Sei sulla pagina 1di 18

Substituio Nucleoflica Bimolecular (SN2)

Cintica da Reao de Substituio Nucleoflica Unimolecular (SN1)

CH3 H3C C Br CH3


Experimento:

OH-

CH3 H3C C OH CH3

Br-

Dobra [(CH3)3Br]: velocidade da reao dobra Dobra [OH-]: no altera a velocidade Concluso: A velocidade da reao independente da [OH-].

V = k [(CH3)3Br]
Cintica de primeira-ordem.

Solvlise Solvlise: Reao de substituio onde molculas do solvente atuam como nuclefilo. Quando o solvente a gua, temos uma hidrlise.

Mecanismo da Reao SN1

O Conceito de Etapa Determinante da Velocidade

Velocidade Relativa de Reaes SN1

SN1: S: Substituio
N:

Nucleoflica

1: Unimolecular (Uma nica molcula participa da etapa determinante da velocidade)

Concluso: Halo-alcanos como CH3Br e CH3CH2Br no sofrem solvlise

Diagrama de Energia: SN2 vs. SN1

Estereoqumica da Reao SN1

Concluso: Reao de SN1 ocorre com racemizao.

Estereoqumica da Reao SN1: A racemizao pode no ser total

Exemplo:

Solventes Polares aceleram a reao SN1

Solventes prticos so mais eficientes, pois estabilizam o estado de transio por ligaes de hidrognio com o grupo de partida. Exemplo:

A reao SN1 acelerada pela presena

de melhores grupos de partida

Sada do grupo de partida ocorre na etapa determinante da velocidade.

O poder nucleoflico do nuclefilo afeta a distribuio dos

produtos, mas no a velocidade

Exemplo:

Carboctions A estabilidade de um sistema com carga aumentada pela disperso da carga:

Carboctions Determinao da estrutura do ction 1,1-dimetiletil por raio-X

Rearranjo de Carboction Migrao 1,2:

G. Olah Prmio Nobel de Qumica de 1994, Importante contribuio no entendimento da qumica dos carboctions

Rearranjo de Carboction

Em todos os casos, um carboction menos estvel convertido em um mais estvel.

Se uma migrao 1,2 de hidrognio ou de grupo alquila pode formar um carboction mais estvel, ento ir ocorrer o rearranjo.

Rearranjo de Carboction

Rearranjo de Carboction