de qualidades e defeitos, e não como alguém que é todo-poderosa ou milagrosa.

Claro que sua mãe faz o que julga certo! Mas, enquanto não vem essa aceitação integral de sua parte, você vai se prender ainda mais a ela. Por isso, a aceitação incondicional é tudo o que você pode se dar de bom agora. Lembre-se: seu objetivo não é saber quem está certa ou errada. É preciso se livrar disso. Não faz diferença nenhuma ela ser assim ou assado, mas sim livrar-se de suas influências.

Agora, repare: o que você quer tanto que a faz ficar ligada a sua mãe? “Quero que a minha mãe me

ame, me entenda.” Ou, então, você pode dizer: “Gostaria que ela me fizesse isso ou aquilo

ainda “gostaria que ela fosse assim ou assado, para que eu me sentisse assim

Muito bem, agora perceba que isso nada mais é do que uma necessidade sua. E sua mãe não vai poder satisfazê-la. Aliás, quem tem que satisfazer isso é você. E você pode. Hoje você é adulta, dona do seu nariz, alguém capaz de comandar a própria vida. Assuma isso como uma responsabilidade sua, e não da sua mãe.

”, ou

”.

Defina seus desejos!

27

Repita consigo mesma: “Eu tiro da minha mãe a responsabilidade pela minha felicidade. Ela nada pode fazer por mim, porque é limitada. Eu mesma assumo essa responsabilidade sobre mim. Pode ser que eu ainda precise aprender a fazer isso. Mas vou dedicar esta semana para tal”.

Agora, olhe para a sua mãe como uma criança tentando fazer coisas novas. À medida que ela vai ficando menor, vai perdendo o poder sobre você. Enquanto isso, você se sente maior, adulta e responsável pelas suas necessidades afetivas e psicológicas. Hoje você é livre para fazer o que precisa por si mesma. Você nunca parou para ver que é capaz de se dar tudo o que precisa e ser independente? Ah, que gostoso que é se aprovar e não depender de ninguém. Isso é tudo na vida! Depender do outro é perder a dignidade e o equilíbrio. Dê um basta nisso tudo.

Repita em voz alta: “O que é seu, não vai ficar comigo. Eu peguei o que é meu. Peguei a minha parte. Agora você vai pegar o que é seu. A responsabilidade sobre mim, sou eu que tenho. Mas essa energia é sua, então que ela volte para você”. Tente perceber agora qual o tipo de reação que você tem naquela zona sensível do seu corpo. Quanto mais tomar conta de suas responsabilidades e necessidades, mais forte você ficará e a menos influências será submetida. Influências não apenas da sua mãe, mas também de outras pessoas e inclusive de ambientes! Isso é um grande progresso para nós. Assim, nos sentimos mais livres e fortes pra tocarmos nossas vidas e atingirmos nossos ideais.

Luiz Gasparetto

Abra os olhos para as forças invisíveis!

Bolas de cristal não existem! Em vez de tentar adivinhar o que vai acontecer no futuro, aguce os sentidos e use a sua intuição a seu favor

Sei o quanto é difícil entender, mas somos sustentados por forças. Tudo o que acontece com a gente não depende exclusivamente da nossa vontade. Não importa que nome damos a essas forças, mas elas são invisíveis, no sentido do comando, das suas intenções e da sua sabedoria. O futuro, por exemplo, a gente não vê. Cada momento em nossa vida é novo e, portanto, também invisível. Ou seja, convivemos com o invisível constantemente.

É claro que gostaríamos de ver e saber tudo com antecipação para nos prepararmos psicologicamente

para os fatos, sobretudo para sabermos como agir, mas não é o que acontece. E não adianta também ficar possessa quando algo não tem o resultado esperado. O ideal é você ter a modéstia para lidar com qualquer tipo de situação. Com arrogância, você está bloqueando processos dessas forças invisíveis que estão aqui para mantê-la, ajudá-la, fazer você seguir em frente.

Por outro lado, pergunto: se a vida lhe diz que você vai morrer na semana que vem, como você fica?

Pois é

preparado para tal. Esse mundo invisível do qual estou falando, aliás, vive querendo se comunicar com você e não tem a sua devida receptividade. Esse mundo é o seu sétimo sentido, sua alma, sua intuição. Todo mundo tem a sua. Ela pode ver o futuro e outros lugares além do tempo e do espaço. Se nós não fôssemos tão “cabeças pequenas”, já teríamos conquistado essa faculdade para usá-la em nosso cotidiano, da forma mais natural possível. Mas, com certeza, poderemos chegar lá!

Por mais que a gente queira saber e controlar tudo o que vai acontecer, ninguém está

28

A mensagem principal, portanto, desta coluna, é começar a prestar mais atenção no seu sétimo

sentido. Por exemplo: num determinado dia, algo lhe diz para não ir na casa de tal pessoa, mas você vai e acaba se dando mal. Resultado: se condena por não ter seguido a sua própria intuição. Pois é, isso já aconteceu tantas vezes na sua vida! Não tem jeito, quanto mais você foge mais o invisível vai

agir na sua vida para chamar a sua atenção. Eu estou falando isso porque, definitivamente, nós vivemos em vários mundos ao mesmo tempo. Somos uma máquina extraordinária, que movimenta energias em diferentes espaços. Você é multidimensional, vive em diferentes planos. Observe-se!

E exatamente por isso eu lhe faço mais uma pergunta: o que você está sentindo agora é seu mesmo?

Eu digo isso porque no dia-a-dia muitas de nossas emoções e sentimentos não nos pertencem. Vêm de outras pessoas ou de outras dimensões, já que vivemos em vários mundos, já que estamos numa atmosfera válida para todos. Você pode estar recebendo uma série de pensamentos que não necessariamente lhe pertencem, mas que chegam até você!

Nesse caso, temos duas opções: aceitar ou rejeitar. Se aceitamos, integramos aquilo como nosso. Se rejeitamos a idéia, ela vai embora. Aliás, esse é um dos grandes poderes da gente. Aproveite, então, para observar se os estados de espírito pelos quais você passa são realmente seus. Você sabia que, geralmente, as maiores influências vêm da própria família, sobretudo de nossa mãe? Quero mostrar de que forma isso tende a afetar o nosso sucesso e como é possível nos desprendermos dessa situação. Até lá!

A cura pelo pensamento

Luiz Gasparetto

Aprenda a espantar os pensamentos negativos que roubam a energia e fazem o corpo adoecer e sofrer

Vou relacionar para você algumas doenças muito comuns que costumam enfraquecer nosso organismo. O mais importante de tudo isso, no entanto, é saber que a causa delas, na maioria das vezes, tem fundo emocional. Ou seja, elas são resultado de condutas inadequadas que tomamos na vida, fruto dos maléficos pensamentos-padrão negativos, que, obviamente, temos de nos livrar. Na lista a seguir, você encontrará o tipo de doença, sua respectiva causa e um pensamento-padrão positivo para vibrar em voz alta, o máximo de vezes que conseguir durante o dia. Acredite e fale com fé, pois, certamente, ele promoverá a sua cura. Vamos lá?

Doença - Amidalite Causa - Emoções reprimidas; medo; raiva reprimida Cura - Nada impede o bom de mim. Eu permito a liberdade de expressão das idéias divinas, que fluem e ganham significado na minha vida

Doença - Anemia Causa - Falta de prazer; desinteresse pela vida Cura - Meu mundo é cheio de alegria e estou interessada em tudo

Doença - Apendicite Causa - Medo da vida; bloqueio do fluxo das sensações Cura - Alegria! Eu relaxo e deixo minhas sensações fluírem

Doença - Arteriosclerose Causa - Resistência; tensão; abertura mental estreita Cura - Eu estou completamente aberta para a vida. A vida é bela!

Doença - Artrite Causa - Amargura; ressentimento; crítica; sentimentos de desamor Cura - Amor e perdão! Eu deixo os outros serem eles mesmos. E eu sou livre

Doença - Asma Causa - Supersensibilidade; amor sufocado; supressão do choro; sentimentos abafados Cura - Eu sou livre! Eu me encarrego da minha própria vida. Eu posso expressar meus sentimentos como eles são

Doença - Bronquite Causa - Ambiente familiar conturbado Cura - Paz, paz, paz! Ninguém consegue me irritar

Doença - Câimbras Causa - Tensão; opressão Cura - Eu relaxo e deixo a vida acontecer

Doença - Câncer Causa - Profundos segredos; aflições corroendo o eu; retenção longa dos ressentimentos; ferimento profundo Cura - Não existem segredos. Eu deixo que o passado se vá. Meu presente será preenchido com alegria

Doença - Colesterol alto Causa - Medo de aceitar o prazer Cura - O prazer é normal. Meus canais estão largamente abertos. Eu amo a vida

29

Doença - Dores nas costas Causa - Falta de amparo emocional; retenção de pensamentos de um amor passado; falta de amparo econômico; medo do dinheiro Cura - A vida por si me suporta. Eu confio no universo, eu divinamente dou amor e confiança

Doença - Problemas na bexiga Causa - Ansiedade; resistência a novas idéias Cura - Eu abandono o passado, despreocupo-me com o futuro. Eu aceito o que é novo agora

Doença - Problemas na boca Causa - Incapacidade de absorver idéias. Fixação de opiniões; mente fechada Cura - Eu dou boas-vindas às idéias e conceitos novos

Doença - Problemas do coração Causa - Distúrbios emocionais; falta de prazer; rejeição da vida; crença nas pressões e no esforço Cura - Alegria, alegria, alegria! Amor e paz! Eu prazerosamente aceito tudo na vida

Luiz Gasparetto

Um momento de paz, por favor!

Muita gente pode estar insegura, sem saber o rumo certo da vida. Mas tudo se organiza à medida que você relaxa

Já citei a importância de estarmos no nosso melhor. E mais: que só seríamos protegidos pelo Universo e, por conseqüência, alcançaríamos o sucesso, se estivéssemos comprometidos com este nosso melhor. Entendo que muitas mulheres possam ficar inseguras, no sentido de não saber se estão tomando o rumo certo de sua vida. Mas calma, minha gente, tudo vai se organizando e se encaixando

à medida que você vai relaxando e conquistando mais confiança em si mesma. Vamos, portanto,

fechar os olhos e fazer um exercício que vai promover uma dose extra de tranqüilidade, além de induzi-la para esse trabalho de busca do seu melhor. Se puder, grave o texto abaixo e ouça-o com uma música suave:

“Preste atenção em você. Não importa o que tenha feito, se deu certo ou não, se o resultado foi esse ou aquele. Não se recrimine. A consciência de que há algo que está precisando ser mexido basta! Não precisa colocar emoção negativa, não precisa se condenar. Vamos apagar essas impressões que o mundo deixou em nós, fruto da convivência com pessoas autoritárias e malignas, que pregavam a punição como forma de crescimento. As coisas ruins, quando dramatizadas, só crescem e se tornam mais difíceis. Aprenda a não dramatizar quando perceber alguma coisa negativa em você.

Diga comigo: não aceito drama. Claro que gostaria que tal situação estivesse melhor, mas vou descobrir o caminho para isso. Sem dramas. Quando faço um escândalo, parece que sou impotente, inadequada e errada. Reforço com isso a minha baixa auto-estima. Não quero mais isso. A partir de agora, eu quero me promover.

30

Eu sei que sou capaz de realizar qualquer coisa e, todas aquelas em que eu acreditar, sei que um dia

farei. Aceito o meu poder, fico comigo em paz e faço só o que acho necessário. Não vou exagerar. Faço

o mínimo esforço com o máximo de funcionalidade. Eu não quero condenação. Não quero sentir

nenhum mal a meu respeito. Se descubro uma coisa ruim, procuro uma opção melhor e pronto. Não há o que corrigir. Há o que aprender, testar e compreender.

Eu penso o que eu quero. As vozes da minha cabeça existem, mas não preciso escutá-las. Eu tenho o poder de mudar o que quiser. Não me exijo tanto e, principalmente, não me exijo aquilo que ainda não está claro para mim. Respeito o jeito com que eu sou e o mundo que está ao meu redor. Eu tenho paz. Eu sinto a paz porque tenho um brilho interior. Eu posso me dedicar às coisas por inteiro, e não pela metade. Não temo o amanhã, porque, seja o que for, eu estarei comigo, garantida. Eu me darei sempre atenção, apoio e calma. Eu estou segura. Eu sei que sou inteligente, que tenho coragem e prazer de ser eu mesma.”

Ao final da gravação, absolva-se! Antes de começar este exercício, talvez você tivesse o hábito de se condenar toda vez em que fazia algo de errado. E depreciava-se justamente no momento em que mais precisava de força. Lembre-se de que é no momento em que a gente erra que mais precisamos de coragem e apoio. Respeito, amor por si mesma. É disso que você precisa. Se você está do seu lado, tudo fica menos dramático e mais simples. A vida, inclusive, é mais fácil com os outros, quando ela é mais fácil de ser vivida com você mesma. A sua maior vantagem ao se aceitar é o usufruto dos prazeres da vida, do seu próprio equilíbrio, do seu sucesso e realização. É a capacidade de botar em ação a realidade que nosso espírito quer viver.

Luiz Gasparetto

O equilíbrio está no seu centro

Atingir o próprio centro não é uma tarefa fácil, mas tudo é possível com determinação

É muito importante manter a calma para encarar o desespero. Para conquistar essa paz interior, é

preciso estar centrada em si mesma. Desesperada é a pessoa que está fora do eixo, ou seja, está no plano periférico. É o tipo da situação em que a gente entra quando se deixa levar por tudo o que está ao nosso redor, pelas pessoas, opiniões ou mesmo pelo ambiente mental. É como se as coisas externas fossem mais fortes do que nós. Na verdade, não são. Só serão se dermos importância a elas. No momento em que você se voltar a si mesma, quando atingir e permanecer no seu centro, nada vai desequilibrá-la.

Mas como atingir o próprio centro? Para isso, vou fazer um exercício com você. Vamos lá? Veja o seu corpo: de acordo com seus pensamentos, ele vive determinadas sensações. Ou seja, seu corpo existe, mas é periférico, e não o seu centro. Agora vamos largar o corpo e se aproximar do seu íntimo. Nele, estão suas emoções, seu mundo afetivo. Mas esse mundo também sofre influências externas, portanto, também é periférico. Então desapegue-se do corpo e vá para a mente. Nela, estão seus pensamentos, aquelas vozes que conversam conosco, as lembranças, enfim, é a terra da imaginação onde a gente desenha o que quer. Como essa parte também sofre influências externas, ela também não é o nosso centro.

Muito bem, então corpo, mundo afetivo e mente não são o seu centro! Afaste-se de tudo isso. Mais um passo que você der para o seu interior vai sobrar a lucidez. Esse sim, é o seu centro. O ‘eu consciência’ que vê tudo, atua em tudo e faz tudo funcionar. É o ‘eu lucidez’, é o ‘eu atenção’. Mais consciente, você pode agora olhar para tudo aquilo que a estava perturbando. É bem diferente a situação agora, não é? Os problemas já não dominam mais você como antes, porque, estando no seu centro, nada a perturba, é você quem controla as situações. Agora você pode observar como as coisas ocorrem, entender o seu processo e atuar nele como bem entender.

31

Agora, olhe para a sua mente. É ali que ficava o seu desespero? É ali que ficavam as vozes que a cobravam, o dramalhão, a condenação? Pois o momento de usar suas forças chegou! Diga para si mesma: “Eu evoco minhas forças e cresço. Aconteça o que acontecer, eu ficarei do meu lado, assumindo total responsabilidade por mim. E, aqui, nada me aterroriza ou domina. Nada me impressiona sem o meu consentimento. Eu posso usar minha força e ficar no meu centro. Eu posso encarar tudo de cabeça erguida e com calma. Sou segura. E, dentro do meu centro, me sinto livre pra atuar em todos os âmbitos da minha vida”.

Você já percebeu que essa coisa de ter força interna é uma questão de evocar? Portanto, se o desespero que você sentia dependia de alguma resposta, evoque-a já! Às vezes, as respostas não vêm mesmo na hora em que a gente quer. Geralmente, é quando estamos distraídos que elas aparecem. Podem vir da sua cabeça, mas também de outros lugares.

Preste atenção no que as pessoas estão falando e ainda naquilo que você lê. Em algum lugar, de repente, parece que as palavras ficam iluminadas e se encaixam, como se algo quisesse chamar a sua

atenção para o que tem a ver com você. De repente, aquela é a chave que desencadeia uma reflexão e

a leva a compreender o seu problema. E a compreensão, por sua vez, leva você a tomar uma nova

atitude. As atitudes governam nosso ser. E a melhor maneira de governar nosso destino é estando no

nosso centro. O máximo possível.

Luiz Gasparetto

Aprenda como superar a solidão

Basta assumir a responsabilidade pela sua própria vida e ter coragem de romper com velhas crenças e valores

A solidão é um tema que mexe muito com todos nós. A solidão envolve uma sensação de abandono e

amargura, de desprezo, mesmo! Superpoderosa, ela corta a nossa alegria de viver e vai sufocando tudo o que há de bonito dentro da gente. É impressionante como a maioria das pessoas acha que solidão é a falta de gente no nosso convívio, quando, na verdade, ela é a falta de nós mesmos. A solidão é um fenômeno interior, não depende de terceiros. Você pode, inclusive, sentir solidão estando no meio de amigos que lhe querem bem. A solidão, no fundo, representa o quanto você está longe de si. O quanto você não se aceita. O quanto você não está do seu lado. O quanto você se vê negativamente. O quanto você se culpa e se reprime. Esses processos naturais de auto-rejeição levam você a se sentir sozinha, longe de si.

O primeiro passo, portanto, para acabar com a solidão, é assumir a responsabilidade pela sua própria

vida. Quando adota essa atitude, você conquista o poder de lidar com qualquer situação, porque sai da posição de vítima e faz algo concreto para seu próprio bem. Fazer algo por nós mesmos é fundamental para quem quer melhorar a vida. Mudando suas atitudes, um mundo novo e cheio de possibilidades se abre.

O segundo passo é enfrentar a si mesma. Isso significa bater de frente com todos aqueles valores e

crenças ultrapassados que vinham regendo sua vida. Significa abrir mão de pensamentos e atitudes que não têm mais nada a ver com as suas reais vontades. Quando conseguir fazer valer suas próprias escolhas, você diminuirá a distância que tem de si mesma. E, quanto menor essa distância, menos solidão você sentirá

Assim, sua personalidade pode mudar. E o mundo também muda! Se você enfrenta a si mesma e rompe com idéias velhas e comportamentos antigos, as pessoas vão olhá-la diferente e vão respeitá-la, porque vão sentir que você está com uma energia diferente. Com essa nova energia, as situações da sua vida vão se abrir maravilhosamente bem. Por quê? Porque, se você passou a se tratar bem, a vida, em resposta, também vai lhe tratar bem.

32

Então, vamos lá: abandone já seus valores do passado. Nada de ser uma pessoa bonitinha para o mundo, só para ter a aceitação de todos. Apóie suas próprias verdades e não tenha medo de nada. Ninguém vai aceitá-la se você não se aceitar antes. Ninguém vai amá-la, antes de você se amar. Para aquela idéia do ser ideal, diga tchau! E diga para si mesma: Quero ser o que sou. Quero me sentir bem. Quero assumir 100% do meu modo de ser. Não quero censura. Não quero agradar aos outros, mas a mim mesma. Tiro agora o poder que dei para os outros e o tomo em minhas mãos. O poder sobre o meu mundo é só meu.

Assuma essa nova postura e nada de ficar se martirizando com o que já passou, viu! Você errou, sofreu com as atitudes que adotou no passado, mas tudo ficou lá trás. O que importa é que, a partir de agora, você está do seu próprio lado. Você está disposta a mudar para ser o que é melhor para si mesma. Você reconheceu seus erros, aprendeu as lições e agora tem forças para dizer NÃO quando for preciso. Lembre-se: você não tem mais força para fazer o que os outros dizem que é certo. Não tem mais forças para ser igual ao que a maioria das pessoas espera, ao que a religião espera ou ao que a sociedade espera. Você só tem forças para ser o que é realmente. Esteja sempre consigo mesma, se assuma – e você verá que nada mais vai assustá-la, porque você estará sempre do seu lado. E, assim, o universo também estará do seu lado!

Luiz Gasparetto

Repita sempre: “Eu sou mais eu!”

Perca o medo da opinião dos outros. Ao reforçar sua autoconfiança, você expulsa as dores e abre espaço para ser mais feliz

Vamos continuar a falar sobre solidão. Quero convidá-la para uma viagem interior que vai reforçar sua autoconfiança e, sobretudo, garantir a dignidade do seu espírito. Procure um local tranqüilo e, se possível, grave o texto que vou dizer a seguir e ouça-o com uma música relaxante ao fundo: Vamos começar deixando de lado todas as pessoas que, na trajetória da sua vida, você sempre colocou em primeiro lugar. Marido, filhos, pais, amigos, parentes e colegas de trabalho. Deixe cada um deles no seu devido lugar, ou seja, neles mesmos. Seu marido está dentro dele; seus filhos estão dentro deles; e assim por diante.

Olhe para todas essas pessoas à sua volta e diga: Vocês são vocês. Não tenho medo de vocês. Eu não sou vocês. Sinta seu corpo inteiro ao dizer essas palavras. Agora repita comigo novamente: Eu não sou os outros. Eu sou eu. Sou um ser indivisível e tenho força de apoio para dar a mim mesma. Eu tenho poder de escolha para optar por mim. Eu tenho boa vontade para comigo. Eu tenho olhos para me ver com bons olhos. Eu tenho meus cinco sentidos em perfeita harmonia para escolher o que me dá mais prazer, o que me põe pra frente. Tenho liberdade de não querer isso ou aquilo. Tenho liberdade de jogar fora o que não me serve mais, de jogar fora o que não se encaixa na minha natureza e na minha individualidade. Que prazer eu sinto ao ser diferente! Todos são diferentes uns dos outros e eu também sou assim. Então assumo que sou diferente com naturalidade.

Nesse instante, estou deixando para trás uma camada de energia que me envolvia, de negação a mim mesma. Não! Eu não me escondo mais. Não tenho vergonha dos meus sentimentos e muito menos das minhas verdades. Tenho coragem de abrir a boca e dizer o que eu sinto, o que estou percebendo, o que estou querendo, o que estou achando. A fofoca, a traição, a conspiração, nada disso é capaz de me atingir por uma razão muito simples: eu estou do meu próprio lado. E mais: o universo me protege, porque ele também está do meu lado. Toda a ignorância do mundo ficou para trás. E essa mania que algumas pessoas têm de usar as outras em benefício próprio não me atinge mais. Aquele que tentar me usar sentirá um retorno forte dessa energia negativa na sua vida, porque voltará tudo pra ele.

33

Não, eu não quero pensar nos meus sentimentos antigos nem em como eu era. Porque agora eu devo lealdade a minha própria natureza. Agora eu me aconchego com firmeza e sinto prazer em estar comigo. Agora descanso em saber que não me machuco mais por motivos alheios. Eu descanso em saber que não me nego, não me rejeito, não me critico.

Descanso em saber que eu me amo, me respeito e me gosto. Eu me abraço nesse instante e, com o peito cheio de bem-querer (aproveite e dê-se um abraço apertado agora), penso que tenho o maior respeito por tudo o que já fiz, de certo e errado. Porque os erros me ensinam, eu os abençôo. O bem que eu aprendi até agora, o bem que eu já fiz e que continuo fazendo, movida por essa ou aquela razão, não importa mais. Ele é sempre o bem.

Hoje estou feliz porque estou podendo confraternizar comigo. Eu estou relaxando comigo mesma. Hoje eu estou me aceitando e me assumindo bem mais do que ontem, sabendo que posso, sim, precisar de ajuda para continuar. Mas essa ajuda é minha mesma. Eu quero fazer tudo o que posso por mim mesma, porque nasce em mim agora o meu próprio valor. Eu me dou valor. Agora nasce em mim o eu a meu favor. Onde sai a dor, é onde nasce o amor.

Luiz Gasparetto

Purificar é se realizar

Ao afinar os pensamentos com os anseios do seu espírito, você pensa positivo, joga fora toda negatividade e, enfim, se purifica

Há tempos estudamos a realização e, aos poucos, vamos compreendendo como funciona a conquista dos nossos anseios. Como já falei, realizar-se significa satisfazer nosso espírito. Uma vez satisfeito, ele aumenta seu poder e sua expressão na vida ativa. É por isso que a cada realização nos tornamos maiores, mais próximos da tão sonhada plenitude.

É verdade que o espírito é perfeito, poderosíssimo e tem toda a inteligência e condições de nos

conduzir para o caminho da felicidade. É verdade também que queremos chegar a ela com menos sofrimento e mais rapidez. A questão, no entanto, é que todos esses recursos podem ser anulados, caso você não dê a sua contribuição. É muito importante, portanto, que o discernimento cresça a cada

dia dentro de nós. Ou seja, que consigamos distinguir o que o espírito quer.

Agora, você pode me perguntar: Como vou saber se estou investindo num caminho que vai me levar à realização? Será que aquilo que eu quero é o que o meu espírito quer?. O mecanismo é simples. Quando você está conectada com ele, o espírito nos leva para a direção certa, contribui com os eventos facilitadores e a vida flui maravilhosamente bem. Quando está desligada dele, você fica absorvida pelo mundo à sua volta e, por conseqüência, preocupada com as regras e influenciada por elas. Nesse caso, dificilmente vai reconhecer o que o seu espírito quer.

Veja bem, o espírito não pode agir sem você. Ele pode até provocar alguma ação sobre o seu corpo, talvez uma doença para você parar e se rever. Ele tem, inclusive, o poder de criar situações terríveis de sofrimento para fazer você se voltar para si mesma. Sim, amiga, todo sofrimento pelo qual passamos é imposto pelo nosso próprio espírito. É o instrumento que ele tem para chamar a atenção. A dor chama

a atenção da sua consciência.

Você tem, portanto, só uma coisa a fazer: sentir, identificar e seguir o seu espírito. Ele é a ponte entre

o visível e o invisível. É ele que tem os recursos da sorte, a solução, o amor, a realização, a paz, a grandeza, as coisas belas da humanidade. Você constrói um pensamento e logo ele lhe mostra o caminho por meio da sua intuição. Esse processo se chama purificação.

34

Em outras palavras, purificação é a afinação dos pensamentos com os próprios anseios do seu espírito. Eu tenho ensinado isso a você há meses. Quando você pensa positivo, pensa próspero e joga fora toda negatividade, vaidade e ilusões, está se purificando.

Ouça seu espírito! Quantas vezes fui inspirado a fazer uma coisa até pouco recomendável. Um pequeno escândalo, por exemplo. Quem diria que aquele escândalo tivesse sido enviado pelo espírito, porque era um verdadeiro rebu.

Mas eu fiz, e tudo entrou na paz, pra mim e pra todos à minha volta. Agora, veja bem: não dá pra sair por aí fazendo grosserias. Para cada momento existe uma atitude certa. E é o seu feeling que vai lhe dizer.

Bem, gente, quero que vocês se mantenham antenadas e prestem bastante atenção no seu dia-a-dia. Se alguma crise se instalar, pare imediatamente e repense todas as suas atitudes. Por certo você não deu ouvidos ao seu espírito.

Luiz Gasparetto

Em busca da realização

Para alcançar a felicidade já, primeiro você precisa querer. Depois, tem de saber ir atrás. Aprenda como

Pretendo começar a desenvolver um trabalho cujo foco principal é a realização. Em outras palavras, a satisfação interior profunda. É, pessoal, porque existe a realização superficial — como quando você compra um carro, se realiza, mas daqui a dois meses é apenas um carro. Realização profunda é uma experiência maior. Você se sente grande, completo. Parece que preencheu o anseio da alma. Pois bem, o que podemos, então, fazer para nos sentirmos realizados e plenos para o resto da vida?

Pra começar, somos muito de achar que as coisas caem do céu. É claro que algo vem naturalmente. Mas, se apareceu para uma pessoa e não para outra, é porque a primeira fez alguma coisa para atrair. Agora, vou mais longe: todo mundo fala do sujeito que é arrogante e está numa boa e do outro que é bondoso e vive na pior financeiramente. Realmente, essas situações não parecem justas, mas elas ocorrem na realidade. Não tem jeito, por mais que a gente tenha nosso senso de justiça, a vida não pensa assim.

O que eu quero dizer com isso é que se a gente não tem um entendimento certo da vida, é óbvio que ela não funcionará certo. Melhorar, pessoal, é ter coragem de ver algumas verdades. Portanto, é importante entender que uma pessoa ganha algo porque tem energia para atrair, seja qual for a maneira dela de ser. Intolerante, paciente, antipática, simpática, boa ou má. Na verdade, para tudo o que desejamos é preciso haver um investimento. Só assim obtemos o resultado.

Então, vamos lá: precisamos conhecer a lei da abundância. Precisamos aprender a viver com o maior. É isso mesmo, pessoal. Não podemos viver no processo da falta. Tem muita gente feliz para mostrar que está se realizando no mundo. E por que eu não estou? Por que elas podem? Você tem que querer a felicidade já! Você tem que saber fazer dar certo. E eu lhe digo: é possível, sim, levar outra vida do que a que você está levando.

35

Realizar o espírito é dominar a matéria e ter tudo. É claro que não estou dizendo que você precisa ser bilhardária, mas você precisa do mínimo para se realizar, aproveitar as oportunidades. A natureza nos criou para dar tudo a nosso favor. Nossa inteligência tem que diminuir os desafios. O fluxo da vida é abundante.

Eu aprendi que a gente tem que se sacrificar pelo semelhante, que ser pobre é ser bom e se esquecer de si mesmo para dar ao outro. Que aquele que tivesse tal postura, a ele seria dado o melhor. Que Deus daria o melhor. Que mundo cristão hipócrita! E Deus deu o melhor? Não deu absolutamente nada. Nem saúde! Gente, essas coisas estão muito mal explicadas.

Vamos questionar, vamos abrir mão das ilusões. Aprendemos tanta coisa que não condiz com a realidade. É como se tivessem nos dado os mapas errados. Esse negócio de dar desprendidamente e não receber, tô por fora! Somente quando a pessoa nutre a fonte espiritual, ela vê abundância e se realiza em todos os aspectos da vida. É isso que quero começar a fazer você entender.

Pense nisso e continuaremos a aprender mais algumas coisas que vão ajudar você a atingir a sua realização.

Luiz Gasparetto

É hora de encarar a depressão

Em vez de fazer os outros terem pena de você, combata os comportamentos negativos que só perpetuam o baixo-astral

Quero falar sobre um mal que tem acometido muitas pessoas: a depressão, aquela incapacidade que o indivíduo tem de conseguir ficar bem. A grande maioria das depressões, no entanto, é crônica. Por mais que a pessoa queira sair do seu constante baixo-astral, a situação está tão automatizada e tão mecanizada que chega até a influenciar os componentes químicos do cérebro do indivíduo. Seja como for, se esse é o seu caso, há sempre um modo de sair. Esse modo vai depender do que você vai fazer a respeito.

É, gente, porque algumas pessoas até gostam de ficar deprimidas. Saem por aí com a cara pra baixo,

angariando a piedade dos outros e de alguma forma se beneficiam da atenção alheia. Resultado:

alimentam a depressão. Agora eu lhe pergunto: Será que você não dá corda pra isso? Pense a respeito.

Passemos para outra questão: como será que você se deprime? É isso mesmo, estou cutucando você porque estamos aqui para assumir a nossa responsabilidade. A sua responsabilidade. Afinal de contas, somente você pode movimentar seus conteúdos para modificar-se e, assim, ficar bem. Não se sinta culpada. Não estamos aqui para condená-la. Muitas das nossas limitações têm sua origem na nossa infância, até mesmo antes das infâncias, em outras vidas. Enfim, acabamos atraindo para o nosso convívio determinados tipos de personalidades. Talvez você tenha interagido muito com pessoas que adoravam ser a rainha das tragédias, a vítima. E se deixou influenciar.

É, pessoal, depressão tem tudo a ver com o coitado de mim. Coitado de mim, não tenho o amor que

eu queria

eu tanto queria

Coitado de mim, não tenho situação financeira, emprego, amizades, as oportunidades que

Aliás, o coitado de mim é natural no ser humano.

36

Cada um conta a sua história. Mas, no final, todo mundo acaba no pobre de mim.

O pobre de mim é aquela criatura que não tem potencial, está sempre triste, negativa e desanimada.

São pessoas, portanto, que passam a ser um capacho das outras, esperando muito pouco. Se magoam com facilidade, não se dão forças e são frágeis. Você sabe, né, por mais que você seja frágil, a vida cobra igual de todo mundo! E nós somos chamados a encarar uma série de desafios. Não tem jeito! E esse sujeito frágil, diante de uma situação difícil, se torna dramático, se recolhe e se deprime mais.

Depressão também sempre envolve raiva. Raiva das pessoas que me fizeram me sentir um pobre coitado. Raiva daqueles que me humilharam ou que não me deram as facilidades que eu queria. Como a gente quer facilidade na vida, né, gente? É, depressivo também é mimado. E outra, viu: não existe no mundo ninguém que não tenha sido provocado. Aqui ou ali, de uma forma ou de outra, todo mundo é exigido, é desafiado, é afrontado.

Quem teve momentos melhores é porque saiu, buscou e conquistou. Portanto, comodismo não passa de pretexto para você ficar aí se superprotegendo. Já percebeu como as pessoas muitos mimadas se superprotegem? Não é esse o seu caso?

Está na hora de olhar o que você está fazendo. Durante esta semana faça uma auto-análise. Muito bem, hoje eu quis caracterizar o quadro de um depressivo. Na próxima edição mostrarei algumas maneiras de lidar e vencer a depressão. Até lá!

Luiz Gasparetto

Dependa apenas de si mesma

Esse é o segredo para alcançar e manter uma boa auto-estima sem se abalar com o que os outros pensam a seu respeito

Já falei anteriormente que durante o nosso processo de amadurecimento, existe uma parte de nós que insiste em não crescer. Gostaria de continuar a trabalhar essa parte com o intuito de nos libertarmos de falsas interpretações e assim garantir a harmonia em nossas vidas.

Para começar, quero reforçar a seguinte idéia: a paz interior só se fará presente quando você se bastar. Só você! Pare, portanto, de se preocupar com a opinião alheia. Lembre-se de que quem está dependente do outro tem de estar preparado para tudo: não só receber elogios, mas também críticas. Fica totalmente vulnerável. Situação um tanto desconfortável essa, não é mesmo? Então, domine de uma vez por todas essa maldita dependência!

A salvação do ser humano existe: é parar de querer coisas do outro. Essa parte é infantil porque quer

viver da compreensão alheia. Torno a dizer: é você quem precisa da sua compreensão. Além do que,

ninguém é capaz de entender a gente cem por cento. Existem ainda aquelas pessoas que vivem afirmando que são carentes. Ora, isso é uma vergonha! Carência não significa que você precisa

receber, e sim dar. Dar para si mesma. Se preencher com seu próprio eu. Nada é mais importante que

a sua aprovação, o seu amor, seus sentimentos e sensações.

Só para ilustrar, quero lhe dar um exemplo. Uma das melhores coisas no mundo não é ter o próprio dinheiro? Pois bem, quem tem esse privilégio faz e acontece; tem autonomia e é livre para escolher boa parte dos seus caminhos. Por outro lado, aquele que depende de outro financeiramente fica totalmente à mercê dele para tomar qualquer decisão que envolva dinheiro. Fica preso, atado. Pois bem, aplique agora essa situação na relação afetiva. É a mesma coisa. É terrível depender da atenção, do carinho, do incentivo, do apoio do outro para ficar bem, se sentir feliz. Em outras palavras, quero fazê-la entender que, se você está nessa carência, é apenas você que tem que se resolver. Carência significa que não estou fazendo o que preciso por mim. É uma relação íntima. Só você pode se preencher.

37

A ciumenta? Ah, essa sofre! Sofre porque ciúme é sinônimo de auto-estima abalada, de não

valorização. A pessoa passa a exigir em demasia do parceiro, fica viciada no outro. Quanto mais ela exige, pior sua auto-estima. É um ciclo vicioso. Ciúme nada tem a ver com amor. O ciúme pode, inclusive, levar à loucura. Ele está voltado à atenção; a pessoa quer toda a atenção para si. Isso vira

tragédia grega! Veja bem: quanto mais madura você é, melhor serão seus relacionamentos, especialmente os afetivos. Significa que, quando você se aceita e se valoriza, se torna uma pessoa completa, despreocupada e espontânea. Resultado, só atrai coisas boas.

Pois é, gente, quando pararmos de nos submeter à aprovação e aceitação dos outros, nossos caminhos tenderão a fluir. Saiba que as forças espirituais só agem a nosso favor quando nos respeitamos, nos valorizamos. Então vamos lá: coloque-se sempre em primeiro lugar!

Luiz Gasparetto

Feliz sem sofrimento

A idéia de que a dor enobrece só atrasa a vida da gente. Tire esse pensamento da sua cabeça e tenha tudo o que você merece

Dando foco na realização, quero fazer você usar um pouco mais o seu poder criador. É, porque você já sabe que o nosso destino, as circunstâncias e as situações que vivemos nada mais são do que o fruto das nossas crenças.

O mecanismo é o seguinte: quando a gente diz que a vida é difícil, automaticamente se cria uma

energia que impõe a dificuldade. Ela se materializa e os caminhos se fecham. Se, por outro lado, os desafios são encarados com normalidade, a vida flui positivamente. Há crenças, portanto, que produzem situações maravilhosas, assim como existem crenças que resultam em situações terríveis.

Mas crenças não são só pensamentos. Elas são compostas por duas partes. Uma é nosso senso de realidade, que diz se algo é ou não é. Se é certo ou errado. Verdade ou não. A outra é o grau de importância que a gente dá para todas as coisas. Em outras palavras, quando damos muito valor para determinado fato, damos vida e força a ele. Se mal nos importamos com ele, seu valor se perde e ele se dissolve naturalmente.

O que eu quero dizer, pessoal, é que a vida é a obra do indivíduo. Os fatos, o que ele possui, as

situações que ele atrai, que ele cria, que ele vive. Você é essa obra! Tudo o que está aí: o seu corpo, o

estado em que ele está, o que tem em volta de você, a sua casa, o ambiente em que vive, o que você

consegue provocar no mercado de trabalho

enfim, isso está constantemente revelando você.

38

Se, na sua trajetória, algo não está correndo da melhor maneira possível, experimente, então, mudar

as suas crenças e ver o que acontece. Você faz a lei. A dica é a seguinte: cuidado com as coisas em que

você acredita. Agora o pepino está nas suas mãos. Pense assim: quais crenças minhas estão me fazendo ter essa vida? Só pra fazê-la refletir: o brasileiro adora ser herói. Acha que o fácil não tem valor, que é nobre se sacrificar para conseguir as coisas. Isso é muito forte na educação. Pois tire essa idéia da cabeça.

Uma mulher que batalha para criar seus filhos lavando roupa para fora, no sofrimento não é algo para acharmos lindo. Uma pessoa assim dificilmente tem tempo para se dedicar ao estudo dos filhos. Como pode ser bom formar ainda mais gente desqualificada para o mercado de trabalho? Isso é terrível! É claro que as experiências enriquecem, mas querer endeusar sofrimento, pobreza, doença, falta das coisas? Pode parar!

Bom é bom, gente! Bom é a boa educação, a boa comida, a boa casa. Bom é poder criar os filhos dignamente, com saúde, com cuidados médicos necessários. Criar uma criança hoje é caro! Miséria não é beleza. Beleza é fartura, é abundância, é ter as coisas de maneira fácil, ágil e prática. Não sei porque os valores têm de ser invertidos. Gente, joga fora esse herói.

O que é isso, vocês são tão inteligentes, têm cabeça, têm potencial. Recusem essa imagem de

dificuldade. Não precisa ter mérito. Visualize coisas boas, acredite nelas e você as atrairá. A sua realidade é criada por você. Se existe algo errado em alguma área da sua vida é porque você tem acreditado em coisas negativas. Vista as boas idéias e verá sua vida fluir positivamente.

Luiz Gasparetto

De bem com você mesma

Conheça uma meditação para limpar idéias velhas que só lhe fazem mal e assumir novas atitudes positivas

Quero propor a você uma meditação que vai ajudá-la a ter confiança nos seus sentimentos interiores. Aquele bom senso que apontará o seu melhor. Para se deixar sentir, é fundamental relaxar e é exatamente essa a intenção dessa meditação. Por meio dela você também terá a oportunidade de fazer a limpeza de velhas idéias e assumir atitudes positivas novas, visando sempre ao seu melhor. Muitas dúvidas ainda vão surgir, mas tenha a certeza de que a vida é um eterno aprendizado. Vamos lá?

Respire fundo e solte o ar, deixando a sua respiração livre. Solte a respiração como se soltasse todo o seu cansaço, todas as suas tensões ou preocupações. Como se tudo isso fosse apagado da sua mente. Sinta o corpo. A mente não se apaga, simplesmente ela vai para segundo plano. Sinta novamente seu corpo. Há sensações nele. A respiração: o ar que entra, o ar que sai.

Devagar, imagine uma luz no seu peito, quente e confortável, que vai se acendendo e se abrindo. À medida que ela se acende, você vai mudando de lugar. Agora está na praia. Naquela praia de que gosta tanto. A música vem do ar como se seres invisíveis tocassem pra você. Isso começa a lhe dar um conforto, uma sensação de paz e tranqüilidade. Uma boa vontade de viver nesses momentos, uma cabeça sem pensamentos.

Você se entrega para a vida, deixando que ela a leve pela própria inteligência, pelo próprio fluxo. Pelo seu pensamento, diga:

'“Eu sou livre para escolher. Eu sou livre para tomar as atitudes que eu quiser. Eu me escuto cada dia mais firmemente. O que importa para mim é o que eu sinto. Felicidade é sensação. Realidade é sensação. Satisfação é sensação. Paz é sensação. Firmeza é sensação. Tudo é sensação. Todas as grandes coisas da vida são sensações: amor, conquista etc. A vida é sentir, e eu valorizo as minhas sensações acima de qualquer valor, de qualquer regra. E me deixo sentir, responsabilizo-me por aquilo que eu sinto, pois sou eu que provoco o que sinto. Neste exato instante, quero me sentir bem e eu posso usar uma grande afirmação: Eu sou bom. Mas não só afirmar, vestir essa idéia. Vista!

Eu sou bom. Sinta no corpo inteiro e veja sua vida. Tudo o que eu faço é bom. Pense, sem se comparar com outras pessoas:

Tudo o que faço tem o meu jeito, e meu jeito é sempre bom, pois é único. Sinta o prazer de ser único. Eu sou absolutamente diferente de todo mundo. Sinta a beleza de dizer absolutamente diferente. E todos são absolutamente diferentes uns dos outros. E tudo é absolutamente diferente de tudo. Cada dia é diferente. Cada hora é diferente, cada segundo é diferente. Tudo é diferente de todos em todos os tempos. O universo só sabe criar o diferente, o absolutamente diferente. Quando eu afirmo: Sou absolutamente diferente, eu me equilibro no universo, me sinto universal, amplo, espaçoso. E parece que o vento da praia passa por dentro de mim e eu me sinto em paz com tudo o que existe, sendo como sou, fazendo o que eu faço. Só bem é real. Verdade é o que faz me sentir bem. Doravante, só faço aquilo que me faz sentir bem.

39

Luiz Gasparetto

Abaixo a culpa!

Em vez de ficar se cobrando ou se justificando, preste atenção nos seus verdadeiros desejos e seja autêntica

Na semana passada, eu expliquei que a paz interior poderá ser facilmente conquistada à medida que você ouvir a própria alma, der espaço para o seu bom senso, certo? Concordo que a tarefa não é das mais fáceis; trata-se de um grande desafio. Afinal, existem aquelas outras vozes (que eu chamo de

amebas), fruto das pressões sociais, que ficam insistentemente, ao redor das nossas cabeças, dizendo

o que a gente “tem que” fazer - “Você tem que ser organizada”, “Você tem que estudar”, “Você tem que ser tolerante”.

Pois bem, a história vai mais longe. Quando desprezamos essas vozes, elas nos pressionam mais ainda,

e acaba aparecendo um outro sentimento em nós mesmos: o da culpa. A culpa traz a dor, que é uma

forma da alma nos mostrar que alguma coisa está errada. Assim, quando algo dói, é sinal de que precisamos tomar uma atitude para eliminar a causa. Infelizmente, aprendemos que sentir culpa é um bom modo de sanar o problema. Ou seja, você se desculpa e tudo bem. Mas não é bem assim. A culpa não é solução, mas é, na verdade, um sinal de que estamos agindo inadequadamente.

Para compreender melhor o que é culpa, tomemos o fato de você ter esquecido de telefonar para um amigo, por exemplo. Note agora que você está dividida em dois: um lado sério que lhe cobra determinados comportamentos (você deveria ter ligado) e um outro lado que é você na realidade, agindo de acordo com a sua capacidade de percepção das coisas no momento que agiu.

Se ficar do lado das cobranças, ou seja, da ameba do “tem que”, ela vai pressioná-la e novamente a culpa aparecerá. Agora, faça uma experiência nova: fique do seu lado e procure perceber os verdadeiros motivos e sentimentos que a levaram a desobedecer às ordens. Seja corajosa e assuma- se. Diga a si mesma: “Eu sou o que sou”. Diga-se: “Eu não telefonei, pois o que fazia naquela hora era mais importante”, ou outra coisa que seja o real motivo. Ao assumirmos nossas verdades, anulamos o poder dado às amebas. Porém, se inventarmos desculpas e argumentos ludibriantes, fortaleceremos ainda mais o poder delas. Isso significa que temos medo delas, pois a consideramos invencíveis. Com essa atitude, estaríamos aumentando o seu poder sobre nós. Lembre-se: normalmente você fica do lado do seu cobrador e se machuca. Mas isso não a ensina a fazer as coisas certas.

Agora preste atenção: provavelmente notará um grande alívio ao ficar do próprio lado. Você se sentirá leve, já que estará trabalhando com a sua verdade, o que aconteceu na real. Não importa o que dizem

a seu respeito. Com o tempo, se sentirá ainda mais corajosa para ser autêntica com as pessoas. Pare de pedir desculpas. Comece a se assumir como você é. O respeito por si, com certeza, a levará a aperfeiçoar suas habilidades sem sofrimento.

40

Luiz Gasparetto

Deixe que pensem, que digam

Não importa se as pessoas a criticam. O que importa é o que você significa para si mesma. E não deve ser pouco

Todo mundo tem poder, gente. Isso é fato. Quando temos a consciência desse poder, todas as forças do universo trabalham a nosso favor. Tudo caminha extraordinariamente bem. O porém dessa história toda é que, geralmente, nos encontramos divididos dentro de nós mesmos. Na grande maioria das situações, uma parte da gente caminha, e a outra fica parada por causa dos medos e das inseguranças. Um dos fatos, inclusive, que faz com que percamos nosso poder é a vaidade.

Vaidade é a ilusão de que eu vivo da opinião do outro. Vaidade é infantilidade, dependência e uma deturpação da imagem de si mesmo. Quer ver? Você já deve ter ouvido a seguinte frase: “Se você me amar, vou ser feliz”. Mentira, gente! Ninguém sente dentro de si mesmo o amor do outro. Mais um exemplo, que diz: “Quando todo mundo me aceitar, vou me sentir maravilhosa”. Pois eu digo que não! Somente quando você se aceitar é que realmente você vai se sentir gostosa, plena. Veja bem: você vive com aquilo que tem. Suas emoções, seus sentimentos, sua cabeça - e não com a cabeça e o coração do outro. O grande erro do ser humano é que passamos a maior parte da vida submetidos à aprovação, à consideração, ao aplauso, ao apoio do outro. E, para tal, incorporamos um tipo qualquer, sacrificando, dessa forma, o nosso próprio espírito para agradar a terceiros. Enquanto estamos nessa situação, não somos nós mesmos, nem nos valorizamos.

A vaidade nos faz ter essa ilusão de que a opinião do outro é melhor. E, nessa ilusão, acabamos dando poder para o outro. E mais: quanto mais poder você dá para a fofoca, mais ela vem até você. Quanto mais poder dá às críticas, mais elas chegam. Quanto mais poder dá às perdas, mais elas acontecem. Mude essa dinâmica. Quanto mais importância você der para a sua sorte, suas conquistas e objetivos, para os seus sentimentos e suas verdades, mais fortes eles ficarão na sua vida. Respeitar-se é essencial.

Não importa se as pessoas a criticam ou a elogiam. O que importa é o que você é para si mesma. Conquiste seu próprio reconhecimento. Entenda o que funciona para você. Isso é o que basta! Diga não às amebas e seja responsável por si mesma. Se você está dando poder para os outros, com certeza está se rebaixando. Preste atenção: ninguém é menor que ninguém.

Quando você está sem a consciência desse poder, você teme a vida. Sente medo do amanhã, de não dar conta, de sofrer. Como você dá importância para essas idéias, não? Esse medo geralmente está baseado nos falsos valores que a religião e a moral prega, nos mantendo pequenos e submissos. Você não vai a lugar algum enquanto não reverter essa situação. E não vai se realizar também. Então, acorde!

Recupere a sua lucidez espiritual e comece a jogar fora as impressões erradas que já teve de si mesma. Tire o poder que está dando para outras pessoas e reformule seus pensamentos. Faça, desde já, uma campanha interior para tirar esse hábito que a deixa fraca, submissa, culpada, desprezada, cheia de pedras no seu caminho, resistindo ao seu verdadeiro anseio de vitória e conquista. É, minha gente, é

um grande trabalho

que você. Desperte esta semana para dar apoio integral às suas verdades. Sinta a mudança que isso vai provocar na sua vida interior e exterior. Se banque! Quando está no seu poder, você arrasa. Permaneça com essas palavras no seu pensamento.

Mas, se você não investir em si mesma, quem o fará? Não há ninguém maior

41

Luiz Gasparetto

Tome coragem. Conquiste o mundo!

Uma nova era está à espera dos que se sentem dispostos a vencer o medo de ousar.

Quero reforçar alguns conceitos que vão fazer você caminhar alguns passos à frente: já aprendemos que nossas atitudes determinam nosso destino e mudar de atitude é mudar a cabeça, a nossa visão. Pois bem, é aí que começa o grande desafio. Para mudar, temos de ter coragem para abandonar o velho e adotar o novo. E o que mais atrapalha esse processo é o maldito medo. Enfrentar esse medo significa ousar, e quem não arrisca não conquista.

A

origem do medo é simples: ele está na maldade que costuma povoar a cabeça das pessoas em geral.

É,

gente, o mundo é perverso. Maldade é a capacidade fantasiosa, uma distorção. E estamos viciados

nessa distorção. Quer ver?

Conheço um homem de quem todo mundo fala que só pensa em dinheiro. Ele realmente é uma pessoa próspera, começou muito cedo; uma criatura cheia de idéias. Só que, para concretizá-las, ele precisa de dinheiro. Se não tem, ele não faz e não se realiza.

O barato desse rapaz é concretizar. E o povo só quer saber de criticá-lo. Assim é a maldade. Eu

também passei por isso. Para viabilizar meus projetos, precisei de dinheiro. Mas não é o dinheiro em

si, mas sim a obra. Até eu! Já ouvi, inclusive, que eu, Gasparetto, comercializei o espiritismo. Ora, faça-me o favor! É impressionante como o preconceito e a maldade impedem o ser humano de olhar a obra do indivíduo. Pensem nisso, viu gente?

Outra coisa que quero que vocês observem é essa tendência que temos para o mal; essa predileção de cultivar a fantasia catastrófica. Quando a gente dá ouvidos àqueles pensamentos ruins - as malditas amebas -, perdemos o entusiasmo, e o nosso espírito se fecha, bloqueando todos os caminhos. É aí que quero chegar.

O medo segura e você paga o preço de não ter feito o que deveria, pois ele nega o nosso poder e a

vida cheia de abundância. O medo é também a falta de coragem de falar NÃO para as amebas.

A coragem, pessoal, começa quando enfrentamos a cabeça mórbida. Fantasias destrutivas, fantasmas

que inventamos, horrores e monstros são primitivos. Não é new age. A natureza não vai punir ninguém. Muito pelo contrário, ela só vai apoiar os corajosos.

É hora de agir

Vamos, então, fazer um novo mundo. Você quer a nova era? Chegou, então, a sua vez de fazer alguma coisa. Tenha coragem de ir para o novo. Desafie esse sistema que está cheio de maldade, de deformação, deturpação, doença, medo, culpa, covardia e traição. Estamos numa guerra, sim! E precisamos lutar contra toda essa perversão. Sabemos que existem fraquezas e que elas precisam ser fortalecidas. Sabemos também da ignorância, que precisa ser esclarecida e nada mais. Vamos enxergar a claridade de um novo sentimento! A única coisa que segura a humanidade é a nuvem do medo e aqueles que se deixam dominar por ela. Ou aqueles que não têm coragem de assumir o próprio espírito. Não é fácil, mas é o único caminho que temos para uma vida melhor. Desperte para a nova era. As forças espirituais estão fazendo de tudo por nós. Fortalecendo, inclusive, as novas idéias. Vamos escrever a nova história com a caneta das nossas atitudes. Para tanto, você precisa olhar para si mesma com integridade e orgulho. “Eu sou, eu posso, eu faço e sou maravilhosa. Sou inteiramente incorreta para esse mundo e perfeita para criar um novo mundo.”

A força dessas idéias revitaliza, revigora e abre portas.

42

Luiz Gasparetto

Prosperidade profissional

Melhore sua relação com o trabalho e aprenda a se valorizar para ter sucesso na carreira

Querida leitora, quero ajudá-la a desenvolver mais a sua relação espiritual com o trabalho. Isso significa ampliar as suas capacidades de auto-realização e satisfação profissional. Para começar, é importante entender o conceito de trabalho. A idéia que temos sobre ele é fruto de uma herança cultural que só prejudica nossa perspectiva profissional.

O livro de Jorge Caldeira, Mauá, Empresário do Império, conta que até o final do século retrasado era

malvisto o branco trabalhar. O grande dilema da libertação dos escravos era justamente esse: quem iria fazer o trabalho deles? O branco é que não era. Só com as primeiras levas de imigrantes europeus é que se começou a aceitar a hipótese de que o branco pudesse trabalhar. Dá para entender agora por que às vezes cultivamos uma imagem tão negativa do trabalho?

Muitos acham que trabalhar tem a ver com escravidão. É comum ouvir: “Eu me mato de trabalhar. Sou um escravo.” Ao mesmo tempo que alimentam essa idéia, essas pessoas adotam a postura de escravo. Ou seja, trabalho é algo obrigatório. Surge, então, a resistência de não querer ser escravo, não querer sofrer. Elas se forçam a trabalhar ao mesmo tempo que sofrem uma pressão para não ir.

Essas forças contrárias são pavorosas para a prosperidade profissional dessas pessoas. Elas já vão para

o serviço sofrendo. Até podem gostar do que fazem, mas vivem aguardando o final do expediente. Isso

atrasa o desenvolvimento profissional. Quanto mais você olhar o trabalho de maneira negativa e pejorativa, maior será a resistência da sua parte. E, quanto mais houver resistência, menor será o sucesso na profissão. Não só sucesso no sentido de conquista, dinheiro, oportunidades e crescimento social, como também da satisfação interior e da realização espiritual.

Trabalhar é muito bom

Se encaramos o trabalho como prazer ou como o meio de satisfazer nossas realizações, nossa essência fará de tudo para nos manter em forma para que tenhamos sucesso. Afinal, é dela que vem o entusiasmo, a criatividade, o amor, as forças que trazem a saúde. Se enxergarmos no trabalho as chances de auto-realização, acabaremos produzindo o amor e as suas energias serão altamente positivas.

Percebo que muita gente usa o trabalho como uma forma de obter reconhecimento. Para essas pessoas, a realização não está na atividade em si, mas no que os outros vão dizer, nos elogios. Como só trabalham pelo estímulo externo são eternos insatisfeitos. A satisfação que você tira do seu serviço não pode vir dos outros. Deve vir do quanto você gosta do que faz. O importante não é o aplauso da sociedade ou a busca do status, mas a realização da sua essência. Lembre-se de que está aqui para se satisfazer como pessoa.

Existe outro pensamento que também precisa ser trabalhado, pois é totalmente contrário à prosperidade profissional. Trata-se da relação com o dinheiro. Tem gente que gosta de fazer gênero:

“Dinheiro não é nada para mim”. É fundamental mudar essa atitude, mostrando quanto ele é importante e quanto você o aprecia. Chega de hipocrisia. Em algumas situações, o dinheiro é essencial. Nada de dizer que dinheiro não é bom ou que ser espiritual é ser pobre. Assuma o seu prazer em tê-lo. Crie uma energia simpática entre você e o dinheiro.

Cultive sua auto-imagem

Não tem jeito: tudo o que acontece na sua carreira profissional é resultado do que você acredita, não só a respeito do trabalho, do dinheiro, mas a respeito de si mesma. Se você se enxerga como uma

43

Luiz Gasparetto

coitada, significa que assume postura de impotente, de pequena, de desgraçada. Você precisa se

valorizar!

A maioria de nós tem uma auto-imagem negativa. Essa negatividade é uma distorção que cria os

nossos sentimentos de inferioridade. Quem de nós não cultiva dentro de si aquela pontinha de

rejeição, ressentimento, vergonha, desconfiança da sua capacidade, medo de que os outros a vejam assim tão imperfeita? Tudo isso é uma grande bobagem! Ninguém é menos: todos temos potenciais e

a vida é cheia de chances.

Sucesso é a consciência dos seus valores reais e potenciais em uso no cotidiano e, para isso, é fundamental uma auto-imagem positiva. Eu passei a usar uma espécie de lema que me ajudou a reformular minha auto-imagem: o que é bom deve ser eu e o que não é bom não deve ser eu, pois Deus me criou perfeito. O fato de algumas coisas em mim se mostrarem insuficientes deve-se à falta de aprendizado, pois eu sou excelente para aprender tudo. Experimente fazer a mesma coisa. Funciona.

44

Luiz Gasparetto

Fuja do modelo ideal

Querer mudar o corpo ou a mente para se enquadrar nos padrões mais valorizados pelos outros só lhe trará infelicidade

É impressionante como a ideologia do “ser perfeita' contamina as pessoas, desestabilizando-as. Você já deve ter sido vítima daquele sentimento de inferioridade que surge quando não conseguimos corresponder ao modelo ideal. É isso mesmo: àquele modelo que a sociedade prega como sendo o politicamente correto.

Lembra da ameba do “tem que”? Pois bem, ela adora o verbo dever. Por exemplo: você deveria ser organizada, você deveria ser eficiente etc. É essa linha de raciocínio que abala a auto-estima e provoca desamor e autodesvalorização.

Todo mundo sofre disso: “Não sou linda o suficiente”; “Não sou inteligente o suficiente”. Gente, isso é desprezo, é abandono. A história é um tanto complexa: de repente, você se pega se achando a pior das criaturas, pois se deixou levar por meras fantasias e ilusões. Acaba tendo vergonha de si mesma porque não é XYZ, se esconde, mente, não se assume, se despreza e se trata pessimamente mal.

E, ao tentar copiar o modelo, o resultado é comprometedor, já que você se transforma numa pessoa desengonçada e sem graça. Por fim, vem a dor na alma. Se você não é como “deveria” ser, vem a autopunição, a autocondenação. “Você não vale nada” é a frase que fica rondando a sua cabeça.

Agora preste atenção: a dor sempre é um sinal de alerta para alguma coisa que está errada e manda a consciência tomar as devidas providências. Ela é um aviso extraordinário de que nós temos de aprender a observar. A dor serve para que mantenhamos a integridade do nosso organismo.

Se nós nascêssemos sem a sensibilidade da dor, não duraríamos muito. Ou seja, todas as dores emocionais, nesse caso, sinalizam que a cabeça está fazendo algo disfuncional, desintegrado do sistema, algo que precisa ser consertado. Significa que você está adotando o “deveria”, e o “deveria” é inadequado à sua saúde emocional.

No entanto, se você não dá chance ao “deveria”, vai se sentir bem melhor. Experimentará uma sensação de bem-estar. Significa, portanto, que está adotando uma postura adequada. Se não tivesse a pretensão de querer ser, começaria, inclusive, a enxergar a si mesma.

Você pode, por exemplo, não ser uma pessoa bonita dentro dos padrões - o que isso importa? Mas pode ser uma pessoa gostosa. Quem não gosta de gente gostosa? Pronto, é isso o que você é e ponto final. Enquanto você der atenção a essas exigências que a sociedade impõe, suas qualidades ficarão escondidas sob uma cortina de idealizações.

45

É engraçado como existem mulheres maravilhosas, cultas e até bem-sucedidas que caem nessa

armadilha. Isso é realmente perigoso, pois, se você se deixa dominar por esses pensamentos, acaba não vendo mais nada.

E o pior: dificilmente terá sucesso em suas empreitadas. Lembre-se de que nada sai bom se você se desvaloriza, se anula. Deixe o ideal de lado e diga para si mesma: não quero o modelo, quero a minha dignidade, a minha natureza, quero ser eu, quero me assumir, ser autêntica.

Quando se tem o prazer de ser quem se é, tudo flui às mil maravilhas. Pode perceber: quando você se dá o devido valor, quando se ama, se gosta, a vida caminha de uma maneira prazerosa e saudável, plena de realizações.

Luiz Gasparetto

Vença o baixo-astral

Para superar o problema, aceite os outros como são, com suas qualidades e seus defeitos

Ninguém está isento de passar pela depressão. Eu sou uma dessas pessoas, por exemplo. Aliás, uma das coisas que têm me ajudado bastante é lidar com o meu desapontamento. Como nos decepcionamos! Esperamos tanto das pessoas, às vezes até das mais queridas, mas elas não têm condições de dar ou não querem dar, afinal, são livres pra não querer. E eu aceito isso? Você aceita? Não, gente, nós não aceitamos.

O que realmente me ajudou muito a sair da depressão foi não esperar. Não esperar nada de ninguém. Muita coisa vem; é muito bom. Outras não; nesse caso, eu parei de me julgar 'pobre de mim'. E como eu posso, inclusive, me desapontar comigo mesmo, também não espero muito de mim.

Você é capaz de parar de esperar que você seja uma pessoa dessa ou daquela forma? Eu tenho uma fórmula boa pra isso. Repita e assimile: “Eu me aceito como sou. Sou assim mesmo e posso me fazer companhia. Aceito que tenho uma série de adjetivos que são considerados inadequados ou chamados de defeitos e fraquezas. Mas é o que sou, é o jeito que eu sei fazer. Quero estar bem comigo. Os outros não fazem por mim. Eu me viro e vivo bem.”

Ah, como é gostoso isso, não é mesmo? Essa atitude de se virar é bárbara porque a vida oferece milhões de saídas que a gente nunca espera. Você já reparou como existem muitos recursos ocultos? Observe bem: quando você está numa situação delicada, uma série de coisas podem acontecer para lhe tirar dali ou ainda lhe indicar um caminho. Esta coluna, por exemplo. Ela chegou a você. De repente, você está super pra baixo e este texto está lhe dando uma mensagem que pode aliviar sua tristeza. Viu só?

Então

que acontecer, eu me viro, eu vou arriscar”. Ah, que coisa boa, cara leitora. Uma das grandes chaves

para sair da depressão é arriscar. Outra pergunta importante: Você faz tudo por si? Ah, porque para sair desse buraco tem de fazer tudo por si. A profundidade que você está na depressão corresponde ao esforço que tem de fazer para tirar-se dali.

Jogue com tudo! Diga para si mesma: “Eu não vou mais ter esperança com ninguém. Cada um dá o que dá, faz o que faz. Eu aceito o que é. Se a pessoa é grossa, tudo bem. Se é sensível ou rude, tudo bem. As pessoas são como são. Vou me soltar”.

Definitivamente não há problemas em lidar com problemas! Vamos supor que algo não deu certo na sua vida e, de repente, você tem que enfrentar algo desagradável. Então, o que você vai fazer? Eu decidi que vou encarar e dane-se, porque é difícil mesmo. Eu vou e posso ficar calmo e relaxado enquanto estiver encarando. Não preciso ficar com ódio nem revoltado. Vou encarar numa boa e seguir em frente. Ai, que alívio! Essa postura tira completamente a depressão.

Muito bem, coloque uma coisa em mente: a gente vai ter sempre que enfrentar algo na vida. Agora, enfrente-a com boa vontade, com bom sentimento, com o seu melhor. A vida não caminha, mesmo, de acordo com os nossos sonhos. E não faz mal. O importante é que ela vai e que há sempre um mistério que pode nos surpreender.

Existem muitos recursos na vida que nos garantem a certeza de dizer assim: “É, aconteça o

46

Luiz Gasparetto

O destino está nas suas mãos

A alma não controla somente o que está dentro da gente; ela rege tudo o que está ao seu redor

É isso mesmo, leitora: o destino está nas suas mãos. Temos uma visão que nos coloca sempre como

vítimas da nossa vida. Vítimas da genética ou, como dizem os psicólogos, da influência dos pais, da educação. Essas influências existem e até certo ponto são importantes, mas não são determinantes do nosso destino. Somos seres eternos. Viemos nos constituindo a partir de muitas experiências, trazendo bagagem e conhecimento. Na verdade, nós influenciamos nossa genética, nosso meio. Ou podemos ser influenciados, dependendo da maturidade de cada um. Uma pessoa menos experiente, por exemplo, se deixa influenciar mais.

Ignorantes ou não, todos têm o poder. O que você não pode perder de vista é que não importa a vida que teve no passado. Todos temos o poder de decidir. A gente está sempre escolhendo. Agora mesmo, você está optando entre prestar atenção na minha coluna ou dar vazão aos pensamentos que passam pela sua cabeça.

Precisamos entender, também, que 10% desse nosso controle está nas mãos do “eu” consciente. Os 90% restantes são controlados por outro centro que a gente conhece como alma, como si mesmo. Esse centro coordena a vida de todo o seu corpo - físico, mental, espiritual etc. Religiosamente, dizem que é o Deus interior.

E a alma não controla somente o que está dentro da gente; ela rege tudo o que está ao seu redor. Está

ligada ao cosmo. Por ser vasta, a alma tem poderes ilimitados e pode lhe dar tudo. No entanto, fomos

educados ouvindo a história de a vida ser dura, conquistar o que se quer com muito esforço. Por educação ou por conceitos religiosos, tudo é difícil. Alma não, gente. Alma quer tudo de bom da maneira mais fácil.

Preste atenção: hoje, o conceito do grande homem é uma fantasia e está atrapalhando o que a alma quer fazer por nós. Na verdade, o homem vive no inferno, cheio de medos e na paranóia do que pode acontecer. Os pensamentos ruins são incontáveis. Isso significa que ele não tem a menor confiança nos 90%. Coragem vem da alma. Vontade vem da alma. E a gente não a escuta!

A natureza nos deu a alma para que possamos saber o que fazer. Ela nos orienta por dentro. O

raciocínio é importante, mas não é tudo. Não é ele que dirige, que faz a sua vida funcionar. A alma procura outros meios para falar o que está certo. Você pensa que as pessoas à sua volta estão lá por acaso? É para você enxergar algumas coisas.

Se, no momento, estiver passando por maus bocados, mais pra frente dará certo. Situações difíceis pelas quais a gente passa são lições da alma. Ela está tentando fazer com que mudemos algumas coisas para levar adiante e tomar novos passos. E como ficar do lado da alma? Como ouvi-la e atendê- la? O que fazer para a alma fazer o seu trabalho?

Sendo você mesma. Confie no próprio taco, não faça tipo para agradar ninguém, não dê ouvidos aos

outros, faça o que gosta. Quem está bem consigo, se realiza. Quando você se põe confiando, se dando,

a abundância surge. O sucesso será apenas uma conseqüência

47

Luiz Gasparetto

Desenvolva a maturidade

Na edição anterior, falei quanto é fundamental usar nossos potenciais e capacidades para satisfazer as próprias necessidades emocionais, lembra-se? A isso chamamos de maturidade, ou seja, o indivíduo usa o 'seu' para si; ele mesmo se preenche. Ao mesmo tempo que crescemos, existe uma outra parte de nós que insiste em não amadurecer. Pois nossa conversa desta semana é justamente sobre essa parte que não cresceu.

Para tanto, vamos ter que mexer, a partir de hoje, em algumas idéias importantes que ficaram para trás. Por exemplo, os seus pais. Muitas pessoas se julgam rejeitadas pelos pais na infância, segundo a própria interpretação. É claro que tudo isso é uma grande bobagem, mas, por acreditarem que não obtiveram o que queriam, se consideram traumatizadas. Ou seja, entram em crise porque os pais não preencheram as suas ilusões. Pois bem, para ajudá-la a se libertar dessa falsa interpretação, vamos começar fazendo o seguinte exercício:

Feche os olhos, sinta-se dentro de você e procure se entender. Existe alguma coisa que ficou bloqueada na sua infância? Algo que queria crescer, se desenvolver, mas que durante a sua trajetória não foi pra frente? Pergunte para seu corpo onde está esse bloqueio. Ele vai apontar uma região em que o bloqueio ficou estagnado. Observe: geralmente, nesse local, há uma dor ou um mal-estar. Você vai sentir que esse ponto a puxa para dentro de si, como se você estivesse encolhendo e se vendo anos atrás, bem menor. Muito bem, com quantos anos você se vê? Como está sua vida? O que está acontecendo aí? Que idade tem? Como está vestida? Como estão as pessoas em volta e quem são essas pessoas? O que está acontecendo de desagradável?

É muito natural mexer com isso e aparecerem algumas emoções, uma vez que elas vêm do interior, tão intensas e presas. Deixe-as fluir. Observe aquilo que a incomodava. Quase sempre, a gente encontra raiva, medo, desilusão. É a criança em você. O que tanto você queria e não tinha? Fique consciente. Em vez de receber o que queria, o que você recebia? O que está acontecendo de ruim? Quando você não tem o que quer, o que resolve fazer? Olhe bem para essa criança, repare como ela é orgulhosa e mimada. Ela não quer entender a realidade, apenas quer as coisas do próprio jeito. E como ela ficou ofendida! E como guarda ofensas! Na verdade, você queria dominar a situação. Como não tinha poder pra isso, então se fez de vítima.

Você protege essa criança. Você protege essa parte que são seus sentimentos. No entanto, é só o seu orgulho. Trauma é orgulho ferido. Quando o defende, mais ele cresce e mais vulnerável você fica. Quanto mais vulnerável, mais você se machuca. Experimente jogar fora essa parte. “Isso não sou mais eu. Hoje sou adulta, tenho uma cabeça boa e não aceito mais isso. Não quero as coisas do meu jeito. Vou aprender a lidar com tudo. Não quero ficar criança. Emburrada para o resto da vida. Carregando ressentimentos e amarguras. Quero me sentir livre, forte, dona do meu nariz. Auto-suficiente, segura de mim. Não quero conservar isso que me faz dependente dos outros.” Negue isso para ver como você se sente, o alívio que dá. Abra os olhos!

48

Luiz Gasparetto

Domine a vaidade

Ela é fruto da fantasia e faz com que você viva em função dos outros, e não de acordo com a sua verdade interior.

Quero continuar a falar sobre ilusão, pois é impressionante como ela compromete, em vários setores e aspectos, a vida e a felicidade das pessoas. Eu já havia falado que ilusão é o uso negativo da fantasia. E que toda desilusão é fruto da ilusão. Ou seja, o indivíduo idealiza modelos e determinadas situações e, quando se depara com a realidade, entra em crise. Todo mundo costuma dizer que a realidade é cruel, mas na verdade é a ilusão que machuca.

A ilusão mais popular, mais comum, é a vaidade. A pessoa que é vaidosa precisa da aprovação dos

outros. Aliás, ela espera tudo a que tem direito: reconhecimento, valorização, respeito, admiração, amor. Como não consegue, finge e incorpora um personagem que nada tem a ver com a sua maneira

de ser. Sua reputação está em jogo, ela não pode ser malfalada. Ao contrário, precisa ser aplaudida. E ”

veja bem: todo mundo é vaidoso! “Eu 'tenho que'

um tipo para obter das pessoas o que quer. Sinceridade, nem pensar! “Imagine, se eu for natural, sincero, o outro pode me rejeitar e dar o contrário do que eu quero.”

Mas, por que as pessoas são vaidosas? Por que elas se submetem a esse tipo de situação? Pode observar: o que todo vaidoso faz é buscar alguma coisa para se realizar, para se sentir bem. Geralmente, o que ele procura é exatamente aquilo que não teve durante a trajetória da sua vida. Respeito, por exemplo.

Dessa forma, ele vai fazer um gênero qualquer para obter o tão almejado respeito. Ou seja, ele se esconde atrás de um personagem e toda a sua espontaneidade vai por água abaixo. No fundo, ele faz isso para se proteger, mas acaba se sufocando, se sentindo pequeno e ficando totalmente dependente do outro.

Na prática, ele até consegue enganar as pessoas e, como no exemplo anterior, pode até conseguir o respeito. Mas, lhe pergunto: o respeito do outro preenche a alma dele? Eu lhe garanto que não! A ilusão do vaidoso é acreditar que, incorporando um 'jeito de ser', ele conseguirá o que tanto busca no outro. Daí ele se sentirá maravilhoso. Tudo bobagem! O 'eu interior' não se realiza, somente o que vem de dentro da gente nos satisfaz, nos faz sentir plenos.

“Se eu me amo, estou preenchido.” “Se me considero, me sinto preenchido.” “Se me aceito, me sinto preenchido.”

O do outro não preenche, gente! Pode até ser legal, num primeiro momento, mas a realização

depende de si mesmo. Como aquela garota que arruma um namorado para não se sentir sozinha e, de repente, ela se pega numa solidão com o parceiro do lado. Ou como o filho que optou pela advocacia com a intenção de ganhar a aprovação do pai, mas não tem nada a ver com ele.

Gente, o que é nosso é o verdadeiro. O dos outros não é importante. A vaidade aniquila, pois ela não passa de uma ilusão. Você se mata por aquilo e mesmo assim vive infeliz, pois aquilo não o preenche. Volto a dizer: vaidade não é defeito, é ilusão. A gente herda tudo isso dos pais, da sociedade. Quando você conseguir se libertar dessa herança, vai poder viver toda a sua autenticidade e entrar em contato com a sua alma, numa vida cheia de beleza e harmonia.

para os outros me

Isso é terrível! A gente faz

49

Luiz Gasparetto

Faça uma limpeza no seu interior!

Não adianta limpar só as portas e as janelas também da nossa

Antes de partir para o trabalho que darei início na próxima semana, proponho a você, leitora, que faça uma limpeza interior. Pois é, o final do ano está aí e precisamos descartar tudo o que não serve mais nas nossas vidas. Isso é fundamental, gente. Só assim criaremos chances para o novo e estaremos inteiros para viver com intensidade o que de bom está por vir. Para fazer uma eficiente higiene mental, precisamos considerar dois aspectos importantes. Veja quais são eles.

É preciso tirar a sujeira

Creia em pensamentos positivos

Primeiro, precisamos acreditar e dar importância aos nossos pensamentos positivos. E a melhor forma para isso é aprender a selecionar os nossos pensamentos de acordo com os sentimentos que eles provocam no nosso corpo, para não nos enganarmos. Se eles nos dão a sensação de bem-estar, então podemos acreditar neles, sem medo do futuro. Se as sensações forem desagradáveis, devemos rejeitá- los e procurar algo melhor para crer lá em nosso íntimo.

Algumas pessoas podem até dizer: “Ai, mas tal pensamento está há tanto tempo dentro de mim que agora vai levar um século para eu me libertar dele”. Não!!! O tempo não é importante, e sim a fé que você está depositando nele agora. Tenha em mente que o melhor tempo para mudar é agora. Os pensamentos são livres! Podemos crer no que quisermos, quando quisermos.

Faça um exercício simples. Sente-se em um lugar confortável, aquiete a mente, olhe para dentro de si e pergunte-se: “Em que eu quero crer agora? Em que é melhor acreditar?” Então, visualize a vida que você quer num futuro próximo. Que interessante, né, minha gente? De repente, você passará de vítima do destino para agente, como autora do seu próprio destino. Então, acredite no que você quiser! Mas mantenha suas crenças sem ansiedade e desconfiança. Creia e esqueça; é a melhor forma de ter bons resultados.

50

Eu sei que a tarefa não é das mais fáceis, mas você vai conseguir. Diante de pensamentos negativos resistentes, adote a seguinte postura. Diga: “Eu mudo facilmente, eu aprendo facilmente”. A nossa mente é universal e todos têm a mesma capacidade. Então, afirme: “Eu mudo com prazer”, “Eu posso ser o que quiser”. Você pode, inclusive, procurar outros pensamentos facilitadores. Por exemplo: “Eu conquisto meus objetivos com facilidade”. Volto a repetir: você é dona do seu próprio destino!

Conecte-se com seu eu superior

O segundo tópico importante a ser considerado para obter uma eficiente higiene mental é procurar o mais rápido possível se ligar com seu eu superior. Assim, assumimos todas as nossas grandes qualidades, que são: sabedoria infinita, amor incondicional, poder total e liberdade responsável.

Conectar-se com seu eu superior é, sobretudo, sentir o prazer de ser única e ter a ousadia de ser verdadeira! Não importa o que pensam ou deixam de pensar a seu respeito. O importante é como você se vê, o que pensa e como se sente. É não ter medo de bancar as próprias escolhas. É ficar sempre do seu lado. É se dar apoio.

Fazer essa limpeza interior é um grande começo para alcançar a felicidade. E tenha em mente, leitora:

não há felicidade para quem não se cuida e se trata bem, pois você colherá em si o que em si plantou. Tudo depende de você.

Luiz Gasparetto

É errando que a gente aprende

Não tenha medo de tentar nem se culpe quando fizer algo que não dê certo. Ao errar, você toma consciência das coisas

Trabalho, dinheiro, casa, marido ou namorado, filhos, cuidados pessoais para ficar linda, gostosa e

maravilhosa

tudo no “piloto automático” e nem percebe que certas posturas que adotamos comprometem nossa realização. Pois é aí que reside o foco da maioria de nossos problemas. Eu já disse que o mundo invisível está sempre trabalhando a nosso favor. Mas isso só acontece se você colaborar, ou seja, se adotar as posturas adequadas, porque o mundo invisível trabalha coordenado com você. Uma pessoa que está investindo muito no medo, por exemplo, não pode produzir alguma coisa bacana. As forças invisíveis só vão atuar em nós quando estivermos num certo estado positivo.

Veja a arrogância, por exemplo: todo mundo tem uma certa dose disso. É aquele nosso lado que considera tal coisa perfeita e critica a realidade. Arrogância é falta de aceitação. Sei que, pra muita gente, aceitar é ser uma pata choca. Não estou falando de conformismo, mas sim de entender a realidade e lidar com ela de forma inteligente. Não brigar com ela. Cada vez que você bate de frente com a realidade, cria campos de rejeição. Resultado: as forças invisíveis vão responder à altura e você verá seus caminhos se fecharem.

Criticar alguém é querer ser juiz e temos que ter é compaixão. O que é isso? É ser realista e entender a pessoa pelas condições dela. É compreender a ignorância e onde está o seu ponto fraco. O arrogante critica, sobretudo, a si próprio. Ele acredita que deveria ter sido de forma xis e, quando não tem todo aquele desempenho irreal, se culpa, se cobra e faz um trabalho de macumba negativa contra ele mesmo. E depois não sabe porque as coisas vão mal. Afetivamente, é aquele desencontro. Profissionalmente, tudo cai. E você pode até chegar pra mim e dizer: “Ai, Gasparetto, eu pensei que sentir culpa é ser modesta”. Modesta nada! Sentir culpa é sinal de que você é uma grande pretensiosa. Por que você acha que deveria ser isso ou aquilo? Você não tem condições! Já olhou para si mesma? Aí está a maldade. A maldade contra nós e contra todos. É óbvio que é bom exigir sempre mais de nós

mesmos. Mas essa história do “eu deveria isso e aquilo

Por isso, minha gente, precisamos desenvolver o estado de pureza. A pureza está impressa na ausência total de arrogância e na aceitação integral dos fatos. Pare de brigar com a realidade. Se insiste nisso, sua vida vira uma confusão. Quando você começa a cultivar a pureza, acontecem fenômenos extraordinários. Sua mente começa a ficar mais clara, seu sono e sua saúde melhoram, você passa a ter prazer e sensações que há muito tempo não experimentava, fica bem e descansada. Nada a preocupa. Por fim, as forças espirituais passam a atuar positivamente na sua vida.

Tenha sempre em sua mente que tudo está caminhando para a sua própria evolução. Todos os caminhos que você decide seguir são experiências que certamente você precisa passar. Todos os seus erros foram certos. Porque é a partir deles que você toma consciência das coisas. São erros que você precisa cometer para compreender diferenças. Errar é muito importante. O erro é um ensaio para nossos futuros acertos. Deixe de ser arrogante e permita-se errar. Erre e abençoe seu erro, aproveitando cada coisa que ele lhe traz.

Eu sei, leitora, o quanto a vida a exige. O resultado é que, normalmente, a gente deixa

”,

não tem nada a ver.

51

Luiz Gasparetto

Bateu um certo desespero? Calma!

Quando a gente está à beira de um ataque de nervos, o ideal é parar uns minutos para refletir e, só depois, tentar resolver a situação

É impressionante como um grande número de pessoas se encontra na seguinte situação: em desespero. É o seu caso? Você está aflita? Se sente vulnerável? Provavelmente você está insegura porque tinha ilusões de enxergar a felicidade de um jeito que não deu certo. Quando percebeu que estava perdendo o controle da situação, começou a ficar desesperada. Os motivos são o mais diversos possível. Não conseguir cumprir aquilo que tanto desejou, não dar conta do recado de realizar os planos no amor, na carreira e na vida em geral. Você pode até chorar, desabafar um pouco e aliviar as tensões, mas o que deve fazer é nada mais, nada menos, do que confrontar a sua atual realidade. E, para tanto, você precisa de CALMA.

Pois é, leitora, não é com a cabeça cheia de idéias malucas que você conseguirá recuperar o controle. O primeiro passo, portanto, é respirar fundo e se soltar. Vamos lá, cabeça fresca! E, depois, você não vai se permitir ficar sofrendo à exaustão, não é mesmo? Você se gosta, lembra-se? Diga para si mesma: “Que se dane tudo! Não vou sofrer, porque sou uma pessoa inteligente. Vou encontrar uma solução, sem opressão ou confusão”. Vamos lá, repita essa frase e não deixe as emoções dominarem sua mente.

Você está cansada, né? Geralmente, quando a gente entra em desespero, é porque as coisas já vêm nos atormentando há um bom tempo. Então, largue um pouco esse monte de problemas e se espreguice! Espreguice seus ombros, as pernas e os braços como se estivesse se livrando de todo esse tormento. Recuse-se a sofrer. Solte-se desse drama. Agora se sente melhor? Eu sei que você ainda não

resolveu aquela situação. Aliás, você já reparou que tem sempre aquela voz interna dizendo: “Resolva,

O que vai acontecer?”

Enfim, essas formas de pensamentos (essas amebas!) insistem em dirigir nossas vidas. Então, dê um berro no interior da sua cabeça e ordene para que elas se calem. Seja dura e firme. Você não é obrigada a fazer nada que não queira, certo? E agora, melhorou? Ao menos um pouco, tenho certeza que sim. É, minha gente, quando adotamos pulsos fortes no nosso mundo interior, os desconfortos se amenizam.

E os outros? Como você dá importância a eles, não? Para quê? Não há ninguém que vá segurar sua barra, além de você mesma. Se você não gosta e não quer tal coisa, imponha-se, sem se preo-cupar ou ficar desesperada com o que os outros vão achar ou falar. E nada de se condenar também! Não sei por que a gente tem essa mania. Por não ser boa o suficiente? Por não se sentir maravilhosa? Por não ser aquela supermulher? Mas você não precisa ser magnífica, basta ser humana. Basta ser você. Tenha vergonha na cara e deixe de dar importância para essas bobagens que são as opiniões dos outros. Mande embora esse maravilhoso juiz que insiste em condená-la e reforce pra si mesma: “Eu sou o que sou. Fiz o que fiz. E, o que vier, eu banco e encaro”. Experimente! Encare tudo com o espírito mais leve, sem drama e sem culpa, porque isso tudo só a assusta. Saia dessa, leitora, porque o susto que leva ao medo só nos faz pequenos e travados, sem saber por qual caminho seguir. Largue esse medo e enfrente a situação, seja ela qual for. De cabeça fria, você vai fazer o seu melhor. E, claro, vai dar a volta por cima.”

resolva, resolva

Tenho que fazer

Não posso ter feito o que fiz

Que horror

52

Luiz Gasparetto

Deixe suas culpas todas para trás

Para seguir em frente no seu caminho, é preciso conquistar a paz interior. E só consegue isso quem tem coragem de dar um basta nas imposições sociais. Você também pode!

Você já reparou que a maioria das pessoas vive às voltas com a culpa? Culpa por não dar a atenção devida ao amigo, culpa por não acolher tal pessoa em tal hora, culpa por não ter tomado tal atitude, culpa por ter agido de tal maneira em tal ocasião, culpa disso e daquilo. Os motivos são o mais variados possível, mas lá está a culpa, sempre atormentando a cabeça da gente.

Pois eu lhes digo: a paz interior só será conquistada à medida que você ouvir a própria alma e der espaço para o bom senso. A culpa, minha gente, assim como a tristeza, a angústia, a pena e todas as sensações ruins, é puro sentimentalismo. Eu já disse, em outras edições, que a nossa sociedade nos obriga a ser bonzinhos e sofremos muito com essa imposição. A culpa, por exemplo, acarreta dor e desconforto, que são formas de nossa alma nos mostrar que alguma coisa está errada. A culpa significa que estamos agindo inadequadamente, e mais: significa que estamos dando uma farta atenção às amebas, aqueles pensamentos ruins que habitam nossa cabeça e vivem fazendo cobranças na nossa vida. Cobranças do tipo: “Você tem que ser assim” ou “você tem que fazer assado”.

Por exemplo: temos sempre que fazer algo pelo outro porque ele é “coitadinho”. A ameba do “tem que” aparece e diz: “Você tem que ajudar”. Ela pressiona, fazendo você ter aquela sensação de culpa. Conseqüentemente, você acaba cedendo. Veja bem: a culpa nada tem a ver com a sua vontade, que é genuína e vem lá do fundo da sua alma.

Quando a gente dá ouvidos aos pensamentos ruins, a essas terríveis amebas, perdemos o entusiasmo

e o nosso espírito se fecha, bloqueando todos os caminhos, nosso bem-estar e nossa felicidade. Ora,

dê uma basta nisso tudo! E, definitivamente, fique do seu próprio lado. Lembre-se de que você não é obrigada a fazer nada que a sua alma não queira.

Agora preste atenção: provavelmente você notará um grande alívio ao ficar do seu próprio lado, em sintonia com a sua alma. Se sentirá leve, porque estará trabalhando com a sua verdade. Não importa o que dizem a seu respeito. Você está bem consigo mesma e, principalmente, estará sendo verdadeira com a realidade. Com o tempo, se sentirá ainda mais corajosa para ser autêntica com as pessoas. Pare

de pedir desculpas e comece a se assumir como você é. O respeito por si mesma, com certeza, a levará

a aperfeiçoar suas habilidades sem sofrimento.

Agora, como ficar do lado da alma? Ouvi-la e atendê-la? O que fazer para a alma realizar o seu trabalho? Simplesmente sendo você mesma. Confie no próprio taco, não faça tipos para agradar ninguém, não dê ouvidos aos outros, faça apenas o que gosta. Quem não está bem consigo não vai pra frente. Quem está bem consigo, se realiza.

Meu recado, portanto, é ouvir a voz que vem dentro do seu coração. Não subestime sua intuição, sua verdadeira essência. O grande desafio da vida é administrar os dois lados sempre opostos e que causam esse conflitos. De um lado, a nossa alma; do outro, tudo o que você aprendeu, as terríveis amebas. Imponha-se, simplesmente! Dessa forma, você se sentirá aliviada, encontrará a paz e se libertará definitivamente das falsas culpas.

53

Luiz Gasparetto

Eu quero, eu posso, eu me transformo

Esqueça quem você foi ontem e, a partir de agora, seja alguém bem melhor. Basta querer

Hoje quero reforçar o tema que abordei na semana passada por meio de uma meditação. Convide uma amiga para fazer o seguinte exercício junto com você. Primeiro, ela lê em voz alta o texto a seguir enquanto você, de olhos fechados, sente o poder das palavras. Depois, vocês invertem os papéis.

“Eu estou consciente e tenho o poder de pensar como eu quero. Tenho o direito de pensar no que eu quero para o meu próprio bem. Eu tenho e posso impor ao meu mundo interior tudo aquilo que eu quiser. E quero me sintonizar com o melhor. Esqueço, a partir de agora, a pessoa que eu fui, sobretudo meus vícios de pensamentos. Penso apenas na paz. Penso nela, permitindo que seu perfume toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os cantos do meu corpo. Penso na paz com uma mensagem de ordem e equilíbrio perfeito.

Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso'. Eu posso estar na paz. Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal com responsabilidade divina, obtida por herança natural. O melhor para mim é um grande sorriso no peito. É a felicidade barata e fácil a que tenho direito. É tão simples pensar que o melhor está em mim! A beleza está em mim. A suavidade está em mim. A ternura, o calor, a lucidez e o esplendor das mais belas formas do universo estão em mim. Aí eu me abro inteira, viro do avesso e sinto que não há fronteiras nem barreiras para mim. Sinto que o limite é apenas uma impressão. Sinto que cada condição foi apenas a insistência de uma posição. Sinto que sou livre para deixar trocar qualquer posição por outra melhor. Sou livre para descartar qualquer pensamento ruim, qualquer sentimento ou hábito negativo, qualquer paixão dolorosa. Porque eu sou espírito. Sou luz da vida em forma de pessoa.

Ah, universo, eu estou aberta para o melhor para mim. Eu sei que muitas vezes sou levada por uma

série de pensamentos ruins. Mas é porque eu não conhecia a força da perfeição. Eu não conhecia a lei do melhor. Agora eu me entrego, me comprometo comigo, com o universo e contigo. Vou manter a minha mente aberta. Esse momento me desperta, me traz a inspiração ao longo do dia onde se efetiva

a luz que irradia para quem insiste no próprio aperfeiçoamento.

Não quero pensar nas minhas fraquezas. Quero olhar bem fundo nos meus olhos e ver como eu sou bonita, como fiz e faço coisas maravilhosas e como o meu peito está cheio de vontade. Eu assumo a responsabilidade sobre essas vontades e me projeto com força nessa identidade de saber que eu

posso, sim, fazer o melhor. Despertar o meu espírito é viver nele. É ter a satisfação de ser eu mesma. É poder ser original, única, pequena e grande ao mesmo tempo. Sei agora que o melhor está a meu favor. Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manifesta em mim como pessoa em transformação. Eu sinto como se tivesse sentado nessa cadeira da solidez universal porque eu estou no meu melhor. Porque sou o sucesso da eternidade, porque estou há milhares de anos seguindo e não fui destruída. Porque o universo garante. Grito dentro de mim mesma: de todas as coisas da vida,

o melhor ainda sou eu. O melhor sou eu!”

54

Luiz Gasparetto

Celebre o Natal consigo mesma

Use essa data para refletir sobre o seu estado de espírito e fazer uma limpeza interior

Para celebrar esta data de uma maneira bem especial, quero trazer a você, leitora, uma mensagem do meu grande mestre, Calunga. Ele sugere que a gente faça uma confraternização interior. A oportunidade não poderia ser melhor, porque o Natal chama todos a refletir, rever os valores, entender o próximo e ter mais compaixão. E você deve ter compaixão não só com aquele que está aí do seu lado, mas consigo mesma. O objetivo é um só: caminharmos para o bem maior. Vamos lá?

Convido você para um momento de recolhimento. Quero que, a partir de agora, você confraternize com seu próprio espírito. Como se faz isso? Comece fazendo uma limpeza interior. Volte-se para o seu coração e abra as portas da suavidade. Sim, vamos nos tornar leves e suaves. Vamos, ainda, compreender que pela paz tudo se resolve. Para tudo se dá um jeito. Transpire Deus como se fosse suor. Transpire beleza como se fosse perfume. Transpire suavidade. E tenha a certeza de que esse é o caminho que irá conduzir você à realização, à harmonia, à verdadeira felicidade. Pois é, pessoal, a suavidade tem o poder de tudo transformar. Ela pode neutralizar as coisas mais rudes, mais sombrias, mais persistentes e mórbidas.

Vamos lá: exercite a sua suavidade. Neste dia de Natal, comungue com a paz, com a vida, com os seus sentimentos mais profundos. Passe por cima de toda essa correria de fim de ano, festas, presentes e parabéns. Não se deixe contaminar por toda essa superficialidade que acaba roubando a profundidade do que realmente somos. Dirija seu foco para a sua alma, para seu coração. É, porque o coração, sim, se prende a grandes causas. Ele não perde tempo com bobagens. Ele deixa de lado visões deformadas, mal explicadas, conversas mal ouvidas, palavras mal proferidas e comentários deselegantes.

55

A alma, o coração, seja lá como queira chamar seu espírito, é algo muito maior. E só ele pode levar você a essa confraternização interior. E pode ensinar muito. Ensinar a não atacar, a não julgar e a nos livrarmos do preconceito, da arrogância, da submissão e da ignorância. Exercite o perdão.

Mais do que ceder e conceder, perdoar é compreender que tudo isso — os conflitos e desacertos que ocorrem com a gente — é a vida nos mostrando o que somos diante de nós mesmos. Se atraímos pessoas que nos ferem, é porque ainda nos ferimos. Por outro lado, se somos presenteados com a ajuda dos outros, é porque nos ajudamos, nos gostamos, nos tratamos muito bem. Enfim, fica aí mais uma reflexão para você: como tem sido e agido consigo mesma?

Façamos desse encontro um momento de luz. Vamos fazer a paz se estabelecer. Deixe ir embora tudo que de ruim assola o seu peito. Liberte os outros da sua amargura, do seu ressentimento e do seu orgulho. E absorva o seu ser na beleza do compreender. Alimente a leveza. Faça da luz o seu espertar. Leve sua bênção a todos, como se você fosse um anjo. Abrace a todos. Não precisa ser fisicamente. Use a mente, abrace e agradeça. Porque Deus é confraternização e agradecimento.

Luiz Gasparetto

Receba 2009 de braços abertos

Perca o medo de ser feliz tomando as atitudes certas e cultivando apenas pensamentos positivos. Assim, esse ano renderá bons frutos

Que ele seja coroado com alegria, saúde, amor e boas realizações. Desafios? Certamente eles farão

parte de toda a trajetória. Mas é aí que está o encanto da vida. Afinal, que graça teria se tudo viesse assim, tão fácil? É com os desafios que aprendemos a fazer escolhas, aprimoramos nossa criatividade,

desenvolvemos nosso jogo de cintura

enfim, evoluímos.

Você é a personagem principal dessa empreitada. E você pode tudo, porque tem o poder de escolha nas mãos. Porque você pode usar sua energia a seu favor. Basta cultivar pensamentos bons. E mais:

você tem todo esse poder porque a fórmula para que tudo dê certo está em se amar de verdade, se aceitar e se assumir. Os frutos desse posicionamento são apenas uma conseqüência. Para dar um empurrãozinho rumo às conquistas neste novo período, proponho um amuleto. Ele é, na verdade, um conjunto de frases que devem ser escritas e fixadas num local pelo qual você passe diariamente. Pode ser um mural no escritório, na geladeira ou na porta do armário do quarto. A idéia é mentalizar essas frases e pronunciá-las o maior número possível de vezes. Eu chamo isso de visualização criativa.

Pode acreditar: pensamentos positivos e frases de força e otimismo criam uma energia a seu favor. A seguir, estão seis frases que vão ajudar você a realizar seus desejos. Mas nada impede você de criar as suas. Sinta-se na situação que você tanto almeja e, em breve, você se surpreenderá com os resultados.

· A felicidade está ao meu alcance. Reconheço meus sentimentos e não tenho obrigações. Sinto muitas

emoções, logo existo. Assumo todas elas. Sou livre para sentir o que for preciso, quando for preciso.

Confiar na vida é confiar nos meus sentimentos. Quando sinto, é Deus sentindo em mim. Sou divina.

56

· Vivo e preservo a paz na minha família, a harmonia no meu lar. Se eu faço o bem, beneficio a todos. Meu sucesso é, também, o sucesso de todos. Melhorar a mim mesma é o bem maior que posso fazer aos outros. Se estou bem, logo encontro a paz.

· Posso e vou conquistar [diga o nome do seu amado]. Aquilo em que acredito se torna real para mim.

Eu só creio nas coisas que me dão bem-estar interior. O bem maior é minha realidade. Ser eu mesma é ser o melhor. É viver o bem maior a todo momento. É estar no prazer interior. É ter crenças que mantenham esse prazer. Eu sou mais eu.

· Quero e vou emagrecer. Assumo a responsabilidade por mim e pelos meus atos. Nada nem ninguém

consegue intervir no curso da minha vida. Tomo posse de mim. Sou como Deus, que me faz a cada

instante.

· A partir de agora não tenho mais depressão. Eu me respeito e me aceito, acima de tudo. Não importa

se estou certa ou errada de acordo com a opinião dos outros. O essencial é ser real. Eu me amo. Eu sou o meu templo.

· Não tenho problemas com a falta de dinheiro. Aliás, amo você, meu estimado dinheiro. Sim, mereço cada tostão que fiz e faço na minha vida. O mérito é meu. Cada um faz por si próprio.

Luiz Gasparetto

Sintonize-se com o novo ano!

Conquistar tudo que você deseja será muito mais fácil em 2009. Basta aprender a criar um clima positivo em torno da sua vida!

Aproveito que estamos abrindo um novo ano e pergunto: que tal se jogarmos no lixo aquelas velhas idéias que só atravancam o nosso sucesso? Uma dessas idéias é acreditar que estamos fadados pelo próprio destino. Não, minha gente! Todos nós temos o poder de escolher, e fazemos isso a todo minuto. Agora mesmo, você está fazendo uma escolha entre prestar atenção na minha coluna ou dar vazão aos pensamentos que passam pela sua cabeça. Ou seja: temos o completo poder de fazer as coisas acontecerem. Acredite nessa força!

E digo mais: não adianta você ficar rezando a Deus para conquistar o que tanto deseja. Deus é você!Deus está dentro de você. Quando você assume a responsabilidade pela própria vida, consegue dar um chega-pra-lá nos medos e nas preocupações. E o melhor de tudo: você se fortalece. Olha, gente, a natureza não quer ninguém passivo e obediente, muito menos pedinte. Ela quer que você seja ousada, criativa, intuitiva, e que você faça as coisas de que realmente gosta. Então, vá adiante com seus propósitos. Faça-os valer de uma vez por todas!

Quer outro exemplo de pensamento ultrapassado? Aquela velha história de que as coisas só têm valor quando são conquistadas com muito esforço. É a supervalorização da luta, do sacrifício humano. Veja você mesma, não gosta de contar a todos o quanto ralou para chegar onde está? Isso acontece principalmente se alguém critica o que você tem.

“Você não sabe o que passei para chegar até aqui!” Pois saiba que isso é fruto da sociedade em que vivemos. Aviso: é uma grande bobagem! A alma, aquela que realmente rege a nossa vida, quer tudo de bom da maneira mais fácil e prática possível, viu?

57

Ela quer ajudar, quer sempre o seu melhor. Mas é óbvio que ela não vai fazer isso sozinha. Você é o seu principal instrumento. Então, vamos lá: é hora de mudar esse cenário. Mas como? Primeiro, tente se lembrar de algumas situações em que você se saiu bem. Sinta todo esse sucesso. Pronto: você já está começando a criar um campo de pensamentos positivos.

Agora, vamos fixar esse sucesso. Essa é a etapa mais difícil, pois começam a aparecer certos pensamentos negativos. Deixe-os de lado. Agora, o mais importante é olhar apenas para si mesma. Esteja confortável. Entre no clima da realização. Não se importe com os outros. Importe-se apenas com você. Vamos lá, gente! O mais difícil é aceitar ser um não-herói.

Entenda: o fácil tem valor. Bem fácil! Sinta a coisa “facinha, facinha”. Só de colocar a palavra fácil, o campo positivo já vai se formando. Mas ele precisa ser alimentado. Quer ver? Fale sobre paz e vá sentindo a mensagem da paz. Isso é maravilhoso para acabar com a ansiedade, com a agitação desnecessária.

Ponha-se para cima. Isso não tem nada a ver com ser melhor que ninguém. Quando você começa a incorporar “Eu sou” e “Eu estou”, o melhor se manifesta e você se realiza. E quer saber mais? Para ficar do lado da alma, basta ser você mesma. Confie no próprio taco, não faça tipos para agradar as pessoas. Não dê ouvidos aos outros, faça apenas o que gosta. Lembre-se: quem não está bem consigo não vai pra frente.

Luiz Gasparetto

Dê adeus ao que já passou

Desprenda-se do passado e alimente o que está no seu presente. Viver aqui e agora é o caminho mais curto para construir a própria felicidade

Você é daquelas que vivem apegadas ao que já aconteceu e não volta mais? Nossa, se você soubesse o

quanto está acabando com a própria felicidade

passado, a vida dificilmente vai fluir. E quer saber? Saudosismo está fora de moda.

É, porque se ficarmos atados, presos às energias do

Sim, nós nunca devemos nos esquecer de onde viemos, de tudo que fizemos e dos vários caminhos que percorremos durante a vida. Não podemos esquecer, sobretudo, das nossas vitórias, quedas e lutas. Também temos de cultivar a memória das pessoas que conhecemos. Isso se chama reconhecimento e aprendizado. O grande problema é quando cultuamos o passado e deixamos de alimentar o nosso presente.

Ora, é como se a todo instante abríssemos a gaveta da nossa história. O que isso tem de enriquecedor? Nada: isso é puro atraso de vida! Pessoal, vamos exercitar o desprendimento. Tenha a certeza de que tudo ficará mais claro se você caminhar com o coração renovado. Não é tarefa das mais fáceis. É preciso ter coragem e ousadia. Diga a si mesma: “Eu não preciso mais disso. Esse passado não me traz nenhum benefício. E quando só restarem as lembranças das alegrias, do bem que os outros fizeram, das rosas secas (mas carregadas de amor), haverá mais espaço para novas experiências e novos encontros”.

Ih

se libertar dele. Desligue-se de tudo, sabendo que a mente não tem limites. Em pensamento, chame essa pessoa de volta. Imagine que você está segurando as mãos dela. É natural que as emoções comecem a aparecer. Chore se tiver vontade. Mentalmente, diga à pessoa tudo que você sente.

Agradeça pelas coisas boas que ela trouxe à sua vida. Algo feriu seu coração? Diga também. Fale tudo

que você esperava para o futuro: “Eu gostaria

porque nós não poderemos [complete a frase]”. Sinta o seu corpo aberto — permita que seus sentimentos venham à tona, como se fizesse uma limpeza interior.

já sei. Você ainda pensa naquele amor que viveu. Tudo bem, vou ensinar a você um exercício para

”.

E assuma sua decepção: “Eu estou decepcionada

58

Chegou a hora de aceitar totalmente a realidade. Sinta esse amor dentro de você — um amor que deixa a pessoa partir. Um gesto gracioso de soltar. Diga a essa pessoa: “Agora você pode ir. Eu vou ficar bem”. Aos poucos você vai se sentir limpa, honesta e tranquila, como quem respeita a vida e é respeitada por ela. Vá voltando, respirando fundo e soltando o ar. Deixe ir, junto com o ar, a imagem da pessoa, o cansaço, a dor e a angústia. Você vai notar como se sentirá mais aliviada.

Outro trabalho simples e efetivo para deixar o passado partir é pronunciar a palavra “harmonia”. Mas precisa ser uma harmonia de coração. Harmonia é a crença de que podemos fazer tudo pelo nosso bem — sem estresse, guerras ou briga. Harmonia é estar centrada na paz, de uma maneira inteligente. Vamos lá, pronuncie: HARMONIA. Uma vez estabelecida, essa energia positiva começará a fluir. Com certeza você ficará bem, equilibrada, leve e solta. Sem amarras, sem apegos. No presente. E o melhor de tudo: feliz!

Luiz Gasparetto

Escute a voz do seu coração

Não perca tempo! Quando o espírito está mal, o corpo adoece. Para ser saudável, é preciso tomar decisões que fazem a gente feliz

Você sabia que a saúde se faz presente quando o estado psicológico está em harmonia com o espírito? Quando algo vai mal — ou seja, quando você insiste em adotar posturas de vida inadequadas —, o organismo começa a emitir alguns sinais que vão determinar algum tipo de doença.

Posturas de vida inadequadas? Pois é

melhores caminhos diante de situações complicadas. É difícil selecionar aquilo que faz bem ao nosso espírito. Costumamos nos guiar por “acho que” e “tenho que” — vivemos alimentando preconceitos e crenças impostos pela sociedade. Sim, nós vivemos coletivamente, mas é necessário respeitar as características e convicções de cada ser.

Doença é o espírito sinalizando que você está fazendo opções contrárias à sua realização pessoal. E não pense que essa sensação de desconforto e incômodo acontece apenas no corpo. Ela pode surgir também na sua vida familiar, afetiva, sexual, profissional e social. Se alguma dessas áreas está em desequilíbrio, é porque seu espírito está tentando chamar sua atenção: “Olha o que você está fazendo comigo!”.

O que há? Anda desanimada? Fique esperta, pois isso também acaba com sua saúde e sua força. Por

outro lado, se você mantém o prazer em viver, aceita a realidade, tem vitalidade e vigor, aumenta o próprio bem-estar.

Então, não perca tempo: pare e repense sua maneira de ser e agir diante do desconforto pelo qual

está passando. E procure ser uma pessoa melhor no dia-a-dia. Isso se chama evolução. Para o espírito,

é essa vivência que conta. Se um dia você viveu de maneira melhor, trate de resgatar essa sensação,

para não ficar doente. Mas calma lá, hein! Essa maneira de viver melhor não tem nada a ver com valores de moral e ideologia. Também não estou falando aqui de tomar atitudes políticas. Nada a ver.

O espírito desconhece essas questões. O que ele considera? Apenas a sua vivência — ou seja, o que

você viveu, experimentou, sentiu e realizou. Esse, sim, é o seu melhor. E cada um tem um.

Como eu disse, tudo evolui. Há tempos, o que havia de melhor para você, em sua vivência, era uma coisa. Hoje, pode ser outra, e amanhã outra ainda. Essa é a exigência da saúde. Seu espírito exige que você mantenha a melhor atitude, o melhor conhecimento, o melhor de você mesma a cada minuto. Esse é o espírito da saúde!

E digo mais: confie em si mesma e encare a vida com alegria. Assim, você colherá ótimos resultados.

Não substitua a realidade por fantasias. Alimentá-las vai fazer você ficar estagnada e distante da felicidade. Momentos difíceis? Sim, todos nós temos de vencer desafios.

Então, diga a si mesma: “Estou sempre do meu lado. Não vou me abater. Vou largar qualquer tipo de revolta. Vou centralizar minha energia no meu melhor, porque eu sou o melhor. Se eu erro, não há problema — isso é supernatural. O importante é que estou caminhando para essa situação melhor, sempre. E, com certeza, vou agarrar todas as chances que me ajudam em minha realização pessoal.”

Nem sempre temos a lucidez necessária para escolher os

59

Luiz Gasparetto

Para ser feliz, cultive a ternura

Quanto mais expressar o afeto pelos outros seres, mais você atrairá coisas boas. Assim fica fácil encontrar a felicidade nas coisas simples

Na edição passada, falei sobre como é importante prestar atenção nos sinais do próprio corpo. Sim, porque as doenças geralmente refletem as condutas inadequadas que adotamos. Por isso, é essencial nos concentrarmos no que há de melhor.

Pessoal, tudo é um ciclo: quanto mais você cultua o bem e expressa o amor pelos outros, mais retorno obtém na sua vida. Adote uma postura firme, seja responsável pela sua própria felicidade e curta ao máximo os prazeres desta existência. Isso garante mais energia para o seu corpo. Você se torna mais jovem, bonita e saudável.

Nesta semana, quero ensinar uma meditação que conecte você com seu interior. Então, vamos lá:

escolha um cantinho tranquilo, coloque uma música suave de fundo e relaxe profundamente. Respire devagar e vá dizendo em voz alta o texto a seguir:

“Estou consciente: eu tenho o poder de pensar como quero. Tenho o direito de pensar no que quero, para o bem ou para o mal. Eu posso impor ao meu mundo interior aquilo que eu quiser. E quero me sintonizar com o melhor.

Esqueço, a partir de agora, a pessoa que fui, principalmente meus vícios de pensamento. Penso somente na paz, e permito que o perfume dessa paz toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida. Deixo que isso traga ao meu corpo e ao meu espírito o equilíbrio,um funcionamento perfeito.

Deixo fluir a consciência do 'eu posso' - eu posso estar na paz! Impor essa paz é praticar meu poder pessoal com responsabilidade divina. Isso é um grande sorriso no peito! É a felicidade barata, fácil, a que eu tenho todo o direito. É simples pensar que o melhor está em mim: tenho a ternura, o calor,a lucidez, o esplendor das mais belas formas do Universo. Eu me abro inteira e sinto que não há barreiras para minha realização. Percebo que o limite era apenas uma impressão, e que sou livre para descartar qualquer pensamento, sentimento, hábito ou paixão. Porque eu sou espírito, sou a luz da vida em forma de pessoa.

Ah, Universo, eu estou aberta para o melhor! Eu sei que, muitas vezes, me deixo levar por pensamentos ruins. Mas eu não conhecia a força da perfeição. Eu não conhecia a lei do melhor. A partir de agora, vou manter minha mente aberta. Afinal, isso me traz inspiração ao longo do dia — e a luz do Universo irradia para quem não desiste do próprio aperfeiçoamento.

Não quero mais pensar nas minhas fraquezas. Quero olhar pra mim e perceber que fiz (e faço) coisas maravilhosas. Eu me projeto com força nessa identidade — eu posso, sim, fazer o melhor! E sou capaz de fazer isso sempre. Redespertar o próprio espírito é viver nele, é ter a satisfação de ser eu mesma. É poder ser original, única.

Agora sei que o melhor está a meu favor. Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manisfesta em mim como uma pessoa em transformação. Eu sinto, enfim, que estou no meu melhor. Porque o Universo garante isso. Grito dentro de mim mesma: de todas as coisas da vida, o melhor ainda sou eu. O melhor sou eu!”

60

Luiz Gasparetto

Raízes profundas aumentam sua força

As dificuldades pelas quais nós passamos na vida nos preparam para enfrentar com mais equilíbrio os piores problemas

Leia o texto abaixo e reflita. O autor - desconhecido - nos faz perceber que algumas dificuldades nos preparam para enfrentar com mais equilíbrio as duras adversidades que a vida nos impõe.

Aí vai:

“Tempos atrás, eu era vizinho de um médico que adorava manter árvores no enorme quintal de sua casa. O que mais chamava a minha atenção era o fato de que ele jamais regava as mudas que plantava. Passei a notar, depois de algum tempo, que as árvores demoravam muito para crescer.

Certo dia, resolvi perguntar ao médico se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem. Afinal, ele nunca as regava! Com um ar orgulhoso, ele me descreveu a fantástica teoria. Disse-me que, se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima. Como ele não as regava, as árvores demoravam mais para crescer mas suas raízes iriam para o fundo, em busca de água e nutrientes das camadas mais profundas do solo.

Assim, segundo ele, as árvores teriam raízes profundas e seriam mais resistentes às dificuldades que a natureza impõe. Disse-me também que freqüentemente dava uma palmadinha nas suas árvores, com um jornal enrolado. Fazia isso para que elas se mantivessem sempre atentas. Essa foi a única conversa que tive com ele. Logo depois fui morar em outro país, e nunca mais o encontrei.

61

Vários anos depois, ao retornar do exterior, fui dar uma olhada na minha antiga residência. Ao me aproximar, notei um bosque que não havia antes. Percebi que meu antigo vizinho havia realizado seu sonho. O curioso é que aquele era um dia de vento muito forte e gelado. As árvores das ruas estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno. Entretanto, ao me aproximar do quintal do médico, notei como suas árvores estavam sólidas. Elas praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda.

‘Que efeito curioso’, pensei. As adversidades pelas quais aquelas árvores tinham passado – levar palmadinhas e ser privadas de água – pareciam tê-las beneficiado. Com conforto e um tratamento mais fácil, elas jamais teriam conseguido ser tão fortes.

Todas as noites, antes de me deitar, dou sempre uma olhada em meus filhos. Debruço-me sobre suas camas e oro por eles: ‘Meu Deus, livre-os de todas as dificuldades e agressões desse mundo.’ Creio, agora, que devo mudar as minhas orações.

Farei isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida é cheia de surpresas, e elas nem sempre são prazerosas. Ao contrário do que tenho feito, passarei a orar para que meus filhos cresçam com raízes profundas, de modo que possam retirar forças das melhores fontes, das mais divinas, que se encontram nos locais mais remotos. Oramos demais para ter facilidades, mas na verdade o que precisamos fazer é pedir para desenvolvermos raízes fortes e profundas. Dessa maneira, quando as tempestades chegarem e os ventos gelados soprarem, resistiremos bravamente, em vez de sermos subjugados e varridos para longe.”

Luiz Gasparetto

Faça o seu próprio destino

Não coloque nas mãos de Deus a responsabilidade pela sua própria vida. Use a seu favor os poderes da mente e realize os seus desejos

Você tem dúvidas de que isso seja possível? Nesta edição quero ajudar você a colocar à sua disposição todo o poder que você tem. O primeiro passo é perguntar a si mesma: onde eu quero estar amanhã? Que área da vida eu pretendo melhorar? Que experiências eu quero vivenciar? Muito bem, para obter essas respostas você terá de mexer um pouco com seus desejos, com as vontades do seu espírito. Imagine uma situação na qual você quer muito estar.

Pense em algo que lhe traga prazer e que realmente faça sentido na sua vida. Não importa se é algo possível ou não. O que importa é sentir que essa situação que você imaginou lhe traz a tão sonhada realização. Pare, relaxe e permita que essa situação tome conta de você. Aos poucos, vão surgir imagens de você consigo mesma e com as pessoas queridas. Mantenha essa forte conexão com o seu espírito — tenha sempre em mente aquilo que você imaginou. Agora, vista essa situação. Aos poucos você vai alinhar todos os seus desejos com a realidade e, na prática, os fatos vão se concretizar naturalmente.

Parece mágico, mas acontece mesmo. Pode acreditar. O segredo? Quando a gente tem a consciência do próprio poder, consegue reestruturar nossas atitudes. Resultado: refazemos nossa realidade e partimos para a conquista. E é na conquista de nós mesmos que conseguimos conquistar o mundo. Por isso, diga a si mesma: “A cada dia que passa, eu confio mais em mim e uso meu poder. O que é importante está onde eu quiser. E dou importância àquilo que eu realmente desejar.”

62

Para fechar, tire da sua vida tudo que é dramático. Vamos! Faça isso agora. Isso é bárbaro. “Não aceito mais acreditar em dramas. Dramas com a minha saúde, com a minha aparência, com as coisas que fiz, com as coisas que quero, com todas as situações. Não quero mais isso para minha vida!” Vista essa idéia. Sinta isso no corpo inteiro. Você tem uma meta, um sonho? Então, provoque mudanças interiores para que eles se solidifiquem.

Quando eles chegarem num certo ponto de tensão, poder e força, começarão a produzir a realidade que você tanto desejou. E declare sempre: “Eu mereço obter o meu melhor”. Vamos lá, gente! “Qualquer idéia que não seja o melhor não é para o meu espírito. Eu me libero delas com o objetivo de obter sempre o melhor.” Coloque-se numa situação em que você olhe para as coisas e tudo se torne fácil. “A vida caminha a meu favor, porque eu estou a meu favor.”

Sabe, gente, muitas pessoas jogam a responsabilidade pela própria vida nas mãos de Deus. Vivem rezando, pedindo, achando que uma hora ou outra serão ouvidas e atendidas. Pare já com isso. Sabe por quê? Porque Deus é você. Deus está em você. E você é o próprio instrumento para atingir os seus objetivos e satisfazer todos os seus desejos. Orar, pessoal, é apenas colocar em prática essas técnicas que ensino — positivação mental e estímulo com atitudes. Orar é criar condições psíquicas para que o nosso espírito possa agir a nosso favor. É ter idéias positivas e vesti-las no corpo inteiro. Orar é a capacidade de transformar sua mente para, cada vez mais, viver a grandeza do espírito e, assim, realizar-se!

Luiz Gasparetto

Cada um tem a sua missão

Aprenda a escutar o que sua alma tem a dizer. Somente ela é capaz de saber qual é a sua tarefa principal nesta vida

Nesta semana trago a você, leitora, uma mensagem enriquecedora que tive a grata oportunidade de receber. Ela mostra como é importante que tenhamos a consciência da nossa missão — sim, cada um

tem uma. E quando você descobre qual é a sua, se enche de forças e energia para atingir essa meta. E

o melhor de tudo: com prazer, ânimo e satisfação.

Como você consegue saber qual é a sua missão? Ouça sua alma. Somente ela pode conduzir você na direção da verdadeira felicidade. Da sua felicidade. Lembra que já falamos disso em outras edições? Vale reforçar a mensagem: seja qual for o momento pelo qual você esteja passando, ouça sua alma. Aí vai o texto, produzido pelo grande autor brasileiro Roberto Shinyashiki.

“Freqüentemente, eu me pergunto: ‘O que cada um de nós está fazendo neste planeta?’. Se a vida for somente tentar aproveitar ao máximo as horas e os minutos, esse filme é muito bobo. Tenho certeza de que existe um sentido melhor em tudo que vivemos. Para mim, nossa vinda ao planeta Terra tem basicamente dois motivos: evoluir espiritualmente e aprender a amar melhor. Todos os nossos bens, na verdade, não são nossos.

Somos apenas as nossas almas. E devemos aproveitar todas as oportunidades que a vida nos dá para

nos aprimorarmos como pessoas. Portanto, lembre-se: os fracassos são os seus melhores professores,

e é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão para seguir adiante. As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, nos fazem pessoas melhores.

63

Para continuar o caminho, precisamos desenvolver nossa capacidade de resistir às tentações e ao desânimo. É ela que nos torna especiais. Ninguém veio a essa vida com a missão de juntar dinheiro e comer tudo que for do bom e do melhor. É claro que ganhar dinheiro e se alimentar fazem parte da vida, mas não podem ser a razão da vida.

Tenho certeza de que pessoas como Martin Luther King, Mahatma Ghandi, Nelson Mandela, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, Betinho — e tantos outros anônimos, que lutaram e lutam para melhorar a vida dos mais fracos e dos mais pobres — não estavam motivadas pela idéia de ganhar

dinheiro. O que move essas pessoas generosas a trabalhar diariamente e a não desistir nunca dos

objetivos?

A resposta é uma só: a consciência da própria missão na vida. Você precisa estar consciente de que,

por meio do trabalho, você está realizando uma missão. Assim você desenvolve força extra, capaz de levar você ao cume da montanha mais alta do planeta. Infelizmente, muita gente se perde nessa viagem e distorce o sentido da existência, pensando que acumular bens materiais é o objetivo principal da vida. Quando chega no final do caminho, percebe que só poderá levar daqui o bem que fez às pessoas.

Se você está angustiada sem motivo aparente, esse é um aviso para parar e refletir sobre o seu estilo de vida. Escute a sua alma: ela tem a orientação sobre qual caminho seguir.”

Luiz Gasparetto

Deus fez você e jogou a forma fora!

Não tente se enquadrar nos padrões de beleza que a sociedade está sempre impondo. Em vez disso, aprenda a se amar exatamente como você é

Não existe essa coisa de “modelo ideal”. Confesso que eu não entendo essa ideologia do “ser perfeita”, que não só contamina mas também desestabiliza as pessoas. A sociedade impõe padrões quase sempre inatingíveis. E lá estamos nós, tentando sempre segui-los para sermos aceitos e desejados. Que tal se a gente tentar acabar com isso? Hoje, eu quero que você amplie a sua maneira de ver as coisas a partir da seguinte constatação: a natureza não se repete.

O igual é algo que não existe no Universo. Isso significa que não devemos jamais nos comparar a

alguém - muito menos levar a sério modelinhos prontos, como “a mãe certa”, “a profissional ideal”, e por aí afora.

Na prática, sabe o que isso significa? Ou você está dentro de certos valores e é considerada normal ou

é uma anormal e, portanto, não é aceita. Esqueça esse falso conceito, tá? A natureza se impõe e

devemos defender o que é natural. Quero lhe dizer, então, o quanto é fundamental se valorizar. Olhe para si com os olhos de Deus, ou seja, como a natureza lhe fez. Não há nada de absolutamente errado em você. É hora de melhorar essa auto-estima e parar de brigar consigo mesma só porque é diferente das outras pessoas.

Nós temos de defender nossa natureza e abrir mão dos conceitos que a sociedade insiste em impor. Enxergar de acordo com a natureza irá mudar não somente a visão que temos sobre nós mesmos, mas também a nossa maneira de olhar os outros. Aceite-se exatamente como é. Esse é um bom começo para adquirir a paz interior. Negar algo que é seu significa criar conflito com sua própria natureza.

64

Diga a si mesma: eu sou o que sou. O que é melhor? Querer ser outra pessoa? Claro que não! Coloque

a paz aí dentro. Não se engane na vida. Liberte-se da idéia de que você precisa dar satisfações a outras pessoas. Assimile, finalmente, o seguinte raciocínio: vim a esse mundo apenas para me realizar, para curtir a minha aventura pessoal. Tenho de ser boa apenas para o meu eu. Cada um que me olhe como quiser.

Eu me valorizo porque dou atenção aos meus sentimentos e sensações. Eu me reconheço. O importante é eu ficar comigo mesma. Pronto! É isso! Dê a si mesma essa chance, leitora. E para que você não dê margem a dúvidas e inseguranças, proponho agora uma pequena mas valiosa meditação. Procure um local calmo, em que você se sinta bem. Coloque para tocar uma música relaxante, tranqüilize-se e repita o seguinte trecho:

“Eu sou boa. Tudo que eu faço é bom. Tudo que eu faço tem o meu jeito, e o meu jeito é sempre bom porque é único”. Pense em si, sem se comparar a ninguém. Sinta o prazer de ser única. E continue: “Eu sou absolutamente diferente de todo mundo”. Sinta a beleza de dizer absolutamente diferente. “O universo só sabe criar coisas diferentes. Quando eu afirmo que sou absolutamente diferente, eu me equilibro com o Universo, me sinto universal, ampla e espaçosa. É como se o vento da praia passasse por dentro de mim e eu me sentisse em paz com tudo que existe, sendo como sou, fazendo o que eu faço. Só o bem é real, e só a verdade é capaz de me fazer sentir bem. Por isso, só faço aquilo que realmente me faz sentir bem.”

Luiz Gasparetto

Torne-se a luz do seu universo

Dê um chega-pra-lá nos pensamentos ruins e cultive o que há de melhor. Assim, você conquistará tudo que deseja

Eu reservei esta edição para dizer que você tem luz. Explico melhor: sabe aqueles dias em que você acorda e se sente completamente iluminada, alegre, poderosa, confiante, e tudo corre às mil maravilhas? Pois bem, quero dizer que esse estado de espírito é genuíno, faz parte de você. Sempre.

Você vai me questionar: “Mas em certos dias sou atingida por um desânimo profundo e uma desesperança. Por que isso acontece?”. Simplesmente porque você se deixa levar por pensamentos contrários ao seu bem-estar.

Eu reforço: a luz está dentro de você, em todos nós. Isso é fato! Mas sua cabeça e suas atitudes é que irão mantê-la acesa ou não. Se você estiver insegura, com medos infundados, sempre pensando nas causas e nos efeitos para poder agir, seja qual for a situação, dificilmente a luz se acenderá. Esse estado eu chamo de “euzinho fechado”. Por outro lado, quando você estiver entusiasmada e confiante nas próprias idéias e objetivos, a luz brilhará e iluminará seus caminhos. Eu classifico esse estado de “euzão aberto”.

A pessoa que vive no euzinho fechado mantém idéias rígidas e não admite mudanças. É aquele sujeito

que passa o dia todo envolvido com preocupações sem fundamento e quer controlar as pessoas que

vivem ao redor — e o próprio futuro, se possível. Isso não faz sentido, minha gente!

Quem vive no euzão aberto, por sua vez, é contemplado com criatividade, idéias e pensamentos novos, iniciativa e muita prosperidade. É aquele que confia no poder da luz, no infinito. Com essa

postura, a vida simplesmente flui. Surgiu um problema? O melhor caminho é relaxar e jogar essa questão nas mãos da luz. Ela, sim, é infinita e, com certeza, terá uma solução. Confie nela — e você se

surpreenderá!

65

Desperte, leitora! E diga a si mesma: “Eu não sou fruto de idéias, eu as faço. E as faço exatamente como quero. Não posso desprezar essa dádiva que o universo me deu. Vou usufruir. Isso é fantástico! Eu posso pensar o clima que quero criar, expandi-lo e, com isso, ter tudo que desejo. Minha cabeça pode até ser bombardeada por um monte de coisas, mas eu escolho.

Quando ela não está registrando idéias bacanas, dou um chega-pra-lá nos pensamentos ruins e

imagino o que eu quero. Alinho minha mente apenas com o que é bom. Meu peito se abre e eu ocupo

o meu espaço, que é de puro prazer. O prazer, aliás, não vem porque tudo lá fora é simplesmente

favorável. Ele vem porque eu, aqui dentro de mim, tenho um olhar focado no que há de melhor e sei

criar estados maravilhosos. Sou a verdadeira luz.”

É, leitora

sua vez, explode dentro de si numa satisfação imensa, e isso faz você vibrar por inteiro. Você não vai conseguir ter prazer consigo mesma e com a vida se não aprender a cultivar o melhor. Isso é alma. É empolgação, dedicação, capricho. Pense o melhor e vá trocando os pensamentos até encontrar aquele que desperte os melhores sentimentos e as melhores sensações em você. Não importa como seja a realidade: o que importa é o lugar onde você se coloca.

Quando você cultiva bons pensamentos, vibra na onda do universo e do espírito. Este, por

Luiz Gasparetto

Um programa para a sua vida

Aprenda uma maneira original de fazer o amor entrar no seu coração. Basta jogar fora os sentimentos ruins e se abrir para o melhor

Olha que fantástico o diálogo abaixo, pessoal! Ele é de uma simplicidade tão grande e, ao mesmo

tempo, retrata a complexidade de tudo aquilo que se passa no nosso ser interior. Ele fala sobre o modo como lidamos com nossos sentimentos e emoções, fazendo uma comparação muito inteligente. Vale a pena ler e incorporar à vida. Aí vai:

Cliente: Alô

Atendente: Sim. Posso ajudar? Cliente: Acabei de comprar o programa Amor, mas não consigo instalar. Eu não sou técnica no assunto, mas conto com a sua ajuda. O que eu devo fazer? Atendente: O primeiro passo é abrir o seu Coração.

Cliente: Sim, mas há vários programas funcionando neste momento. Tem algum problema instalar o Amor com outros programas rodando? Atendente: Que programas são esses?

Cliente: Deixe-me ver

rancor.exe. Atendente: O Amor apagará bem rapidamente o rancor.exe de seu sistema. Também vai converter

pessimismo.exe para uma versão chamada auto-estima.exe. Mas, para isso, a senhora precisa desligar o ódio.exe e o ressentimento.com. Você pode desligá-los? Cliente: Mas não sei como fazer isso. Atendente: Vá ao Menu e clique em perdão.exe. Faça isso quantas vezes for necessário, até que o ódio.exe e o ressentimento.com sejam apagados completamente do seu coração.

Cliente: Certo

Atendente: Sim, é normal. A senhora deverá receber uma mensagem dizendo que reinstalará a Vida em seu Coração. Essa mensagem chegou? Cliente: Sim, está aqui. Atendente: Ótimo, mas lembre-se: a senhora só tem o programa básico. É preciso se conectar com outros Corações. Cliente: Meu Deus! Já apareceu uma mensagem de erro. O que é que eu devo fazer agora? Atendente: O que diz a mensagem? Cliente: “Erro 412 - O programa não funciona em componentes internos.” O que isso significa? Atendente: Não se preocupe, senhora. É um problema comum. Significa que o Amor está ajustado para funcionar em Corações externos, mas ainda não está funcionando em seu Coração. Significa que a senhora tem de “amar” sua própria máquina antes de poder amar outra. Cliente: Então, o que devo fazer? Atendente: Procure o diretório Auto-aceitação. Cliente: Sim, encontrei. Atendente: Clique nos arquivos bondade.doc, auto_estima.txt, valorize-se.txt e perdão.doc. Copie-os para o diretório Meu coração. Você também precisa apagar autocrítica.exe de todos os diretórios e esvaziar a lixeira. Cliente: Consegui! Meu coração está cheio de arquivos puros! Eu tenho agora paz.exe, contentamento.com e bondade.com. Atendente: Então nós terminamos. Ah, mais uma coisa: o Amor é um programa gratuito. Distribua uma cópia de seus vários modelos a quem a senhora encontrar. Assim, você também receberá dessas pessoas novos modelos puros.

é do Setor de Atendimento ao Cliente?

pessimismo.exe, ressentimento.com e ódio.exe. Ah, tem também o

O Amor está sendo instalado automaticamente. É normal?

66

Luiz Gasparetto

Desperte seu sexto sentido

Escutar a alma é a melhor maneira de fazer escolhas certas e manifestar o que há de melhor dentro de você

Todo mundo tem um sexto sentido. O verdadeiro desafio é pôr essa ferramenta em ação. Mas quem consegue essa façanha é presenteado com muitas realizações. Pode parecer complexo, mas não é. Permita-se simplesmente enxergar com o coração. Esse “olhar” contribuirá para que você faça as escolhas certas e manifeste o que há de melhor dentro de si. Em outras palavras, esse tal de sexto sentido nada mais é do que o eco da sua alma.

Mas como reconhecê-lo na prática? Ele pode se manifestar nos talentos de cada pessoa, ou numa simples situação - por exemplo, quando você sai emocionada de um filme ou de uma peça de teatro. Pronto: ele está aí, dando o ar da graça. O sexto sentido, queridas leitoras, é apenas vibração, satisfação, entusiasmo puro.

Ele é também o bom discernimento. Explico melhor com um exemplo. De repente, uma pessoa chega para você, conta uma história bem trágica e pede ajuda. No mesmo instante, o seu sexto sentido recomenda que você não faça nada, porque se trata de uma grande roubada. Aí você não dá atenção:

se mobiliza para dar uma forcinha à pessoa e acaba complicando a própria vida.

O que eu quero dizer é o seguinte: algumas vezes nós precisamos ser mal-educados e dar as costas. O sexto sentido é sincero. Mas imagina só se você não vai estender a mão! Afinal, a nossa educação prega a ajuda ao próximo. Resultado: você acaba se metendo em várias enrascadas. Por isso, preste atenção à sua alma e aprenda a aceitar a sua intuição quando ela se manifestar.

67

Eu sei exatamente o que você está pensando: “Como seria bom se eu pudesse usar o meu sexto sentido quando eu bem entendesse. Mas como revelar isso em mim?”. Bem, você pode usar uma pequena prece. Sempre que você ora, encontra Deus e mergulha numa conexão com o divino. Ou seja, a prece pode fazer você alcançar o estado de espírito ideal para que o sexto sentido funcione. E, à medida que você passa a confiar nesse talento, tudo começa a fluir melhor na sua vida. A falta de autoconfiança, de ligação com o sexto sentido, talvez seja a causa da maior parte dos sofrimentos das pessoas. E de fato é.

Observe o meu trabalho. Desde a primeira coluna de AnaMaria, insisto para que você se garanta, aprenda a se escutar, volte-se mais para si e pare de dar atenção demais ao que os outros pensam. Digo tudo isso porque sei que há aí, dentro de você, a condição para se auto-orientar. Fortaleça o seu senso de prosperidade. Mande para o espaço tudo aquilo que incomoda você e busque a paz. Todos os dias, levante da cama e se coloque no melhor astral.

Torno a dizer: sinta a mensagem da paz fluir dentro de você. Isso é maravilhoso para acabar com a ansiedade, aquela agitação desnecessária. Quando você começa a incorporar “eu sou” e “eu estou”, o sexto sentido passa a se manifestar. Nesta semana, faça a sua parte. Deixe-se ter o prazer de obter esses sentimentos. Não tenha pressa, não fique pensando nisso, mas continue investindo. Você verá que logo, logo colherá os frutos. Utilize essa ferramenta e se surpreenda. Porque o sexto sentido é a porta do bem, do certo, do exato e do verdadeiro!

Luiz Gasparetto

O que é preciso para ser feliz?

Toda hora alguém põe o dedo no seu nariz e diz: “faça isso” ou “faça aquilo”. Dê um basta. Pra ser feliz, você deve obedecer só a si mesma

Você já reparou como enfrentamos diariamente uma tempestade de estímulos, informações e influências? São muitas: “você precisa disso”, “tem de comprar aquilo”, “tem de ler tal livro”, “você deve assistir aquele filme”, “tem de melhorar”, “tem de estar atualizada”, “tem de”. Ufa! Se deixar, a sociedade cria um zilhão de necessidades pra gente.

Ou seja, nos dá um zilhão de tarefas. Resultado: chega um momento em que as pessoas ficam realmente perdidas num mar de atividades que não representam uma verdadeira conexão com a alma. Sim, porque satisfação só existe quando há um elo com a necessidade verdadeira. A falsa necessidade exige nossos esforços, nos esgota e não recompensa. Sabe o que eu tenho sentido? Que todas as pessoas precisam ter um centro. Caso contrário, o mundo as leva a um caminho que não tem nada a ver com elas.

Então, vamos lá: chegou a hora. Centre-se no silêncio do seu mundo interior. Diga não a tudo que está à sua volta e que não tenha uma conexão direta e profunda com sua alma. Não permita que terceiros façam escolhas por você. Deixe as influências caminharem. Esse é um dos segredos da serenidade. Continue: pergunte, lá no fundo, do que é que você precisa realmente para ser feliz. Confronte-se já! Gente, vocês não imaginam como essa atitude faz toda a diferença.

Sabe aquelas pessoas que comem compulsivamente, engordam e acham que está tudo bem? Pois é,

isso denuncia que algo está errado. Isso significa que, nas profundezas da alma, há uma insatisfação, que é fruto de necessidades não atendidas. Amadureça! Assuma as próprias responsabilidades. É você

O

com você. “Ai, estou gorda e viciada”, “Ai, porque a doença da minha filha está acabando comigo” que é isso? Você já parou para confrontar o seu eu?

Puxa vida, eu percebo como as pessoas vivem em busca de coisas passageiras: lutar pela reputação,

por ser chique, por ser bacana, por não poder errar

dispersam sua energia ou têm a ver com a sua alma, lhe fazem sentir-se bem? Avalie! Vamos dar uma parada hoje! Promova um momento de confronto consigo mesma. Olhe para você.

Mas será que esses sentimentos que surgem

68

Estabeleça uma nova disciplina em favor da sua alma, da sua libertação, da sua paz. E não me venha com problema e choradeira, porque isso não resolve nada. Fica na lamentação e não se encara. Fica na culpa e não se encara. Fica no “deveria”. Não, ninguém deve nada. Se você pegou essa coluna para ler agora é porque está preparada para se confrontar.

Todo momento é de restauração. Quando damos um passo em direção ao que a natureza quer de nós, anulamos as atitudes passadas, os desencontros e as perdas. Quando as catástrofes, os desastres ou as doenças vêm até nós, é pra nos mostrar que estamos negligentes, voltados a um mundo fantasioso e negativo, em vez de cultivarmos dentro de nós as sementes da generosidade e do bem. Sim, porque a alma tem necessidade de ser boa. Ela precisa sentir a realização, o amor, a paz. Afinal, esse é o mundo do espírito, o mundo da nossa alma. Definitivamente, pare, sinta e caminhe em direção àquilo que realmente lhe faz bem.

Luiz Gasparetto

Refresque seus pensamentos

Quando você tira as ideias negativas da cabeça, tudo na sua vida se torna prazeroso. Assim, fica muito mais fácil encontrar a paz

Na semana passada, falei sobre a questão do confronto. Comentei que é importante você penetrar no seu eu interior e perguntar a si mesma o que realmente quer para melhorar e ser feliz. Se você tiver essa consciência, terá todas as condições para se realizar e, assim, sentir a vida de maneira mais plena. Muito bem, para ajudar você nesse trabalho, vou ensinar um mantra de purificação. Repita em voz alta: “O que é ruim não é meu. Eu me livro de toda maldade, porque a natureza humana é maravilhosa

e perfeita, assim como eu.

Tudo que causa medo, perturbações e sensações negativas não é meu. Eu sou tudo que é bom”. A partir do momento em que você incorpora esse mantra na rotina, já começa a sentir outra energia. Os pensamentos negativos que atormentam sua vida irão pro espaço. Você se sentirá tão bem que logo sairá daquela posição de vítima - culpada por não ter feito isso ou aquilo. Adeus, cobranças! Ah, gente, como é bom se desprender de tudo e de todos! Como é bom ficar livre para exercer as próprias vontades!Agora, vamos fazer algo ainda melhor.

Repita: “Não sei quem sou, não quero me definir. Não quero saber nada. Seja o que for, eu sou linda”.

E complemente: “Eu não preciso dar certo”. Sinta essa convicção dentro de si. Porque se o certo não

existir, o errado também não existirá. Logo a tensão irá embora. Se eu não preciso dar certo, então

tudo que eu faço está fluindo. Está tudo em paz. Coloque essa paz nas suas células – agora. Afinal,

quantas energias ruins você já jogou nelas? Incapacidade, impotência, fraqueza regenerar. Vamos anular tudo que passou.

Pare já! Vamos nos

69

Porque, num minuto, uma atitude positiva no presente anula todo o passado. Vocês não imaginam

como isso é sublime. Erro? Culpa? Condenação? Não existem mais. Repita: “Sou boa, sou exata”. Transmita essa mensagem a todas as células do seu corpo. Essa é uma forma de amor tão

extraordinária, tão rica

demais: o bem é aquilo que dá equilíbrio ao organismo como um todo. Se você acaba com os pensamentos negativos, suas células voltam a funcionar da melhor maneira.

Ela corrige todas as memórias negativas que afetam nosso DNA. Olha que

No momento em que você se confronta e ganha esta certeza – “eu sou boa” –, o restante do seu corpo incorpora esse bem. Sabe o que eu quero que vocês entendam definitivamente? Que a vida é algo muito maior. Comprar um carro, comprar uma casa? Isso são detalhes. Confronte-se. Livre-se dessas estruturas antigas e ridículas, como o orgulho. Centre-se em si mesma e dê mais energia à grandeza do seu espírito. Crie uma casca ao redor da sua consciência. Essa proteção não permitirá que você se ofenda, qualquer que seja o motivo. Aliás, você não pode mais se dar ao luxo de se ofender com nada. Você é mais importante que tudo.

E sempre que as energias ruins e as críticas vierem até você, defenda-se dizendo: “Eu sou tudo de

bom. Nem se o mundo cair eu vou sofrer”. Quando você assume isso, cria uma defesa - e tudo passa. Eu insisto: nada afetará sua alma. Isso é uma conquista. Vá em busca dessa força maravilhosa, porque nossa alma tem sede de viver.

Luiz Gasparetto

Como ser feliz na vida a dois?

A sua felicidade não depende do seu parceiro. Aprenda a deixar as expectativas de lado: para amar alguém, basta depender de si mesma

Os assuntos do coração costumam desestabilizar muita gente. Isso acontece porque, muitas vezes, as pessoas apostam todas as fichas no parceiro. Elas acham que a felicidade depende exclusivamente daquilo que o outro pode proporcionar. Eu já disse a vocês que isso é impossível. Então, pare de alimentar expectativas - dependa apenas de si mesma para ser feliz. Esse já é um bom começo para que um relacionamento dê certo.

Nesta semana, trago um texto que ilustra muito bem o que acabo de dizer: “Namoro, casamento e romance têm começo, meio e fim, como tudo na vida. Detesto escutar este tipo de conversa:

— Ah, terminei o namoro.

— Nossa! Quanto tempo?

— Cinco anos. Não deu certo.

Claro que deu! Deu certo por cinco anos, mas acabou. O bom da vida é poder ter vários amores. Não acredito que há pessoas complementares. Há, sim, pessoas que se somam. Às vezes você não

consegue dar 100% de você nem para si

companheiro completo. Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ele é saradinho, mas não é sensível. Nós não podemos ter tudo nesta vida.

Então, como cobrar isso do outro? Além do mais, não existe

Perceba qual é o aspecto mais importante e invista nele. Quando você tem química com alguém, pode ser o papai-e-mamãe mais básico, mas é uma delícia. Às vezes, por outro lado, você tem aquele sexo cheio de acrobacias, mas que não impressiona nem um pouco. Acho que o beijo é importante. E se o beijo bate, se joga! Se não bater, peça mais um Martini e vá dar uma voltinha. Se ele ou ela não quer mais você, não force a barra. O outro tem todo o direito de não querer você. Não lute, não ligue, não faça escândalo.

Se a pessoa está com dúvidas, o problema é dela. Cabe a você esperar ou não. Tem gente que precisa

da ausência para querer a presença. O ser humano não é absoluto: ele hesita, vacila, tem dúvidas e

medos

alguém sob chantagem - gravidez, dinheiro, recessão de família? O legal é alguém que está com você por você, e vice-versa. Não fique com alguém por pena ou por medo da solidão. Nascemos sós, morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua: seu olhar, seu pensamento.

Mas se a pessoa realmente gostar, ela volta. Então, nada de drama! Que graça tem ficar com

70

Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é esse de se ver só, na própria companhia? Gostar dói! Você vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração. Faz parte. Quando você namora outro ser, encara outro universo - e nem sempre as coisas saem como você quer. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que convida você para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear. Quem disse que ser adulto é fácil?”

Luiz Gasparetto

Arrume tempo para si mesma!

Quando você começa a dar ouvidos a tudo o que a sua alma diz, aciona o seu sexto sentido, um poderoso instrumento que está à sua mão

Na semana passada, falei sobre o quanto é importante, para a nossa realização, nos conectarmos com nosso sexto sentido. Por meio dele, acabamos encurtando o caminho que nos leva à tão almejada felicidade. Intuição, Deus, chame-o do que bem entender. O que vale saber é que se trata de um poderoso instrumento que está à nossa disposição. Como acioná-lo? Na edição anterior, até dei algumas dicas, mas, para dar a você mais recursos, passo agora um exercício que vai ajudá-la a acessar esse grande aliado. Busque um local tranqüilo, coloque uma música relaxante para tocar e leia o texto abaixo. Vamos lá?

“Acalmo agora minha vida agitada, meus compromissos, minha jornada e paro para ficar comigo. Deixo de lado minhas aflições, minha ansiedade, angústias, inquisições, perguntas, luta e a busca por soluções. Fico um instante só, no aconchego gostoso que é o meu interior. No aconchego da paz. Dou

a mim, a partir de agora, toda a consideração. Assumo, sobretudo, o domínio deste universo. Sou

ótima como sou. Está tudo certo em mim. Enfraqueço, a partir de já, todas as mensagens negativas que ouvi a meu respeito e incorporei, sejam elas vindas de meus pais, amigos ou apenas conhecidos. Quero tirar a importância que dei a elas. Quero soltá-las, me colocando como uma obra perfeita da natureza.

Como é bom ter a liberdade de pensar por conta própria. Sinto os próprios ouvidos. Sinto-me única. O que os outros sentem são deles. Até respeito, mas não assumo. O meu é meu porque assim a vida

quis. Isso é básico, real, exato. Deixo sair de mim toda a energia dos outros. Eles não têm mais forças porque eu não dou a eles mais forças. Não preciso saber o que querem, o que pensam, o que sentem.

E se eles se manifestarem, ainda assim, nada disso tem a ver com a minha vida. Quem deve mudar são

eles e não eu. Quem pode fazer algo por si são eles. Eu posso até colocar uma ajuda à disposição. Mas eles que se ajudem, se quiserem. E se ficarem ofendidos comigo é um direito deles. Reafirmo: não estou neles. Não assumo nenhuma crítica.

71

Aproveito para liberar as dúvidas que tenho. Libero o passado e todos aqueles que me ofenderam. Desculpo as pessoas e, ao mesmo tempo, solto-me. Abro-me e liberto os outros de mim. Solto os fantasmas do passado e aquelas pessoas que, por me ferirem, guardei dentro de mim. Vou soltando porque o que os outros dizem não tem valor. O que os outros fazem não tem valor maior do que aquilo que faço. Eu não preciso reagir, pois as críticas não me afetam. Não são mais importantes. Elogios também não são importantes. À verdade, a essa sim dou valor. E essa, só eu posso conhecer por meio dos meus sentidos. É neles que vou confiar de agora em diante.

Nesse instante, aliás, fico onde a natureza me colocou. Ou seja, na pureza, na beleza, na perfeição, na extraordionária dinâmica da individualidade e da originalidade. Na preciosidade de ser extraordinariamente única.”

Luiz Gasparetto

Aceite o outro como ele é

Deixe as pessoas fazerem as próprias escolhas. Quanto mais você soltar uma pessoa, mais descobrirá que a tem de verdade!

Filhos, pais, irmãos, primos, avós, maridos, amigos

para estabelecer vínculos afetivos realmente verdadeiros está na flexibilidade com a qual se conduz cada relação. Como já citei algumas vezes, é fundamental saber aceitar as diferenças, os valores e as vontades dos outros. Essa postura flexível e leve irá atrair as pessoas ao seu redor. Elas vão querer estar sempre ao seu lado. Tem dificuldades para colocar isso em prática? Pois, hoje, trago um exercício que vai ajudar você nessa empreitada. Vamos lá?

Não importa o grau de parentesco: o segredo

Comece tirando qualquer sentimento passado de culpa. Agora, liberte-se dessa personalidade radical, extremista, julgadora, justiceira - enfim, dessa mania de dirigir a vida dos outros da maneira como você conduz a sua. Algumas vezes nós nos tornamos muito fechados. Vamos, então, tentar abrir ao máximo nosso leque de aceitação. Lembre-se de que cada pessoa deste mundo está tentando seguir um caminho à própria maneira, como julga ser o correto. Todos nós estamos numa aventura para conhecer as coisas. Sinta como se você tirasse um espírito opressor que esteve ao seu lado durante toda a sua vida.

Quer manter bons elos? Eu reforço: deixe de ser tão exigente, intransigente e arrogante. Tudo que você sabe deve ser usado para si mesma. O restante? Deixe estar e abençoe. Você tem filhos? Então, diga: "Vá, filho, escolha seu caminho. Eu lhe abençoo. Você é único, e eu aceito suas diferenças. Não estou aqui para criticar. Eu apenas acompanho - sou colega. Quero esse elo espiritual. Quero essa coisa boa com você!".

72

É isso, pessoal. Se a gente pensa com egoísmo, perde tudo. Se nos abrimos aos elos, só ganhamos.

Porque quando solta alguém é que a gente possui essa pessoa de verdade. E quando prende ou impõe,

a gente afasta as pessoas amadas. E repita: "De uma vez por todas, eu me abro para aceitar as pessoas, com momentos e particularidades que são diferentes das minhas".

Vamos lá: adote essa conduta com os membros da sua família. Incorpore-a também no convívio social

e no ambiente profissional. Quanto mais diferente for a criatura, mais você deve se abrir para aceitá-

la. A partir disso, você pode perceber muita coisa boa que não via antes, enquanto era egoísta. Pode

também conhecer milhões e milhões de realidades no mundo.

Muito bem, agora que você está mais aberta e solta, feche os olhos e se eleve. Busque as conexões com suas famílias desencarnadas. Sim, o seu espírito tem elos extraordinários com pessoas que já se foram. Isso é muito importante, porque quando estamos na vida física essas criaturas torcem por nós. Participam como amigos invisíveis, nos socorrem, nos alimentam e tentam ajudar quando podem. As conexões são eternas e jamais se dissolvem.

Por fim, repita: "Sei que não caminho só. E nesse elo há muito amor e muita paz. Meu espírito é lúcido para a eternidade. Quando sinto isso forte em mim, essa energia se espalha pelo grupo, fortalecendo os elos verdadeiros. Rompo distâncias e as barreiras da hipocrisia. Eu me aproximo do outro com sinceridade. À medida que me torno apta a aceitar as diferenças, me confraternizo neste mundo de paz".

Luiz Gasparetto

Perca o medo e seja feliz!

Seus temores são responsáveis pelo seu estresse? Saiba que é possível se livrar deles e encontrar o equilíbrio interno - hoje mesmo

Tá aí o grande mal da vida moderna: o estresse. Há quem consiga escapar dele? Duvido. O que a gente

vê por aí são pessoas agitadas, inquietas, prestes a estourar. Pois eu lhes digo que o estresse é o irmão gêmeo do medo. Ou seja, mesmo quando nada acontece o indivíduo alimenta imagina situações

negativas. “Ah, mas será

coisas ruins e mantendo o corpo em permanente estado de alerta.

?”,

“E se

?”,

“Eu não vou agüentar!”. Ele se desespera, acreditando em

Resultado: ele fica realmente doente. A afirmação “Você está estressada e precisa descansar” está equivocada. Na verdade, a pessoa tem de sair do medo. Ela não pode se deixar levar pelas fantasias trágicas. Insisto: a chave do medo é o pensamento ruim. Você pode até me perguntar: “Mas não existem coisas perigosas?”. Sim, mas o medo é uma fantasia projetada para o terror. Você precisa ter disciplina para controlá-lo. A capacidade imaginativa do homem é responsável pela criatividade e pela inteligência. Ela pode ser tremendamente positiva quando se está com os pés no chão.

Ela nos ajuda, por exemplo, a resolver problemas e criar soluções inovadoras. No entanto, quando perdemos a razão, essa capacidade se torna descontrolada. Se for para o lado ruim, a fantasia começa a crescer e assume imagens negativas, como se elas fossem verdadeiras. O medo anula a motivação, o prazer e a felicidade. Não é isso que você quer, certo?

Para aliviar esse estado tão incômodo que chamam de estresse, preparei uma meditação que irá equilibrá-la internamente e coroá-la com grandes doses de autoconfiança para enfrentar as mais diferentes situações. Vamos lá? Leia o texto a seguir em voz baixa:

73

“É muito bom estar comigo. Estou aqui, agora, focando toda a atenção sobre mim. Pensamentos, emoções e sensações podem vir, mas vou deixá-los passar para concentrar-me exclusivamente no meu eu. Quero, a partir de agora, ser minha amiga, abandonar minhas ilusões e procurar o caminho da inteligência. Sim, quero provar ao máximo a inteligência, pois sei que ela evita o sofrimento. Estou aqui para me tratar bem: não quero me depreciar ou me rotular. Quero que esse encontro comigo seja um marco na minha vida interior. A partir de agora serei conscientemente responsável por mim. Não quero deixar simplesmente o mundo me levar. Quero parar, me educar, selecionar meus valores, observar como funciono e jamais me julgar. Nunca irei me ameaçar ou me condenar por algo que eu faça ou deixe de fazer.

Vou aliviando, agora, a pressão do perfeccionismo, que exige de mim um padrão contrário ao meu espírito. Ele me machuca, me entristece e me marca. Não posso permitir tal pressão. Sei que sou feliz quando sou autêntica e quando vivo com a alma. Aliás, minha alma é maravilhosa, muito sensata e sábia. Ela tem bom senso e bons sentimentos. Somente a alma humaniza, preenche e realiza. Aí sim, sou boa e alegre, e a vida tem o seu sabor. De hoje em diante, não haverá mais culpa, dúvidas e medos. Haverá apenas a minha aceitação integral e minha cooperação comigo mesma. Eu me tornarei mais forte, capaz de passar com leveza pelas maiores dificuldades e pelos maiores desafios.”

Luiz Gasparetto

O feng shui cura sua alma

Aplique as milenares técnicas chinesas de harmonização para fazer uma "faxina" em si mesma e ganhar vida nova

Nesta semana, recebi um texto muito bacana que quero compartilhar com você, leitora. Trata-se de uma lista de atitudes capazes de esgotar as nossas energias e, assim, comprometer o nosso crescimento e a nossa felicidade. Leia com atenção e tente se livrar delas. Você irá se surpreender. Acredite!

1. Falta de cuidado com o corpo

Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis e lazer são deixados de lado. Com a correria, a saúde energética fica em segundo plano.

2. Pensamentos obsessivos

Ficar remoendo um problema cansa mais do que trabalhar o dia todo. Pensamentos positivos

recarregam as energias, enquanto o pessimismo as consome.

3. Sentimentos tóxicos

Choque emocional, raiva, ressentimento e mágoa esgotam as energias. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não prosperam. Por outro lado, sentimentos positivos como amor, bom humor e alegria recarregam as pilhas e dão força para superar obstáculos.

4. Fuga do presente

As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis. Ou então ele deposita no futuro a felicidade e a realização, mas

deixa pouca energia no presente. Ele se esquece de que apenas no agora podemos construir nossas vidas.

74

5. Falta de perdão

Perdoar significa livrar-se de ressentimentos, mágoas e culpas, libertar-se do que ocorreu e seguir em frente. Quem não sabe perdoar fica energeticamente obeso, carregando fardos passados.

6. Mentiras pessoais

Somos educados para desempenhar papéis: a mocinha boazinha, a vítima, a mãe dedicada. Quando somos nós mesmos, a vida flui sem esforço.

7. Viver a vida do outro

Nós evoluímos com os relacionamentos, mas é preciso ter limites e amadurecer a individualidade. Quem cuida da vida do outro, sofrendo pelos problemas alheios e interferindo mais do que deve, acaba não tendo energia para construir a própria vida.

8. Ficar na bagunça

A bagunça afeta as pessoas, porque provoca confusão mental e emocional. Quando a vida está confusa, vale a pena arrumar a casa. À medida que a limpamos, também colocamos em ordem nossa vida. Pode não resolver o problema, mas traz aquele alívio.

9. Afastamento da natureza

A natureza elimina as energias ruins. Mas o homem moderno não tem esse privilégio de estar em contato com ela. A competitividade e o estresse das grandes cidades favorecem o vampirismo energético: todos sugam energias de outras pessoas e são sugados. Atitudes erradas como essas significam desperdício de energia. A aplicação do feng shui em um ambiente será ineficiente se quem vive nesse espaço não cuidar da própria energia. O ambiente faz a pessoa, e vice-versa.

Luiz Gasparetto

Acima de tudo, goste de si mesma!

O caminho mais fácil para conquistar a verdadeira felicidade é colocar-se sempre no lugar de honra e aprender a se valorizar

"Um facilitador no desenvolvimento do conhecimento sobre si mesma. É dessa forma que quero me definir ao estrear esta coluna e, desse modo, ter a oportunidade de estar junto de você, leitora de AnaMaria. Minha real intenção é armar você de recursos para que você seja a sua própria terapeuta e se ajude. O meu objetivo é fazer você se conhecer melhor e entender muito mais sobre o seu mundo interior. Por quê? Porque nós sempre fomos educados para conviver com o mundo exterior, que é, sem dúvida, importante. Mas o mundo interior - o dos nossos sentimentos, sensações e emoções - também é. E, na maioria da vezes, fica abandonado.

É importante saber que, quanto mais você se conhecer, mais condições terá para melhorar a sua vida e obter novas realizações."

E então, leitora, lembra desse trecho que você acabou de ler? Foi exatamente assim que comecei a

escrever essa coluna aqui na revista AnaMaria, há cerca de três anos. Você acredita que já faz todo esse tempo que estamos juntos, nos encontrando semanalmente?

Pois bem, quero celebrar com você esse rico período e aproveitar para lhe perguntar se eu consegui realmente atingir o objetivo que havia proposto lá no começo — o de ajudar você a se entender, a se conhecer melhor, a lidar de maneira mais tranqüila com o seu próprio eu. Torço para que a sua resposta seja positiva. E torço, sobretudo, para que você tenha aprendido a ser mais generosa consigo mesma. Para que tenha conseguido se valorizar mais e se gostar acima de qualquer outra coisa.

Sim, esse é o ponto-chave para que você encontre a grande felicidade que tanto deseja. Você já

reparou que, independentemente do assunto de que trato em cada edição, sempre destaco o quanto

é importante se amar? Se você conseguiu absorver ao menos um terço de tudo que falei até agora,

confesso que eu me dou por satisfeito. Quero que você acredite em si mesma e não dê ouvidos às

outras pessoas. Aposte sempre no seu sentimento, no seu sexto sentido

você está conseguindo exercitar essa conduta no seu dia-a-dia? Já consegue enxergar algumas conquistas? Pare. Observe. Talvez já tenha conquistado pequenas coisas que promoveram grandes mudanças na sua vida.

e vá em frente! E então,

75

Olha, quero que vocês me escrevam sempre. Àquelas que já o fazem, peço que continuem. Vocês são

o termômetro para saber se o nosso trabalho vem evoluindo. Sim, eu sei, nem tudo que falo é fácil de colocar em prática. Sei também que algumas leitoras não concordam com muitas das minhas colocações. Mas o mais importante de tudo isso é que as nossas discussões geram questionamentos e reflexões que, por certo, vão desencadear algumas mudanças na sua vida. E mudanças são sempre positivas.

Por tudo isso é que eu gosto tanto de provocar suas percepções sobre o mundo. Quero que você sacuda a poeira, confie no seu taco e mostre a si a que veio. Você, você, você! Seja você mesma. Não tenha receio de ser diferente. O que importa? Se garanta. Não coloque a sua felicidade nas mãos de outras pessoas. Seja responsável pelo seu próprio bem-estar. Baste-se. O foco é sempre você. Pode

acreditar!

Luiz Gasparetto

Faça brilhar sua luz interior!

Pare de querer controlar as pessoas ao seu redor. Encontre seu caminho e ative a sua luz. Você verá que a felicidade vai fluir naturalmente

Há certas coisas na vida da gente que são incontroláveis. Vamos supor que você tenha algum

problema e não consiga resolvê-lo de maneira alguma. De repente, você se vê num estado de medo e impotência, por não conseguir encontrar a melhor solução. Aí, você acaba se estressando, se

preocupando. Pois bem

Luz é a nossa fonte de inspiração. Ela significa confiança, coragem, alegria e entusiasmo. Quando essa sensação está dentro de nós, nos sentimos iluminados, lúcidos, de uma maneira peculiar. Muitos

chamam isso de Deus, Cristo interior

nela, e sua vida flui. Então, não adianta se preocupar e ficar naquele exercício mental de querer

controlar tudo e todos.

o melhor caminho é relaxar e jogar essa questão nas mãos da luz.

Enfim, luz é o infinito e proporciona soluções. Basta confiar

Aliás, querer controlar as pessoas é um dos grandes erros da humanidade. Nada e ninguém é

controlável, mas a gente resiste a essa ideia. Por exemplo: muitos pais tentam controlar os filhos. À medida que crescem, esses filhos começam a mentir, a enganar, a não ser sinceros - ou seja, se fecham

e se afastam. É uma estratégia de defesa!

Você já reparou na diferença entre querer controlar e querer influenciar? Influenciar é algo que vem de uma proposta mais aberta, não invasiva: passar determinados conceitos sem aquela vontade doentia de dar ordens. Diante de imposições, qualquer um se sente acuado, sem luz e sem alma para se colocar e agir com liberdade.

Enfim, essa história de querer o bem e controlar não funciona na educação e no convívio com as pessoas. Observe outro exemplo: o casamento. Quando o marido ou a mulher tentam dominar um ao

outro, o amor vai embora. As pessoas se afastam. Posso dizer a mesma coisa em relação ao apego. Se

é apegada, você não tem luz interior.

76

Volto a dizer: ninguém é de ninguém. Gostar não é prender - é soltar! A gente procura naturalmente

as pessoas que nos deixam à vontade. Chega a ser interessante: você deixa o indivíduo confortável por não querer dominá-lo, e ele se sente tão bem que procura você. Ele começa a gostar de você, do nada.

A grande conquista, portanto, é estar em si. É estar na própria luz. Nesse caso, o amor, o carinho e o bem chegam, mais cedo ou mais tarde.

Olha, gente, eu aprendi a não me envolver com as pessoas, nem com o mundo, nem com o ambiente. Quando eu gostava de alguém, eu assumia essa pessoa de tal maneira que eu sofria as consequências

dos problemas dela. Acho que eu não preciso passar por qualquer coisa ruim para ajudar alguém. Isso

é antinatural - não é inteligente! Hoje, quando um indivíduo vem me contar aquelas histórias

catastróficas ou mil problemas, eu nem ouço muito. Só começo a jogar luz nessa pessoa. A luz dela vai se acendendo e levando-a para o melhor. A alma dela, a essência dela é que vai identificar o melhor caminho a seguir.

Para que vou me envolver com a vida dela? Pra que tentar controlar uma situação que não me

pertence? A vida da luz fala por si, gente! Confie nela. Entregue-se ao seu eu interior. Fique na sua luz -

e você verá tudo funcionar ao seu redor.

Luiz Gasparetto

Brinque com sua voz interior

Encontre o melhor da vida dentro de si mesma, conectando-se com seu Deus interior. Assim você ultrapassa os obstáculos e pode viver mais feliz

Nesta edição, quero reforçar a lição da semana passada. Para isso, faremos uma meditação. Ela vai ajudar você a se conectar com sua luz - que nada mais é do que seu Deus interior. Com essa luz, é muito provável que você consiga ultrapassar seus obstáculos com mais facilidade. Acredite! Antes de tudo, procure um lugar tranquilo e sente-se de maneira confortável. Sinta-se dentro do seu domínio, do seu universo. Agora, leia em voz baixa:

"Estou consciente de que tenho o poder de pensar como eu quero. Eu tenho o direito de pensar no que quero, para o bem ou para o mal. Eu posso impor ao meu mundo interior tudo que eu quiser. E eu quero me sintonizar com o que há de melhor. Esqueço, a partir de agora, a pessoa que fui, principalmente meus vícios de pensamento. Penso apenas na paz e, assim, permito que o perfume da serenidade toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os poros do meu corpo, numa mensagem de ordem, equilíbrio e perfeito funcionamento.

Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso’. Eu posso estar na paz. Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal, com responsabilidade divina. Melhor é ter um grande sorriso no peito!

Essa é a felicidade mais fácil a que eu tenho direito. É tão simples pensar que o melhor está em mim

A beleza está em mim e a suavidade está em mim, assim como a ternura, o calor, a lucidez e o

esplendor das mais belas formas do Universo.

Aí, eu me abro inteira e sinto que não há fronteiras nem barreiras na minha vida. O limite era apenas uma impressão, e cada condição foi apenas o resultado da minha insistência em ocupar uma posição no mundo. Sou livre para deixar qualquer posição, para descartar qualquer pensamento, sentimento, hábito ou paixão. Porque eu sou espírito - luz da vida em forma de pessoa.

77

Ah, Universo, eu estou aberta para o melhor! Sei que, muitas vezes, sou levada por pensamentos ruins. Mas eu não conhecia a força da perfeição. Eu não conhecia a lei do melhor. Agora me entrego e me comprometo comigo e contigo. Mantenho minha mente aberta. Esse momento me desperta e me traz inspiração para enfrentar as dificuldades. Essa luz só brilha para quem insiste no autoaperfeiçoamento.

Não quero pensar nas minhas fraquezas. Quero olhar para mim e ver como sou bonita, como fiz coisas

maravilhosas

vontades e me projeto com força nessa identidade de saber que eu posso, sim, fazer o melhor. Sou capaz de fazer isso sempre.

e que meu peito está cheio de vontades! Eu assumo a responsabilidade sobre essas

Redespertar meu espírito é viver nele. É ter a satisfação de ser eu. É poder ser original, única, pequena

e grande ao mesmo tempo. Agora sei que o melhor está ao meu favor. Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manifesta em mim como pessoa em transformação. Eu sinto como se estivesse sentada na cadeira da solidez universal, porque estou no meu melhor. Porque sou o sucesso da eternidade, e porque estou há milhares de anos seguindo e não fui destruída. Porque o Universo garante. Grito dentro de mim: de todas as coisas da vida, o melhor sou eu. O melhor sou eu!"

Luiz Gasparetto

Mantenha sua família unida

Aceite as diferenças e aprenda a respeitar as opiniões dos outros. Isso garante uma união muito mais verdadeira e feliz entre as pessoas

Você se preocupa com a sua família? Quer mantê-la unida? Faz de tudo para que a paz seja uma constante entre seus entes queridos? Pois é, pessoal, para que essa harmonia esteja presente, é necessário aprender o verdadeiro significado da família.

Muitas pessoas pensam que a família se resume a laços de sangue

Há também quem acredite que, em um grupo familiar, todos os componentes devem ter os mesmos

valores e seguir os mesmos caminhos. Nada a ver

membros, mas ninguém é igual a ninguém dentro da mesma família. É preciso, acima de tudo, aceitar

Mas isso é o que menos importa!

Claro que é possível haver afinidade entre os

as diferenças entre todos.

E aceitar as diferenças significa ter compreensão, abertura e diálogo. Quando não aceitamos algo, é comum que a gente queira impor um modelo. Sem perceber, nos esforçamos para que nossos filhos, por exemplo, adotem condutas que estejam de acordo com a nossa visão de mundo. Sim, devemos

orientá-los, mas muitos pais estabelecem um modelo rígido de educação. Resultado: é um tal de filho

mentir pra pai e mãe

Triste, não?

É impressionante como as pessoas não aceitam as diferenças. Nós nos fechamos tanto em nossas

vidas, nos próprios valores e verdades, que não toleramos sequer uma ideia oposta à nossa. Tente incorporar a seguinte linha de raciocínio: "A cabeça daquela pessoa é assim e eu respeito. Ela pode me contar tudo, que eu não me choco nem critico. Não sou juiz: sou amiga".

78

Agir assim favorece o diálogo e a paz. Se, por outro lado, você condena, o outro se afasta - e não só na família, mas em qualquer relação. E não adianta a mãe vir com aquelas frases: "Te amo, quero o teu bem. Portanto, faça isso ou aquilo". Reflita comigo: será que esse bem é realmente o bem do filho?

Vamos lá, aposte na flexibilidade. Sem ela, os laços se rompem. Com ela, os laços se estreitam. Ou aceitamos as diferenças - e aprendemos a conviver com elas - ou não convivemos com ninguém. Pare de brigar com a realidade! Você sofre, se debate e se desgasta, principalmente quando não consegue se controlar. Aí, a raiva, o aborrecimento e a preocupação entram em cena. Deixe de querer mudar o outro. Isso é um verdadeiro desrespeito com você mesma.

O importante é ter paz e equilíbrio. Dois filhos podem ser muito amigos, mas outros podem se dar bem apenas com amigos de fora da família. As relações dentro do lar vão se estabelecer como podem

e não como imaginamos ser o ideal. Aliás, não existe família ideal - há, sim, famílias de verdade, como

a sua! Então, aceite a individualidade de cada um.

Aliás, preste atenção: sentimento de família é elo humano. Não está restrito aos filhos, maridos, avós, primos etc. Está na esfera social. E quando você souber aceitar as diferenças, os valores e as vontades das pessoas, conquistará uma atitude mais fraternal. É como aquela pessoa que, mesmo sem fazer nada, recebe mil beijos e abraços. O segredo desse carisma? Abertura. Pratique isso dentro da sua família e garanta a união! Pratique-a em todos os lugares, e você viverá cercada de amigos.

Luiz Gasparetto

Tenha amor por seu trabalho

Gostar da sua rotina diária torna o seu espírito mais leve. Assim, você dará conta dos seus afazeres com muito mais eficiência e prazer

É possível, sim, encarar uma segunda-feira ensolarada com um belo sorriso nos lábios e a maior

disposição do mundo para desempenhar todas as tarefas profissionais. O segredo? Gostar, de verdade, do que você faz. Pois é, o trabalho também é uma oportunidade de realização na vida. Quando a gente faz o que gosta, não existe peso - há somente a vontade de se aprimorar e acertar.

Aliás, quando a mente está aberta e em harmonia, o espírito se torna genial e ganha mais inteligência

e leveza. Assim, realizamos o nosso trabalho com muito mais eficiência. Aquilo que geralmente leva

mais tempo passa a ser realizado com rapidez e competência excepcionais, com menos desperdício de

força e muito mais prazer.

O inimigo do "trabalho com o espírito" é essa praga de que tudo deve ser feito com seriedade, medos,

preocupações - e o pior: por obrigação. "Você tem de fazer isso ou aquilo." Resultado: surge aquele desconforto que todo ser humano conhece e recebe o nome de preguiça. Seu corpo fica pesado e você passa a atrair apenas sensações ruins. Isso não é saudável!

Automaticamente, você se deixa também contagiar pelo maldito orgulho: "Eu tenho de ser

maravilhosa, tenho de ser perfeita, tenho de realizar esse trabalho, tenho de conquistar um cargo

melhor

".

Ou seja: você cria um modelo que, na verdade, nem é o que o seu espírito quer.

Já parou para pensar que aquilo que é grandioso para o seu espírito pode ser algo totalmente diferente do que você está procurando neste instante? Lembre-se, querida leitora: o grande momento pode não ter sido aquele em que você ganhou mais dinheiro ou foi aplaudida pelos amigos. Talvez tenha sido aquele em que você sentiu o maior prazer do mundo em desempenhar a sua função - um projeto seu que foi bem-sucedido, por exemplo.

79

Não tem jeito: precisamos sempre alimentar aquilo que nos dá prazer. O prazer da alma nutre nossa vida e a satisfaz de maneira contínua e duradoura. O trabalho precisa ser assim. Mesmo fora do expediente, você se lembrará dele com carinho. Com essa satisfação, você terá mais ideias e inspirações.

Enfim, volte-se para aquilo que realmente sente. Na prática, você precisa acabar com todos aqueles "tem de". Enquanto essa autocobrança acontecer, haverá resistências à sua satisfação. Largue essa mania inútil! Tudo bem, você pode até me dizer: "Ah, porque eu sonho com tal coisa". Grande tolice! Nosso ego é que sonha. Ele não só sonha, como despreza totalmente a riqueza do momento. "Ah, mas eu não posso ter metas?" Claro que pode, desde que não seja algo que acabe transformando sua vida em um tormento. Fuja do "eu tenho de fazer isso ou aquilo pra chegar lá". E o prazer, onde fica?

Você pode, sim, ter uma meta e ir caminhando numa boa, rumo a ela. Se cada etapa for aproveitada, curtida e saboreada, tudo bem. Nesse caso, chegar lá não é tão importante quanto percorrer esse caminho. E digo mais: lembre-se de que a vida não é uma competição. É uma trajetória, um modo de estar e de ser. O ideal é tirar o máximo proveito desse caminho, é curtir o aqui e agora. Viva o presente - sempre!

Luiz Gasparetto

Ajude o outro sem se desgastar!

Assumir os problemas das outras pessoas pode até ser uma atitude bacana, mas acaba prejudicando sua vida. Pense mais em você!

Será que você conhece seu poder de garantir o próprio bem-estar? Muitas vezes, nos vemos em situações difíceis, que parecem não ter solução. E vou mais longe: ficamos doentes por causa desses problemas, quando na verdade somos os maiores responsáveis por eles. Explico.

Ao seu redor, há um campo energético. Seus assuntos profissionais, sua família, seus relacionamentos,

sua saúde

comportamentos. E saiba disto: uma das ações que comprometem seu sucesso é assumir a responsabilidade do outro.

Enfim, tudo tem a ver com esse campo energético, que é alterado por suas atitudes e seus

Não tem jeito: uma das grandes besteiras é querer agradar os outros para receber aplausos e aceitação. Não estou falando do ato de ajudar de coração - isso é bacana! O problema é que costumamos ser generosos para que nos aprovem. E toda vez que você assume o outro, fica envolvida energicamente com ele - e sofre! Sofre porque esse outro tem problemas e carrega energias nada positivas, que acabam passando para você.

Resultado: essa ligação ruim atrapalha a sua prosperidade. Além disso, você começa a apresentar sintomas físicos e emocionais derivados disso: retenção de líquido, dores de estômago, dores de cabeça, além de sono excessivo e medos que não têm sentido algum.

É o que aconteceu com uma garota que tratei. Ela era diabética - segundo os médicos, era problema

genético. Quando começou a me contar a própria história, constatei que ela tinha uma ligação muito intensa com a mãe, uma idosa totalmente dependente da filha - por safadeza mesmo. A mãe era o tipo de pessoa infeliz que se prendia à filha, alegando preocupação com ela.

80

Por culpa ou sei lá o quê, a filha achava que tinha de assumir a mãe. Pura bobagem! Então, eu abri o jogo com a moça: enquanto ela não se livrasse da figura da mãe, não se tornasse adulta e não deixasse de ser tão boazinha, não conseguiria ser verdadeira consigo mesma. Desse jeito, não dá pra ser feliz! Começamos a fazer um trabalho de desligamento com relação à mãe. Foi duro. Ela chorou, chorou e, por fim, conseguiu se desprender e se aliviar. A partir disso, o corpo dela começou a ter reações estranhas. De acordo com a equipe médica, o organismo dela estava começando a rejeitar a insulina tomada diariamente. Enfim, ela deixou de ser diabética! Muito intrigante, não é, leitora?

O que eu quero, com essa história real, é mostrar até que ponto pode chegar um contágio energético

ruim. Por isso, precisamos viver nossas vidas e nos desligar dos outros de vez em quando, seja quem for - pai, mãe, irmão, marido, filho, namorado, amigos etc.

E digo mais: não devemos apenas nos desligar dos outros, mas também do passado, das tristezas, das

mágoas e de posturas críticas em relação a tudo e a todos. Todas essas atitudes, frutos da nossa personalidade, infestam negativamente nosso campo energético. Isso é péssimo para a felicidade, a

conquista dos nossos objetivos, a abertura dos nossos caminhos e a vida de uma maneira geral.

Vamos lá! Seja mais bondosa consigo mesma. Liberte-se para conquistar o seu próprio bem-estar. Pense nisso!

Luiz Gasparetto

Encontre hoje sua felicidade!

Aprenda a se libertar das amarras que você impõe a si mesma e voe em busca de um caminho mais tranquilo rumo às alegrias da vida

Quero ensinar a você um exercício. Com ele, você viverá definitivamente de bem com a vida. É como eu disse na coluna anterior: somos os maiores responsáveis pelas situações delicadas nas quais nos envolvemos. Sim, precisamos nos libertar! O exercício a seguir vai ajudar você a se soltar e ficar livre de sensações que só aprisionam sua alma, deixando você cega às oportunidades de felicidade que passam à sua frente. Vamos lá?

Se você puder, ponha para tocar uma música suave e feche os olhos. Comece o exercício soltando algumas amarras que estão dentro de você. Solte essa vítima que, às vezes, você incorpora. Deixe de dar tanta importância aos desapontamentos que você teve na vida. Afinal, a vida continua!

Agora repita: "Estou aqui e vivo a vida com os desafios que ela me traz. Eu não sou vítima, não protejo mais essa coisa pequena. Eu assumo minha coragem! Assumo minha vontade de ir em frente e a necessidade de estar sempre de bem com a vida. Eu posso manter meu alto-astral - permito-me falar o que quero, deixo que meus sentimentos se expressem como são. Eu posso manter o bom humor! Para isso, deixo que as pessoas cuidem dos próprios problemas e eu assumo os meus. Para continuar com esse entusiasmo, eu não espero nada de ninguém. Afinal, sou livre para aproveitar tudo que existe ao meu redor. Deixo minha curiosidade avançar até onde ela quer. Eu decido ser engraçada, ter humor e não levar as coisas tão a sério. Sim, eu posso sorrir, eu posso jogar fora minhas mágoas, minhas tristezas, meus desapontamentos e minhas desilusões. Que bom jogar fora todas as desilusões!".

Vamos lá: faça isso por si mesma! Às vezes, você recomeça assim, renovada, e se sente meio atrapalhada. Parece até que está forçando a barra. É isso mesmo! É preciso forçar um pouquinho para dar o arranque. Continue dando esse tranco até que o motor esquente e você comece a despertar em si o ânimo e a alegria que dormiam, o humor que estava posto de lado. Deixe aflorar a criatividade, a curiosidade, a liberdade, as ideias, os verdadeiros objetivos.

81

Volte a dizer: "Eu posso manter meu alto-astral porque me aceito como sou". Jogue pra dentro de si essa sensação gostosa: eu aceito. "Aceito que me deixei envolver pela tristeza, fruto dessas situações delicadas e difíceis que acabei criando quase sem perceber. Mas não brigo comigo: fiz o que fiz por achar que era o melhor, e agora eu me dou conta de que essa atitude não é mais a melhor pra mim. Eu me aceito como sou, diferente dos outros. Aceito que muitas pessoas não vão me entender, não vão gostar de mim.

Aceito que não sou tão corajosa quanto poderia ser. Eu me abro pra crescer! Aceito que não sou tão coerente e sincera, e que não sou