Sei sulla pagina 1di 1

Uma zebra legal

Márcia Honora

Heloísa era uma zebra que morava numa savana com sua família.

A avó de Heloísa já havia percebido que a cabeça de sua neta estava um pouco maior do que o

normal.

Um dia, a avó, preocupada com a saúde de sua neta, resolveu perguntar para a mãe de Heloísa se ela não achava que estava acontecendo algo de errado com o tamanho da cabeça da zebrinha.

A mãe de Heloísa se sentiu muito incomodada e disse para a sua sobra que não havia nada de

errado com sua filha. As duas passaram o resto daquele dia chateadas uma com a outra

No dia seguinte, Heloísa se queixou para sua mãe que sua cabeça estava doendo e que gostaria de ficar deitada embaixo da árvore, pois estava cansada de brincar com seus irmãos.

A mãe de Heloísa ficou preocupada, pois nunca havia visto a filha reclamar de dor e muito

menos não querer brincar. Então, pensou que seria melhor procurar um veterinário. Na outra manhã, a mãe de Heloísa a levou ao doutor Neuro, que começou a fazer exames na cabeça da pequena zebra. Ele descobriu que a causa das dores de Heloísa era um acúmulo de líquido em sua cabeça. Ela precisaria

fazer uma cirurgia com urgência.

Doutor Neuro explicou que colocaria uma válvula na cabeça de Heloísa e que esse líquido em excesso seria conduzido por uma mangueirinha até a sua bexiga.

Todos ficaram apavorados. A cirurgia foi marcada rapidamente. Enquanto isso, Heloísa só queria saber de ficar deitada e quieta. Ela estava se sentindo muito cansada.

A cirurgia foi um sucesso e logo Heloísa recebeu alta. Quando foram sair do hospital, doutor

Neuro recomendou todos os cuidados que Heloísa deveria ter a partir de então.

Um dos cuidados que Heloísa deveria ter era com as quedas e batidas na cabeça, mas ela poderia ter uma vida normal, brincar, ir à escola e aprender como todas as outras zebras da sua idade.

Heloísa se recuperou rápido e logo começou a sentir vontade de brincar e correr novamente. Percebeu que até o tamanho da usa cabeça já estava um pouco menor. Heloísa se sentia melhor a cada dia.

Um dia, quando Heloísa estava chegando em casa, viu sua mãe agradecendo sua avó e as duas de abraçando. Heloísa não entendeu nada, mas gostava de saber que as duas estavam se entendendo.

Heloísa foi crescendo e frequentando a escola como todas as outras zebras de sua idade. Às vezes, tinha que estudar um pouco mais do que suas colegas, mas preguiça era uma palavra que Heloísa não conhecia.

Quando Heloísa cresceu, foi trabalhar no instituto Veterinário Legal, que catalogava todas as zebras por meio do desenho de suas listras. Heloísa era realmente uma zebra legal.