Sei sulla pagina 1di 2

Biografia do poeta:

Nome completo: José Fontinhas Pseudónimo(s): Eugénio de Andrade Nascimento: 19 de Janeiro de 1923 Póvoa de Atalaia, Portugal Morte:13 de Junho de 2005 (82 anos) Porto, Portugal Nacionalidade :Portuguesa Ocupação: Poeta, escritor, tradutor

Apesar do seu enorme prestígio nacional e internacional, Eugénio de Andrade sempre viveu distanciado da

chamada vida social, literária ou mundana, tendo o «essa debilidade do coração que é a amizade».

próprio justificado as suas raras aparições públicas com

Recebeu um sem número de distinções, entre as quais o Prémio da Associação Internacional de Críticos

Literários (1986), Prémio D. Dinis da Fundação Casa de

Associação Portuguesa de Escritores (1989) e Prémio Camões (2001).

Mateus(1988), Grande Prémio de Poesia da

Urgentemente

É urgente o amor.

É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,

ódio, solidão e crueldade, alguns lamentos, muitas espadas.

É urgente inventar alegria,

multiplicar os beijos, as searas,

é

urgente descobrir rosas e rios

e

manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz impura, até doer.

É urgente o amor, é urgente permanecer.

Eugénio de Andrade

Significado:

O poema fala-nos como é importante que as pessoas se deixem guiar pelas coisas boas da vida, que vão à

procura da felicidade e que ponham um fim à

Diz-nos como é importante destruir o ódio, a solidão e a crueldade, destruir as espadas, que são símbolo de

guerra e violência. E, de seguida, refere como é

“descobrir rosas”, ou seja, beleza, harmonia, amor.

O poeta sente a necessidade de viver num mundo melhor, num mundo repleto de felicidade e amor

eliminando as coisas negativas que este tem. São mais as vezes em que ouvimos e vemos a infelicidade em que vivemos, e raras as vezes em que vivemos

guerra e a toda a tristeza que nos rodeia.

urgente construir a felicidade, a alegria, é urgente

momentos felizes. Porque sem amor e felicidade não há futuro nem harmonia no mundo.

Figuras de Estilo:

Neste poema ressalta um tom apelativo: o sujeito poético lança um apelo a toda a humanidade.

Eugénio de Andrade um artista da palavra, não é de

seleccionando o vocabulário que lhe permite transmitir o seu apelo e as razões por que o faz. Serve-se,

também, de um conjunto de recursos de estilo que servem a sua intencionalidade: a anáfora e as repetições, a

traduzir a insistência do apelo ("É urgente o

palavras";"É urgente o amor , é urgente permanecer".); as antíteses, para apresentar duas

distintas ( destruir / inventar; descobrir / permanecer); as aliterações em "s" e em "r", a sugerirem a reflexão e

a preocupação (destruir certas

barco; mar

acentuar a urgência do amor ("É urgente destruir / certas palavras, / ódio, solidão e crueldade, / alguns

lamentos, / muitas espadas"; " É urgente

descobrir rosas e rios / e manhãs claras."); a metáfora, que serve para exprimir o valor simbólico à

mensagem ("É urgente um barco no mar."

Concluindo, poder-se-á afirmar que todos os processos usados pelo poeta concorrem para clarificar a

mensagem que o poema encerra: sem amor não há futuro

obra, de onde foi tirado este poema, "Até amanhã" conota a esperança e a persistência da necessidade de

inventar e construir o amor.

Sendo

estranhar que utilize uma linguagem rica e variada,

amor. / É urgente um barco no mar. / É urgente destruir certas

solidão; searas; silêncio

realidades

urgente; amor;

depois para

palavras; lamentos; espadas

);

as hipérboles, usadas primeiramente como forma de acentuar a destruição e

inventar alegria, / multiplicar os beijos, as searas, / é urgente

)

nem harmonia no mundo. O próprio título da

Análise:

O Poema é composto por 14 versos distribuídos por um dístico, duas quadras e um terceto. Os Versos são

soltos e só há presença de rima na 3ª e 4ª estrofes

onde está presente a rima cruzada.